Corredores de ônibus prontos até 2013

Diario de Pernambuco

Por Macionila Teixeira

O cronograma das obras está pronto. Agora o desafio é cumpri-lo. Ontem, o governador Eduardo Campos assinou as ordens de serviço para a construção dos corredores exclusivos de ônibus dos eixos Norte-Sul e Leste-Oeste.

As duas intervenções fazem parte do conjunto de ações do Programa Estadual de Mobilidade (Promob), que visa compor um novo retrato para o transporte público da Região Metropolitana do Recife até a Copa do Mundo de 2014. Os dois corredores vão operar com veículos do modelo TRO (Transporte Rápido por Ônibus).

A  previsão do governo é que as obras fiquem prontas em maio de 2013, ou seja, com um ano de antecedência em relação ao calendário da Copa do Mundo. Entre as novidades anunciadas ontem, está a proposta viária da Vila Naval, para facilitar o acesso de quem trafega em veículo particular do centro para o subúrbio.
O governador adiantou que, a depender da equipe do estado, as datas serão cumpridas. “Há desapropriações a serem feitas e o que pode provocar algum tipo de atraso é se alguém decidir entrar na Justiça, por exemplo”, ponderou Eduardo Campos.

 

Mas o que ele fez mesmo questão de ressaltar ao longo de sua fala é o tempo a ser economizado pelo passageiro com a implantação do corredor Leste-Oeste. Para percorré-lo, os usuários terão um ganho de cerca de 30 minutos em cada viagem, o que significa um dia no final do mês. “Isso representa mais qualidade de vida.”

O corredor Norte-Sul será executado pelas empresas consorciadas EMSA-ATERPA e custará R$ 151 milhões. O início das obras está previsto para janeiro de 2012 e o tempo médio de conclusão é de 18 meses.

Os serviços começarão no trecho entre Igarassu e Paulista, com a recuperação de placas e drenagem. As obras do Leste-Oeste serão gerenciadas pelas empresas consorciadas Mendes Júnior-Servix e devem começar no próximo mês. Essa intervenção está orçada em R$ 145 milhões e começarão com a requalificação da Avenida Caxangá, na altura do Caxangá Golf Clube.
Os corredores vão receber o TRO, um sistema onde os veículos trafegam em faixas exclusivas, possuem ar-condicionado, GPS, sistema de segurança através de registro de imagens e contagem eletrônica de passageiros.

As tarifas são cobradas antes do passageiro entrar nos ônibus e os embarques e desembarques são feitos em estações construídas no mesmo nível dos coletivos, o que deve agilizar o tempo de parada dos veículos. “Primeiro vamos fazer a recuperação das vias atuais, com a troca de placas de concreto. Do contrário, não terão como sustentar o porte do TRO”, explicou o secretário das Cidades, Danilo Cabral.
Quando as obras do corredor Norte-Sul estiverem a todo vapor na Avenida Cruz Cabugá, será posta em prática a proposta viária da Vila Naval. A ideia é abrir um alternativa para quem vem em veículos particulares no sentido centro-subúrbio. A via segue paralela à Cruz Cabugá.

Quem vem pela Ponte do Limoeiro e entra à direita, na estrada que beira o mangue (Batista Regueira), passará pelo terreno da Marinha mais à frente e poderá seguir até as imediações do Shopping Tacaruna.

“Derrubaremos o muro construído há alguns anos pela Marinha e a via será recuperada para dar acesso aos veículos”, explicou Danilo Cabral. Quem vem em veículo particular no sentido subúrbio-centro, terá duas faixas na Cabugá. Mas no sentido contrário, por conta da construção do corredor exclusivo para o TRO, haverá apenas uma faixa.

 

 

2 thoughts on “Corredores de ônibus prontos até 2013

  1. O corredor leste/oeste indo até a Praça do Derby já começa a criar polêmica. Por que não foi até a Avenida Guararapes ou Dantas Barreto? Indo até o Derby vai obrigar as pessoas a pegar mais um ônibus praticamente no final da viagem para a cidade.

