Via Mangue tem previsão de ser entregue 12 dias antes da Copa do Mundo

Via Mangue ainda em obras - Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Via Mangue ainda em obras – Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Uma obra de 1.150 dias. Esta é a Via Mangue, serviço viário tão prometido para desafogar o tráfego na Zona Sul do Recife desde outubro de 2013, visando a Copa do Mundo, que só ficará pronto 12 dias antes do início do mundial no país. Depois de passar por atrasos e receber aditivos nos preços e no prazo, a obra, prevista pela atual gestão municipal para ser entregue hoje, passa a ter nova data de inauguração: 31 de maio.

Isso porque aos 45’ do segundo tempo ficou claro para a Secretaria de Infraestrutura do Recife que o impacto da obra no tráfego acabaria trazendo mais danos que benefícios à Rua Antônio Falcão, onde já se verifica fluxo intenso de veículos, em Boa Viagem. Agora, o elevado passa a ser conectato à Rua Antônio Torres Galvão, 270 metros à frente, demandando um alongamento da via.

De acordo com o diretor de engenharia da secretaria, Vicente Perrusi, além de estendido o elevado, também serão feitas readequações em duas pontes, a Paulo Guerra, até o acesso ao Shopping RioMar, e a da Encanta Moça, até a Rua Gabo Coutinho. Ambas, cujo projeto previa apenas duas faixas de tráfego, passarão a ter três. “Estamos com 96,35% da obra concluídos e o que falta será feito no mês de maio. Tudo ficará pronto no prazo e se tiver alguma pendência será, no máximo de alguma pintura, ponto de iluminação… Alguns ajustes facilmente resolvidos”, diz.

Atualmente, cerca de 2,3 mil pessoas atuam diretamente na conclusão da Via Mangue em cinco frentes de trabalho. A obra, que teve início em 7 de abril de 2011, recebeu um nono aditivo, publicado no Diário Oficial do último sábado (26), que deixou o prazo de entrega mais elástico, até o fim de maio, e também reajustou o valor da intervenção urbana em R$ 47,6 milhões, elevando o custo total da via para R$ 431 milhões.

O novo investimento representa a inclusão de serviços não inicialmente previstos, a exemplo da pintura do mastro principal da via. A fase de finalização, que inclui a instalação da rede elétrica e de iluminação pública, bem como a cobertura asfáltica, deve ser realizada nas próximas semanas.

Saiba mais

Cronograma das obras

Abril de 2011 – início das obras

Setembro de 2013 era a previsão de conclusão

Abril de 2014 – prazo prometido pela administração

Maio de 2014 – novo prazo

4,75 km é a extensão da via
270 metros será o alongamento até a Rua Antônio Torres Galvão
60 km/h é a velocidade média prevista para a via
R$ 431 milhões é o atual custo da obra
992 famílias que moravam em palafitas foram removidas
3 conjuntos habitacionais foram entregues em novembro de 2011

Equipamentos

4 elevados
vão compor o sistema viário

8 pontes
estão incluídas no traçado

2 alças
farão a ligação com a Ponte Paulo Guerra e o Temudo

3 faixas
terão as Pontes Paulo Guerra e Encanta Moça

Fonte: Diario de Pernambuco

Educação na contramão no Recife

Conversão proibida no Derby , Recife- Foto Alcione Ferreira DP/D.A.Press

Conversão proibida no Derby , Recife- Foto Alcione Ferreira DP/D.A.Press

Na guerra travada todos os dias no trânsito parece prevalecer a lei do mais “esperto”, aquele que sempre tenta tirar vantagem, mesmo que isso implique em não respeitar normas básicas do Código de Trânsito Brasileiro. A deseducação, que deveria ser no máximo uma exceção, é quase regra.

Durante dois dias, o Diario flagrou cenas em cinco pontos distintos da Zona Norte da capital pernambucana: Avenidas Cruz Cabugá, Norte, Estrada de Água Fria e Derby. De tão corriqueiras, as infrações se tornaram invisíveis e muitas não são registradas pela Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU). Mas podem causar risco de acidente e morte.

