Os calendários de Náutico, Santa Cruz e Sport em 2018, variando de 31 a 66 jogos

Calendário

O calendário de jogos oficiais no Recife será mais enxuto na temporada 2018. Reflexo da desistência do Sport na Copa do Nordeste e do rebaixamento de Náutico e Santa à Série C, limitando bastante o número de partidas. Mesmo que o leão alcance a decisão no Estadual e na Copa do Brasil, por exemplo, a sua agenda teria 14 jogos a menos em relação a 2017 (66 x 80). Pela primeira vez desde 2013, quando o regional foi retomado pela CBF, o clube está fora tanto do Nordestão (desistência) quanto da Sul-Americana (não obteve a vaga). Nesta temporada, somando as cotas e bilheterias dos dois torneios, o rubro-negro arrecadou R$ 9,24 milhões em vinte jogos. O desfalque será grande no caixa. Já alvirrubros e tricolores saíram de uma tabela de 38 jogos, pela segundona, para uma competição reduzida e flutuante, largando com vinte apresentações a menos. O ano efetivo dos dois pode acabar já em setembro. Só será estendido caso cheguem longe na copa nacional.

Em 2018, o calendário oficial, descontando amistosos, prevê 338 dias de ação, de 9 de janeiro (estreia alvirrubra na fase preliminar da Lampions League) a 12 de dezembro, no finalíssima da Sula. Abaixo, os cronogramas possíveis dos sete pernambucanos inscritos em competições nacionais.

Sport (de 49 a 66 partidas em 2018, em 3 torneios)
Estadual (17/01 a 08/04) – de 10 a 14 jogos (até 4 fases)
Série A (15/04 a 09/12) – 38 jogos (fase única)
Copa do Brasil (31/01 a 17/10) – de 1 a 14 jogos (até 8 fases)
Total em 2017: 80 jogos (32v, 20e, 28d)

Santa Cruz (de 35 a 64 partidas em 2018, em 4 torneios)
Copa do Nordeste (16/01 a 10/07) – de 6 a 12 jogos (até 4 fases)
Estadual (18/01 a 08/04) – de 10 a 14 jogos (até 4 fases)
Série C (15/04 a 23/09) – de 18 a 24 jogos (até 4 fases)
Copa do Brasil (31/01 a 17/10) – de 1 a 14 jogos (até 8 fases)
Total em 2017: 64 jogos (21v, 20e, 23d)

Náutico (de 31 a 66 partidas em 2018, em 4 torneios)
Copa do Nordeste (09/01 a 10/07) – de 2 a 14 jogos (até 5 fases)
Estadual (19/01 a 08/04) – de 10 a 14 jogos (até 4 fases)
Série C (15/04 a 23/09) – de 18 a 24 jogos (até 4 fases)
Copa do Brasil (31/01 a 17/10) – de 1 a 14 jogos (até 8 fases)
Total em 2017: 59 jogos (16v, 14e, 29d)

Salgueiro (de 35 a 64 partidas em 2018, em 4 torneios)
Estadual (21/01 a 08/04) – de 10 a 14 jogos (até 4 fases)
Copa do Nordeste (16/01 a 10/07) – de 6 a 12 jogos (até 4 fases)
Série C (15/04 a 23/09) – de 18 a 24 jogos (até 4 fases)
Copa do Brasil (31/01 a 17/10) – de 1 a 14 jogos (até 8 fases)
Total em 2017: 39 jogos (20v, 7e, 12d)

Central, Belo Jardim e Flamengo (16 a 30 jogos em 2018, em 2 torneios)
Estadual (17/01 a 08/04) – de 10 a 14 jogos (até 4 fases)
Série D (22/04 a 05/08) – de 6 a 16 jogos (até 6 fases)
Total em 2017:
Central – 22 jogos (6v, 4e, 12d)
Belo Jardim – 16 jogos (5v, 2e, 9d)
Flamengo – 16 jogos (7v, 5e, 4d)

Saiba mais sobre o novo calendário do futebol brasileiro clicando aqui.

Dez anos depois, Nelsinho Baptista inicia um novo trabalho no Sport. Com lastro?

