O pioneiro bote da Águia em um grande clube. Um voo rasante no Timbu

Pernambucano 2013, 2º turno: Pesqueira x Náutico. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Estreante na elite do futebol pernambucano, o Pesqueira conseguiu nesta quarta a sua primeira vitória oficial diante de um dos grandes clubes do estado.

Com apenas sete anos de história, o time amarelo e azul viveu, possivelmente, uma de suas jornadas mais emocionantes. Até porque não foi um resultado qualquer, nem pelo adversário tampouco pelo relato da partida.

Por mais que a tabela apontasse a Águia como mandante na competição, as péssimas condições do estádio Joaquim de Brito, inteditado pela FPF, fizeram com que a equipe tivesse que se deslocar 94 quilômetros, até a cidade de Garanhuns, para poder enfrentar o Náutico. O embalado Timbu, que cravara 8 x 0 na rodada anterior. Único representante do estado na elite nacional.

Os dois times encontraram um piso ruim, para a surpresa de ninguém, diga-se. No frio agrestino, o Pesqueira soube aproveitar os erros do Alvirrubro, que sofreu o primeiro revés neste turno, no qual aparece como maior favorito.

O volante Jânio, cobrando falta e se aproveitando de um desvio da barreira no primeiro tempo, e Dada, no finzinho da etapa final, marcaram os tentos que deram a confortável vantagem por 2 x 0.

A torcida que pegou a estrada já comemorava o resultado obtido no estádio do Sete de Setembro pelo Estadual quando o Náutico partiu pra cima e viu seu ataque funcionar de novo, mais uma vez para a surpresa de ninguém.

Aos 40 minutos, Élton. Aos 43, num golaço, Rogério, agora artilheiro com seis gols. O empate era a reação de praxe de um grande time, no desnivelado futebol local. Contudo, a noite havia sido reservada para uma surpresa.

Aos 46 minutos, a história foi definida de uma vez por todas, com Jânio em uma falha de Felipe, 3 x 2. O bom futebol visto no sábado, quando foi derrotado pelo Santa, no Recife, desta vez deu resultado. Uma vitória nas alturas.

Pernambucano 2013, 2º turno: Pesqueira x Náutico. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

3 thoughts on “O pioneiro bote da Águia em um grande clube. Um voo rasante no Timbu

  1. Cássio, o nome é “Dada” e não “Dadá” e o terceiro gol foi do zagueiro Stanley!

    PESQUEIRÃO!

  2. Felipe é fraco, todo mundo sabe, e a diretoria compra os direitos dele, provalvelmente à pedido de Gallo, já que ele não quis outro goleiro, erro grave, além dele ter indicado Mancini, mas sobre goleiros, se a diretoria não fizer nada, o filme de 2012 irá se repetir, Felipe falha, entra Gideão, que também vai falhar, e volta Felipe… Entre os dois, ainda acho Gideão mais goleiro, a zaga também é fraca, Jean Rolt é o único que se salva, os outros não passam confiança, se o pernambucano serve como laboratório, alguns problemas já aparecem, com tempo para resolver antes da série A e da sulamericana, basta a diretoria e Mancini observarem o que muitos torcedores questionam

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>