Ranking mundial da IFFHS em 2017 traz 19 clubes brasileiros. Sport em 146º lugar

Sport no Ranking da IFFHS. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Pelo quarto ano consecutivo o futebol pernambucano se faz presente no ranking mundial de clubes, organizado Federação de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS), órgão alemão reconhecido pela Fifa. Na lista, com os jogos oficiais de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2017, o Sport ganhou 134 posições, ficando em 146º lugar, posição dividida com outros seis times, entre eles o Benfica de Portugal e o Guangzhou Evergrande da China. Ampliando o recorte, o leão ficou em 12º no país e em 1º no Nordeste. Graças à campanha na Sul-Americana, quando chegou às quartas de final pela primeira vez, uma vez que no Brasileirão a campanha foi, novamente, apática.

A lista é atualizada mensalmente, com um balanço geral no início do ano seguinte. Para fazer parte do levantamento, é necessário disputar a primeira divisão nacional – e cada país tem um peso distinto. Por isso, o Santa Cruz, presente na lista anterior, ficou de fora dessa, apesar da posição alcançada na ocasião. Na escala mundial, o Real Madrid destronou o Atlético Nacional e terminou na ponta pela quarta vez em sua história – 2000, 2002, 2014 e 2017. Já o Grêmio, tri na Taça Libertadores, chegou à vice-liderança absoluta, estabelecendo, também, a melhor posição da história de um clube do país. 

Abaixo, o blog listou os rankings a partir de 2006, ano da pioneira participação pernambucana no Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos. A apuração vai a partir dos quadros divulgados pelas IFFHS, pois nem todos os clubes pontuados são divulgados, com as listas variando de 200 a 500 nomes – em 2013, por exemplo, o Náutico disputou a elite e a Sula, mas não apareceu. Como a pontuação internacional é elevada, a melhor colocação do estado foi em 2009, quando o Sport disputou a Libertadores, chegando às oitavas. No mês de abril chegou a figurar em 29º. No fim do ano, mesmo com a lanterna na Série A, foi o 89º. Na lista de 2018, portanto, o clube sentirá a falta da Sula, ausente do calendário após cinco temporadas seguidas.

Os pódios anuais, o melhor brasileiro (*) e os pernambucanos listados (**):

2017
1º) Real Madrid-ESP (328 pontos)
2º) Grêmio (286)*
3º) Manchester United-ING (284)

2º) Grêmio (1º no pais, 286 pontos) – campeão da Libertadores*
6º) Flamengo (2º, 256) – vice da Sul-Americana e da Copa do Brasil
20º) Botafogo (3º, 207)
21º) Santos (4º, 202)
33º) Palmeiras (5º, 183) – vice da Série A
46º) Atlético-PR (6º, 170)
55º) Atlético-MG (7º, 162)
64º) Corinthians (8º, 156) – campeão da Série A
102º) Chapecoense (9º, 131)
109º) Cruzeiro (10º, 126) – campeão da Copa do Brasil
109º) Fluminense (10º, 126)
146º) Sport (12º, 108 pts) – Quartas da Sula e 15º na Série A**
155º) Ponte Preta (13º, 106)
221º) São Paulo (14º, 86)
243º) Vasco 15º, (82)
282º) Bahia (16º, 74)
345º) Avaí (17º, 66)
362º) Coritiba (18º, 64)
362º) Vitória (18º, 64)

2016
1º) Atlético Nacional-COL (383 pontos)
2º) Real Madrid-ESP (310)
3º) Barcelona-ESP (280)

13º) Atlético-MG (212)*
263º) Santa Cruz (76 pts – Oitavas da Sula e 19º na Série A)**
280º) Sport (74 pts – 2ª fase na Sula e 14º na Série A)**

2015
1º) Barcelona-ESP (379)
2º) Juventus-ITA (286)
3º) Napoli-ITA (268)

18º) Internacional (210)*
160º) Sport (101 pts – Oitavas na Sula e 6º na Série A)**

2014
1º) Real Madrid-ESP (381)
2º) Bayern de Munique-ALE (276)
3º) Atlético de Madrid-ESP (267)

14º) Cruzeiro (219)* 
247º) Sport (80 pts – 2ª fase na Sula e 11º na Série A)**

2013
1º) Bayern de Munique-ALE (370)
2º) Real Madrid-ESP (290)
3º) Chelsea-ING (273)