Nelsinho Baptista durante a sua passagem no Vissel Kobe, do Japão, em 2017. Foto: Vissel Kobe/twitter

Nelsinho Baptista deixou o comando do Sport em 28 de maio de 2009, duas semanas após a eliminação nas oitavas de final da Taça Libertadores. Na época, o time vivia uma intensa crise técnica (e psicológica) que não seria sanada por nenhum treinador no Brasileirão. Encerrou ali uma vitoriosa passagem de um ano e meio, com destaque naturalmente para a segunda estrela dourada do clube, via 4-4-2. O experiente treinador acabou retomando o trabalho no Japão, onde ficou por quase uma década, entre o Kashiwa Reysol (2009-2014) e o Vissel Kobe (2015-2017). Até finalmente aceitar, após alguns convites nesse tempo todo, o retorno à Ilha. Aos 67 anos, chega ao rubro-negro novamente sob desconfiança. Mas sob uma ótica bem diferente.

Se em 2008 carregava o recente rebaixamento do Corinthians, para 2018 traz o peso do título da Copa do Brasil pelo próprio Sport. Portanto, o que pesa é o tempo fora do país, num mercado tecnicamente inferior. Demanda uma resposta sobre tática e preparação, embora Nelsinho pareça calejado para desafios do tipo. Então, que a direção leonina saiba administrar cenários adversos de forma mais profissional que aquela em 2009. E que Nelsinho não seja apenas outro escudo para o comando de futebol, como Oswaldo de Oliveira e Luxemburgo. Por sinal, ele chega com o clube devendo salários, o que não acontecia desde 2005! O trabalho já inicia no controle do vestiário.

Rubro-negro, o que você achou do retorno de Nelsinho Baptista?

Nelsinho no Sport
105 jogos (de 10/12/2007 a 28/05/2009)
60 vitórias
22 empates
23 derrotas
64,1% de aproveitamento
3 títulos: 2 Estaduais (2008/2009) e 1 Copa do Brasil (2008)

Competições em 2018: Estadual, Copa do Brasil e Série A*
* Caso o Flamengo conquista a Sul-Americana, o leão herdaria a vaga

Via Ministério do Esporte, Santa aprova captação de R$ 2,4 milhões para o CT

Projeto do Centro de Treinamento Ninho das Cobras. Imagem: Santa Cruz/divulgação

A construção do centro de treinamento do Santa Cruz vem sendo tocada de maneira coletiva, bem além da simples gestão executiva. Em 2017, o clube arrecadou R$ 453 mil para a primeira fase do empreendimento, incluindo doações de torcedores e venda de livros e alimentos. Agora, um salto ainda maior, com a aprovação junto ao Ministério do Esporte para a captação de R$ 2.455.200, num trabalho de oito tricolores, servidores da área jurídica.

Segundo a lei 11.438/2006, conhecida como ‘Lei de Incentivo ao Esporte’, é possível obter investimentos através de renúncia fiscal de empresas (1%) e pessoas físicas (6%) em favor do esporte. Foram três meses analisando a regra, com o grupo finalizando a parte burocrática em setembro, com orçamento, cronograma e responsáveis. Após o sinal positivo vem o novo passo, na prospecção de empresários dispostos a reverter parte do que pagariam de imposto de renda ao projeto do Ninho das Cobras, na Guabiraba. Comprado em 2011, por R$ 1 milhão, o terreno prevê um investimento total de R$ 5 milhões. Em fevereiro o clube informou que um aporte de R$ 2,5 milhões seria suficiente para bancar a estrutura mínima de treinamento para o time principal, ainda preso ao campo do Arruda. Ou seja, o valor tende a ser captado, mas com a aplicação voltada às obras mais adiante, paralelas às demais frentes de trabalho. Afinal, trata-se mesmo de uma ação coletiva.

A expectativa é de um campo pronto até o fim do Estadual de 2018…

Grupo responsável pela captação via lei de incentivo: Alessandro Medeiros, Bruno Dias, Diogo Melo de Oliveira, Eduardo Lins, Milton Santos, Marcelo Vieira, Marconi Lafayette e Oberdan Rabelo.

