PMs e manifestantes em clima de paz

Apesar das pequenas confusões, dos 30 registros de ocorrências e das 28 pessoas detidas, o que se viu nas ruas do Recife, na tarde desta quinta-feira, em sua maioria, foi um clima de harmonia entre manifestantes e policiais militares. Em vários pontos onde os militares passaram, as pessoas que faziam parte do protesto os aplaudiam. A foto abaixo foi postada no perfil do Vemprarua Recife no Facebook e está sendo bastante compartilhada e curtida pelos internautas.

Dentre as pequenas confusões registradas até o momento, algumas pessoas foram feridas a pedradas e um policial militar chegou a ser esfaqueado no braço quando trabalhava na Praça Maciel Pinheiro. Até o momento desta postagem, nenhum incidente mais grave havia sido registrado. O movimento que iniciou no Derby terminou no Marco Zero, no Bairro do Recife.

 

Policial Militar esfaqueado durante protesto no Recife

Um soldado da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) que ainda não teve o nome revelado foi esfaqueado no braço no final da tarde desta quinta-feira durante o protesto que está tomando as ruas do Centro do Recife. Apesar de não terem sido registrados confrontos, algumas pequenas confusões estão sendo registradas ao londo do percursso da manifestação. Toda a ação está sendo monitorada pela cúpula da SDS através das câmeras de segurança.

O militar que estava trabalhando nas imediações da Praça Maciel, Pinheiro, na Boa Vista, foi socorrido e, segundo fontes da cúpula da PM, passa bem. Há informações de que o agressor, que estaria entre os manifestantes, foi detido e levado para o plantão da Delegacia de Santo Amaro. De lá, o suspeito seguirá para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Leia mais sobre os protestos no Recife em:

Cúpula da SDS acompanha protestos pela central de imagens

 

Cúpula da Segurança Pública acompanha protesto pela central de imagens

Enquanto o protesto segue pelas ruas do Recife sem grandes problemas, a Polícia Militar está acompanhando a manifestação bem de perto. Até agora, apenas pequenas confusões foram registradas, algumas pessoas detidas por atos de vandalismo e outras feridas após terem sido atingidas por pedras.

Pessoas seguem com cartazes. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Pessoas seguem com cartazes. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

O secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, está observando tudo pelas telas que existem em seu gabinete. Acompanhado pelos seus assessores, Damázio está vendo através das câmaras de monitoramento tudo o que está acontecendo na rua. Já outras autoridades da Polícia Militar estão monitorando as ações diretamente das telas do Centro Integrado de Comando e Controle Regional de Pernambuco (CICCR), no bairro de São José.

PMs acompanharam o movimento. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

PMs acompanharam o movimento. Foto: Teresa Maia/DP/D.A Press

Compaz do Cordeiro deve ficar pronto em abril de 2014

Abril do próximo ano é o prazo para que o Centro Comunitário da Paz (Compaz) do bairro do Cordeiro fique pronto. As obras foram iniciadas na manhã de ontem e a promessa da Prefeitura do Recife é de transformar o antigo Clube da Chesf em um equipamento destinado aos moradores de vários bairros da região. O espaço reunirá cultura, lazer e prestação de serviços.

A ordem de serviço para o início da construção foi assinada pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio, e pelo governador do estado, Eduardo Campos. O investimento total da obra será de R$ 7,7 milhões e contará com recursos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal. Serão beneficiados os bairros do Bongi, Torrões, San Martin, Cordeiro e Engenho do Meio.

Maquete do centro foi exposta na quadra. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

Maquete do centro foi exposta na quadra. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

A dona de casa Célia Moraes, 55 anos, acompanhou o início das obras do Compaz e disse ter esperanças de que os jovens do seu bairro possam aproveitar bem o espaço. “Moro no Engenho do Meio e espero que esse Compaz possa oferecer oportunidades aos jovens da nossa comunidade. A violência existe em todo lugar, por isso, quanto mais tempo os jovens passarem longe dela, melhor será para o futuro deles”, opinou Célia, que ouviu atenta os discursos do prefeito e do governador.

