O funil das linhas circulares com os terminais integrados

 

Os usuários de ônibus da linha circular estão sendo prejudicados com a baixa oferta de ônibus nos horários de pico, pois com o fim de algumas linhas para a Conde da Boa Vista, os usuários estão tendo que baldear no terminal integrado de Joana Bezerra para irem ao trabalho, pois muitos dos usuários antes pegavam apenas um ônibus para chegar a este itinerário.

Um grande exemplo disso são os moradores do Jordão, que agora tem que baldear em três transportes sendo ônibus/metrô/ônibus, e quando chegam ao terminal de ônibus da Joana Bezerra, se deparam com uma enorme fila, muitas vezes sem fiscalização dos orientadores de filas.

A divisão da linha realizada recentemente para melhorar o atendimento ao usuário não melhorou em nada, pois a oferta das duas linhas que vão à Conde da Boa Vista é pouca.

O Blog Meu Transporte esteve no local está semana, onde ficou constatada grandes filas, pouca ou nenhuma fiscalização, poucos ônibus, no qual saem todos lotados.

Também ficou evidente que esta linha precisa de ônibus articulados, pois os que são ofertados hoje são do tipo convencional, ou seja, não atende a grande demanda de passageiros que descem do metrô.

E a situação tende a piorar ainda mais, pois está prevista ainda este mês a inauguração de mais dois terminais de ônibus, que aumentará a quantidade de novos usuários destas linhas.

Fonte: Blog Meu Transporte

7 thoughts on “O funil das linhas circulares com os terminais integrados

  1. As linhas da periferia não deevriam circular pelo centro. Assim se evitaria o congestionamento

  2. Pego metrô todos os dia para ir trabalhar da estação Camaragibe até Afogados, e a cada dia que passa a quantidade de passageiros aumenta e o serviço do metrô só faz piorar, são vagões sem o ar funcionando,sem horario especifico de um trem para outro, superlotados, sujos, sem informações das estações dentro dos vagões ou o som muito baixo. O governo a cada dia colocando mais passageiros dentro do metrô, sem fazer nenhum investimento nele, e com a chegada da copa isso só tem a piorar, pois não vejo melhora alguma para atender a essa nova demanda de passageiros.

  3. Lupércio Júnior, num forum que participo, já questione com os membros esse problema do metrô aumentar a demanda, principalmente com o advento de novas integrações, mas a oferta de trêns não acompanhar isso. Segundo um membro, já foram feitos os pedidos para aumentar a frota, porém a entrega não é rápida já que o fabricante precisa atender outros clientes e o produto em si também não é rapidamente montado por ter que atender aos critérios da malha ferroviária do cliente.
    Enfim, em outras palavras, argumentei com o colega que falta é planejamento para evitar essa superlotação que vai piorar com os novos TIs.
    __

    Sobre o texto, um dos pontos para minimizar seria mesmo a troca dos veículos convencionais por articulados. É um absurdo um ônibus já sair de um TI superlotado e o que isso pode provocar: queima de paradas para os que não descem no caminho, pois quem está no lado de fora terá que esperar outro veículo que permita a sua entrada; demora no aguardo do ônibus.
    O TI Joana Bezerra já está saturado, ainda não passou por reformas e, em breve, vai piorar com os TIs Tancredo Neves e Cajueiro Seco. A médio prazo, com o Leste/Oeste usando BRT/TRO, já falei aqui, esse TI deverá ser o ponto de migração uma possível linha para acessar a zona sul, pois as linhas CDU/Caxangá/Boa Viagem e CDU/Boa Viagem/Caxangá não deverão mais circular pelo corredor, portanto deverão criar BRT com destino ao TI Joana Bezerra e o TI IV Perimetral faria o outro caminho, pois este será ponto de migração com o BRT com chances do TI da III Perimetral também levar a zona sul. O governo mostrou em obras bancadas pelo PAC que a III Perimetral ligará a zona norte a divisa com a zona sul, Av. Recife.
    O negócio está ruim para os que realmente precisam, residentes na área metropolitana, mas prometem um verdadeiro uma revolução – ônibus rápido e confortável, metrô ampliado e com ar, novos TIs para ampliar os destinos sem pagar mais por isso – só que tudo isso com foco na Copa, ou seja, para fazer bonito para os turistas. Se não fosse a Copa, os que aqui pagam altos impostos continuariam vendo mudanças em ritmo de tartaruga ou nem isso como as pontes do Capibaribe há vários anos engavetadas.

  4. Bem elaborado a sugestão do fórum. O rapaz sugere:

    O T.I Recife ficaria com os circulares para Rua do Príncipe, Tacaruna/Prefeitura, Prefeitura/Tacaruna e Boa Vista com retorno no Derby.

    O T.I Joana Bezerra ficaria com a linha circular para o IMIP e com uma nova linha radial Joana Bezerra/Boa Vista possivelmente com articulados.

  5. A sugestão de dividir linhas entre os TIs é uma alternativa, mas é pouco. Com a criação de TIs que tem o metrô como meio de levar mais pessoas, ao se migrar para os ônibus há o problema dos ônibus não darem conta da demanda, logo não bastasse já o metrô precisar de aumento de veículos, os ônibus também devem não só crescer em número, mas em capacidade. Aqui algumas linhas já usam veículos com três eixos sem ser articulados. A capacidade é intermediária, mas ajuda. Aliás, os veículos com conexão para TI deveriam ser de três eixos pelo menos, pois há articulado com quatro eixos e o biarticulado.
    Se essas linhas circulares e alimentadoras não receberem veículos maiores, o cenário vai piorar e num futuro próximo outras terão que ser criadas para a nova demanda.
    O Norte/Sul terá parte do segmento até a Agamenon, ou seja, vai até o TI Joana Bezerra. Linhas hoje partem da zona oeste pelo Leste/Oeste e passam pelo Paissandu, Madalena, Benfica, Principe terão que ser descontinuadas por conta do BRT, mas o percurso terá que existir via circulares que poderão partir do TI Joana Bezerra ou outro do próprio Leste/Oeste, só que usando via paralelas.
    Como o colega sugeriu, é uma coisa que deve ser bem analisada a distribuição das atuais e futuras linhas circulares, ainda mais se receberem demanda de meios de massa como metrô e o BRT. O governo prometer ganho de tempo para um tipo de veículo e você perder esse tempo em migração é uma conversa furada. O ganho só existirá para quem se limitar aos corredores rápidos.

  6. O problema é entre o Grande Recife e a empresa Caxangá. O primeiro não obriga a empresa Caxangá comprar ônibus alongados e se pede a empresa não trás nem é punida. Medo das operações no T.I Xambá.