Cifras do CT Ninho da Cobras…
R$ 1 milhão, o valor pago para a compra do terreno de 10,5 hectares
R$ 5 milhões, a estimativa de gasto para a conclusão da obra
R$ 2,5 milhões, a estimativa mínima de investimento para iniciar a utilização
R$ 2,4 milhões, a captação máxima aprovada pelo Ministério do Esporte
R$ 453 mil, a arrecadação para a primeira etapa da obra (09/2017)

Sport conquista as cinco categorias do Pernambucano em 2017 e faz história

Anualmente, a FPF organiza cinco competições ao alcance de clubes profissionais, com quatro categorias masculinas (Sub 15, Sub 17, Sub 20 e profissional) e uma feminina. É assim desde 1999, quando o Campeonato Pernambucano de Futebol Feminino foi criado, tendo apenas um hiato de quatro temporadas no período. Até 2017, jamais um clube havia conquistado todas as categorias num mesmo ano. Até o Sport arrastar todas as taças possíveis diante cinco adversários diferentes nas finais.

O clube havia chegado perto em três oportunidades. Em 1999, o Sport venceu quatro das cinco categorias, faltando a taça do infantil, com o Unibol. Em 2007 e 2009 só não levou o torneio de juniores. Em 2017 não deu chance. Curiosamente, a 1ª conquista veio logo na disputa principal, com Diego Souza erguendo o troféu dourado no Cornélio de Barros, após a conturbada decisão contra o Salgueiro. Depois, com o departamento feminino reativado após dois anos, o rubro-negro quebrou a sequência de sete títulos do Vitória. No segundo semestre, a base ganhou de América (júnior), Porto (infantil) e Santa Cruz (juvenil). Essas duas últimas no mesmo dia, em jogos únicos, como em 2016, quando o leão disputou as duas finais contra os mesmos adversários.

Somando as cinco campanhas…
62 jogos; 45 vitórias, 16 empates e 1 derrota; 238 GP e 42 GC; +196 SG

Sport campeão pernambucano infantil (Sub 15) de 2017. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sub 15 (10º título, tetracampeão)
Final: Sport 3 x 1 Porto, na Ilha do Retiro, em 09/12

Escalação: Gabriel; André, Pedro Lucas, Richardson e Diego; Italo, Matheus, Geovanne e Matheusinho; Jair e Zé Roberto. Técnico: Rafael Santigado

11 jogos (invicto, 100% de apto.)
11 vitórias
0 empate
0 derrota
76 GP e 3 GC (+73 SG)

Sport campeão pernambucano juvenil (Sub 17) de 2017. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sub 17 (10º título, bicampeão)
Final: Sport 2 x 0 Santa Cruz, na Ilha do Retiro, em 09/12

Escalação: Tulio; Arian, John, Diego e Carlos; Pedro, João e Marquinhos; Natan, Rwan e Tomaz. Técnico: Sued Lima

11 jogos (invicto, 93% de apto.)
10 vitórias
1 empate
0 derrota
34 GP e 7 GC (+27 SG)

Sport campeão pernambucano de juniores (Sub 20) de 2017. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sub 20 (10º título, tricampeão)
Final: Sport 4 x 0 América, na Ilha do Retiro, em 22/11

Escalação: Lucas; Eldder, Serra, Izael e Evandro; Victor, Erick e James Dean; Índio, Pedro e Wallace. Técnico: Júnior Câmara

18 jogos (invicto, 77% de apto.)
12 vitórias
6 empates
0 derrota
43 GP e 16 GC (+27 SG)

Sport campeão pernambucano profissional de 2017. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Profissional (41º título, campeão)
Final: Salgueiro 0 x 1 Sport, no Cornélio de Barros, em 28/06

Escalação: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Raul Prata; Rodrigo, Rithely, Everton Felipe e Diego Souza; Lenis e André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

14 jogos (59% de apto.)
6 vitórias
7 empates
1 derrota
20 GP e 12 GC (+8 SG)

Sport campeão pernambucano feminino de 2017. Foto: Anderson Freire/Sport Club do Recife

Feminino (6º título, campeão)
Final: Sport 1 x 1 Vitória, na Ilha do Retiro, em 01/07

