A largada do Nordestão 2018 em agosto de 2017, com a recém-criada preliminar

A fase preliminar da Copa do Nordeste 2018. Crédito: CBF/reprodução

Sem alarde, começa a Copa do Nordeste de 2018. Isso mesmo, a primeira partida oficial da 15ª edição será em 15 de agosto de 2017, durante o Campeonato Brasileiro. No Estádio Mão Santa, em Parnaíba, o time da casa abre a recém-criada fase preliminar contra o CSA, envolvido também na Série C. Com a reformulação do Nordestão, o torneio volta a ter 16 clubes na fase de grupos, em vez de 20. Para isso, foi preciso criar esta seletiva, na qual o Náutico enfrentará a Itabaiana, em data a ser detalhada pela confederação.

Definidos em sorteio, com potes divididos pelo Ranking da CBF, os confrontos Náutico x Itabaiana, Treze x Cordino, CSA e Parnahyba e Globo x Flu de Feira vão relacionar os últimos classificados à fase principal da Lampions. A próxima etapa começa em fevereiro, seguindo o fluxo normal do calendário.

Vale lembrar que a lista de participantes foi modificada após a desistência do Sport, influenciando até na distribuição de cotas – inicialmente, o Santa Cruz disputaria a etapa preliminar, mas foi alçado à fase seguinte, já no subgrupo 1 dos cotistas, de porte milionário. Com a vaga aberta, o Náutico entrou na competição na condição de 4º colocado no Estadual, o único neste contexto.

Obs. O sorteio da fase de grupos será em 6 de setembro, em São Luís.

Fase preliminar (8 clubes, passando 4)

Náutico (4º de PE) – 29º lugar no Ranking da CBF
Treze (vice da PB) – 69º
Globo (vice do RN) – 77º
CSA (vice de AL) – 90º
Panahyba (vice do PI) – 100º
Itabaiana (vice de SE) – 117º
Fluminense de Feria (3º na BA) – 131º
Cordino (vice do MA) – s/r

Fase de grupos (16 clubes, com 4 grupos de 4 clubes – abaixo, os potes do sorteio e as respectivas cotas)

Pote 1 (R$ 1 milhão)
Vitória (campeão na BA) – 20º
Bahia (vice na BA) – 21º
Ceará (campeão no CE) – 23º
Santa Cruz (3º de PE) – 26º

Pote 2 (R$ 850 mil)
ABC (campeão no RN) – 31º
Sampaio Corrêa (campeão do MA) – 36º
CRB (campeão em AL) – 37º
Botafogo (campeão na PB) – 46º

Pote 3 (R$ 775 mil)
Salgueiro (vice do PE) – 49º
Confiança (campeão em SE) – 56º
Altos (campeão no PI) – 136º
Ferroviário (vice no CE) – s/r

Pote 4 (R$ 750 mil)
Os quatro classificados da fase preliminar

O regulamento da Copa do Nordeste 2018, já com os critérios para a edição de 2019

O troféu da Copa do Nordeste. Foto: CBF/divulgação

Com o início da Copa do Nordeste de 2018, através da fase preliminar, a CBF divulgou o regulamento oficial. Pelo novo sistema de disputa, a seletiva com oito clubes (Náutico entre eles) irá relacionar quatro para a nova fase de grupos, que já tem doze pré-classificados (Salgueiro e Santa na lista). Assim, a etapa principal será performada por 16 times. O documento de 16 páginas ainda traz o Sport como um dos vinte participantes, embora o rubro-negro já tenha recebido o aval da entidade sobre a desistência do torneio. Já o artigo 26 detalha, em caráter oficial, o critério de classificação ao Nordestão de 2019.

O regional de 2019 adotará o mesmo sistema de 2018, mas só classificará nove times através dos Estaduais, os campeões, claro. Os outros onze virão do Ranking da CBF, na versão que será publicada em dezembro de 2017. Pernambuco seguirá com três vagas, sendo duas na fase de grupos (o campeão estadual e o melhor rankeado) e uma na seletiva (o segundo melhor rankeado). Ou seja, na prática, o Sport já está classificado à fase de grupos do Nordestão de 2019 – hoje, é o 17º lugar no ranking nacional. Caso não queira jogar, o leão terá que protocolar, novamente, um pedido de desistência…

Confira a íntegra do regulamento do Nordestão 2018.

