Não atropelarás o próximo

Pedestres - Foto Bruna Monteiro DP/D.A.Press

Por

Marcos de Sousa (trad. e edição)/ Mobilize

Poderia ser no Brasil, mas se trata da Cidade do México. Lá, como cá, as leis de trânsito parecem ser impostas pelos veículos motorizados. Dados do governo local indicam que cerca de 650 pedestres morrem atropelados a cada ano na cidade. Como comparação, a cidade de Nova York, que tem uma população equivalente (cerca de 9 milhões), teve 132 mortes de pedestres em 2014. Em São Paulo, que tem 11 milhões de habitantes, foram 555 mortes.

Numa pesquisa realizada entre moradores da capital mexicana, 60% dos entrevistados disseram que se sentem inseguros ou muito inseguros. Diante dessa situação, o governo municipal elaborou um novo regulamento de trânsito que deve entrar em vigor em dezembro próximo.

Em entrevista ao “El País Internacional”, o especialista Jesús Sánchez explica oito das novas regras que constam na nova legislação. Mas, reconhece que vai ser um trabalho difícil construir um consciência cívica em uma cidade na qual “até os policiais acham totalmente normal que as pessoas estacionem seus carros sobre as calçadas”.

1. Não atropelarás o próximo mesmo que o sinal esteja vermelho para ele (sic)

“Desde criança ouço dizer que nos Estados Unidos as pessoas são muito ordeiras e que os pedestres somente atravessam as ruas pelas faixas, e que se por acaso se alguém está atravessando com o sinal vermelho ou fora da faixa os veículos param”, diz Sánchez. Agora, também na Cidade do México o motorista terá que diminuir a velocidade ou parar mesmo ao ver um pedestre cruzando a rua, explica o especialista, lembrando que até então não havia qualquer norma a esse respeito. “Em geral, quando acontecia um acidente, a conclusão era que houve imprudência do pedestre”, completa.

2. Não passar com teu carro, caminhão ou ônibus muito perto de um ciclista

“Pelo novo regulamento, fica claro que os ciclistas têm o direito de usar o meio da faixa de rolamento, e caso o motorista queira ultrapassá-lo terá que guardar a distância mínima de um metro”, disse Sanches. No Brasil, é bom lembrar, a norma prevê ao menos 1,5 metro de distância do ciclista.

3. Ciclistas podem cruzar o sinal vermelho sempre que as condições o permitam

Sánchez conta que a iniciativa surgiu em Utah (Estados Unidos) há 30 anos e de lá se espalhou para muitas cidades.

4. Missão impossível: por favor, não toque tanto a buzina

O uso da buzina na Cidade do México é frenético. O novo regulamento proíbe tocá-la salvo se for para evitar um choque, um acidente. A multa por tocar a buzina sem motivo vai ser de 350 pesos, cerca de 70 reais. Sanchez reconhece que demorará algum tempo até que os condutores se acostumem com a norma.

5. Amigo motorista estrondoso, nós odiamos o seu escapamento barulhento

A nova norma proíbe modificações para que as motocicletas façam mais barulho. A multa é de 1.400 pesos, ou, cerca de 300 reais.

6. Não transportar crianças em motocicletas

Menores de 12 anos não poderão viajar em moto. Para o transporte em bicicletas será exigido uma cadeirinha especial de segurança.

7. Caminhões terão de adotar barras de proteção laterais

Comum no Brasil, a barra impede que pessoas ou bicicletas sejam “tragados” pelas rodas dos grandes veículos de transporte.

8. Velocidade máxima: 50 km/h

Esse vai ser o limite nas vias primárias, nas quais a velocidade atual é de 70 km/h. “Esse é o padrão internacionalmente aceito”, afirma Sanchez.

Fonte: El País Internacion

Os comentários estão fechados.