Dançar na academia é trabalhar corpo e mente

  Que praticar exercícios físicos é indispensável para a saúde, todo mundo sabe. Mas se você não gosta de pegar peso ou não encontrou uma atividade que lhe agrade na academia, a dança pode ser a solução. Movimentar o corpo e interagir com as músicas e com outras pessoas traz muitos benefícios. O educador físico Enzo Silva, que ministra aulas da modalidade, define: “dançar é lavar a sua alma e condicionar o seu corpo”. Com benefícios que muito vão além do físico, dançar virou a opção de muitas pessoas. “Você vai para a academia para desestressar da carga que você tem todos os dias, seja no trabalho ou em casa, e de conhecer você pode dentro. É ocupar o seu tempo com uma coisa prazerosa e não com uma obrigação”, comenta Enzo. Com aulas elaboradas para todos os públicos e todas as idades, a dança foi a escolha da estudante Maria Eduarda Cartaxo, 19 anos, que após iniciar as aulas se diz mais confiante. “Acho que a aula é extremamente dinâmica e você ainda pode interagir com outras pessoas, se conhecer um pouco mais e aprender que todo mundo pode dançar”,...

Artes marciais invadem as acedemias

  Além de atividades como musculação, pilates ou dança, é possível praticar artes marciais nas academias. Judô, karatê, mu ai thai, jiu-jitsu. Várias são as opções para trabalhar o autocontrole, a disciplina e a coordenação motora, além de obter benefícios para a saúde e para a mente. Com esse objetivo, o educador físico Vinícius Mota montou um projeto de fight unindo elementos básicos de várias artes marciais, visando a consciência corporal do alunos e trabalhando as capacidades físicas como força e flexibilidade. “Esse projeto começou em 2015 comigo e mais dois colegas que trabalham aqui na Santé. Além de educadores físicos, nós temos afinidades com as artes marciais e pegamos esse gancho da ascensão do MMA, através do UFC, que despertou na mídia o interesse e a curiosidade das pessoas em conhecer e praticar as atividades”, conta o professor. As aulas são realizadas através de brincadeiras e atividades lúdicas, sem fugir da temática da luta. “Pregamos a realização da técnica certa da luta, mas fazemos isso de forma lúdica, trabalhando flexibilidade, resistência, força e potência”, explica. A sistematização das aulas é feita para atender a todos os tipos de público. Estando apto a praticar exercícios físicos, o aluno tem as atividades ajustadas de acordo com o seu perfil....

É importante dar atenção ao seu peso

    A escolha por hábitos de vida saudáveis inclui fazer visitas à balança. Manter o peso adequado é fundamental à saúde para evitar doenças como hipertensão, diabetes, problemas cardiovasculares ou nas articulações. Mas, para manter o peso equilibrado, deve-se aliar os exercícios físicos à dieta. O profissional de educação física e coordenador técnico da Santé, Ivan Xavier, ressalta que “cerca de 40% da população brasileira tem sobrepeso e que, destes, 10% estão obesos”. Desta forma, os interessados em emagrecer, antes de iniciar qualquer atividade física, devem realizar uma avaliação médica seguida de uma avaliação física para saber qual o treinamento apropriado. “É interessante fazer o treinamento conjunto: o treinamento resistido, que é feito com musculação, com pesos livres, e o treinamento aeróbio, que é feito com ergômetros, ou então um treinamento com caminhada, corrida, pedalada ou natação. É importante fazer esse trabalho conjunto, sempre lembrando que tem que se fazer uma adaptação prévia inicial. Toda longa caminhada começa pelo primeiro passo, então a gente tem que começar galgando devagarinho”, enfatiza Ivan. No caso do administrador de empresas André Barbosa, a procura pelo emagrecimento surgiu após uma pesagem na balança. Ele sentiu a necessidade de emagrecer e procurou um profissional para orientá-lo nas atividades. Seguindo as orientações de Ivan Xavier, que também é personal trainer, em 60 dias, André perdeu 20kg, saindo dos 132kg para os 112kg. Mas não para por aí. As duas filhas e o caçula da família, de 1 ano e 8 meses, servem de incentivo constante para diminuir cada vez mais os números. O objetivo é chegar os dois...