Pedestre atravessando a faixa com o sinal vermelho na Avenida Cruz Cabugá Recife Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Pedestre atravessando a faixa com o sinal vermelho na Avenida Cruz Cabugá Recife Foto Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

A velocidade além do limite permitido e o avanço do sinal vermelho são as infrações mais facilmente mensuradas em razão dos equipamentos eletrônicos, mas há outras, igualmente danosas, que ainda estão longe dos olhos dos agentes de trânsito, mesmo que se repitam todos os dias.

Na Avenida Cruz Cabugá duas faixas de pedestres e dois semáforos não têm sido suficientes para atender a pressa de pedestres, que se arriscam numa travessia perigosa com sinal fechado e carro passando. “Eu vou calculando o carro passar e atravesso. A gente perde muito tempo aqui”, disse a dona de casa Maria Celecina do Amaral, 59 anos. O pedestre tem 20 segundos para fazer a travessia e espera até cinco minutos o sinal abrir.

Motoristas não dão a preferência na rotatória de Água Fria - Recife Foto - Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

Motoristas não dão a preferência na rotatória de Água Fria – Recife Foto – Blenda Souto Maior DP/D.A.Press

O consultor de trânsito Carlos Guido, que atende a consultorias do Detran em todo o país, diz que o trânsito é um reflexo do nível da sociedade. Segundo ele, não pode haver uma separação entre a educação de trânsito e o social. “Quem é mal na vida é também no trânsito”, ensina o especialista. Segundo ele, até a buzina é usada de forma agressiva. “Aqui no Recife a buzina é quase um palavrão. Ela é usada para punir, reclamar. Não tem o caráter educativo e de alerta”, afirmou.

De acordo com a presidente da CTTU, Taciana Ferreira, é mais difícil combater as infrações que não são punidas com multa e que dependem apenas da consciência de cada um. “Já existem estudos que apontam que as infrações que não geram multas atrapalham de duas a três vezes mais a fluidez do trânsito que as infrações com multas”, citou a presidente.

No segundo semestre deste ano, a CTTU deverá lançar campanhas educativas a partir de temas. “Estamos desenvolvendo alguns projetos que serão apresentados ao Funset (Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito) para que possamos dispor, sempre que necessário, de campanhas com temas específicos”, disse ela.

BRT do Recife pode ter reforço de mais três estações

 

Corredor Leste/Oeste - Foto - Roberto Ramos DP/D.A.Press

Corredor Leste/Oeste na Avenida Caxangá- Foto – Roberto Ramos DP/D.A.Press

Um dia depois de anunciar que apenas duas estações de BRT seriam utilizadas para o Expresso Copa, no corredor Leste/Oeste, o governo sinaliza a possibilidade de ampliar mais três estações.

Além das estações na Avenida Guararapes e Derby, já anunciadas, poderão ser incluídas outras três na Avenida Caxangá. Também está em estudo a implantação de um terceiro estacionamento remoto, dessa vez na Zona Sul, que integrará o Expresso Copa, levando torcedores para a Arena de BRT. Estão sendo avaliados os estacionamentos dos shoppings Recife e RioMar.

De acordo com a Secretaria das Cidades, a ampliação da demanda no corredor Leste/Oeste, de 6 mil passageiros ao dia, dependerá do que for definido pela Secretaria da Copa. “Nós recebemos uma demanda de seis mil pessoas para transportar para a Arena, mas se houver necessidade de ampliar essa demanda, nós temos todas as condições”, afirmou o secretário das Cidades, Evandro Avelar.

Demanda é o que não falta, segundo o secretário da Copa, Ricardo Leitão. “Nós temos demanda, desde que haja ônibus suficiente do BRT”, ressaltou.O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Urbana-PE) garante que até a Copa serão disponibilizados cem ônibus para o Leste/Oeste e 125 para o Norte/Sul. Até maio, no entanto, só 14 ônibus estarão disponíveis para os testes com o público, que tem data marcada para 17 daquele mês.

O teste será feito entre o Terminal de Camaragibe e a estação do Derby. Das 28 estações do corredor, 13 estão com as obras ainda no piso e outras 15 praticamente prontas. “Vamos pedir prioridade à Secretaria das Cidades para as estações que serão usadas no Expresso Copa”, revelou Ricardo Leitão.

