Atravessar na faixa é seguro?

 

Pedestre pede passagem na faixa - Foto foto: Artur Moser/Reprodução internet

Pedestre pede passagem na faixa – Foto foto: Artur Moser/Reprodução internet

Por

Meli Malatesta (arquiteta e urbanista)

Caminhar nas ruas das cidades nos obriga a enfrentarmos diariamente várias travessias em cruzamentos e interseções pois se repetem a cada cem ou duzentos metros em média. Isto significa, para um percurso cotidiano a pé de 15 minutos, cerca de oito a dez travessias. Ao voltarmos, este número duplica, certo? E o que significa para as nossas vidas esta ação tão corriqueira?

Atravessar ruas são momentos muito importantes em nossa vida: é a hora da negociação da utilização do espaço e do tempo urbanos (das ruas e avenidas) com os usuários das outras formas de mobilidade, majoritariamente a mobilidade motorizada: automóveis, motos, ônibus, caminhões, utilitários.

Distância entre as faixas de pedestre dificulta travessia Foto Paulo Paiva DP/DA.Press

Distância entre as faixas de pedestre dificulta travessia Foto Paulo Paiva DP/DA.Press

Alguns destes locais tem uma negociação de uso pré-formalizada por sinalização de trânsito (placas, faixa de pedestre, semáforo de pedestres), mas a maioria não, valendo a equação mental básica que realizamos de forma automática em nosso cérebro: tempo necessário para ir de uma calçada à outra X velocidade do carro que se aproxima. Na maioria das vezes este cálculo funciona, mas quando falha, o pior resultado é sempre para quem não está pilotando uma pesada máquina motorizada.

No caso dos pontos contemplados com sinalização de trânsito, pode se afirmar com muita certeza que quem atravessa a pé geralmente não confia muito na faixa de pedestre. Para que isto ocorra é necessário haver sempre fiscalização e intensas campanhas de trânsito para garantir seu respeito pelos motoristas.
Pedestre na BR-104 Foto Bernardo Dantas DP/D.A.Press
Mesmo quando as faixas de travessia de pedestres são semaforizadas com foco para pedestres a situação não muda muito. Quem está a pé já sabe que vai esperar muito e ter pouquíssimo tempo para atravessar. Isto ocorre porque os critérios para definir a divisão do espaço e do tempo das vias, tem pesos e medidas diferentes para os pedestres e veículos. Para o fluxo motorizado a divisão de uso do tempo e do espaço urbano adotada pelas metodologias da engenharia de tráfego é definida pelo tempo necessário à sua passagem, ou seja, considera o fluxo de veículos passam por hora ou minuto no cruzamento ou interseção e tem como objetivo dar vazão a todos os veículos que esperam em fila.

Pedestre atravessando na faixa com sinal vermelho Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Pedestre atravessando na faixa com sinal vermelho Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Já para o fluxo a pé, o tempo do direito de travessia é determinado pelo tempo gasto para se atravessar a rua na faixa de pedestres, independentemente de quantos pedestres estejam atravessando no momento. Considera-se como se houvesse uma só uma linha de frente de pessoas aguardando a travessia, sem levar em conta os que se acumulam atrás na formação do pelotão de espera e muito menos a importante característica de que o fluxo dos pedestres acontece sempre em dois sentidos.

Assim a situação de submobilidade das travessias a pé, com diferentes pesos e medidas envolvidos numa simples e importante operação de divisão do direito de uso do espaço e do tempo públicos urbanos, traz aos que a praticam sensações de surpresa e indignação, que resultam na falta de confiança na faixa, foco ou qualquer outra sinalização voltada ao usuário da via que caminha.

Por outro lado, a repetida vivência desta desconfiança produz a rebeldia no uso dos espaços públicos pelos pedestres, refletida principalmente na realização das inúmeras travessias diárias na base do “onde e como puder”, contando apenas com as equações mentais de sobrevivência.

Fonte: Portal Mobilize

Fumar ao volante é infração de trânsito? veja o que diz o CTB

Na direção, o fumante deixa apenas uma das mãos ao volante. É aí que mora o perigo Foto; Reprodução/internet

Na direção, o fumante deixa apenas uma das mãos ao volante. É aí que mora o perigo Foto; Reprodução/internet

Por
Mariana Czerwonka

Ao observar o comportamento de condutores nas vias, percebemos quantos deles aproveitam o tempo no trânsito, parados ou não, para acender um cigarro. Mas a dúvida é se isso constitui ou não uma infração de trânsito.