Sport, Náutico e Vitória emplacam 10 das 22 convocadas da lista regional do Brasil

Emily Lima durante o primeiro treino da "convocação de observação", com atletas do Sul e Sudeste, em 02/2017. Foto: Kin Saito/CBF

Emiliy Lima assumiu o comando da Seleção Brasileira feminina em 2016, após os Jogos Olímpicos do Rio. Imersa no cenário da modalidade, a treinadora paulista, então com 36 anos, sugeriu à direção da CBF a criação de convocações regionais para a seleção principal para períodos de observação – à parte das poucas estrelas, como Marta e Cristiane. Então, em 2017, o calendário trouxe quatro momentos pontuais de treinamento na Granja Comary, em Teresópolis, com listas distintas em relação aos estados.

Para isso, a comissão avaliou durante quase um ano os 19 campeonatos estaduais em vigor, com 150 times envolvidos, além das Séries A1 e A2 do Brasileiro. Neste caso, com Sport e Acadêmica Vitória na primeira divisão e Náutico na segunda. E o trio, que já disputou o Estadual de 2017, se destacou na segunda convocação regional do ano, com sete estados nordestinos. Eis a divisão dos 22 nomes: PE 10, RN 5, CE 3, BA 2, AL 1 e PB 1.

Do futebol local foram chamadas Lorena (goleira), Bruna (zagueira), Indryd (meia) e Juliana (atacante) do Sport; Débora (zagueira), Mayara (meia) e Ana (atacante) do Náutico; Stefane (goleira), Joyce (lateral) e Paloma (meia) do Vitória. Na visão do blog, a ideia é interessante, pois dialoga com a categoria, ainda semi-amadora, produzindo uma grande peneira nacional.

Da primeira convocação, sete jogadoras tiveram oportunidades em amistosos.

1ª convocação (6 a 10 de fevereiro): ES, MG, PR, RJ, RS, SC e SP

Corinthians (7), Santos (5), Flamengo (3), Rio Preto-SP (3), Kindermann-SC (2), América-MG (1), Ponte Preta (1), Foz Cataratas-PR (1), Vila Nova-ES (1) e 2 atletas sem clube

2ª convocação (21 a 26 de agosto): AL, BA, CE, PB, PE, RN e SE

Sport (4), Náutico (3), Acadêmica Vitória (3), Vitória-BA (2), Cruzeiro-RN (2), Caucaia-CE (2), Alecrim-RN (2), União Desportiva-AL (1), São Gonçalo-CE (1), Botafogo-PB (1) e União-RN (1)

3ª convocação (2 a 7 de outubro): GO, PI, MA, MS, MT e TO

4ª convocação (6 a 11 de novembro): AC, AM, AP, PA, RO e RR

CBF confirma desistência do Sport no NE, Santa na fase de grupos e Náutico na preliminar

Ofício da CBF sobre a Copa do Nordeste 2018. Crédito: CBF/site oficial (reprodução)

Agora é oficial. A desistência solicitada pelo Sport em relação à Copa do Nordeste de 2018, em 3 de julho, foi confirmada pela CBF após um mês de dúvidas à respeito da formatação da competição. A entidade recebeu o pedido protocolado pela FPF e, sem maiores detalhes, excluiu o rubro-negro da próxima edição do regional – para as seguintes, o clube deverá pedir novos protocolos. A decisão ainda mal explicada pela direção de futebol do rubro-negro tem consequências imediatas (e positivas) para os rivais do Recife.

Inicialmente, o Santa Cruz teria que disputar uma fase preliminar, contra a Itabaiana, para chegar à fase de grupos, que agora volta a ter 16 participantes, após a reformulação da Lampions. Como Pernambuco tem direito a duas vagas diretas nesta etapa, para o campeão e o vice-campeão do Estadual, o tricolor herdou a classificação do Sport – o Salgueiro, vice, já estava garantido no regional. Ou seja, se os corais saíram da fase preliminar, logo outro clube local teria que herdar esta vaga. Pela classificação final do Estadual 2017, a vaga é do Náutico, também confirmado pela CBF.

