Cidades a pé! Quem compra essa ideia?

Condições inadequadas das calçadas são obstáculo para locomoção dos pedestres Foto: Ricardo Fernandes DP/D.A.Press

Condições inadequadas das calçadas são obstáculos para locomoção dos pedestres Foto: Ricardo Fernandes DP/D.A.Press

 

Certa vez ouvi do engenheiro e doutor em mobilidade urbana, Oswaldo Lima Neto, a seguinte frase: “O gestor que resolver o problema das calçadas, jamais será esquecido”. A frase não é exagero. Apostar na caminhada, nas condições ideais para o pedestre é a maneira mais democrática de melhorar a mobilidade, completou outro estudioso no assunto, Francisco Cunha, autor do livro “Calçada, o primeiro degrau da cidadania”.

Mesmo que os números “não atualizados” do Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU) indiquem que um terço da população da Regiáo Metropolitana do Recife (RMR) se desloque a pé, poucos são os esforços para melhorar as condições de deslocamento desse universo de pessoas. E outras mais podem ser atraídas para andar a pé, quando as calçadas forem mais convidativas.

Depois de criar uma associação de pedestres, São Paulo inova mais uma vez com a realização de um seminário para discutir o tema. A proposta bem que poderia servir de inspiração para as capitais brasileiras. O assunto é muito bem-vindo e, todos nós, pedestres, agradecemos.

Abaixo a matéria do Portal Mobilize sobre o seminário promovido pela Associação Nacional de Transporte Público (ANTP): Cidades a pé!

Pedestres no Recife - Foto Bruna Monteiro DP/D.A.Press

Pedestres no Recife – Foto Bruna Monteiro DP/D.A.Press

Será realizado em São Paulo, entre os dias 25 e 28 de novembro, um evento imperdível para todos aqueles que, como nós, defendem a caminhabilidade como uma prioridade no meio urbano. Trata-se do Seminário Internacional Cidades a Pé, organizado pela ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), um encontro pioneiro e inédito.

O Seminário reunirá, num mesmo espaço do Instituto Tomie Ohtake, na zona oeste de São Paulo, especialistas brasileiros e internacionais para debater um tema que vem se revelando urgente no mundo contemporâneo, porque aponta para a humanização de nossas cidades. Afinal, as pessoas mais próximas das cidades são, sem dúvida, aquelas que a percorrem a pé.

Por isso, o Seminário Cidades a Pé irá discutir e refletir sobre a importância do caminhar nas cidades. Serão mostrados tanto os bons exemplos – iniciativas, políticas públicas e estudos que já vêm invertendo a lógica dos espaços urbanos, promovendo ambientes mais caminháveis – como a situação de cidades onde o modelo de desenvolvimento dificulta o andar a pé, e traz efeitos negativos à vida das pessoas.

Programação

O primeiro dia do Seminário (25) será voltado a oficinas técnicas para o público especializado e gestores. Nos dias 26 e 27, painéis com palestras sobre temas como mobilidade a pé e saúde, cidades caminháveis no mundo, desenho urbano, segurança viária, entre outros. Para fechar a programação, no sábado (28) o dia será dedicado a eventos de rua: shows, oficinas e exposições, tudo gratuito.

Diversos nomes ligados à mobilidade ativa do país participam do “Cidades a Pé”, além de profissionais e pesquisadores de outros países, como Espanha, México, Estados Unidos, Colômbia e Reino Unido.

O Mobilize também se faz presente neste evento, e em peso: participam o editor do portal, Marcos de Sousa, e nossos blogueiros Irene Quintáns (Passos e Espaços), Meli Malatesta (Pé de Igualdade), Letícia Sabino (SampaPé) e Luís Carlos Mantovani Néspoli (Palavra do Especialista) – eles quatro também integrantes da Comissão Técnica de Mobilidade a Pé e Acessiblidade da ANTP – e ainda a Sílvia Cruz (Mobilize Europa) e a equipe do Cidade Ativa (Gabi Callejas).

Inscrição de projetos

Organizações ou pessoas que queiram levar algum projeto e/ou iniciativa voltados à melhoria do deslocamento a pé nas cidades devem fazer inscrição pelo “Pontapé”, espaço de apresentação de trabalhos no Seminário. Basta acessar o link: http://cidadesape.com.br/pontapes/

Serviço

Seminário Cidades a Pé

Data: 25 a 28 de novembro de 2015

Local: Instituto Tomie Ohtake, Rua Coropés, 88, Pinheiros, São Paulo

Organizador: ANTP

Inscrições e informações: http://cidadesape.com.br/

 Fonte: Portal Mobilize

5 thoughts on “Cidades a pé! Quem compra essa ideia?