Dentro da estimativa de 54 mil pessoas a serem transportadas nos dias de jogo, sendo 44 mil torcedores e 10 mil trabalhadores, há pelo menos 7,8 mil pessoas ainda não incluidas nos modais apresentados no plano de mobilidade da Copa. “Essa diferença pode ser incluída no estacionamento da Zona Sul”, destacou Leitão.

BRT do Recife só terá 2 estações funcionando na Copa

Obras das estações provisórias do BRT em Camaragibe Foto - Teresa Maia DP D.A.Press

Obras das estações provisórias do BRT em Camaragibe Foto – Teresa Maia DP D.A.Press

O modelo de operação de transporte para a Arena Pernambuco nos jogos da Copa do Mundo já foi definido. O corredor Leste/Oeste do BRT, principal obra da matriz da Copa, não terá o desempenho que se previa inicialmente. Com capacidade estimada em 126 mil passageiros por dia, depois de pronto, só deverá transportar seis mil pessoas para a Arena em cada um dos cinco jogos.

A principal razão é que das 28 estações do corredor, sendo 16 no padrão BRT e 12 provisórias, apenas duas serão usadas. O atraso na conclusão de estações e de terminais, principalmente em Camaragibe, são as maiores causas. O Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano escolheu as estações da Avenida Guararapes e do Derby como ponto de partida para a Arena, por serem estações duplas e localizadas em áreas de grande fluxo.

Do Derby, os ônibus farão viagem expressa. Uma terceira estação, nas imediações do Parque de Exposição do Cordeiro, poderá fazer parte da operação, mas ainda está em estudo. A Secretaria das Cidades e a própria Secretaria da Copa (Secopa), estimam uma média de 54 mil pessoas nos dias de jogos, sendo 44 mil para a Arena e cerca de 10 mil para outros destinos. A secretária-executiva de gestão da Secretaria das Cidades, Ana Suassuna, tentou amenizar o atraso da obra. “O expresso do BRT é uma boa alternativa, uma vez que vai possibilitar um transporte mais rápido.”

O público restante terá que recorrer principalmente ao metrô,  que deverá transportar até 18 mil pessoas. Na distribuição dos modais, o sistema que permite aos motoristas deixar seu carro no estacionamento e seguir de ônibus para o estádio será repetido. É o caso do estacionamento do Parqtel, que já funcionou na Copa das Confederações. A previsão é que 10 mil pessoas sejam atendidas somente neste estacionamento, quatro mil a mais do que o BRT transportará.

Frustração
Entre o que se apostava no corredor e o que efetivamente será implantado até a Copa há uma longa distância. Para o presidente da Associação Nacional de Transporte Urbano (NTU), Otávio Cunha, há uma sensação de frustração, mas não só no Recife. Segundo ele, com exceção de Belo Horizonte, todas as cidades-sede que optaram pelo sistema não cumpriram o cronograma. “Havia um prazo razoável de implantação do projeto”, disse Cunha. “Se perdeu um tempo precioso com as desapropriações”, acrescentou. Segundo ele, no caso do Recife não há como avaliar o funcionamento do sistema. “Duas estações e seis mil pessoas é mesmo que nada.”

Caso tivesse ficado pronto com todos os terminais funcionando, o Leste/Oeste teria capacidade de transportar até duas vezes o público estimado para a Arena. “Mais uma vez o metrô será sobrecarregado”, lamentou César Cavalcanti, coordenador regional da Associação Nacional de Transporte Público (ANTP).

Sobrecarga à vista no metrô

Estação Cosme e Damião - Foto - Teresa Maia DP/D.A.Press

Estação Cosme e Damião nos jogos da Copa das Conderações- Foto – Teresa Maia DP/D.A.Press

A estação Cosme e Damião será mais uma vez testada. Só que agora na Copa do Mundo. Sem ter sido projetada para as missões que têm recebido desde a Copa das Confederações, ela mais uma vez estará só. A estação do Terminal Integrado de Camaragibe, que iria dividir a parcela do público do metrô e do Corredor Leste/Oeste não estará operando na Copa.

As obras de expansão do terminal sequer começaram. Além disso, o ramal da Copa que deveria sair do terminal de Camaragibe até a Arena, ainda está em terraplanagem a menos de 50 dias do mundial.