8º) Atlético-MG (238)*
Nenhum pernambucano listado**

2012
1º) Barcelona-ESP (307)
2º) Chelsea-ING (279)
3º) Boca Juniors-ARG e Atlético de Madri-ESP (278)

5º) Corinthians (272)* 
321º) Náutico (72 pts – 12º na Série A)**
413º) Sport (62 pts – 17º na Série A)**

2011
1º) Barcelona-ESP (367)
2º) Real Madrid-ESP (312)
3º) Vélez Sarsfield-ARG (271)

6º) Santos (238)* 
Sem time pernambucano na elite**

2010
1º) Internazionale-ITA (300)
2º) Bayern de Munique-ALE (268)
3º) Barcelona-ESP (266)

7º) Internacional (231)*
Sem time pernambucano na elite**

2009
1º) Barcelona-ESP (341)
2º) Chelsea-ING (292)
3º) Manchester United-ING (291)

9º) Cruzeiro (235)*
89º) Sport (125 pts – Oitavas na Libertadores e 20º na Série A)**

2008
1º) Manchester United-ING (292)
2º) Bayern de Munique-ALE (272)
3º) Liverpool-ING (267)

10º) São Paulo (223)*
97º) Sport (118 pts – Campeão da Copa do Brasil e 11º na Série A)**
343º) Náutico (62 pts – 16º na Série A)**

2007
1º) Sevilla-ESP (306)
2º) Manchester United-ING (281)
3º) Milan-ITA (280)

5º) Santos (254)*
214º) Náutico (78 pts – Quartas na Copa do Brasil e 15º na Série A)**
273º) Sport (70 pts- 14º na Série A)**

2006
1º) Sevilla-ESP (295 pontos)
2º) Internazionale-ITA (286)
3º) Roma-ITA (277)

14º) São Paulo (115)* 
Nenhum pernambucano listado**

Transmissão do Estadual segue na Globo de 2019 a 2022, com luvas de R$ 1 milhão

Lançamento do Campeonato Pernambucano de 2018, na sede da Globo Nordeste, na Rua da Aurora. Foto: Lucas Liausu/Globo (cortesia)

O Campeonato Pernambucano chegará a 23 anos seguidos na tela da Globo Nordeste. Consequência da renovação do contrato de transmissão, agora de 2019 a 2022. O acordo foi confirmado ao blog pelo diretor-geral do canal, Iuri Leire, durante o lançamento do Estadual 2018, na sede da emissora.

“Está assinado o contrato, por mais quatro anos. Nos mesmos moldes”

Sobre os tais moldes: o contrato engloba as cinco plataformas possíveis, com tevê aberta, tevê fechada, pay-per-view, sinal internacional e internet.

Com a notícia, o blog apurou o bastidor do contrato, que tinha o Sport como única pendência, uma vez que Santa Cruz e Náutico chegaram a um acordo com a emissora ainda em 2017. Além do reajuste desconhecido (em relação à cota anual vigente, de R$ 950 mil), cada clube recebeu R$ 1 milhão de luvas. Embora o leão tenha demorado a firmar a renovação, isso não significa uma cota diferenciada, maior, pois a Globo prometera aos outros dois grandes clubes locais repasses igualitários. Ou seja, se o rubro-negro conseguiu ampliar o valor, as cotas de alvirrubros e tricolores devem ser revisadas.

Essa negociação individual foi uma novidade neste processo, ao contrário dos dois contratos anteriores (2010-2014 e 2015-2018), com a FPF à frente do processo. A pedido do Trio de Ferro, o presidente Evandro Carvalho autorizou as negociações à parte, com a federação articulando apenas os valores dos times intermediários. Por sinal, pela proposta, cada time intermediário teria ao menos um jogo televisionado – uma vez que o nº de partidas deve influenciar. 

Obs. Sobre a cota dos grandes, a correção do valor-base do contrato vigente através do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), como preza o contrato, dá R$ 1.119.690 em 2018. Logo, o novo acordo deve partir, no mínimo, daí.