Escalação: Lorena; Leite, Bice, Bruna e Rebeca; Ingyd, Regiane e Jayanne; Ari, Juliana e Glaucia. Técnico: Jonas Urias

8 jogos (invicto, 83% de apto.)
6 vitórias
2 empates
0 derrota
65 GP e 4 GC (+61 SG)

Com a ‘Patativa’, o Central entra no ramo das marcas próprias de uniformes oficiais

Patativa, a marca própria do Central. Imagem: Centra/site oficial

Ampliando o mercado aberto pelo Paysandu em janeiro de 2016, o Central é mais um clube a adotar a marca própria, sendo o primeiro do interior pernambucano. O time de Caruaru lançou a “Patativa”, que substitui a Kanxa e já larga com a responsabilidade sobre a produção dos uniformes para a temporada 2018, com duas competições no calendário, Estadual e Série D.

Como nos demais casos alternativos no futebol, à parte de milionários acordos de patrocínio com as fabricantes, o alvinegro terá a plena administração do negócio, tanto no custo quanto na criação, produção, distribuição e venda de uniformes oficiais. A fabricação ocorre de forma terceirizada. No caso, através da empresa pernambucana Milã – no Santa Cruz, que entrou no mesmo ramo em maio, a produção é via Bomache, sediada mo Ceará.

No país, a ideia surgiu com o Paysandu, que após três anos com a Puma criou a sua própria linha. Segundo dados do clube paraense, o ganho em cada camisa aumentou 45%, com faturamento de R$ 214 mil/mês no primeiro ano. No cenário local, a marca própria do Santa lucrou R$ 476 mil no primeiro trimestre. Considerando a vocação da capital do Agreste como polo de confecções, a aposta do Central faz sentido, se juntando a outros oito clubes.

Cronologia das marcas próprias dos clubes
01/2016 – Paysandu (Lobo)
05/2016 – Juventude (19Treze)
09/2016 – Fortaleza (Leão 1918)
01/2017 – Joinville (Octo)
03/2017 – Treze (Galo)
05/2017 – Santa Cruz (Cobra Coral)
11/2017 – Caxias (Bravo35)
12/2017 – CSA (nome não revelado)
12/2017 – Central (Patativa)

Patativa é uma homenagem ao mascote do Central, um pássaro do Agreste

Gestão do Santa Cruz começa com diretor remunerado e novo técnico, Júnior Rocha

Técnico Júnior Rocha, em jogo Santa x Luverdense. Foto: Peu Ricardo/DP

A gestão de Constantino Júnior no Santa Cruz começou com decisões importantes. Após a eleição em 5 de dezembro, o dirigente, mesmo antes da posse, articulou nos dois dias seguintes a contratação de um diretor de futebol remunerado, presente em seu plano de trabalho, e do novo técnico do time.

O primeiro nome confirmado foi o do executivo Fred Gomes, com passagens no Treze-PB e no Ferroviário-CE. Chega com o objetivo de mapear jogadores da região para a formação de um elenco visando a Série C. Depois, após muita especulação desde o bate-chapa, foi anunciado o nome de Júnior Rocha. Natural de São Leopoldo, o treinador gaúcho, de 36 anos, tem o seu histórico concentrado no Luverdense, de 2013 a 2017, com uma rápida saída.

Apesar da queda do clube mato-grossense à C, o treinador chamou a atenção do mercado devido ao longevo trabalho e à organização do time de Lucas do Rio Verde, sobretudo no título da Copa Verde de 2017, diante do Paysandu.

Tricolor, o que você achou da contratação de Júnior Rocha?

Início da nova gestão coral
05/12 – Constantino Junior é eleito presidente para o triênio 2018-2020
06/12 – Fred Gomes é anunciado como diretor remunerado
07/12 – Júnior Rocha é confirmado como treinador para 2018

De estagiário a presidente, Constantino Júnior assume o Santa de 2018 a 2020

Constantino Júnior vence a eleição para a presidência do Santa Cruz para 2018-2020. Foto: Santa Cruz/twitter (@santacruzfc)

Há dez anos, Constantino Junior circula no Santa Cruz de forma ativa, sendo nome recorrente na direção de futebol. Ganhou notoriedade a partir de 2011, numa sequência vencedora mesmo com a escassa receita. Outrora chamado de ‘estagiário’, num tom pejorativo do rubro-negro Gustavo Dubeux, Tininho empilhou taças, com um título nordestino e cinco títulos estaduais, além de três acessos. Porém, também esteve envolvido diretamente no novo declínio coral, com dois rebaixamentos seguidos, já na condição de vice-presidente.

