Binário da Zona Norte sujeito a alterações

 

Quatro caminhos e uma praça. A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) está estudando alternativas para tentar reduzir a quantidade de carros na Estrada do Encanamento e desatar o nó na Praça do Parnamirim. A ideia é diminuir o fluxo em direção ao logradouro, que funciona como um girador e rebebe cerca de 17 mil carros por dia, vindos da Estrada do Encanamento, da Avenida17 de Agosto e das ruas Padre Roma e Desembargador Góes Cavalcanti. Uma das vias de escape que está em estudo é a Rua Virgínia Loreto. Os técnicos da CTTU estão fazendo a contagem dos carros que circulam na via, que é de mão dupla e passaria a ser de mão única em direção à Rua João Tude de Melo. Com isso, parte do trânsito da Estrada do Encanamento, que faz binário com a Estrada do Arraial, seria desviado para a Virgínia Loreto.

Inconformados com os congestionamentos no entorno da praça, que acaba tendo impacto no tempo de deslocamento, alguns moradores já estão organizando um protesto na praça para o dia 1º de setembro. Os manifestantes querem uma posição do órgão de trânsito para que sejam feitas mudanças na estrutura do binário. “Antes eu demorava cerca de 20 minutos no engarrafamento e hoje chego a passar uma hora para percorrer o mesmo trajeto”, revelou o servidor público Felipe Barroso, um dos organizadores do protesto.

Faltando uma semana para completar um mês da instalação do binário Encanamento/Arraial, que transformou as duas vias em sentido único, sendo a primeira com o tráfego subúrbio/cidade e a segunda no sentido cidade/subúrbio, as reclamações só parecem aumentar. De acordo com a presidente da CTTU, Maria de Pompéia, a redução do conflito na praça só deve ocorrer com a construção da Ponte do Monteiro, que está em obras e só deve ficar pronta até o final de 2013. “Com a ponte que ligará o Monteiro ao bairro da Iputinga, muitos carros vão evitar toda a 17 de Agosto ”, afirmou.

De acordo com o diretor de projetos da Empresa de Urbanização do Recife, Guilherme Tavares, a ponte irá reduzir uma barreira que tem hoje cerca de 5 km. O Rio Capibaribe, que separa os bairros das zonas Norte e Oeste da cidade, dispõe hoje de apenas dois acessos: a ponte que passa pela BR-101 e a ponte que passa ao lado do Carrefour. “Quem está em Casa Amarela, Casa Forte, Parnamirim e quiser acessar a Zona Oeste é obrigado a pegar a Avenida 17 de Agosto ou fazer o caminho pela BR-101. A ponte reduzirá muito esse percurso”, opina Tavares.

 

Leia mais (Entrevista com Maria de Pompéia)

7 thoughts on “Binário da Zona Norte sujeito a alterações

  1. Pergunta básica: se a presidenta da CTTU cita a ponte do Monteiro-Iputinga como desafogador desse trecho complicado da praça e a ponte só vai ser entregue no final de 2013, por que inventou de fazer esse binário agora?
    Se houvessem formas dar agilidade a Rui Barbosa, a Av. 17 de Agosto e chegar mais zona oeste, o binário funcionaria direito, pois haveria o ganho de tempo de alguns veículos que usavam o antigo sentido oposto da Estrada da Batalha e contornavam a quadra para chegar a praça, mas ao concentrar todos na outra via, sobrecarregou a Av. 17 de Agosto sentido centro que já é ruim e sente reflexo mais adiante da Rui Barbosa. Outra, a 17 de agosto pode ter um alívio com a ponte no futuro, mas se ela mesmo diz as pessoas não pegariam toda a 17 para chegar a zona oeste, a falta da ponte do Santana vai fazer com que alguns na zona oeste usem toda a pararela da Caxangá ou boa parte desta e a paralela no horário de pico está ficando tão ruim quanto a Av.Caxangá. Até para a Perimetral 3 funcionar direito evitando que algumas linhas de ônibus no futuro como Casa Amarela e Rio Doce que vão para CDU ao serem impedidas de circular na Caxangá por conta do BRT, deverão usar a semi-perimetral e paralela da Caxangá. 17 de Agosto para desafogar, nas duas pontas, só com as pontes Monteiro e Santana, mas a segunda ainda deve sair do papel. A ponte do Santana, para quem vai para Abdias, evitaria a situação ruim da Real da Torre. O problema é que a Rui Barbosa é outra via complicada que vai sofre retenção perto do Clube Português com aquele sinal ao lado do Itaú. Enfim, não dá para tratar o binário com trechos muitos próximos como forma de solucionar. Aliás, deveriam só ter feito após a entregas de obras de ligação com a zona oeste, bem como promover melhor circulação até a Agamenon.
    Enquanto antes havia um funcionamento de três tempos nos sinais ali da praça, hoje é uma situação de dois cuja 17 de agosto não suporta tanto veículo de uma vez vindo de transversais.

  2. Uma correção acima: é Estrada do Arraial e não da Batalha. O problema da Batalha é outro.

  3. Não somente a ponte Monteiro-Iputinga, mas seria muito mais importante fazer uma ponte Santana-Torre para aliviar o trânsito da 17 de agosto, onde já tem uma ponte para pedestre.

  4. É o que eu penso, Fred. Deveriam ter compeçaod primeiro a Santana-Torre, até porque ela faz parte de uma perimetral e não de uma semi-perimetral como será a Monteiro-Iputinga. O tráfego ruim da 17 de Agosto é próximo a ponte da Torre e não em Apipucos, final da Av. 17 de Agosto. A Real da Torre recebe um carga de veículos que vai para a parela da Caxangá vide bairros como Torre, Cordeiro, então essa via teria menos impacto se houvesse comunicação direta. Não adianta muito criar possibilidade de dar folga a 17 de Agosto para a do Encanamento evoluir e esse meio mais rápido saturar a Real da Torre que por sua vez atravessando a ponte atinge a Av. 17 de Agosto.

  5. Hoje estivemos planfetando na Praça do Parnamirim para divulgar a passeata do dia 01/09 às 9:00 e verificamos que a mudança implantada ontem, desativando dois sinais, não melhorou nada e sim PIOROU!!! Quero ver isso Segunda-feira, vai ser o CAOS!!!POR ISSO, VENHAM PARTICIPAR DA PASSEATA DIA 1º DE SETEMBRO NA PRAÇA DO PARNAMIRIM ÀS 9:00!

  6. Vcs acham que a ponte do Monteiro melhora ?
    A impressão que tenho é que vai piorar pq vai trazer mais trânsito da zona oeste para a norte que o inverso. Alguém pode me explicar se eu estiver errado ?

    • Arilindo,

      Na verdade muita gente que mora nos bairros da Zona Norte e quer acessar a Zona Oeste faz o caminho pela Ponte da Torre ou pela BR-101. O rio é uma barreira de cerca de 5km de extensão entre a Ponte da Torre e a do Carrefour, que compreende essa região. A Ponte do Monteiro irá reduzir as disrtâncias e o deslocamento pode ser feito sem necessidade de passar no ponto crítico da área do binário. É o que se espera. Mas ela só deve ficar pronta em 2013.