Transmissões regulares do Campeonato Pernambucano
1998 – SporTV (tv fechada)
1999 – TV Pernambucano (tv aberta)

2000-2010 – Globo NE (tv aberta)
2011-2012 – Globo NE (tv aberta) e Premiere (PPV)
2013-2022 – Globo NE (tv aberta), Premiere (PPV) e Globo Internacional

Lançamento do Campeonato Pernambucano de 2018, na sede da Globo Nordeste, na Rua da Aurora. Foto: Cassio Zirpoli/DP

O plano comercial do Estadual 2018, com alcance de 2,2 milhões de telespectadores

Capa do plano comercial do Pernambucano 2017. Crédito: reprodução

A capa do plano comercial do Pernambucano 2018. Slogan ousado…

A média de público no Campeonato Pernambucano de 2017 foi a segunda pior desde que a FPF passou a contabilizar os dados, há 28 anos. Com índice de 2.402 espectadores, só ficou à frente de 1997, com 2.080. Mesmo considerando apenas a fase principal, a partir do hexagonal do título, o dado foi ruim, com 4.808. Agora, o contraponto. Arquibancadas vazias e muita gente sintonizada diante da televisão. As transmissões da Globo Nordeste, 13 ao todo, tiveram uma audiência média de 2,2 milhões de telespectadores, número revelado durante o evento de lançamento do Estadual 2018, na sede da emissora. O blog analisa os planos comerciais da competição desde 2010. Durante sete anos, os dados da audiência consideraram o Grande Recife, a área de maior atuação, variando de 524 mil a 974 mil pessoas/jogo. Desta vez, o relatório trouxe os números do estado, considerando todos os municípios cobertos pela Globo Nordeste (Região Metropolitana e Zona da Mata), TV Asa Branca (Agreste) e TV Grande Rio (Sertão).

Aqui, alguns registros do plano comercial oficial, com as audiências de todos os jogos exibidos em 2017, com a decisão entre Sport e Salgueiro, no Cornélio de Barros, alcançando 41,9 pontos, de acordo com a medição do canal. O ‘share’ daquela partida indica que a cada 100 televisões ligadas no horário, 70 estavam sintonizadas na peleja. É bastante coisa, levando à reflexão sobre o porquê de tanta audiência num torneio tecnicamente fraco como foi o último. Então, imagine num campeonato mais organizado…

Audiência média do Pernambucano na TV aberta
2010 – 541 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2011 – 526 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2012 – 524 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2013 – 555 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2014 – 696 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2015 – 974 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)*
2016 – 700 mil telespectadores (RMR, 14 municípios)
2017 – 2,2 milhões de telespectadores (Pernambuco, 186 municípios)

* Não foram divulgados dados exclusivos do Estadual, mas o balanço entre o Pernambucano e o Nordestão

As maiores audiências da história da Globo NE no Estadual (Grande Recife)
1.153.620 – Sport 1 x 0 Náutico (05/05/2010, final)
1.050.763 – Sport (5) 1 x 0 (3) Santa Cruz (13/04/2014, semifinal)
1.040.976 – Santa Cruz 0 x 1 Sport (15/2011, final)

As 4 maiores audiências de 2017 foram nos mata-matas. Curiosamente, em 2018 a fórmula ampliou a fase eliminatória, agora com quartas de final

As maiores audiências do Campeonato Pernambucano de 2017. Crédito: Plano comercial do Estadual 2018/FPF

Apesar da vantagem na audiência, numa comparação proporcional com o Paulistão e o Carioca, o dado local utilizado na arte foi o da decisão. Distorceu

A audiência do Pernambucano 2017. Crédito: Plano Comercial do Estadual 2017/FPF

A seguir, as propostas de propaganda para 2018 e as ações planejadas para promover a competição. Naming rights, exposições, redes sociais etc.

O plano comercial do Pernambucano 2018. Crédito: reprodução

O plano comercial do Pernambucano 2018. Crédito: reprodução

Santa firma novo patrocinador-master. Experiência de 1 mês, teste de mercado

Uniforme do Santa Cruz com a marca 'Mega Ó'. Crédito: divulgação

A parceria entre o Santa Cruz e a MRV Engenharia durou 20 meses, entre abril de 2016 e dezembro de 2017, por R$ 90 mil mensais. Para a temporada de 2018, readequando novas parcerias para uma nova realidade, a direção coral firmou com uma nova patrocinadora, a MegaÓ, especializada em cal hidratada. A empresa pernambucana passa a estampar a sua marca na área nobre do uniforme coral – os dois modelos do padrão já foram produzidos.