Quando o presidente leonino, Arnaldo Barros, comunicou a desistência, a coletiva também contou com a presença de Ivan Brondi, o mandatário alvirrubro. Ocorre que havia um impasse nos Aflitos sobre a saída. O conselho deliberativo não aprovou. Muito menos o novo presidente eleito, Edno Melo.

Desta forma, aconteceu o segundo dos quatro cenários imaginados pelo blog. E o Sport, que tentou articular um torneio paralelo, acabou ficando isolado…

Em relação às cotas da Lampions League, o Santa receberá R$ 1 milhão pela participação na fase de grupos. O alvirrubro ganhará R$ 750 mil caso avance na fase preliminar. Se cair já na primeira fase, receberá um cota de R$ 250 mil. Já o Sport abriu mão de R$ 1 milhão, o valor pago aos quatro times do “subgrupo 1″, formado através do Ranking da CBF por Bahia, Vitória e Ceará.

Até agora, o Sport não justificou, em termos de disputa , a sua saída.

Obs. O leão também já havia desistido do Nordestão em 2003 e 2010.

Sport, Santa, Náutico e Salgueiro no Guia Oficial do Campeonato Brasileiro de 2017

Guia do Brasileirão 2017, via CBF

Em três volumes, a CBF lançou o Guia do Campeonato Brasileiro de 2017, com detalhes sobre os 128 clubes – com 69 dias de bola rolando, diga-se. Para a Série A, 121 páginas, sendo quatro páginas dedicadas a cada time, com textos em português e inglês, incluindo um depoimento de um torcedor ilustre – no Sport, coube ao ator Renato Góes. Na Série B, com 65 páginas, são duas para cada participante, com as Séries C e D dividindo outras 89, com duas páginas aos integrantes da terceirona e a tabela para a última divisão. Vamos aos principais registros dos representantes pernambucanos…

Para ter acesso à integra do guia, clique aqui.

Em tempo: no guia, o Flamengo aparece com 5 títulos brasileiros e 1 Copa União, em 1987. Ao contrário do que ocorre na Taça Brasil e no Torneio Roberto Gomes Pedrosa, conquistados por outros clubes, nesse caso não há o asterisco de reconhecimento, da CBF, como Campeonato Brasileiro.

Guia do Brasileirão 2017, via CBF: Sport

Guia do Brasileirão 2017, via CBF: Santa Cruz

Guia do Brasileirão 2017, via CBF: Náutico

Guia do Brasileirão 2017, via CBF: Salgueiro

Para a CBF, o Santa Cruz segue na fase preliminar do Nordestão 2018. E o Sport?

Ofício da CBF sobre a Copa do Nordeste 2018. Crédito: CBF/site oficial (reprodução)

Em Salvador, em 13 de julho, uma reunião envolvendo os clubes da Liga do Nordeste confirmou a saída do Sport, que pediu desfiliação, abrindo mão da participação no Nordestão de 2018. A primeira consequência direta foi a efetivação do Santa Cruz, da fase preliminar (devido à terceira colocação no Estadual) à fase de grupos, agora na condição de segundo representante de Pernambuco (após o Salgueiro). Curiosamente, no dia seguinte à decisão, a CBF foi na contramão, confirmando os quatro confrontos sorteados para o chamado “Pré-Nordestão”, a recém-criada fase preliminar do torneio – ofício acima. Ao que parece, a confederação brasileira não reconheceu o pedido de desistência do Sport, feito fora do prazo legal, até 30 de junho. Neste dia, o leão avisou à liga. Porém, só protocolou à CBF no dia 5 de julho, via FPF.

Fase preliminar da Copa do Nordeste 2018
Treze (PB) x Cordino (MA)
Santa Cruz x Itabaiana (SE)
CSA (AL) x Parnahyba (PI)
Globo (RN) x Fluminense de Feira (BA)

Segundo a definição de cotas do torneio, os quatro eliminados vão ganhar R$ 250 mil pela participação mínima, enquanto os quatro vencedores vão receber R$ 750 mil pela presença na fase de grupos, num valor correspondente ao 4º subgrupo de cotas, um modelo também recém-criado.