O objetivo do Compaz é atender pessoas de todas as idades, com foco principal nos jovens. Para isso, serão oferecidos cursos de capacitação e oficinas. O centro será erguido em um terreno de 17 mil metros quadrados, no cruzamento das avenidas Abdias de Carvalho com a General San Martin, e terá biblioteca, ginásio coberto, piscina, campo de futebol, quadra de tênis e uma pista de skate.

Quem for utilizar o Compaz do Cordeiro terá à disposição videoteca, ludoteca, audioteca e um auditório para 180 lugares. Segundo a prefeitura, serão oferecidos também serviços do Procon, Expresso Cidadão, mediação de conflitos e apoio psicossocial. O secretário executivo de Segurança Urbana do Recife, Eduardo Machado, representou o secretário Murilo Cavalcanti no evento e ressaltou a importância do equipamento para a cidade.

Começa a ser construído nesta sexta-feira o 1º Compaz do Recife

Cinco meses depois de ter assinado o Protocolo de Intenções, a Prefeitura do Recife, enfim, vai iniciar as obras do primeiro Centro Comunitário da Paz (Compaz) da cidade. Esta previsto para esta sexta-feira o início das obras da unidade que vai funcionar no bairro do Cordeiro, no prédio onde já foi o Clube da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf).

O principal objetivo do Centro é oferecer alternativas para prevenir a criminalidade, combater o consumo de drogas, principalmente entre os jovens, além de funcionar como uma ferramenta de inclusão social, criar alternativas de lazer, esportes e cultura e fortalecer a cidadania dos recifenses. O obra total está orçada em R$ 7,7 milhões.

O primeiro Compaz, que vai funcionar em uma área de 17 mil metros quadrados, contará com biblioteca, cine teatro, piscina, ginásio coberto, quadra de tênis, campo de futebol; entre outros equipamentos de cultura e lazer. Além disso, o espaço oferecerá aos moradores do entorno cursos de capacitação profissional para jovens em situação de risco, mediação de conflitos, acesso à Justiça, políticas de prevenção às drogas e violência e apoio psicológico para pessoas em situação de desagregação social.

Leia mais sobre o assunto em:

Primeiro Compaz será no antigo Clube da Chesf

Ações de combate ao crack da PCR serão apresentadas no dia 5

Dois bebês que viviam em condições precárias na Iputinga, Zona Oeste do Recife, foram resgatados pelo Conselho Tutelar. As mães (uma mulher de 42 anos e a filha dela, de 17) estão sendo investigadas por maus-tratos e abandono. Segundo vizinhos, ao invés de cuidarem das crianças, as suspeitas passavam o dia consumindo crack e ingerindo álcool. O episódio, registrado pela Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), é mais um retrato da epidemia da droga que se alastra e destrói famílias. No entanto, um reforço para mudar essa realidade está sendo construído. Um plano de políticas de enfrentamento ao crack e outras drogas está sendo elaborado por 12 secretarias da Prefeitura do Recife.

Grupos da Secretaria de Segurança Urbana estão visitando comunidades e flagrando o uso do crack (BLENDA SOUTO MAIOR/DP/D.A PRESS)

Assim como na versão estadual, o programa de combate às drogas será chamado de Atitude. As primeiras ações serão apresentadas no dia 5, durante lançamento do Pacto pela Vida do Recife. Uma série de ações, como a ampliação de abordagens nas ruas e acolhimento aos usuários em local seguro para tratamento do vício, está sendo trabalhada de forma estratégica.

Um mapeamento do consumo de entorpecentes no município já está sendo realizado por equipes da Secretaria de Segurança Urbana. “Os grupos estão visitando as comunidades e flagrando cenas de uso de crack. O que estamos percebendo, em nossa análise, é que não há pontos fixos, como acontece em outra cidades do país. No Recife, há sempre uma migração desses lugares”, explicou a secretária-executiva de Assistência Social, Geruza Felizardo, uma das integrantes do comitê gestor que se reúne quinzenalmente para tratar do tema.

