Três minutos de espera…

 

Terminal da Macaxeira - Foto - Hélder Tavares DP/D.A.Press

Por

Tânia Passos

Em março de 2014, os corredores Norte/Sul e Leste/Oeste estarão em operação, segundo a Secretaria das Cidades. Mas ainda há uma certa inquietação do que vai mudar na prática na vida dos usuários de ônibus. O Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP) tem uma frota de três mil ônibus e transporta por dia quase dois milhões de passageiros em cerca de 400 linhas.

No modelo atual, a maior parte das linhas de ônibus converge para o Centro do Recife. Para os especialistas é um modelo ultrapassado, que sobrecarrega o Centro e aumenta o tempo das viagens. A proposta dos dois corredores é reduzir o intervalo das viagens e o número de ônibus para o Centro, a partir das integrações.

O problema é que além da resistência natural dos usuários em mudar de transporte ao longo do trajeto, as integrações existentes não oferecem, hoje, nenhum tipo de conforto e segurança em relação ao cumprimento dos horários. São filas gigantescas, tempo de espera além da conta e desorganização nos embarques. A simples menção da integração já deixa o usuário de cabelo em pé e, para convencer de que o BRT virá para mudar, é preciso que a integração funcione com eficiência e isso se traduz, principalmente, em espera mínima pelo transporte.

O sistema BRT promete ônibus com intervalos de três a cinco minutos nas estações, uma promessa que pouca gente está acreditando, mas que na verdade é a base do sistema BRT: regularidade nas viagens. Que sejam os três minutos!

8 thoughts on “Três minutos de espera…

  1. Tânia, boa volta de férias!

    Sobre a matéria, essa secretaria, para mim, fala de forma ampla o que pretendem fazer, mas na prática não é bem assim e até algumas notícias dadas por ela colocam em questionamento algo como o desta matéria.

    Norte-Sul para março/2014, só que a mesma disse que o trecho da Agamenon só ficará pronto em out/2014, então o prazo acima é só para o ramal centro, o que deveria ficar claro haja vista que este corredor segmentado. Por outro lado, será que vai ser cumprido esse prazo, pois não começaram ainda as obras na Av. Cruz Cabugá e se eu tomar como parâmetro o andamento das estações da Av. Caxangá, tem estação com mais de um ano e quatro meses inacabada, enquanto outras que começaram depois, a próxima ao Extra Supermercado, está perto de ser finalizada, mas já passa pelas minhas contas mais de quatro meses.
    O Leste-Oeste ainda não definirão sobre o BRT na Av. Conde da Boa Vista e para mim, já deveria ter começado as estações, que é preciso ter para não inventar de na Boa Vista o veículo atuar com um ônibus comum, sem falar que o TI Perimetral 3, ao lado do HGV e que precisa de parte do terreno deste hospital, digamos, está quase parado, já vai mais de um mês, porque acionaram o MPPE por conta de possíveis danos aos pacientes.
    Camaragibe, ainda não começaram a derrubar os imóveis para fazer o alargamento da avenida do centro além das próprias estações.
    Sinceramente, março de 2014 só se for o prazo otimista, porque até o Ramal da Copa, que é feito pelo mesmo consórcio do Leste-Oeste e do TI Cosme e Damião, corre o sério risco de não ficar pronto no trecho que vai da ponte até o TI Cosme, que já seria uma parte do percurso rumo ao Leste-Oeste.

    • Raimundo,

      O prazo realmente parece muito curto. Para se ter uma ideia, não há uma única estação pronta do Norte/Sul e estão previstas 33. Espero que o governo consiga para o bem da mobilidade.

  2. Quanto ao TI Perimetral III/Corredor Leste/oeste acredito que não vai mais sair. O hospital Getúlio Vargas vai receber uma ótima verba para sua ampliação e reforma e se o terreno que passou por obras for o único espaço para construção do TI é melhor nem construí-lo. É apenas um achismo, mas acredito que o terreno que era do BB ficará para ampliação do hospital e assim o estacionamento permanecerá como está. Tudo indica que Dudu será candidato a presidente, então ele escolherá a ampliação do hospital que beneficiará muito mais gente e acabará com protestos contra o TI Perimetral III. Forte abraço!!

    • Eu que já passei várias vezes pelo HGV e posso dizer que o mesmo pode ser ampliado sem terreno que era do BB ou de parte do estacionamento que foi destinado para o TI bastando usar o estacionamento frontal a Av. Gal. San Martin, junto ao terreno que foi do BB. A área tem uns 17m de largura por quase 100m de comprimento. Se fazem edifícios residencias com formato similar, por que não se faz unidade hospitar.
      Outra, é questionável o HGV disperdiçar terreno na ala sul onde hoje encontra-se o Centro de Readaptação quando poderia ter feito um prédio com vários setores entre estes o de fisioterapia que é no de Readaptação com apenas um pavimento.
      Sobre possível danos aos pacientes, que seriam da ala norte, na possível presença do TI, mostrem por analogia, aferiação, afinal tem muito TI pela cidade para se obter dados de emissão de poluentes e pressão sonora.
      Outra, nem precisa de TI para se questionar locais com barulho muito maior, afinal em TIs com baixa velocidade dos veículos e motores mais eficentes, poluentes e ruídos são pequenos a ponto de não serem nocivos, enquanto estando na Agamenon Magalhães (HR) e BR 101(Clínicas), o barulho é muito forte escutado em nos andares até mais altos.
      Em suma, tem hospital que convive com enorme barulho e o povo não fala, mas falam de prejuízos que um TI traria sem nem demostrarem por dados. Como sempre, são dois pesos e duas medidas.

  3. Um tema realmente interessante é este que vem sendo abordado sobre a construção de um terminal integrado ao lado de um hospital. A sra. Tânia poderia fazer uma reportagem sobre o tema e ir ao local, bairro do Cordeiro, saber as opiniões da população e funcionários do Getúlio Vargas.

    • Não adianta ir apenas ao local onde pretende-se construir o TI, mas em outros locais onde há hospitais e grandes vias, bem como em TIs de movimentação similar ao prometido do Perimetral 3 com previsão de 11 linhas. De preferência, ir com medidores de ruído e poluentes, o que daria uma boa fundamentação técnica capaz, diria, de coibir certas críticas porque estas não teria uma fundo de verdade.
      Eu tenho passando pela Sudene, que fica no lado oposto do HC, e o barulho de veículos é um absurdo. Não tem TI, mas supera e muito o ruído que já escutei em alguns TIs, enquanto do TI Caxangá, que tem, parece, 7 linhas, é relativamente tranquilo a depender do horário. Já fui ao HR, à noite, e às 22h se escuta os veículos no 6º andar que fica voltado para a avenida.
      Como falei acima e repito, avenidas de grande movimentação já estão afetando pessoas em tais hospitais a depender do local delas, e o povo que critica o TI P3 não fala. Transito bastante pelo Cordeiro, área onde deverá ficar o TI, e antes das obras do corredor o barulho era baixo, muito baixo para a BR 101 na área do HC, e Agamenon no HR. Em função disto, não acredito que o TI Perimetral 3 iria piorar a um nível insuportável.

      Sendo assim, se é para defender que TI não pode ficar ao lado de hospital porque traria prejuízos ao pacientes, então já deveriam está tratando e nínguem até então se preocupa sobre o barulho que atinge demais hospitais as margens de vias de alta movimentação.

  4. será mesmo q é um modelo ultrapassado,esse sistema de linhas indo para o centro do Recife?ou será q eles os ultrapassados(me refiro aos”especialistas”)!discordo desse tipo de raciocínio.sobre o BRT,não vai dar certo!