Entre as observações feitas pelo blog sobre a permanência do Santa na liga, em publicação feita mais cedo, a quarta dizia o seguinte:

4) A direção de competições da CBF alega que o Sport não comunicou a saída dentro do prazo legal. Seria um mecanismo para uma possível volta? Em vídeo vazado no twitter, o mandatário leonino afirmou que “não é homem para se torar”, mantendo a saída – e a liga já dá o fato como consumado.

Ou seja, enquanto o rubro-negro e a liga, a contragosto, enxergam a saída de forma consumada, há um entrave, que deve proporcionar novos capítulos…

Atualização: Alírio Moraes (Santa) e Evandro Carvalho (FPF) entendem que foi um erro da CBF e a decisão da liga deve ser homologada segunda-feira.

A avaliação da CBF sobre o árbitro de vídeo no Cornélio de Barros: protocolar

O trabalho do Árbitro de Vídeo no Cornélio de Barros. Foto: CBF/youtube

O título pernambucano de 2017 foi decidido em um golaço de Everton Felipe, mas o lance marcante da final foi o gol anulado do Salgueiro, aos 24 minutos do segundo tempo, pouco antes do tento do Sport. Após a cobrança de escanteio, o auxiliar marcou a saída de bola, com a curva ultrapassando a linha de fundo. A bronca é que a jogada prosseguiu e o carcará balançou as redes, com Álvaro. Então, o árbitro Wilton Sampaio acionou o árbitro de vídeo, que teve acesso às mesmas imagens das 15 câmeras da Globo Nordeste, transmitidas para 976 mil telespectadores, ao vivo. E a decisão original foi mantida, com o tiro de meta (oficialmente, sequer foi “gol anulado”). A polêmica foi além da conta – e o blog entende que a bola não saiu.

Aqui, a avaliação oficial da CBF, uma vez que o jogo foi o segundo teste no país com o recurso tecnológico. O primeiro foi justamente no jogo de ida.

“Na cabine do Árbitro de Vídeo, Péricles Bassols (CBF) começou a conferir os replays. Uma imagem ampliada com o zoom eletrônico da microcâmera dentro do gol dava a impressão de bola fora, mas ele concluiu que o lance era duvidoso. Seguindo o protocolo aprovado pelo International Football Association Board (Ifab), Bassols recomendou que Wilton revisse as imagens no monitor colocado ao lado do campo. Sampaio checou e avaliou que a marcação inicial deveria ser mantida”

A seguir, as aspas dos principais responsáveis pelo recurso no sertão.

“Manoel Serapião (autor do projeto do árbitro de vídeo)
“Avalio de forma muito positiva, sobretudo porque houve uma atuação eficaz. Houve uma revisão que inferiu e proporcionou uma decisão correta da arbitragem num lance absolutamente ajustado, que só o árbitro de vídeo poderia concluir”

Alício Pena Júnior (vice-presidente da comissão nacional de arbitragem)
“Tudo cumprido dentro do protocolo estabelecido pela Fifa para a utilização do árbitro de vídeo, a também pela Ifab. Mesmo com essas dificuldades de posicionamento de câmera e da cabine de tamanho um pouco reduzido cumpriu-se o protocolo e as exigências que nos foram determinadas. Entendo que é mais um grande passo na estabilização e utilização desse processo”

Péricles Bassols (árbitro consultor na cabine)
“Tem um lance que suscita dúvida, um lance fino, de bola dentro ou fora, e em seguida nós temos um gol que se a bola é fora, teria sido irregular. Como foi muito justo, a gente tem que sugerir a revisão. Revisão sugerida, o árbitro vai até a tela, revê o lance e lá ele constata o que viu no campo e mantém a sua decisão de que a bola saiu, porque ele constata a mesma coisa que ele viu in loco, sem câmera. E aí as visões se complementam e chega à decisão final”

Confira a avaliação sobre o árbitro de vídeo no jogo ida clicando aqui.

