Uso do transporte público caiu 30% na última década, diz o Ipea

A falta de políticas públicas para transporte de massas e mobilidade urbana, aliada a passagens cada vez mais caras, provocaram uma queda de cerca de 30% na utilização do transporte público no Brasil nos últimos dez anos. A constatação é do estudo “A Mobilidade Urbana no Brasil”,  pelo Instituto de Política Econômica Aplicada (Ipea), no Rio de Janeiro.

O estudo mostra que o governo não apenas investiu muito pouco em mobilidade urbana nas últimas décadas, como também incentivou a utilização do transporte individual. Um dado da pesquisa mostra que 90% dos subsídios federais para transporte de passageiros são destinados à aquisição e operação de veículos individuais (carros e motocicletas). Como consequência, o uso de automóveis nas grandes cidades cresce 9% ao ano, enquanto o de motocicletas dá saltos de 19%.

Somente em 2008, foram vendidos 2,2 milhões de carros e 1,9 milhão de motos e a previsão é que, em 2015, esses números dobrem. De acordo com o coordenador da pesquisa, Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho, em alguns lugares, dependendo do trajeto que se faça, sai mais barato usar moto ou até mesmo o carro do que o ônibus, metrô ou trem.

“Obviamente, esse panorama tem causado sérios problemas para as cidades, como congestionamentos, acidentes e poluição, principalmente. A renda da população está aumentando e, se não houver políticas no sentido de melhorar e incrementar o transporte público, essa situação vai se deteriorar ao ponto em que teremos cidades inviáveis”.

O documento aponta ainda que, nos últimos 15 anos, as tarifas de ônibus aumentaram cerca de 60% acima da inflação. A política de combustíveis também contribuiu para o encarecimento do transporte público pois, segundo o estudo, os ônibus movidos a diesel estão em 85% dos municípios do país e são o principal meio de transporte de massas nas grandes cidades. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço do óleo diesel subiu 50% a mais que o da gasolina nos últimos 10 anos.

“Cerca de 8% do diesel consumido no Brasil vai para o transporte público. Acho que é possível subsidiar a compra de diesel para esse setor e, assim, baratear as passagens”, sugeriu o pesquisador.

A coordenadora do livro Infraestrutura Social e Urbana no Brasil, Maria da Piedade Morais, ressaltou que a solução do problema da mobilidade urbana não está apenas em investimentos no setor de transporte coletivo, mas num planejamento integrado da expansão das cidades.

“As cidades estão crescendo, mas os locais de trabalho continuam nos centros. Programas [governamentais] como o Minha Casa Minha Vida têm se mostrado alheios a essa realidade, pois investem em moradias em locais distantes, muitas vezes sem equipamentos urbanos, em vez de recuperar áreas já servidas, como os próprios centros comerciais”.

Da Agência Brasil

 

3 thoughts on “Uso do transporte público caiu 30% na última década, diz o Ipea

  1. Transporte caro e ruim! A melhora de quando tentavam desestimular e conseguiram acabar com o transporte clandestino desaparece a passos largos. Praticamente após o fim das kombis/vans empresas como a CRT desativaram a refrigeração de seus ônibus. A Borborema que “reina” na Zona Sul voltou a entupir seus “opcionais” -não raramente sem refrigeração nem janelas- que ficam catyando passageiros a velocidade baixa, irritando os usuários. Cadê as licitações e a quebra dos “monopólios”?

  2. Faltou uma opção na enquete: Respeito à lotação dos veículos! Certa vez conversava com meu saudoso pai e surgiu a história da limitação. Houve tempo em que fiscais controlavam o acesso aos ônibus no ponto de retorno e liberavam tão logo eles lotavam! Trabalhando sem a superlotação, necessariamente melhora o conforto e ventilação, além de se reduzir as quebras e danos da sobrecarga, bem como a ação de marginais.

  3. Concordo com Osnaldo! Aí vem fulaninho e sicraninho,dizer; Deixem seus carros em casa e utilizem transporte público ou vá de bicicleta trabalhar???? Tem gente que pensa que nós somos idiotas ou o quê?Tenho certeza absoluta,se o transporte público tivesse ar-condicionado,não lota-se,as empresas de ônibus coloca-se mais coletivos nas ruas,uma passagem justa,paradas de ônibus próxima do trabalho do usuário,é claro que muita gente iria preferir ir de ônibus,do que ir de carro,isso é logico!!!Podem fazer comercial,propaganda,eventos,se não colocar um transporte digno,tudo isso não vai adiantar nada……….