Menos crimes
Além de contribuir com o fim do vício e reinserir os ex-usuários à sociedade, um dos objetivos do Programa Atitude é garantir a redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs). A meta é de 12% de queda ao ano – estatística idêntica à prevista pelo governo do estado, desde 2007. Atualmente, a capital registra uma taxa média de 38 homicídios para cada 100 mil habitantes. A criação de cinco Centros Comunitários da Paz (Compaz), nas áreas mais vulneráveis em relação à violência e ao percentual de pobreza, deve contribuir.

…Continue lendo…

Recife espera seguir exemplo do estado na redução de homicídios

Em 2007, a capital pernambucana contabilizava uma média de 68 homicídios para cada 100 mil habitantes. Seis anos depois, a taxa caiu para 38. Com a criação do programa Pacto pela Vida do Recife, porém, a prefeitura lançará uma meta ainda mais ousada. A Secretaria Municipal de Segurança Urbana garantiu que vai trabalhar para reduzir os índices a 10 mortes para cada 100 mil habitantes – conforme preconiza a Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo precisa ser atingido até o final de 2016, quando chega ao fim a gestão do prefeito Geraldo Julio. Nos primeiros quatro meses deste ano, Recife já obteve uma redução de 21,8% em relação ao mesmo período de 2012 – um dado relevante se comparado com a média do estado, que conseguiu uma queda inferior a 6%.

Desde a criação do Pacto pela Vida, a meta é de queda anual de 12%, mas, nos últimos dois anos, houve oscilações mensais e a Secretaria de Defesa Social não conseguiu cumprir o objetivo. “Estamos trabalhando com o setor de inteligência para desarticular as organizações criminosas e com a polícia preventiva, presente nos bairros e comunidades. Vamos lutar para atingir a meta até dezembro”, afirmou Wilson Damázio.

Confiança

Moradora do bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, a técnica de laboratório Ana Lúcia Gomes, 54 anos, se diz confiante com os resultados do Pacto pela Vida. Ela também destacou como principal ponto positivo o reforço no policiamento nos bairros.   “Estamos nos sentindo mais seguros graças às prisões”, destacou.

Entre as ações que serão implementadas pela Prefeitura do Recife estão o reforço na iluminação pública, a interação da Polícia Militar com a guarda municipal e a criação de mais espaços de lazer nas comunidades. O Pacto Pela Vida do Recife começou a ser construído em parceria com a sociedade no dia 6 de abril, durante a Consulta Pública realizada no Centro de Formação de Educadores Professor Paulo Freire, na Madalena.

Do Diario de Pernambuco

 

Quem dera fosse assim todos os dias

Por Raphael Guerra

Do Diario de Pernambuco

Um dia histórico no enfrentamento à violência. Essa foi a definição dada pelo governador Eduardo Campos ao anunciar que, na última segunda-feira, Pernambuco não registrou nenhum homicídio. É a primeira vez que isso acontece desde que as estatísticas começaram a ser monitoradas, em janeiro de 2004. No Recife, somente neste ano, esse resultado foi obtido 52 vezes. Já em 43 dos 184 municípios do estado o balanço é ainda mais expressivo: nenhum assassinato registrado desde 1º de janeiro. O governador pontuou que esses números são um “presente” ao programa Pacto pela Vida, que, no próximo dia 8, completa seis anos.

“Pela primeira vez zeramos os homicídios em território pernambucano. Isso merece uma celebração à vida. É um dia que queremos que se repita sempre, pois se trata de uma conquista da sociedade pernambucana. Esse dia histórico é resultado do trabalho articulado, da dedicação e da perseverança nas metas de redução da violência”, definiu o governador.