Mesmo assim, ele será utilizado segundo o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano, Nélson Menezes. “Será construída uma faixa para o ônibus por sentido até a Copa”, revelou.

De acordo com o Grande Recife Consórcio, serão disponibilizados cinco ônibus a cada três minutos da estação Cosme Damião para a Arena Pernambuco. O metrô fará uma viagem a cada seis minutos.

Na Copa das Confederações houve congestionamento de metrô. As composições fizeram fila na linha, enquanto o público se espremia na plataforma à espera do transporte. “Mesmo com as mudanças, vai haver sobrecarga na estação Cosme e Damião”, previu o especialista César Cavalcanti.

A estação do TIP receberá o público vindo do interior. “Os torcedores poderão usar a linha já existente – Parque/Capibaribe -, que tem parada em frente à Arena, na rodovia BR-408”, explicou a secretária-executiva de gestão da Secretaria das Cidades, Ana Suassuna.

Parquímetros substituirão antigos talões de Zona Azul na capital pernambucana

Zona Azul do Recife - Foto: DP/D.A.Press

Zona Azul do Recife – Foto: DP/D.A.Press

Por

Raphael Guerra

O Recife deve contar em breve com uma nova forma de pagamento de estacionamentos rotativos nas ruas em dias úteis da semana. A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) começou a estudar duas tecnologias para substituição dos tradicionais talões de papel da Zona Azul.

Uma delas é o parquímetro, que permite ao motorista acessar o sistema e, por meio de cartão de crédito, débito ou pré-pago, ativar a vaga em via pública. Outra forma em análise é o ticket eletrônico, que já está sendo testado, desde 2009, no Bairro do Recife – considerado o laboratório urbanístico da cidade.

O uso de novas tecnologias para pagamento da Zona Azul é uma cobrança antiga dos motoristas. A principal reclamação está relacionada à ação dos flanelinhas, pois alguns deles são acusados de ignorar o valor fixo do talão, cobrando quantias ilegais, extorquir os condutores e até danificar veículos – fugindo ao controle da prefeitura e da Polícia Militar de Pernambuco.

A presidente da CTTU, Taciana Ferreira, acredita que a mudança de formato deve inibir a abordagem dos flanelinhas nas ruas. “Esse não é nosso principal objetivo, mas é claro que haverá uma melhoria”, disse.

O uso do parquímetro no lugar dos talões de papel tem sido visto de forma positiva entre os diretores da CTTU. Isso porque, caso implementado, deverá ser aberta concorrência pública para que a empresa vencedora assuma a responsabilidade pelo sistema eletrônico, emissão dos comprovantes e pelo controle das vagas disponíveis estacionamento em vias públicas.

“Mas os guardas municipais vão continuar fazendo as fiscalizações nessas áreas para coibir as irregularidades”, pontuou Taciana Ferreira.O parquímetro é adotado nos Estados Unidos e em países da Europa. Em capitais brasileiras, como Porto Alegre e Florianópolis, o sistema também ganhou adesão. “Estamos estudando as experiências de outros estados para podermos decidir qual a mais indicada para o Recife”, citou a presidente da CTTU.

Já a Zona Azul Eletrônica, desenvolvimenta por meio de parceria entre a gestão municipal anterior e o Porto Digital, tem sido analisada sob o ponto de vista da ampliação do projeto piloto para outros bairros da capital, acabando definitivamente com os cartões impressos em papel.

Atualmente, esse sistema ainda possui limitações. O motorista só pode adquirir “vagas” por meio de cartão de crédito. Já fiscalização dos veículos no Bairro do Recife é feita por profissional da CTTU utilizando equipamento conectado à internet para verificar se o estacionamento foi pago.

Dez anos de prisão para quem matar em racha

Câmara aprova projeto que disciplina prisão em caso de morte em pega Foto: Alex Silva

Câmara aprova projeto que disciplina prisão em caso de morte em pega Foto: Alex Silva

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou penas de reclusão para o racha no trânsito, se disso resultar lesão corporal grave ou morte. Os deputados rejeitaram o substitutivo do Senado e mantiveram o texto da Câmara ao Projeto de Lei 2592/07, do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), já aprovado em abril do ano passado. Esse texto será enviado à sanção da Presidência da República.