O Código de Trânsito Brasileiro não trata especificamente esse tema, no entanto, o artigo 252 classifica como infração de trânsito de natureza média e passível de multa dirigir o veículo com o braço do lado de fora ou com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo. Podemos então, interpretar esse artigo do CTB e dizer que é proibido fumar, assim como é proibido se maquiar e comer dirigindo- coisas que nos obrigam a tirar uma das mãos do volante.

Se for analisado o lado da segurança, dirigir e fumar ao mesmo tempo poderia desviar a atenção do condutor, assim como o celular. Por exemplo, ao acender o cigarro, o condutor desvia os olhos do trânsito para enxergar a posição correta do filtro, além de que, se o cigarro cai no interior do veículo, o motorista na tentativa de apagá-lo pode se distrair e causar um acidente. Outro perigo é que o condutor pode, pelo fato de estar fumando, não ter uma reação adequada, diante de uma situação imprevista.

Sem levar em consideração a saúde do motorista, que é um assunto muito sério e que merece um post especial, o mais correto, nesses casos, é parar o veículo e fumar sem colocar em risco a segurança do trânsito. Prevenir é sempre o melhor remédio.

Fonte : Blog Portal do Trânsito

Enviar mensagens enquanto dirige já é o maior motivador de acidentes

celular2O envio de mensagens pelo celular ao volante não é uma exclusividade do brasileiro. E o perigo dessa prática também não. Segundo pesquisa do departamento de direção geral de tráfego da Espanha, 4 milhões de motoristas espanhóis reconhecem que utilizam o aplicativo Whatsapp enquanto dirigem.

O instituto também apurou que 87% dos entrevistados afirmaram ver outros motoristas enviando mensagens constantemente ou ocasionalmente. Mas o dado mais alarmante é que 51,74% dos acidentes com lesões são causados por falta de atenção na condução gerada pelo uso do celular, responsabilidade mais alta que o uso de drogas ou álcool ao volante.

O Whatsapp é um aplicativo de mensagem por texto ou áudio utilizado em telefones celulares com maior penetração no mundo. Na Espanha, em fevereiro de 2014, o App era utilizado por 25 milhões de pessoas. No Brasil, o número ultrapassa os 38 milhões de usuários, o que pode ser um indício de que os números de acidentes podem ser ainda maiores por aqui.

Na Espanha o uso de celular ao volante também é passível de multa (200 euros ou cerca de R$ 600) e acarreta acúmulo de pontos na carteira de habilitação. O departamento de trânsito espanhol está intensificando as campanhas educativas para inibir essa atitude, como a criação da “Stop Chatear”, para alertar aos motoristas sobre o problema. Além do site stopchatear.com, a campanha tem perfil em diversas redes sociais.

Fonte: Portal do Trânsito

BRT entra em fase de teste no Recife, mas usuário só em dia 17 de maio

Início dos testes com BRT no Recife - Foto Júlio Jacobina DP/D.A.Press

Início dos testes com BRT no Recife – Foto Júlio Jacobina DP/D.A.Press

No mês de junho, quando o Recife estará sediando alguns jogos da Copa do Mundo, a expectativa é que sete linhas estejam sendo operadas: Camaragibe/Derby, Camaragibe/ Conde da Boa Vista, Caxangá/ Boa Viats, 4ª Perimetral/ Joana Bezerra, 4ª Perimetral/Conde da Boa Vista, 3ª Perimetral/Derby e 3ª Perimetral/Conde da Boa Vista. Ao tod deverão ser utilizados 95 ônibus para este ramal.

Em junho também deve ser iniciado o projeto piloto de monitoramento operacional (Simob), utilizando painés de led para monitorar o tráfego. Já o Corredor Norte/Sul vai entrar em operação com testes no dia 22 de abril e com passageiros no dia 23 de maio. No dia 24 de maio começa a funcionar com passageiros a linha PE-15/Dantas Barreto. A meta é começar a operar totalmente em setembro, com 84 veículos.