Crédito: Editoria de arte/DP

Crédito: Editoria de arte/DP

Segundo ele, o estado é o único do Nordeste a alcançar uma queda de mais de 35% nos índices de assassinatos. Campos destacou o trabalho diário de monitoramento das estatísticas, aliado às ações articuladas de repressão às drogas e aos grupos de crimes organizados. “Segurança não é só tarefa da polícia. Tem que haver coragem de acompanhar e apostar na transparência da ação para reduzir a violência”, disse.

Das 43 cidades sem homicídios neste ano, Limoeiro, no Agreste do estado, foi uma das destacadas durante a entrevista coletiva. Isso porque, em maio de 2007, quando o Pacto pela Vida foi criado, eram contabilizadas cerca de 82 mortes para cada 100 mil habitantes. Atualmente, o índice é de 9. Salgadinho, também no Agreste, chama a atenção. O último crime aconteceu em 2009.

O secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, lembrou que, por inúmeras vezes, o estado chegou a registrar mais de 30 homicídios numa segunda-feira. Isso sem contar os altos índices nos fins de semana e feriados. “Agora vamos concentrar esforços nos delitos de âmbito familiar, como os contra a mulher. Conseguimos reduzí-los em 38,8%, a maior queda registrada no país”, afirmou.

Reforço
O relançamento do programa Patrulha do Bairro, em agosto de 2012, também contribuiu com a redução de 21,3% nos crimes contra o patrimônio, entre eles os assaltos. Morador de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, o portuário Lúcio Arcoverde, 48, garante que já sentiu a diferença. “As viaturas passam com frequência pelas ruas, o que acaba afastando a presença de bandidos”, disse.

 

Internação compulsória causa polêmica no Recife

Nove noites sem dormir, consumindo crack, foram a gota d’água para Lourdes (nome fictício), 26 anos, tomar a decisão de se internar em uma clínica de reabilitação. Depois de experimentar a pedra por curiosidade, aos 17 anos, ela embarcou no vício e na prostituição em uma cracolândia de Santo Amaro. Agora tenta se recuperar em uma unidade do Programa Atitude, do Recife. Lourdes foi uma das participantes da audiência pública realizada nessa segunda-feira, na Câmara de Vereadores do Recife, para discutir o projeto de lei federal 7.663/2010, que prevê internação involuntária (com autorização da família ou parecer médico) para usuários.

Usuária tenta deixar o vício mais uma vez. Foto: Bruna Monteiro/DP/D.A Press

Usuária tenta deixar o vício mais uma vez. Foto: Bruna Monteiro/DP/D.A Press

A proposta não encontra consenso entre segmentos que atuam com dependentes e o debate foi acalorado. A audiência foi convocada pelo vereador Luiz Eustáquio (PT), que é autor de projeto de lei municipal (17/2013) nos mesmos moldes do 7.663, mas que também institui a internação compulsória (com autorização judicial)  e mantêm a comunidade terapêutica Oásis da Liberdade, em Igarassu.

O deputado Osmar Terra (PMDB-RS), autor da proposta federal, participou da audiência e evitou usar o termo “internamento compulsório”. “A ideia é criar a internação involuntária. Depois da desintoxicação, o usuário terá condições de decidir se continua o tratamento”, explicou.

Outro ponto polêmico é o credenciamento das comunidades terapêuticas na rede pública. Os espaços são criticados porque usam a religião na recuperação. “Não podemos cair na catequese compulsória”, destacou Rafael West, coordenador estadual do Atitude.

Demanda

O psiquiatra Evaldo Melo, que atua há 40 anos com o tema, destacou que a internação involuntária já acontece no país. “Mas precisamos de um serviço público que dê conta do crescente número de usuários de drogas”, destacou Melo, que trabalha no Insituto Raid, unidade particular de recuperação. O projeto 7.663 segue para votação na Câmara dos Deputados em 8 de maio e o municipal passará pelas comissões de Legislação e Justiça e Direitos Humanos.

Do Diario de Pernambuco