A curiosidade sobre o acordo fica por conta do tempo de duração: um mês.

Trata-se de um contrato experimental, com possibilidade de renovação. Depende do retorno da marca e, naturalmente, do aporte ao clube, que não poderá contar com a Caixa Econômica Federal nesta temporada – há tempos o tricolor negocia o patrocínio, mas o banco deixou de investir na Série C. Apesar do acordo inicial de apenas um mês, o calendário está cheio. A marca está garantida em oito partidas, podendo chegar a nove.

Num cálculo anual, o patrocínio-master anterior rendeu R$ 1,08 milhão.

Provavelmente o valor ainda estaria em conta para o atual cenário…

O patrocínio-master do Santa Cruz na década
2011-2014 – Grupo Votorantim
2015 - Divcom Pharma (pontual, setembro/dezembro)
2016-2017 – MRV Engenharia
2018 – MegaÓ (experimental, janeiro)

Uniforme do Santa Cruz com a marca 'Mega Ó'. Crédito: divulgação

O perfil dos telespectadores da TV Jornal e Globo NE, entre Nordestão e Estadual

Os horários nobres da TV Jornal (terça) e Globo Nordeste (quarta) para o futebol regional em 2018. Crédito: reprodução

20 anos da ausência de futebol local na TV à maior disputa por mercado

Na TV aberta, o último ano com concorrência sobre o futebol pernambucano, em relação à Globo, havia sido 1999. Na época, o locutor Luciano do Valle adquiriu os direitos de transmissão do Campeonato Pernambucano por R$ 600 mil, exibindo os jogos na TV Pernambuco, emissora estatal com histórico de ‘traço’ na audiência – até então, partidas locais passavam de forma esporádica. O sucesso foi estrondoso, chegando a marcar 50 pontos num Clássico das Multidões. Paralelamente a isso, a Copa do Nordeste corria sem exibição, com a Globo Nordeste limitando-se ao Paulista e ao Brasileirão. Como se sabe, a emissora comprou os direitos do Estadual no ano seguinte, pagando R$ 1,92 milhão por quatro edições. Fez o mesmo com o Nordestão, ficando à parte do regional apenas em 2003 e 2010, as edições marcadas pela briga jurídica entre a Liga do Nordeste e a CBF – com vitória da liga.

Pois bem. Passado tanto tempo, surge um cenário incomum, com os dois principais torneios no âmbito regional em sinais abertos distintos no Grande Recife – havendo a ressalva sobre as Série D e C, com alguns jogos do Santa na Nova NE e TV Pernambuco, respectivamente. O Pernambucano segue na Globo. Porém, a Lampions foi parar nas mãos do SBT, com transmissão nos nove estados da região, com o sinal local a cargo da TV Jornal.

Ou seja, líder e vice-líder de audiência na Região Metropolitana do Recife, agora estendida a 4 milhões de habitantes, após a entrada do 15º município, Goiana. Apesar da concorrência – com o Nordestão sendo esportivamente mais importante, frise-se -, os horários a princípio não batem. Na prática, o número de jogos locais poderá dobrar numa semana, chegando a quatro – tendo três como mínimo, sendo 2 na Globo e 1 na TV Jornal. De toda forma, fica a curiosidade sobre a intensidade da cobertura das duas empresas sobre as competições ‘rivais’, uma vez que, comercialmente, são concorrentes de fato na disputa pela atenção de consumidores alvirrubros, rubro-negros e tricolores. Um embate (ético) entre produto e informação.