E se existisse o árbitro de vídeo em outras finais do Pernambucano?

Em fase de testes, o árbitro de vídeo surgiu de forma pioneira no país na final do Campeonato Pernambucano de 2017. Tanto no jogo de ida, na Ilha do Retiro, quando o “AV” entrou em ação aos 55 do segundo tempo, numa penalidade, quanto no Cornélio de Barros, após novo acordo entre FPF e CBF.

Nesta versão brasileira, o recurso tecnológico atua em cinco pilares:
– Foi gol / Não foi gol
– Foi pênalti / Não foi pênalti
– Cartão vermelho direto indevido
– Identificação errada do jogador punido
 Em caso de impedimento, a correção será feita se o lance resultar em gol

Subjetividade à parte (faltas, expulsões etc), os lances objetivos são os mais recorrentes em jogos decisivos. Aqui, alguns exemplos discutíveis no Campeonato Pernambucano, nos quais um misero gol (irregular ou mal anulado, em tese) decidiu o campeão – e o levantamento trata apenas deste critério, entre as finais com registros audiovisuais, vários deles inconclusivos.

18/12/1983 – Santa Cruz (6) 1 x 1 (5) Náutico – Gol de Porto de pênalti?
No último Supercampeonato, a taça só foi entregue após uma disputa de pênaltis, a primeira da história do Estadual. Sob os olhares de 76 mil pessoas no Mundão, foram 16 cobranças, com o alvirrubro desperdiçando três, uma a mais que o tricolor. Contudo, ficou a polêmica sobre o chute do atacante Porto. Passou ou não da linha? Na época, houve a filmagem atrás do gol, exibida no Globo Esporte no dia seguinte.

Final do Pernambucano de 1983, com o chute de Porto na decisão por pênaltis (gol ou não?). Crédito: Globo/youtube/reprodução

27/051990 – Santa 0 x 1 Sport – Gol anulado do Sport?
Após a derrota por 1 x 0 na Ilha, o Sport devolveu o placar no Arruda, com 58.860 espectadores. Com isso, a decisão se estendeu à prorrogação, com o empate a favor dos corais. Aos 3 minutos do 2º tempo extra, o zagueiro Márcio Alcântara chegou a marcar o gol que daria o título ao leão, mas o bandeirinha Gilson Cordeiro assinalou impedimento. Sobre o lance, vale frisar que na época a “mesma linha” era impedimento – a regra mudaria em 1991.

Final do Pernambucano de 1990, entre Santa e Sport, com o gol anulado de Márcio Alcântara. Crédito: Globo/youtube/reprodução

13/12/1992 – Sport 1 x 0 Náutico – Gol anulado do Náutico?
Em um campeonato equilibrado, o Clássico dos Clássicos terminou com uma vitória por 1 x 0 para cada lado. No segundo jogo, com 40.419 torcedores na Ilha, o alvirrubro precisava vencer na prorrogação, após revés no tempo regulamentar, com gol de Dinda. E chegou a marcar, com Ocimar, num chute cruzado, mas o gol foi anulado, com a arbitragem enxergando impedimento. Assim como em 90, só havia a câmera central.

Final do Pernambucano de 1992, entre Sport e Náutico, com o gol anulado de Ocimar. Crédito: Globo/youtube/reprodução

13/05/2012 – Sport 2 x 3 Santa Cruz – Gol em impedimento do Santa?
Numa final movimentada, os corais abriram o placar logo aos 12 minutos. Branquinho recebeu uma enfiada de bola de Caça-Rato e tocou na saída de Magrão. Entretanto, o atacante tricolor estava adiantado – mostrado num ângulo inexistente até a década de 1990. Logo depois, o leão até empatou (jogava pelo empate), mas não teve boa atuação frente ao rival.

Final do Pernambucano de 2012, entre Santa e Sport, com o gol em impedimento de Branquinho. Crédito: Globo/youtube/reprodução

04/05/2016 – Santa Cruz 1 x 0 Sport – Gol em impedimento do Santa?
Em 180 minutos de final, apenas um gol, aos 30 minutos do primeiro jogo, disputado no Arruda. O lance capital começou com Arthur cruzando rasteiro, seguindo com Grafite tocando a bola e Lelê completando. Porém, o Grafa estava em posição de impedimento, com o replay do jogo, transmitido ao vivo, mostrando um tira-teima da Globo. 