Segundo o texto, do relator pela Comissão de Viação e Transportes, deputado Hugo Leal (Pros-RJ), a pena para a prática do racha em vias públicas sem vítimas foi aumentada, de seis meses a dois anos de detenção para seis meses a três anos.

No caso de ocorrer lesão corporal grave, haverá pena de reclusão de três a seis anos. No caso de morte, de cinco a dez anos. Essas situações agravantes não estão previstas atualmente no Código de Trânsito Brasileiro (CTB – Lei 9.503/97).

Na prática do racha, esses agravantes serão aplicados mesmo que o agente não tenha desejado o resultado ou assumido o risco de produzi-lo.
O projeto também prevê pena de reclusão de dois a quatro anos se o homicídio culposo ao volante for causado por motorista alcoolizado ou drogado. O texto do Senado excluía essas penas.

Penas administrativas
O texto aumenta em dez vezes as multas aplicáveis nos casos de racha, “pega”, manobras perigosas, arrancadas e competições não autorizadas. Atualmente, elas variam de uma vez a cinco vezes.

No caso de reincidência dentro de 12 meses, a multa será aplicada em dobro. O recolhimento do veículo e a suspensão do direito de dirigir continuam, como já previsto no código.

Ultrapassagens perigosas
Para a ultrapassagem na contramão em situações perigosas, como curvas, faixas de pedestre, pontes ou túneis e nas faixas duplas contínuas, a multa passa a ser de cinco vezes, com aplicação do dobro na reincidência. Quem ultrapassar outro veículo pelo acostamento ou em interseções e passagens de nível terá multa equivalente a cinco vezes a normal, e a falta passa a ser considerada gravíssima. No caso de ultrapassagem em pistas de duplo sentido, se o condutor forçar a passagem entre veículos, a multa será de dez vezes a atual, com aplicação em dobro na reincidência e suspensão do direito de dirigir.

Dados do Ministério da Justiça indicam que as ultrapassagens perigosas são responsáveis por 5% dos acidentes nas rodovias, mas têm a maior mortalidade, de cerca de 40%. Essas multas podem chegar a cerca de R$ 1 mil.

Exame toxicológico
Pelo texto, o exame toxicológico passa a valer como meio de verificar se o condutor conduzia o veículo sob a influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência.

Atualmente, com a Lei Seca (Lei nº 12.760/12), essa verificação pode ser feita com teste de alcoolemia, exame clínico, perícia, vídeo, prova testemunhal ou outros meios de prova admitidos em direito, observado o direito à contraprova

Fonte: Agência Câmara

 

 

Vandalismo custa ao metrô do Recife R$ 300 mil ao ano e até os novos trens já foram alvo

O custo do vandalismo no metrô do Recife é de cerca de R$ 300 mil por ano Foto Annaclarice Almeida DP/D.A.Press

O custo do vandalismo no metrô do Recife é de cerca de R$ 300 mil por ano Foto Annaclarice Almeida DP/D.A.Press

O vandalismo custou ao metrô do Recife, somente em 2013, cerca de R$ 300 mil. Para se ter uma ideia, todos os 15 novos trens, que custaram R$ 220 milhões e cuja remessa só foi concluída no ano passado, já foram alvo de vândalos. Pedras nas janelas e no teto são algumas das práticas mais comuns, mas o que deixa o sistema sem condições de operar é quando os ataques afetam, principalmente, os cabos de alimentação.

Foi o que aconteceu na manhã da quinta-feira, quando cinco estações do ramal de Camaragibe foram prejudicadas com a interrupção da energia provocada pelo rompimento de um cabo. Os técnicos de manutenção identificaram um artefato conhecido como “capa-gato”, feito com duas pedras ligadas por um fio que foram lançadas na rede, provocando curto-circuito. O sistema ficou paralisado até o início da noite de ontem, prejudicando cerca de 50 mil usuários.

Portas e janelas do metrô são alvos mais comuns dos vândalos - Foto - reprodução/TV Clube

Portas e janelas do metrô são alvos mais comuns dos vândalos – Foto – reprodução/TV Clube

Os técnicos desconfiam que a intenção de paralisar a rede possa ir além do vandalismo. Os cabos são feitos de fios de cobre, produto bastante cobiçado por ladrões. Nenhum fio, no entanto, chegou a ser roubado. O ramal de Camaragibe não está entre os trechos de roubo e vandalismo frequentes.