Balé com pilates = BalletLates

Você já ouviu falar no BalletLates? Modalidade de aula criada pela professora Marília Lisboa para Academia Santé, que agrega os benefícios do Ballet Classico com os exercícios do Pilates no Solo, trabalhando a musculatura e desenvolvendo a leveza do bailarino. De acordo com a professora, o BalletLates “ajuda o bailarino a ter uma precisão durante os movimentos e execução dos exercícios. Trabalha muito a consciência corporal”.   A professora universitária Jurema Lisboa de Castro escolheu a modalidade como opção à musculação. “Eu achei bem interessante porque juntou a parte do Pilates, que eu já amo fazer, e a parte do ballet, que foge um pouco daquela rigidez de academia, de musculação com aulas mais pesadas. Você chega aqui e trabalha uma hora seu corpo e sua mente. Isso para mim é fantástico”, conta....

Idade não é desculpa para fugir dos exercícios

A população com mais de 60 anos praticamente dobrou nas duas últimas décadas. Mas o desafio atual não é viver mais, e sim, viver melhor. O boom de uma cultura de cuidados e hábitos mais saudáveis com os avanços na medicina, o desenvolvimento de novas terapias e medicamentos, e a prática de exercícios físicos, colaboram com a longevidade. Mas não basta chegar à velhice com menor probabilidade de doenças. Interessados em viver muito, e bem, devem também equilibrar os fatores emocionais e intelectuais.   “A busca pelo envelhecimento de forma saudável começa lá atrás. O que não significa necessariamente a ausência de doenças. Uma pessoa que tem hipertensão ou diabetes controlada, pode continuar ativo”, comenta o geriatra e presidente da Sociedade de Geriatria Gerontologia da seccional Pernambuco, Lukas Gomes de Andrade. “Alguns fatores de risco podem começar no útero. Todo mundo sabe o caminho, mas nem sempre isso acontece. Tabagismo, sedentarismo, má alimentação, sobrecarga laboral contribuem como fatores de risco”, explica. A ideia de que na melhor idade as pessoas deveriam apenas descansar, ficou para trás. Agora as ‘cadeiras da vovó’ estão sendo trocadas por pesos, alteres e tênis, por exemplo. Correr, caminhar, se exercitar. As pessoas, de todas as idades, estão mais conscientes sobre os cuidados com o corpo e a mente. “Natação, corrida, caminhada e até musculação são indicados, desde que o idoso realize uma avaliação médica. Muita gente pensa que musculação não pode ser feita, mas é o contrário”, garante o geriatra, reforçando que é muito importante manter o idoso socialmente ativo. “Leitura, atividades de socialização, trabalhos voluntários e até grupos de viagens são indicados. Quanto...

Exercícios funcionais garantem mais do que músculos

Uma modalidade de exercícios está invadindo as academias e os espaços ao ar livre, como parques e praias: os funcionais. Se você frequenta alguma academia, certamente já deve ter percebido que, entre o uso de uma máquina e outra, os treinos incluem circuitos que dispensam o uso de equipamentos, dando prioridade ao seu próprio corpo. Mas, afinal, o que são esses exercícios? Eles vão substituir a musculação? O educador físico Kadu Lins explica que os exercícios funcionais visam, primeiramente, a melhora do movimento e a busca pela harmonia das cadeias musculares, ou seja, “um melhor funcionamento do corpo para realizar qualquer que seja a atividade pretendida”. São exercícios que trabalham o corpo de maneira integrada e não isolada, como acontece na musculação. Para Kadu, a prática dos exercícios funcionais não precisa necessariamente excluir as outras práticas. O importante é saber qual é o seu objetivo. E claro, consultar um educador físico para se “iniciar, progredir e evoluir sem correr riscos de se machucar e para que se tenha o resultado esperado”. No caso da musculação é necessário um espaço com máquinas, já os exercícios funcionais podem ser feitos sem o auxílio de muitos equipamentos e em qualquer lugar. Os acessórios mais comuns são: bola suiça, fitas para treinamentos suspensos, cones, medinice balls (bolas pesadas), bosu e cordas. Mas existe uma infinidade de materiais que podem ajudar nos treinamentos. O profissional de educação física Thiago Varela, da academia Santé Club, destaca que os exercícios funcionais “resgatam e fortalecem os movimentos naturais do corpo que muitas vezes esquecemos no dia a dia, como pular e agachar”. E reforça que todos podem...