  2. Lendo o texto e a indagação do Julio, bom observador que sou, faço algumas considerações.
    Os ônibus articulados que hoje circulam no Leste/Oeste e em outras linhas são parcialmente TRO. Parcialmente, pois todas as portas são entrada/saída e não se costuma pagar nas integrações, situação que muda fora delas com a presença do cobrador e acesso/saída por portas distintas. O TRO entrega isso em todo o trajeto – sem cobrança dentro do veículo e entrada/saída em todas as portas.
    Os ônibus que andam em boa parte do Leste/Oeste também usam corredor exclusivo e as estações também estão no mesmo nível do degrau. O TRO se destaca já que boa parte ou todo o plano interno ficar no mesmo nível da plataforma – entra e sai sem passar por degraus.
    Já tivemos ar condicionado na maioria dos ônibus do Leste/Oeste na época das Kombi e vans. Depois que regularmentaram o transporte dessas, tiram o item. Agora retomam, mas vemos ver até quando já que as próprias empresas cortaram devido aos custos maiores de manutenção.
    Os corredores têm que ficar prontos em maio de 2013, pois há interesse na Copa das Confedereções que pega junho e julho, tanto que a Arena já é prometida para ser entregue em dezembro de 2012 para a FIFA, que deixou em aberto, permitir mais dois estados participarem dessa Copa e PE é um candidato.
    As placas de concreto não aguentam os articulados simples que já circulam nas vias, pois acredito que não as fazem com o devido estudo e preparo do solo, bem como o emprego de materiais mais resistentes. Outra é que pelo formato do corredor, no caso Leste/Oeste, fica meio complicado empregar os biarticulados, pois há trechos que ainda não foram mostrados como ficará a circulação do TRO e os biarticulados teriam bons problemas dando como exemplo o trecho estrangulado do Clube Internacional.
    Não vão poder impedir a circulação de autos por ali, mas também não disseram como será a circulação dos TRO e a praça, ate onde sei, é intocável por ser uma obra de um grande paisagista e abrigar tubulações subterrâneas da Compesa.
    O Julio tocou num ponto interessante e ainda há outro que não foi explicado que falarei logo em seguida.
    O corredor Leste/Oeste só ir até o Derby, para mim, tem uma explicação bem simples: o trecho da Boa Vista até a Guararapes é terra de todo mundo. Digo isso, pois ali recebe ônibus de vários bairros aos quais os corredores não atendem, como por exemplo os que ficam na zonal sul próximo ao Aeroporto, os da zona norte como Casa Forte, Casa Amarela, etc. Hoje, esse trecho nos horários de pico é muito complicado com o grande número de ônibus dos n locais da região metropolitana. O Derby vai funcionar como integração para alguns locais, acredito. Assim, nele se pega outro ônibus, acredito sem pagar passagem novamente, para chegar a Boa Vista e a Guararapes. Na Boa Vista, para funcionar como TRO, teria que mudar todas as linhas que por ali passam para atender a esse sistema, o que seria muito improvável. Portanto, nela, em qualquer parada, funciona como hoje e chegando a integração Derby, aí se pega o TRO para a Zona Oeste sem pagar nada e aqueles que acessarem no Derby pagam antecipadamente antes de entrar no ônibus.
    Não falaram é como será a comunicação das linhas de bairro com os TRO, pois hoje se pega Engenho do Meio, por exemplo, que sai do bairro e pega a Caxangá deixando até o centro com única passagem. A Caxangá, a priori, só terá TRO, então vão pagar duas passagens para chegar no centro considerando que o ônibus do bairro deixe próximo a avenida e a pessoa paga de nova para pegar o TRO indo até o Derby e de lá pega outro para o centro sem custo? Ou as estações de cada bairro funcionarão com mini-integrações, ideal, onde se paga dentro do bairro e o ônibus deixa na estação da avenida sem pagar novamente nesta onde o usuário acessa o TRO juntamente com os outros que a pé entraram na estação pagando antecipadamente. Esses vão até o Derby e de lá para o centro e na volta para o bairro descem na estação do bairro e aguarda o ônibus do bairro chegar a estação para levá-los para interior do mesmo sem pagamento adicional, exceto aqueles que entrarem durante o trajeto dentro do bairro?
    A segunda é possível usando ônibus de bairros com três portas, sendo duas com escadas e uma no mesmo nível da plataforma. Isso garante que dentro do bairro a entrada e a saída sejam mantidos como é hoje e na estação em nível.
    Por fim, também não disseram como ficam linhas que saem da zona oeste por exemplo que vão para Casa Amarela, Rio Doce e Boa Viagem que utilizam a Caxangá. Vão continuar usando o corredor após o TRO entrar em operação ou vão criar alternativas de caminho/conexão?