O reforço na segurança da linha ocorre principalmente entre os trechos Recife/Ipiranga, Recife/Joana Bezerra, Joana Bezerra/Afogados e Imbiribeira/Largo da Paz. “Temos seguranças que percorrem as linhas. Esse trecho do ramal de Camaragibe ainda não havia apresentado esse tipo de problema”, afirmou o gerente de comunicação do metrô, Salvino Gomes.

O serviço de viagem das cinco estações – Curado, Rodoviária, Alto do Céu, Cosme Damião e Camaragibe – teve atrasos de 25 e 30 minutos, enquanto os técnicos tentavam reverter o problema. Nos horários de pico, os intervalos são de 10 minutos. Muitos passageiros tiveram que recorrer aos ônibus.

O vandalismo é uma das causas da interrupção do serviço, mas o professor do Departamento de Engenharia Civil da UFPE Fernando Jordão chama atenção para a idade do metrô, que faz 30 anos em março de 2015, mas mantém os mesmos equipamentos desde a fundação.

“A gente não conhece o orçamento de manutenção do metrô. Não há transparência quanto isso”. A assessoria de imprensa também não soube informar quanto é gasto na manutenção. O metrô é uma das principais apostas de mobilidade na Copa de 2014. Nas últimas chuvas algumas estações ficaram alagadas e junho é mês de chuva na cidade.

Rio Doce/CDU: filme é exibido gratuitamente em paradas de ônibus do Recife


 

 

Documentário é exibido em 12 pontos do trajeto entre Olinda e Recife até o dia 4 de maio.

Ninguém precisou usar óculos 3D, mas todos tiveram a sensação de estar dentro de um filme na noite de quinta-feira no pátio em frente ao Mercado da Encruzilhada, onde o documentário Rio Doce CDU foi projetado ao ar livre em um telão. O longa-metragem (72 minutos) da cineasta Adelina Pontual, que retrata o cotidiano da linha de ônibus mencionada no título, tem cenas filmadas exatamente naquele local.

Depois da Encruzilhada, mais 11 pontos que estão no trajeto do ônibus Rio Doce CDU receberão as sessões de cinema que começam sempre às 18h30, com acesso grátis, cadeiras e um todldo de proteção contra as chuvas. No final da projeção, DVDs com o filme são sorteados entre o público. Hoje à noite, a tela será montada na Praça do Jacaré, em Olinda. Amanhã será a vez do Mercado da Madalena. No domingo, o projeto chega à Praça de Campo Grande.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

11/04 – Sexta – Praça do Jacaré em Olinda
12/04  – Sábado – Praça ao lado do Mercado Madalena
13/04  – Domingo – Praça de Campo Grande
24/04  – Quinta – Concha Acústica da UFPE – Cidade Universitária
25/04  – Sexta – Cidade Universitária – Rua Deputado Cunha Rabelo (ao lado do Restaurante ArriÉgua)
26/04  – Sábado – Torre – Praça da Academia da Cidade – Av. Beira Rio
27/04  – Domingo – Cordeiro – Praça da Academia da Cidade –  Av. Caxangá
01/05  – Quinta – Rio Doce – 1ª Etapa – Quadra Esportiva em Frente à Feira
02/05  – Sexta –  Rio Doce – 4ª Etapa – Ao lado do Terminal Integrado
03/05  – Sábado – Casa Caiada – Praça Duque de Caxias (em frente ao antigo Quartel)
04/05  – Domingo – Praça do Carmo

Semáforo testado em Londres mede o tempo do verde de acordo com a demanda de pedestres

pedestre na faixa2

 

Um amontoado de pedestres aguarda o semáforo fechar para, enfim, atravessar a rua. Alguns, mais apressados, inclusive arriscam a própria vida entre um carro e outro. Muitas vezes, inclusive, a quantidade de gente aguardando no semáforo é superior a de veículos trafegando. A cena é comum nos centros urbanos cujas vias foram projetadas para priorizar os carros e não os pedestres.