Em 2017, as decisões dos torneios foram exibidas para o Recife, pois o Sport alcançou a final do Nordestão. Eis os dados dos 4 jogos na tevê aberta:

Pernambucano
833.147 telespectadores (34,3 pontos) – Sport 1 x 1 Salgueiro (07/05, ida)
976.458 telespectadores (40,2 pontos) – Salgueiro 0 x 1 Sport (28/06, volta)

Nordestão
1.107.600 telespectadores (38,2 pontos) – Sport 1 x 1 Bahia (17/05, ida )
1.184.400 telespectadores (41,4 pontos) – Bahia 1 x 0 Sport (24/05, volta)

Abaixo, os perfis dos telespectadores dos canais, considerando a RMR:

TV Jornal (Grande Recife) – 2º lugar no Ibope
Horários dos jogos: terça-feira (21h45) e sábado (16h)
Narrador: Aroldo Costa

Principais clubes envolvidos: Santa, Náutico e Bahia (nº jogos não divulgado)

Chamada para o Nordestão: “O maior campeonato regional do mundo”

Atlas da TV Jornal sobre o Grande Recife. Crédito: TV Jornal/reprodução

Globo Nordeste (Grande Recife) – 1º lugar no Ibope
Horários dos jogos: quarta-feira (21h45) e domingo (16h)
Narrador: Rembrandt Júnior

Principais clubes envolvidos: Sport (7 jogos), Santa (4) e Náutico (2)

Chamada para o Pernambucano: “Até que enfim vão começar os Estaduais”

Atlas da TV Jornal sobre o Grande Recife. Crédito: TV Jornal/reprodução

A quarta versão do aplicativo oficial do Pernambucano, na evolução como bolão

O aplicativo oficial do Campeonato Pernambucano de 2017. Crédito: Google Play/reprodução

Entre 2013 e 2017, o Campeonato Pernambucano teve três aplicativos oficiais, desenvolvidos pela Look Mobile. Para a edição de 2018, a FPF firmou uma parceria com uma nova empresa de softwares, a Pronto Tecnologia, que opera no RJ, SP e PE. Desta vez, trata-se de uma plataforma de entretenimento – para smartphones e computadores – idealizada para operar com diversas competições, embora o Estadual tenha sido o primeiro da lista. Além de tabela e classificação atualizadas, detalhes dos times, estádios e cidades, o app (gratuito) foca num ‘bolão’, com os usuários tentando acertar os resultados do torneio selecionado, com direito a ranking e premiações. No caso do Estadual, o torcedor, após escolher o seu time, entre os 11 clubes participantes, passa a arriscar o placar rodada a rodada – ao todo, 63 partidas.

Eis a lógica da pontuação no aplicativo ‘Futebol Conectado’:

60 pontos – placar exato
15 pontos – resultado certo (vitória do mandante, do visitante ou empate)
10 pontos – acertar qual clube faz o primeiro gol do jogo (ou 0 x 0 também)
5 pontos – acertar o tempo do primeiro gol (1T, 2T ou 0 x 0 também) 

Bônus em caso de placares exatos na rodada: 3 (200 pts), 4 (500) e 5 (1.000)
Bônus em caso de resultados certos na rodada: 3 (50 pts), 4 (125) e 5 (180)

Em relação aos smartphones e tablets, o aplicativo, na versão 1.0, demanda 52 megas. Já a compatibilidade vai a partir de 4.1 no Android e 8.0 no iOS.

Links para baixar o aplicativo: iOS e Android.

Link para jogar no site: futebolconectado.com.br

Layouts do aplicativo, com capa e menu : 20132014, 2016 e 2018

O aplicativo oficial do Campeonato Pernambucano de 2017. Crédito: Google Play/reprodução

Na volta de Nelsinho, Sport vence Atlético Tucumán e fatura o tetra na Taça Ariano

Taça Ariano Suassuna 2018: Sport 2 x 0 Atlético Tucumán. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Após quase dez anos, Nelsinho Baptista voltou a comandar o Sport. O retorno foi com o pé direito, vencendo o Atlético Tucumán pela Taça Ariano Suassuna. Apesar da festa pelo tetra na disputa amistosa promovida pelo clube, esta 4ª versão registrou o menor público, cerca de 5 mil torcedores – no geral, média de 11.038. Na visão do blog, reflexo do agendamento tardio, além do cartaz modesto do adversário argentino, que ao menos na bola aparentava ser o mais difícil – mesmo classificado à Libertadores, o ‘decano’ pouco fez na Ilha.