Final do Pernambucano de 2016, entre Santa e Sport, com o gol em impedimento de Lelê. Crédito: Globo/youtube/reprodução

Atualização: mesmo com árbitro de vídeo, teve polêmica em 2017… Veja aqui.

Final do Estadual é remarcada pela 3ª vez, agora em 28 de junho, 52 dias após a ida

Pernambucano 2017, final: Salgueiro x Sport Arte: Cassio Zirpoli/DP

Pelo calendário oficial da CBF, o dia 7 de maio estava reservado para as decisões dos campeonatos estaduais de 2017, entre aqueles com clubes envolvidos nas principais divisões do Brasileiro. Era o caso do Pernambucano, cujo dia registrou apenas o jogo de ida, com o empate em 1 x 1 entre Sport e Salgueiro. Com o rubro-negro envolvido em cinco (!) competições, não havia brecha para o jogo de volta. Até que a FPF conseguiu marcar para o dia 18 de junho, com a CBF concordando em adiar as partidas de Sport e Salgueiro pelas Séries A e C, respectivamente. Entretanto, o leão acabou eliminado da Copa do Brasil, com a confederação notificando a federação pernambucana. No caso, desconsiderou a necessidade de adiar as partidas combinadas. Afinal, ao menos duas quartas-feiras ficaram vagas. Em tese.

Inicialmente, as novas opções para a finalíssima do Estadual seriam as datas-base de 28 de junho e 5 de julho. Entretanto, uma dessas seria reservada para a ida da segunda fase da Copa Sul-Americana, envolvendo times brasileiros – e o Sport está lá. A FPF aguardou a marcação da Sula (no dia 6, mais precisamente), restando 28 de junho, uma quarta-feira à noite. Ao que parece, a data definitiva de uma competição desorganizada do início ao fim (?). Desde que o Campeonato Pernambucano passou a ter o formato de semifinal e final, há oito temporadas, apenas duas decisões ocorreram às 21h45, em 2010 e 2014. Agora, também em 2017, no Cornélio de Barros…

Abaixo, a nova agenda dos clubes. O Sport terá 14 jogos de quatro torneios distintos entre as finais estaduais, enquanto o Salgueiro terá 7 partidas.

Agenda do Sport
07/05 – Sport 1 x 1 Salgueiro (Estadual, final, ida)
11/05 – Danubio (2) 3  x 0 (4) Sport (Sul-Americana, 1ª fase, volta)
14/05 – Ponte Preta 4 x 0 Sport (Série A, 1ª rodada)
17/05 – Sport 1 x 1 Bahia (Nordestão, final, ida)
21/05 – Sport 1 x 1 Cruzeiro (Série A, 2ª rodada)
24/05 – Bahia 1 x 0 Sport (Nordestão, final, volta)
28/05 – Sport 4 x 3 Grêmio (Série A, 3ª rodada)
31/05 – Sport 1 x 1 Botafogo (Copa do Brasil, oitavas, volta)
04/06 – Avaí 1 x 0 Sport (Série A, 4ª rodada)
07/06 – Sport 2 x 0 Flamengo (Série A, 5ª rodada)
10/06 – Vasco 2 x 1 Sport (Série A, 6ª rodada)
14/06 – Sport 0 x 0 São Paulo (Série A, 7ª rodada)
18/06 – Sport x Vitória (Série A, 8ª rodada)
21/06 – Atlético-MG x Sport (Série A, 9ª rodada)
24/06 – Santos x Sport (Série A, 10ª rodada)

28/06 – Salgueiro x Sport (Estadual, final, volta)