Agora, aos 38 anos, terá o comando executivo. Terá também, claro, a maior responsabilidade de sua vida como tricolor. Na visão do blog, a eleição de Constantino, que venceu com folga Albertino dos Anjos e Fábio Melo (812 x 250 x 190), justifica o empenho do dirigente nesta década. Já poderia ter encabeçado a chapa em 2014, mas o então presidente Antônio Luiz Neto acabou indicando Alírio Moraes como seu sucessor. O próprio ALN seria o candidato agora, visando o triênio 2018-2020, mas acabou saindo de cena por problemas de saúde. Abriu caminho para Tininho, que chega à presidência num momento turbulento da situação, com uma crise administrativa-financeira difícil de ser respaldada pela torcida. Mas, através do voto do sócio, foi.

Em seu primeiro ano de mandato, tem como principal missão a saída imediata da Série C, utilizando o Estadual como preparatório e as copas (do Nordeste e do Brasil) como captadoras de receita. A folha do Santa Cruz não deve passar de R$ 250 mil, num cenário já conhecido pelo agora presidente.

Confira o plano de trabalho da candidatura vencedora clicando aqui.

Os maiores bate-chapas do Santa Cruz
1º) 1.787 votos – 2012 (Antônio Luiz Neto eleito com 1.636, ou 91.5%
2º) 1.435 votos – 2010 (Antônio Luiz Neto eleito com 1.134, ou 79.0%)
3º) 1.405 votos – 2006 (Edson Nogueira eleito com 731 ou 52.0%)
4º) 1.387 votos – 1975 (José Nivaldo de Castro eleito com 1.195, ou 86.1%)
5º) 1.337 votos – 2004 (Romerito Jatobá eleito com 895, ou 66.9%)
6º) 1.252 votos – 2017 (Constantino Júnior eleito com 812, ou 64.8%)

A análise do Podcast 45 minutos sobre o resultado da eleição coral

A eleição para a presidência do Santa Cruz para o período 2018-2020. Foto: Santa Cruz/twitter (@santacruzfc)

Os planos de gestão dos presidenciáveis do Santa Cruz para o triênio 2018-2020

Os sócios do Santa Cruz vão escolher o presidente do clube para o triênio 2018-2020 em 5 de dezembro. Há a expectativa sobre sobre o número de eleitores, podendo chegar a dois mil votos – no clube, a maior marca é de 1.787, estabelecida no último bate-chapa, em 2012. Pela primeira vez no Arruda, três candidatos na disputa. Na situação, Constantino Júnior encabeça a chapa após a desistência de Antônio Luiz Neto, por problemas de saúde. O dirigente esteve envolvido diretamente nos cinco títulos estaduais desde 2011 e nos acessos, assim como no declínio, com o tricolor de volta à Série C. Por isso, uma eleição aberta, com dois oposicionistas. Fábio Melo, numa ala de renovação, e Albertino dos Anjos, numa dissidência da antiga gestão.

Abaixo, os planos oficiais dos três candidatos, com ideias e metas.

Albertino dos Anjos (Muda Santa Cruz)

Constantino Júnior (Construindo com a Força da União)

Fábio Melo (Santa Cruz do Povo)

Podcast – Entrevistas com os candidatos a presidente do Santa Cruz de 2018 a 2020

Albertino dos Anjos, Constantino Júnior e Fábio Melo, os candidatos para o triênio 2018-2020 do Santa Cruz. Fotos: Rafael Brasileiro/DP

Em longas entrevistas, o 45 minutos ouviu os três presidenciáveis do Santa Cruz para o triênio 2018-2020. Gravações num tom franco, com detalhes sobre a formação do futuro departamento de futebol, controle de dívidas, soluções para a captação de novas receitas, perfil técnico e financeiro de jogadores, requalificação estrutural e arestas políticas. Haja assunto para o sócio coral ainda indeciso quanto ao pleito em 5 de dezembro. A eleição para o comando executivo tem como meta imediata o acesso na Série C. Ouça!