  1. Compro plenamente essa ideia!
    Sugiro, ainda, uma campanha para que os ilustres proprietários dos animais domésticos, que se apropriam das calçadas como banheiro desses animais, utilizem um saquinho e recolham os excrementos deixados que, da mesma forma que os buracos, impedem os trânsito livre e com respeito pelos cidadãos.

    • SUIANY PADILHA, concordo com você .
      Quando eu residia na Rua da Hora, no Espinheiro,Recife ,PE, fui reclamar de uma senhora ,porque o cachorro dela tinha feito cocô na calçada da minha casa e na entrada , no portão.
      Ela quase me bateu , ” rodou a baiana” .
      Respondi a altura e ela disse : “vou chamar meu marido para conversar com você “.
      E eu respondi: ” ” Não gosto de conversar com corno ” .
      E o corno não apareceu.
      Absurdo , tambem, são os vendedores ambulantes, tomam totalmente as calçadas , porque os ” fiscais” da Prefeitura, so se interessam em receber as propinas. E as pessoas não reclamam , são masoquistas , covardes , omissos , dementes, preguiçosos.
      MAS , o pior , as calçadas não existem e ou estão destruidas .E tambem , a omissão da Prefeitura , que so se interessa em receber o IPTU e outras Taxas publicas.
      O Diario de Pernambuco, reserva espaços para que as pessoas RECLAMEM, porem, as pessoas NÃO se interessam.
      E normal e um pais do Quinto mundo.
      E normal , e subdesenvolvimento cultural e educacional, E BRASIL.
      EU não devia me intrometer, porque resido com minha familia,
      ha varios anos,na California, U.S.A..
      EU sai do Recife, mas, o Recife não saiu de mim.
      Sinto saudade do Recife.
      Recife e lindo.
      Deus nos dê uma otima saude, paz, sucessos e sorte, todos os dias e sempre amem.
      Abraço sincero de um recifense.

      Ito Cavalcanti
      Sacramento, California, U.S.A..

  2. Prezada Sra.Tania Passos.

    Mais uma vez, PARABENS , esta Materia e importante e util.
    Infelizmente , os brasileiros , devidoa sua pouca culturae educação, NÃO reclamam das Prefeituras de todas as Cidades brasileira, que os inquilinos
    construam calçadas de boa qualidade e uniformes.
    Recife e um bom exemplo, NÂO existe uma rua que tenha uma calçada de boa qualidade e a população aceita calada,demonstra que e masoquista, demente,omisso,covarde e preguiçoso.
    E norml, e uma vergonha, são brasileiros.
    Resido em Sacramento,California ,U.S.A. , TODAS as ruas têm excelentes calçdas e com varias rampas para os cadeirantes.
    E ja residi em San Francisco,California,U.SA ., tambem as calçadas são otimas e as ruas muito limpas .
    Porem, exitem multas altissimas para as pessoas que jogarem qualquer tipo de objeto nas ruas, e tambem não manter sua calçada conservada e sua rua limpa.
    MAS…e Primeiro Mundo.
    E oBRASIL, e Quinto mundo.
    E normal, e vergonhoso,e subdesenvolvimento cultural e educacional ,e povo, e prefeito, são brasileiros.
    ECA, um nojo.
    Deus nos dê uma otima saude,paz,sucessos e sorte, todos os dias e sempre,amem.
    Abraço sincero

    Ito Cavalcanti
    Sacramento California,U.S.A..

  3. ANALISEM.
    E uma prova da pouca cultura dos pernambucanos.
    As sras. Tania Passos e a Anna Nascimento , escrevem Materias importantes e uteis,para os recifenses e os pernambucanos.
    E rarissimo uma pessoa escrever um Comentario e ainda mais rarissimo uma pessoa ELOGIA-LAS.
    E uma demonstração de pouca cultura e pouca educação domestica.
    Eu não gosto de 99,99 % de recifenses e de pernambucanos.
    E sou recifense, portanto,conheço bem a raça .
    A verdade e a realidade, não são agressividades. São honestidades.
    Deus nos dê uma otima saude, paz , sucessos e sorte, todos os dias e sempre, amem.
    Abraço sincero.

    Ito Cavalcanti
    Sacramento, California, U.S.A..

  4. ATENÇÃO , CORREÇÃO .

    No trecho onde esta escrito, o correto e , ” E rarissimo uma pessoa escrever um Comentario…”.
    O correto e, ” E rarissimo uma pessoa ( LEITOR ) escrever um Comentario…” .
    Desculpem minha falha, escrevi apressado.
    Grato.
    Abraço .

    Ito Cavalcanti .
    Sacramento, California, U.S.A..