À parte evento, apresentando o elenco do Sport, sem tantas caras novas, o rubro-negro teve uma atuação segura. Naturalmente com o freio de mão puxado, devido à questão física. Tecnicamente, tentou assimilar a saída de Diego Souza, com o meio formado por Anselmo (muito bem), Pedro Castro (discreto) e Marlone (voluntarioso) sendo superior ao dos hermanos. Na vitória por 2 x 0, gols de Sander e Thomás, o leão teve um perfil distinto em relação à Ariano 2017, quando mudou o time inteiro no segundo tempo. Desta vez, a equipe foi mantida por 60 minutos, com apenas quatro mudanças. Sinal claro do estilo do treinador, que prioriza o conjunto. Neste caso, o amistoso serviu de teste visando a estreia no Estadual, contra o Flamengo de Arcoverde. E começou com a primeira vitória na temporada, mantendo a taça no Recife.

Taça Ariano Suassuna 2018: Sport 2 x 0 Atlético Tucumán. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sobre o Tucumán, vale uma ressalva. Na noite de sexta, o time estava em Salta, a 3.739 km da capital pernambucana. Lá, pelo ‘torneo de verano’ da Argentina, venceu o Talleres nos pênaltis. Depois, encarou uma viagem com duas escalas em aeroportos, mirando o leão na tarde de domingo. O desgaste seria natural, assim como as mudanças durante a partida – só no intervalo foram cinco. Com a bola rolando, o time encontrou dificuldades no passe, como já havia ocorrido na apresentação anterior. Teve apenas duas chances.

As edições da Taça Ariano Suassuna
1ª) 24/01/2015 – Sport 2 x 1 Nacional (URU), 22.356 pessoas
2ª) 24/01/2016 – Sport 2 x 0 Argentinos Juniors (ARG), 8.909 pessoas
3ª) 22/01/2017 – Sport (4) 1 x 1 (2) The Strongest (BOL), 7.956 pessoas
4ª) 14/01/2018 – Sport 2 x 0 Atlético Tucumán (ARG), 4.933 pessoas

Sport vs clubes argentinos (9 jogos; 3V, 1E e 5D; 12 GP e 17 GC)
31/01/1937 – Sport 2 x 7 Atlanta (amistoso)
25/12/1951 – Sport 2 x 3 Vélez Sarsfield (amistoso)
06/01/1953 – Sport 0 x 1 Chacarita Juniors (amistoso)
23/09/2015 – Sport 1 x 1 Huracán (Sul-Americana)
30/09/2015 – Huracán 3 x 0 Sport (Sul-Americana, Buenos Aires)
24/01/2016 – Sport 2 x 0 Argentinos Juniors (Taça Ariano Suassuna, amistoso)
06/07/2017 – Sport 2 x 0 Arsenal de Sarandí (Sul-Americana)
27/07/2017 – Arsenal de Sarandí 2 x 1 Sport (Sul-Americana, Buenos Aires)
14/01/2018 – Sport 2 x 0 Atlético Tucumán (Taça Ariano Suassuna, amistoso)

Taça Ariano Suassuna 2018: Sport 2 x 0 Atlético Tucumán. Foto: Roberto Ramos/DP

A primeira escalação do Sport em 2018

Taça Ariano Suassuna 2018: Sport x Atlético Tucumán (escalação do leão). Crédito: Sport/twitter (@sportrecife)

A formação inicial do rubro-negro, em imagem divulgada pelo clube

O primeiro (e único) amistoso do Sport durante a pré-temporada de 2018 foi agendado em 14 de janeiro, onze dias após a reapresentação do elenco – período marcado pela saída do meia Diego Souza, vendido ao São Paulo, e pela indefinição sobre o volante Rithely. Na volta de Nelsinho Baptista, então, o time mostra a sua nova cara diante dos argentinos do Atlético Tucumán.

Magrão; Fabrício, Ronaldo Alves, Durval e Sander; Anselmo, Pedro Castro e Marlone; Índio, André e Rogério

Em relação à derradeira rodada do Brasileirão 2017, contra o Corinthians, a escalação para a 4ª edição da Taça Ariano Suassuna manteve apenas seis nomes, com duas estreias e dois atletas da base. Na defesa, as laterais devem mudar até a Série A – na direita, Prata foi vetado pelo departamento médico, enquanto na esquerda houve a contratação de Capa. Mais à frente, ao menos num primeiro momento, o treinador mantém o 4-3-3, com Anselmo e Pedro Castro focados na marcação no meio-campo, liberando Marlone, de grande responsabilidade nesta volta após dois anos. No ataque, André e Rogério seguem firmes, com uma vaga em aberto, na ponta direita. Gabriel, oriundo do Flamengo, pode aparecer em breve como candidato. Contudo, a escalação de Índio na abertura é um indício de utilização da base.

