Corrida contra o tempo para operacionalizar o BRT no Recife

 

Corredor Leste/Oeste - Foto - Roberto Ramos DP/D.A.Press

Corredor Leste/Oeste – Foto – Roberto Ramos DP/D.A.Press

A segunda etapa da licitação das linhas de ônibus da Região Metropolitana do Recife deve ocorrer em meados deste mês. Quase dois meses depois do prazo previsto pelo Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano. A demora foi para adaptar a demanda de linhas dos terminais integrados que superou os estudos iniciais. O Terminal de Xambá, que previa cerca de 40 mil usuários já alcancou 55 mil. A estimativa é que até dezembro o processo licitatório esteja concluído.

Enquanto a licitação ainda está em andamento, as obras dos corredores Norte/Sul e Leste/Oeste sofreram alguns percalços e os projetos estão tendo que ser adaptados para serem concluídos no prazo. Depois da substituição das estações em concreto por estruturas metálicas para dar mais celeridade às obras, estão sendo feitas adequações no desenho do corredor Leste/Oeste para permitir que o sistema entre em operação antes da Copa do Mundo de 2014.

Uma das mudanças fica no trecho da Avenida Belmino Correia, no centro de Camaragibe, ponto de chegada do Leste/Oeste, onde parte das estações não irá mais ocupar o centro da via. Segundo a Secretaria das Cidades haverá duas estações do BRT no corredor central e outras três paradas nas bordas laterais, nos dois sentidos, que terão os abrigos adaptados para receber o BRT. Com isso, os ônibus terão portas nos dois lados.

 

Avenida Belmino Correia, Camaragibe - Foto - Tânia Passos DP/D.A.Press

Avenida Belmino Correia, Camaragibe – Foto – Tânia Passos DP/D.A.Press

Há pelo menos duas razões apontadas pelo estado para implantar as mudanças: a demora na conclusão do processo de desapropriação de imóveis e a falta da construção da via de contorno em Camaragibe, prevista para ter as obras iniciadas somente em 2014 e que atenderá, principalmente, o transporte individual, que hoje passa pela Belmino Correia.

Há, no entanto, uma terceira razão mais subjetiva, mas não confirmada pela Secretaria das Cidades, em que os comerciantes locais estariam temendo que a avenida se transformasse numa Presidente Kennedy (um dos corredores de tráfego do Sistema Estrutural Integrado (SEI), em Olinda), que se tornou zona de conflito com a população após a implantação do corredor centralizado.

Assim como a Kennedy, a avenida central de Camaragibe é voltada essencialmente para o comércio. “O corredor centralizado possibilita mais agilidade ao transporte público, uma vez que os giros são eliminados. E a prioridade deve ser mesmo para o transporte público e é bom lembrar que a Belmino é mais larga que a Kennedy”, ressaltou o professor do departamento de engenharia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Leonardo Meira.

Uma das preocupações apontadas pelo professor é mais quanto a mudança de faixa do centro para as bordas laterais do que em relação aos abrigos improvisados. “Acho que estão esquecendo o R de Rapid do BRT. Essa mistura com o trânsito misto reduz a velocidade do corredor, que é uma de suas premissas básicas do sistema”, criticou. De acordo com o secretário das Cidades, Danilo Cabral a mudança não irá comprometer a operação do corredor.

“É uma questão pontual e sem nenhuma complexidade. O ônibus vai mudar de faixa na chegada e na saída”, revelou. Ainda segundo o secretário serão duas estações de BRT na via: 1 e a 2, onde o processo de desapropriação foi concluído. Já as estações 3,4 e 5, serão deslocadas para as calçadas. “Essas três últimas ficam exatamente no miolo do comércio, onde o processo de desapropriação não foi concluído”, revelou.