Em resposta a esta realidade, Londres está desenvolvendo uma tecnologia que traz mais segurança para quem está a pé. É o Pedestrian Scoot, um sensor que calcula o número de gente esperando para atravessar e, de acordo com a quantidade detectada, o equipamento prolonga o tempo para que mais pessoas atravessem. Ou seja, ele oferece mais eficiência e otimização nas viagens a pé.

A iniciativa faz parte dos esforços de Londres para reduzir em 40% o número de pedestres mortos ou feridos até 2020. Os locais escolhidos para a fase de testes foram as faixas de pedestres próximas às estações Balham e Tooting Bec do metrô. Atualmente, 550 travessias da capital inglesa contam com um cronômetro que indica o tempo restante para a travessia – tecnologia também presente em cidades brasileiras.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, afirmou ao Cities Today: “Estou orgulhoso por Londres ser a primeira cidade no mundo a experimentar este equipamento de ponta, que beneficiará os pedestres pela cidade. Uma inovação como esta é chave para que Londres se mantenha eficiente no caminho de vias mais seguras para todos”.

Fonte: The City Fix Brasil (via Portal do Trânsito)

Obras de mobilidade do Recife deixam o pedestre na rua

 

Obras do corredor Norte/Sul na Avenida Cruz Cabugá atrapalhham mobilidadde do pedestre Foto Alcione Ferreira DP/D.A.Press

Obras do corredor Norte/Sul na Avenida Cruz Cabugá, no Recife, atrapalhham mobilidadde do pedestre – Foto Alcione Ferreira DP/D.A.Press

O Recife se transformou literalmente em um canteiro de obras e se pra quem está de carro a vida não tem sido nada fácil, para o pedestre a situação é bem pior. Duas importantes obras que vão ajudar a melhorar a mobilidade na cidade estão trazendo transtornos aos pedestres durante a sua execução. Embora os transtornos sejam consequência óbvia em qualquer obra, cuidados com a segurança dos transeuntes devem ser prioridade. Mas tem se tornado comum cenas de pessoas caminhando pela pista espremidas entre carros e tapumes.

Obras de drenagem e melhoria das calçadas na Rua Princesa Isabel, no Recife, deixam os pedestres na rua - Foto - Alcionne Ferreira DP/D.A.Press

Obras de drenagem e melhoria das calçadas na Rua Princesa Isabel, no Recife, deixam os pedestres na rua – Foto – Alcionne Ferreira DP/D.A.Press

Na Avenida Cruz Cabugá estão em construção seis estações do corredor Norte/Sul. Em um dos trechos nas imediações da Rua Araripina, a obra de alargamento da pista está isolada da calçada até a pista de rolamento. E o pedestre na rua. “A gente tentou passar por dentro, mas não foi permitido e voltei para a rua”,contou a operadora de telemarketing, Maria Regilma Santos, 24 anos. Já na altura da Câmara do Recife, a estação central que está em obras também serve de ponto de travessia dos pedestres. “A orientação é que tenha um espaço seguro para o pedestre. No caso do trecho que teve a calçada interditada foi em razão de demolições no local. Nesse caso, o ideal era o pedestre usar a calçada do lado contrário”, explicou o secretário executivo da Secretaria das Cidades, Gustavo Gurgel.

Pedestre ujsa a rua para conseguir passar com o carrinho de bebê na Rua Marquês do Pombal, Santo Amaro - Foto - Alcione Ferreira DP/D.A.Press

Pedestre ujsa a rua para conseguir passar com o carrinho de bebê na Rua Marquês do Pombal, Santo Amaro – Foto – Alcione Ferreira DP/D.A.Press

Obras para melhoria da calçada, também trazem transtorno ao pedestre é o caso da Rua Marquês do Pombal, em Santo Amaro. Embora tenha sido instalado um corredor que poderia ser usado pelos pedestres não há sinalização e o espaço é dividido com os trabalhadores da obra e placas da própria obra. “Eu passei com o carrinho do bebê pela rua mesmo. Não havia como passar”, revelou a dona de casa Livilane Urbano, 19. Em outra obra do município, na Rua Princesa Isabel, os pedestres têm a opção de seguir pela calçada destruída ou pela pista. “A orientação que foi feita às empreiteiras é destinar um espaço para os pedestres. Vamos providenciar para que seja corrido”, afirmou o gerente geral de obras públicas do município, Ricardo Fausto