Hidratação é a regra número 1 durante os exercícios

A prática de exercícios físicos é muito importante para a saúde, mas tão indispensável quanto exercitar-se, é hidratar-se. A água é o elemento presente em maior quantidade no organismo, porém, como o corpo não possui reservas, é necessário fazer a reposição. Desta forma, é indicado que se beba cerca 2 litros de líquidos por dia, frequentemente e em pequenas quantidades, antecipando a sensação de sede. Entretanto, a quantidade de água recomendada varia de acordo com a idade, atividade, condição clínica e condição física. A nutricionista Andreza Santos explica que “uma boa hidratação é fundamental para a vida. A água corporal irá exercer papéis importantes em nosso organismo, tais como regular a temperatura, transporte de nutrientes, lubrificação de tecidos, constituir fluidos corporais e tornar os produtos metabólicos solúveis para serem excretados”. Vale salientar que, além das atividades físicas – onde a necessidade de água aumenta -, a ingestão de líquidos deve ser aumentada em situações como temperatura ambiental e altitude elevadas, doenças acompanhadas de febre, vômitos ou diarreia, gravidez e aleitamento. De acordo com Andreza, a ingestão de um copo de água e um copo de suco, totalizando mais ou menos 400ml de líquidos antes do treino – entre 2 a 3 horas antes do exercício -, é indicada para prevenir um estresse térmico e elevação da temperatura. Já após o treino, é necessário repor os líquidos perdidos durante a atividade física (suor e perdas urinárias). A quantidade vai variar conforme as perdas sofridas durante a atividade. É recomendável que as bebidas não contenham álcool nem cafeína, que são substâncias diuréticas. O consumo das bebidas esportivas, conhecidas como isotônicos, muitas...

Qualidade de vida envolve corpo e mente

As pessoas estão mais conscientes sobre os cuidados que devem ter com o corpo, mas é imperativo lembrar que, tão importante quanto cuidar do corpo, é cuidar da mente. A máxima “mente sã em corpo são”, nunca foi tão necessária, considerando a sociedade altamente acelerada em que vivemos. Não por acaso, é cada vez maior o número de pessoas com distúrbios como depressão e ansiedade e, por isso mesmo, é preciso entender o momento de dar sossego às ideias. Essa inquietude é um traço da sociedade contemporânea. Para o psiquiatra Dimas Luiz, a ansiedade nada mais é do que um mecanismo de defesa, extremamente necessário para a preservação da vida. “O sinônimo de ansiedade é preocupação. Se você está indo para casa e sabe que na região está tendo assaltos, você se preocupa. É uma ansiedade natural. Você procura alternativas para se defender disso. Procura outra rua, vai em grupo. Porém, a ansiedade a partir de determinados limites passa a ser patologia, doença.” Nos termos médicos, a ansiedade é caracterizada por um estado de preocupação que dura a maior parte do dia e se prolonga por, pelo menos, três semanas (a referência são 21 dias porque a recuperação, para quem não está doente, é bem mais rápida). Já a depressão está relacionada a tristeza e/ou perda da vontade e da capacidade de sentir prazer. “Se você teve uma perda grande, dentro do normal, em menos de 21 dias você se recupera. Passou desse período, você está com depressão. Daí vêm os sintomas que chamamos de satélite, como Irritabilidade, agressividade, distúrbio do sono e da lamentação, dificuldade de concentração, cansaço...

Agora é para valer, a hora é de exercitar-se

O grande objetivo das pessoas, mais do que nunca, é ter uma vida saudável, cuidar do corpo e da mente. Mas, o que é preciso para ter as metas alcançadas com qualidade de vida? Além do acompanhamento profissional adequado, é preciso vontade. E os benefícios são vistos em todas as idades, principalmente acima dos 60 anos. Para o professor e doutorando em educação física na Escola Superior de Educação Física da UPE (ESEF)Thiago Aguiar, um estilo de vida saudável vai muito além da ausência de doenças. É a prática de atividades físicas e hábitos alimentares saudáveis, inclusive para o controle e prevenção de doenças. “É indicado o controle do sal, do açúcar, da gordura e a prática de exercícios ao ar livre ou em ambientes fechados, como caminhada – pelo menos três vezes por semana -, corrida e musculação”, explica. A nutricionista Alessandra Luglio entende que, para ser uma pessoa saudável, basicamente, é preciso fazer boas escolhas alimentares, com moderação e qualidade. “Só que paralelo a isso, a gente precisa ter um emocional adequado, cuidar da questão do estresse, que é um dos problemas de saúde pública que a gente vive e saber desvincular-se de grandes problemas. Ter uma vida harmoniosa do ponto de vista emocional, se movimentar”, pontua. “As pessoas estão cada vez mais entendendo a importância de se exercitar e eu, como nutricionista, consultora técnica de nutrição aqui da GreenMix, falo da importância de aliar o esporte à boa alimentação para que a gente consiga, de verdade, ter segurança e principalmente atingir os objetivos através do esporte. Que pode ser melhorar a qualidade de vida, emagrecimento, ganho...