O secretário disse ainda que as paradas laterais são provisórias até que seja construída a via de contorno para desafogar a maior parte do tráfego que hoje passa pela Belmino Correia. “A via de contorno está orçada em R$ 70 milhões. Nela também está previsto um viaduto para melhorar o acesso de Aldeia, mas falta o estudo de impacto ambiental e uma audiência pública. Acreditamos que no ínicio de 2014 a obra será iniciada”.

5 thoughts on “Corrida contra o tempo para operacionalizar o BRT no Recife

  1. A versão 2 desse projeto disponível na net mostra uma via paralela ao Belmiro com elevado sobre a rotatória que dá acesso a Aldeia. Se essa via for a tal de contorno desviando o tráfego pesado da Belmiro para que ela só fique com o corredor BRT e local para imóveis, tipo a Boa Vista, só mostra o quanto atrasado é o projeto, pois na minha concepção, o corredor pronto inclui tudo o que é previsto no projeto e não etapas destes que terminam prejudicando o foco principal.
    Se a Belmiro com essa via auxiliar ainda dependeria de alargamento por conta das estações, beleza, mas, novamente, vão no quebra-galho com estações provisórias no lado direito.
    Os ônibus BRT obrigatoriamente com acesso em nível elevado no lado esquerdo teriam que ter portas nos dois lados, pois em caso de pane na via, pelas portas do lado direito com degraus poderiam sair do veículo. A questão é que irão adotar três portas quando poderiam ser apenas duas. Já comento aqui que as portas no lado direito, três, mostra outra deficiência pouca batida: alguns TIs não sofrerão mudanças para receber os veículos BRT, tipo o Caxangá, pois afetaria a circulação dele dentro do TI. O TI Caxangá segue o sentido horário de uso da plataforma com as portas no lado direito e só há uma plataforma. Um BRT com portas em nível no lado esquerdo para ser usadas neste TI obrigaria ele trafegar no sentido anti-horário caso o TI sofresse adequação, então possivelmente não recebendo, vai usar as portas do direito que em número são iguais aos veículos hoje operando. Os articulados BRT podem trazer ganho de tempo, mas trará naturalmente um prejuízo quanto a oferta de assentos. Hoje, os ônibus convencionais usam três portas enquanto os BRT terão sete, poderia ser seis (duas no lado direito) se não fossem o problema relatado na matéria e outro sugerido por mim.
    Pelo visto, o BRT Leste-Oeste tá tomando o rumo do Norte-Centro com prazos distintos para operar 100% conforme os projetos. O segundo com dois ramais teve o sul, centro expandido para mim que é a Joana Bezerra, com promessa para ser entregue em out/2014 quando todo o corredor deveria ficar pronto antes da Copa 2014.
    Outra coisa não que não estão falando no Leste-Oeste e Norte-Centro é a situação da sinalização. Irão investir com monitoração eletrônica nos corredores BRS, mas não leio nada sobre implantar nos BRT que terão vários cruzamentos, sobretudo no Leste-Oeste, equipamentos para reduzir o tempo de espera nos cruzamentos. Lembro que sugeriram elevados transversais na Agamenon para promover ganho de tempo no Norte-Centro, mas ficou de lado e poderia mesmo, pois sinalização inteligente evitaria viaduto que poderia ser inútil, mas no Leste-Oeste supriram estações elevadas sem demonstrar contra partida por meios eletrônicos.

  2. Porta dos dois lados? Absurdo chamar esse puxadinho de BRT. Já erraram na construção da Caxangá, na Conde da Boa Vista e agora fazem mais uma melecada. Se não dava tempo pra Copa, que pensasse em outra forma de fazer o corredor. Use os ônibus convencionais, realizando baldeações durante a Copa e, no após o mundial, concluísse de maneira correta.

  3. A ideia do projeto é benéfica, a parte ruim são as modificações, pois com arrumadinho, sempre quem sofre é a população, e a parte boa fica com os políticos, diminuem projeto e aumentam a grana no bolso. #Ficaadica