Ameciclo divulga nota de luto pela morte de dois ciclistas no Recife

Protesto pela mortes de ciclistas no Recife em 2012 - Foto - Hélder Tavares DP/D.A.Press

Protesto pela mortes de ciclistas no Recife em 2012 – Foto – Hélder Tavares DP/D.A.Press

A Ameciclo e os seus associados lamentam profundamente a morte de mais dois ciclistas na capital pernambucana. Kléber Cristiano Cavalcanti morreu neste sábado, 22 de março, atropelado por um automóvel na Avenida Recife por volta de meia noite. José Ferreira da Silva morreu às 17h40 de terça-feira, 25 de março, atropelado por um ônibus no Pina. Ambos queriam chegar em casa e encontrar suas famílias, mas não conseguiram.

O trânsito tem assassinado mais de 600 pessoas ao ano no Recife, número equivalente ao de homicídios por armas de fogo na capital, segundo os dados compilados pelo Observatório do Recife (ano 2011). No entanto, pouco tem sido feito para mudar essa realidade. A política adaptou seu discurso, mas não suas ações. Ainda é priorizado o tráfego motorizado e suas altas velocidades em detrimento da segurança e da vida das pessoas.

Os orientadores de trânsito estão preocupados com que os motoristas parem e avancem nos semáforos e não são posicionados próximos às faixas de pedestres, educando o motorista para o respeito quanto a eles; as campanhas de educação indicam uma simetria irreal entre ciclistas e motoristas, desprezando o que diz o Código de Trânsito Brasileiro, que diz que os maiores devem proteger os menores;

As ações que são colocadas sobre a alcunha de “mobilidade” incluem até aquelas que só oferecem mais espaço para os carros. Coincidentemente, o ciclista morto no Pina trabalhava em um delas, a Via Mangue, e voltava para seu alojamento pelo caminho mais curto que lhe é permitido, já que a infraestutura da cidade é pensada na totalidade para os veículos automotores.

A Companhia de Trânsito e Tráfego Urbano (CTTU) apenas se preocupa com o fluxo de veículos, deslocando diversos agentes quando acontece uma colisão fatal para reorientar o trânsito, mas não há uma preocupação prévia para evitar essas mortes. A CTTU não tem como meta a redução de mortes no trânsito, se preocupando apenas com a aceleração do fluxo mortorizado. Mostra-se totalmente ineficaz a sua Central de Atendimento, sendo recorrentes as reclamações dos pedestres nos jornais de grande circulação e redes sociais contra a Companhia.

Seguindo a política local, reportagens na imprensa noticiam com maior ênfase o engarrafamento decorrente das colisões (que na verdade são reflexo direto da quantidade de carros e não das ocorrências) do que a perda de mais e mais vidas no trânsito. Além disso, matérias irresponsáveis, como a da Folha de Pernambuco, escrita pelo jornalista Rodrigo Passos, publicada na edição do dia 23/03/2014, imputa irresponsavelmente à vítima a culpa por suas mortes. Descrevem como um conflito a convivência entre modais motorizados e de tração humana, quando o que acontece é uma chacina.

Enquanto a sociedade pernambucana e os gestores públicos não acordarem para esse cenário, as mortes no trânsito ainda serão tratadas como “acidentes” e o engarrafamento será o maior de seus reflexos noticiados pela imprensa; enquanto as ações da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado forem diferentes de seu discurso e continuar apontando problemas no fluxo dos motorizados para não implantar as soluções de segurança para pedestres e ciclistas, teremos uma cidade que mata seus cidadãos; enquanto não mudarmos, continuaremos morrendo na contramão, atrapalhando o tráfego. E neste cenário, fica difícil a cidade ser para as pessoas, como é veiculado pela gestãomunicipal.

Fonte: Ameciclo

One thought on “Ameciclo divulga nota de luto pela morte de dois ciclistas no Recife

  1. Concordo em algumas partes,a responsabilidade tem que ser de ambas as partes!!! Qualquer ser em sua sã consciência,sabe que a cidade do Recife foi mal planejada ou não foi planejada para ciclistas de lazer,ou aqueles que utilizam a bike como transporte ao trabalho. Os motoristas não respeitam os ciclistas e nem os ciclistas obedecem o código de transito,só que nessa guerra,adivinhem que sai perdendo??? Logico que é o ciclista,estou cansando de ver grupos e mais grupos de ciclistas percorrendo as ruas da cidade,sem um minimo de proteção,só com 01 carro de apoio,e alguns instrutores que param o transito,para seguirem,em horários inapropriados…. Também já vi,ciclistas não usando a ciclovia da Orla de Boa-Viagem,teimando em ficar no meio dos carros,alegando que a ciclovia,tem muitas curvas,oras,se tem muitas curvas,então,não andem com tanta velocidade,é até perigoso para o próprio ciclista,já vi,vários ciclistas andando também na contra-mão, enquanto a Prefeitura não tomar uma atitude seria com questões de ciclovia ou até mesmo ciclofaixas,desde que tenham manutenção e segurança,vai acontecer mais mortes sim,temos praticamente,uma reta,pegando Recife,Olinda e Paulista(orla) ,Olinda já começou com sua interminável ciclovia,por quê não fazer uma Pegando desde Recife,juntando com a de Olinda,até a ponte do Janga hein??? Como sempre,falta VONTADE POLITICA!!! Sou ciclista,mas não sou doido de passear em grupos ou só pela cidade do Recife,tirando os finais de semana,os dias úteis,é brincar com a morte!!!