Os anúncios foram feitos na manhã desta quinta-feira pelo presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Nelson Menezes, durante viagem de demonstração para a imprensa do BRT nos ramais Norte/Sul e Leste/Oeste. O percurso teve início às 7h na Estação 1 da Avenida Caxangá, sentido cidade/subúrbio, próximo às obras do Túnel da Abolição. Na noite de hoje serão realizados os testes práticos, sem a presença de passageiros, realizando o mesmo itinerário.

 

Qualidade do sono é tema de palestra no Recife

motorista direção rotativa

Dados da Associação Brasileira do Sono (ABS) apontam que problemas decorrentes do sono são responsáveis por 30% das mortes e 20% dos acidentes no Brasil. Um dos maiores especialistas em sono do país, Dr. Sérgio Barros, virá ao Recife no próximo dia 8 de agosto para falar do assunto. A palestra gratuita ?Sono e Qualidade de Vida? é uma realização do projeto DurmaBem da Interne Soluções em Saúde e acontece nas instalações da entidade a partir das 10h.

O evento é voltado para médicos, empresas do segmento de transportes e formadores de opinião. O objetivo do evento é reunir as referências locais para trocar experiências e a capacidade do local é para 70 convidados. As inscrições e outras informações poderão ser obtidas através do fone (81)2123-0440 Ramal- 6490 e do site www.interne.com.br.

Pós-graduado em Pneumologia e Medicina do Sono, no Hospital Saint Antoine, em Paris e membro da Sociedade Brasileira de Sono, o médico partilha sua experiência com o trabalho desenvolvido com motoristas rodoviários no Grupo Águia Branca, de Belo Horizonte. O projeto é considerado o maior do gênero no mundo. No ano 2000 cada motorista recebeu diagnóstico e tratamento baseado em exames como a polissonografia e avaliação das condições do local de trabalho e de casa.

Além de orientar os motoristas, os familiares também foram esclarecidos sobre as condições ideais de alimentação e descanso. A iniciativa reduziu a zero o numero de acidentes causados por sonolência em cinco anos. ?A higiene do sono é tão importante quanto a corporal. É imprescindível manter hábitos saudáveis para ter um padrão de sono adequado.? afirma o especialista.

Interne – A Interne Soluções em Saúde presta serviços médicos de alta qualidade de maneira humanizada utilizando tecnologia, logística e a otimização de processos para levar o cuidado com a saúde no lugar onde o paciente em casa. Além de programas de reabilitação, tratamento e prevenção de doenças. Contabilizando mais de 5 mil pessoas tratadas por sua equipe, a empresa foca em ações ligadas à qualificação e expansão do conhecimento através de cursos e palestras para o público interno e externo.

“Trabalhamos com uma equipe consciente, que sabe que nosso maior patrimônio é a qualidade dos serviços que alcançamos, com presteza e exatidão. O que nos credencia aqui e fora do Estado.?, ressalta Paula Meira, desde o início integrante da equipe fundadora da empresa e que hoje comanda mais de 700 funcionários. O evento também é o ponto de partida das atividades da Uninterne, Universidade Corporativa vinculada à empresa.

SERVIÇO:
Palestra: Sono e Qualidade de Vida
Dia 08 de agosto, às 10h
Interne Soluções em Saúde – Rua Marquês Amorim, 444, Ilha do Leite
Inscrições gratuitas: (81)2123-0440 Ramal- 6490. www.interne.com.br.

Pai da motorista que atropelou ciclista em Boa Viagem vai depor hoje

 

Atropelamento ciclista Jequitinhonha - Reprodução vídeo

O pai da motorista e dono do veículo que atropelou o ciclista Caio Menezes da Silva, 16 anos, há uma semana, em Boa Viagem, prestará depoimento na manhã de hoje na Delegacia de Delitos de Trânsito.

Além dele, serão ouvidos o agente responsável por registrar a ocorrência e outra testemunha. O delegado Newson Motta informou que as investigações estão avançadas e que a ouvida da motorista, uma universitária de 19 anos, será realizada por último. Caio foi atingido quando atravessava a faixa de pedestres da Avenida Visconde de Jequitinhonha (foto) em cima da bicicleta com o sinal aberto para os carros. A motorista prestou socorro, mas a vítima não resistiu ao impacto.