Na sua opinião, qual é o candidato mais preparado?

Albertino dos Anjos (Muda Santa Cruz) – 79 min

Constantino Júnior (Construindo com a Força da União) – 73 min

Fábio Melo (Santa Cruz do Povo) – 57 min

A tabela do Pernambucano de 2018, com 34 partidas na TV (aberta, PPV e internet)

Campeonato Pernambucano de 2018: Afogados, América e Belo Jardim; Central, Flamengo, Náutico e Pesqueira; Salgueiro, Santa Cruz, Sport e Vitória

O Campeonato Pernambucano de 2018 terá uma fórmula diferente em relação às últimas quatro edições, com hexagonais. Agora, volta o modelo com turno único, mas com onze times, no início de uma redução gradativa no número de participantes. São onze rodadas na primeira fase, com cada clube folgando uma vez. Avançam os oito melhores colocados, iniciando o mata-mata a partir das quartas final, uma etapa inédita na história da competição.

Em relação à tabela detalhada pela FPF, é possível mensurar datas, horários e a grade de transmissão na televisão. Além das exibições na Globo e no Premiere, atendendo à última temporada do contrato de quatro anos, haverá transmissões via streaming, numa parceria da federação com o site mycujoo, que já vem exibindo jogos de categorias menores da entidade.

Ao todo, 34 partidas estão com algum tipo de transmissão agendada, o que corresponde a 61% dos 55 jogos da primeira fase – considerando apenas o sinal aberto, serão 11. Com o Sport fora do Nordestão, após desistência do próprio clube, a Globo priorizou o rubro-negro na fase classificatória, com nada menos que sete jogos. E as outras três apresentações do leão serão transmitidas via pay-per-view. Ou seja, nenhum jogo via FPF – ao contrário de Santa e Náutico, que, por outro lado, também terão jogos na copa regional.

Já sobre a fase eliminatória, a entidade só divulgou a tabela básica, com o dia 11 de março para as quartas de final, 18 e 25 de março nas semifinais, sendo uma data para cada chave, e 1 e 8 de abril na decisão, aí sim em ida e volta.

1ª rodada
17/01 (20h00) – Afogados x Central (Vianão)
17/01 (20h00) – Pesqueira x Belo Jardim (Joaquim de Brito) – FPF/internet
17/01 (21h30) – Flamengo x Sport (Áureo Bradley) – Globo
18/01 (20h00) – Santa Cruz x Vitória (Arruda) – Premiere
19/01 (20h00) – Náutico x América (Arena PE) – Premiere
Folga: Salgueiro

2ª rodada
20/01 (18h30) – Sport x Afogados (Ilha do Retiro) – Premiere
21/01 (16h00) – América x Santa Cruz (Ademir Cunha) – Globo
21/01 (16h00) – Central x Náutico (Lacerdão) – FPF/internet
21/01 (16h00) – Vitória x Salgueiro (a definir)
21/01 (16h00) – Belo Jardim x Flamengo (Mendonção)
Folga: Pesqueira

3ª rodada
24/01 (20h00) – Pesqueira x Vitória (Joaquim de Brito)
24/01 (20h00) – Salgueiro x América (Cornélio de Barros)
24/01 (20h00) – Afogados x Belo Jardim (Vianão) – FPF/internet
24/01 (21h30) – Náutico x Sport (Arena PE) – Globo
25/01 (20h00) – Santa Cruz x Central (Arruda) – Premiere
Folga: Flamengo

4ª rodada
28/01 (16h00) – Vitória x Náutico (a definir) – Globo
28/01 (16h00) – América x Afogados (Ademir Cunha) – FPF/internet
28/01 (16h00) – Central x Flamengo (Lacerdão)
28/01 (16h00) – Sport x Pesqueira (Ilha do Retiro) – Premiere
28/01 (16h00) – Belo Jardim x Salgueiro (Mendonção)
Folga: Santa Cruz

