Depois do caos, ônibus voltam a circular no Recife

 

Paralisação motoristas/Recife - Folto - Renata Portini DP/D.A.Press

A paralisação de advertência dos rodoviários na manhã desta sexta-feira, afeta não só a rotina dos usuários do transporte público de passageiros. Os motoristas também estão sendo impactados pelos grandes congestionamentos que estão se formando em diversas vias da cidade, como Avenida João de Barros, Ruas Fernandes Vieira, da Soledade, do Hospício e Manoel Borba. Sem conseguir atravessar o centro da cidade, as vias da área norte, como a Avenida Cruz Cabugá, estão praticamente vazias.

Para chamar a atenção para as reivindicações da categoria por reajuste salarial, os rodoviários se concentraram por volta das 6h e a partir das 8h pararam as atividades por uma hora. Na Avenida Conde da Boa Vista, Avenida Antônio de Goes, Avenida Guararapes, Rua do Sol, Rua do Príncipe, Cais de Santa Rita e no Terminal Integrado Tancredo Neves, os motoristas desceram dos coletivos e os passageiros tiveram que continuar o percurso a pé.

De acordo com o presidente da Oposição dos Rodoviários de Pernambuco, Juscelino Pereira Macedo, a paralisação dos motoristas, cobradores, despachantes e fiscais de ônibus terá, além da uma hora de advertência, mais duas horas de panfletagem e carros de som defendendo a proposta de reinvidicação da categoria. Segundo ele, a decisão sobre a mobilização foi tomada após o adiamento da primeira reunião de negociação entre patrões, sindicato e oposição para definir o reajuste salarial.

O protesto é pacífico, mas a Polícia Militar está nos locais de maior concentração. Policiais da cavalaria, de motos, a pé e em viaturas estão monitorando a manifestação.

Informações: Diário de Pernambuco

Os comentários estão fechados.