Esta é a espinha dorsal até abril, tendo apenas Estadual e Copa do Brasil…

Atualização pós-jogo: o Sport venceu por 2 x 0, gols de Sander e Thomás

A eterna renovação da torcida do Náutico

Torcida do Náutico festejando a vaga na fase de grupos do Nordestão 2018. Crédito: Família Alvirrubra/twitter (@FamliaAlvirrub1)

Há algum tempo as pesquisas indicam um envelhecimento da torcida do Náutico, cuja presença nos estádios vem sendo modesta – abaixo de 8 mil há quatro anos. Em 2015, o Plural Pesquisa lançou um levantamento sobre o Recife, após 800 entrevistas no município, com o timbu registrando 10% ao todo. Analisando além, mesmo considerando a margem de erro (3,46%), a diferença dos aficionados alvirrubros é evidente nas faixas etárias. Se acima de 50 anos, com o público nascido na era de ouro do clube, a distância num dado bruto entre alvirrubros e rubro-negros é de 16%, na juventude, com a seca de taças, o hiato salta para 39%. Inalcançável até mesmo a longo prazo.

Total no Recife
36% – Sport
31% – Santa Cruz
10% – Náutico

16-29 anos
46% – Sport
31% – Santa Cruz
7% – Náutico

30-49 anos
38% – Sport
31% – Santa Cruz
8% – Náutico

+50 anos
31% – Santa Cruz
25% – Sport
15% – Náutico

Portanto, ao assistir ao vídeo publicado pelo perfil Família Alvirrubra, com a alegria de três crianças na classificação no Pré-Nordestão – meninos nascidos durante o maior jejum do clube – , fica a satisfação de que, ainda que em menor grau, haverá sempre a renovação da torcida. Diante da tevê, o aperreio de uma decisão por pênaltis e a festa que fomenta a paixão no futebol.

Nordestão 2018 na TV Jornal: “O maior campeonato regional do mundo”

Chamada da TV Jornal sobre o Nordestão 2018. Crédito: TV Jornal/facebook (reprodução)

A TV Jornal, a afiliada pernambucana do canal de Silvio Santos, volta a exibir o futebol local após décadas. Na verdade, a presença da emissora sempre foi esporádica, como na decisão do Brasileirão de 1987, entre Sport e Guarani. Em 2018, contudo, o SBT entra como emissora (sub) licenciada da Copa do Nordeste, com exibição assegurada em todas as afiliadas* da região.

Com três clubes locais na disputa (Santa Cruz, Náutico e Salgueiro) e duas redes no estado, no Recife e em Caruaru, a TV Jornal entra na parada com dois horários na grade, terça-feira à noite e sábado à tarde, e narração de Aroldo Costa, há anos locutor da Rádio Jornal. Estreia já na primeira rodada, com Confiança x Santa, em 16/01. Se a Globo Nordeste lançou um comercial valorizando o início do Campeonato Pernambucano, a TV Jornal naturalmente enalteceu o seu produto – que, esportivamente, realmente vale mais.

“Se ligue na TV Jornal e não perca nenhum lance do maior campeonato regional do mundo. Transmissão exclusiva” 

Vale lembrar que a Lampions passou na Globo durante cinco anos seguidos, desde a volta ao calendário oficial, em 2013. Na ocasião, a emissora adquiriu o sinal aberto junto ao Esporte Interativo, detentor de todas as plataformas até 2022. No entanto, as duas empresas, que vão concorrer no Brasileirão a partir de 2019, não chegaram num acordo sobre um novo sublicenciamento visando a edição regional de 2018, cuja cota absoluta alcança R$ 22 milhões.

Abaixo, um dos comerciais de divulgação, focando no ‘gigantismo regional’.

* Afiliadas: TV Jornal (PE), TV Aratu (BA), TV Jangadeiro (CE), TV Ponta Verde (AL), TV Difusora (MA), TV Tambaú (PB, João Pessoa), TV Borborema (PB, Campina Grande), TV Cidade Verde (PI) e TV Ponta Negra (RN)