5ª rodada
03/02 (20h00) – Pesqueira x Náutico (Joaquim de Brito) – Premiere
03/02 (20h00) – Salgueiro x Santa Cruz (Cornélio de Barros)
04/02 (16h00) – Vitória x América (a definir)
04/02 (16h00) – Central x Sport (Lacerdão) – Globo
04/02 (16h00) – Flamengo x Afogados (Áureo Bradley) – FPF/internet
Folga: Belo Jardim

6ª rodada
06/02 (20h00) – Náutico x Salgueiro (Arena PE) – Premiere
07/02 (20h00) – Belo Jardim x Vitória (Mendonção)
07/02 (20h00) – Flamengo x Pesqueira (Áureo Bradley)
07/02 (20h00) – América x Central (Ademir Cunha) – FPF/internet
07/02 (21h30) – Afogados x Santa Cruz (Vianão) – Globo
Folga: Sport

7ª rodada
17/02 (18h30) – Santa Cruz x Náutico (Arruda) – Premiere
18/02 (16h00) – Central x Belo Jardim (Lacerdão) – FPF/internet
18/02 (16h00) – Salgueiro x Flamengo (Cornélio de Barros)
18/02 (16h00) – Afogados x Pesqueira (Vianão)
18/02 (16h00) – Sport x América (Ilha do Retiro) – Globo
Folga: Vitória

8ª rodada
20/02 (20h00) – Náutico x Afogados (Arena PE) – Premiere
21/02 (20h00) – Vitória x Central (a definir)
21/02 (20h00) – Flamengo x Santa Cruz (Áureo Bradley) – FPF/internet
21/02 (20h00) – Pesqueira x Salgueiro (Joaquim de Brito)
21/02 (21h45) – Belo Jardim x Sport (Mendonção) – Globo
Folga: América

9ª rodada
24/02 (18h30) – Sport x Vitória (Ilha do Retiro) – Premiere
25/02 (16h00) – América x Belo Jardim (Ademir Cunha) – FPF/internet
25/02 (16h00) – Salgueiro x Afogados (Cornélio de Barros)
25/02 (16h00) – Santa Cruz x Pesqueira (Arruda) – Globo
26/02 (20h00) – Náutico x Flamengo (Arena PE) – Premiere
Folga: Central

10ª rodada
04/03 (16h00) – Afogados x Vitória (Vianão)
04/03 (16h00) – Flamengo x América (Áureo Bradley)
04/03 (16h00) – Pesqueira x Central (Joaquim de Brito) – FPF/internet
04/03 (16h00) – Salgueiro x Sport (Cornélio de Barros) – Globo
04/03 (16h00) – Santa Cruz x Belo Jardim (Arruda)
Folga: Náutico

11ª rodada
07/03 (20h00) – Vitória x Flamengo (a definir)
07/03 (20h00) – América x Pesqueira (Ademir Cunha) – FPF/internet
07/03 (20h00) – Central x Salgueiro (Lacerdão)
07/03 (20h00) – Belo Jardim x Náutico (Mendonção) – Premiere
07/03 (21h45) – Sport x Santa Cruz (Ilha do Retiro) – Globo
Folga: Afogados

Nº de jogos transmitidos na Globo (11)
7 – Sport
4 – Santa Cruz
2 – América e Náutico
1 – Afogados, Belo Jardim, Central, Flamengo, Pesqueira, Salgueiro e Vitória

Nº de jogos transmitidos no Premiere (12)
7 – Náutico
3 – Santa Cruz e Sport
2 – Afogados, Pesqueira e Vitória
1 – América, Belo Jardim, Central, Flamengo e Salgueiro

Nº de jogos transmitidos pela FPF/internet (11)
4 – América, Belo Jardim e Central
3 – Afogados e Pesqueira
2 – Flamengo
1 – Náutico e Santa Cruz

Total de jogos transmitidos via Globo + Premiere + FPF/internet (34)
10 – Náutico e Sport
8 – Santa Cruz
7 – América
6 – Afogados, Belo Jardim, Central e Pesqueira
4 – Flamengo
3 – Vitória
2 – Salgueiro