Agenda do Salgueiro
07/05 – Sport 1 x 1 Salgueiro (Estadual, final, ida)
15/05 – Confiança 2 x 1 Salgueiro (Série C, 1ª rodada)
21/05 – Salgueiro 2 x 0 Moto Club (Série C, 2ª rodada)
27/05 – Salgueiro 1 x 2 Fortaleza (Série C, 3ª rodada)
04/06 – Botafogo 1 x 0 Salgueiro (Série C, 4ª rodada)
11/06 – ASA 1 x 1 Salgueiro (Série C, 5ª rodada)
18/06 – Salgueiro x Cuiabá (Série C, 6ª rodada)
24/06 – Sampa Corrêa x Salgueiro (Série C, 7ª rodada)

28/06 – Salgueiro x Sport (Estadual, final, volta)

Os 20 clubes da Copa do Nordeste 2018, com 11 já garantidos na fase de grupos

Os 20 clubes da Copa do Nordeste de 2018. Arte: Cassio Zirpoli/DP

A composição da Copa do Nordeste de 2018 está quase pronta. Ao menos, já saíram os nomes dos 20 clubes classificados. Uma pendenga na justiça atrasou o campeonato maranhense, que só agora definiu os seus finalistas, Sampaio e Cordino. Como cada clube ganhou um turno, ambos asseguraram vaga na 15ª edição do torneio regional. Entretanto, com a reformulação da Lampions, ainda não é possível dizer para qual etapa cada um se classificou.

O próximo Nordestão terá a mesma quantidade de participantes estabelecida em 2015, vinte, mas agora terá uma fase preliminar envolvendo oito times, com os vencedores dos quatro mata-matas avançando à fase de grupos, com doze já assegurados. Ou seja, apenas o campeão maranhense tem vaga nesta segunda fase, com o vice tendo que largar no “Pré-Nordestão”. A decisão no Maranhão está marcada para os dias 15 e 21 de junho. E essa definição tem relação direta com o Santa, que disputará a primeira fase nordestina, uma vez que os oito clubes serão divididos em dois potes no sorteio, de acordo com o Ranking da CBF – no pote 1, o tricolor enfrentará um time do 2. Se o Cordino for campeão estadual, o pote 2 teria CSA, Parnahyba, Itabaiana e Fluminense de Feira de Santana. Caso o Sampaio fique com a taça, o pote 2 teria Parnahyba, Itabaiana, Flu e Cordino.

Devido ao ranking nacional vigente, divulgado em dezembro de 2016, Sport, Vitória, Bahia e Ceará já estão assegurados como cabeças de chave no sorteio dos grupos. Caso passe da etapa preliminar, o Santa Cruz ficaria no pote 2 do novo sorteio, junto a ABC, CRB, já confirmados neste patamar. Os demais dependem dos classificados do “pré”. A premiação da próxima Copa do Nordeste deve chegar a R$ 23 milhões, num aumento de 24% em relação a edição de 2017, vencida pelo Baêa. Os estreantes da vez são Parnahyba e Cordino – até hoje, 53 clubes já participaram do regional.

Fase preliminar (8 clubes, passando 4)
Santa Cruz (3º de PE) – 26º no Ranking da CBF
Treze (vice da PB) – 69º
Globo (vice do RN) – 77º
CSA (vice de AL) – 90º
Panahyba (vice do PI) – 100º
Itabaiana (vice de SE) – 117º
Fluminense de Feria (3º na BA) – 131º
Vice do MA (indefinido)

Fase de grupos (16 clubes, com 4 grupos de 4)
Sport (finalista do PE) – 17º
Vitória (campeão na BA) – 20º
Bahia (vice na BA) – 21º
Ceará (campeão no CE) – 23º
ABC (campeão no RN) – 31º
CRB (campeão em AL) – 37º
Botafogo (campeão na PB) – 46º
Salgueiro (finalista do PE) – 49º
Confiança (campeão em SE) – 56º
Altos (campeão no PI) – 136º
Ferroviário (vice no CE) – s/r
Campeão do MA (indefinido)

A definir (fase de grupos, campeão estadual; fase pré, vice)
Sampaio Corrêa (finalista do MA) – 36º
Cordino (finalista do MA) – s/r

Dados dos participantes da Copa do Nordeste 2018:

Alagoas
CRB (campeão alagoano): 13 participações, com 1 vice
CSA (vice): 11 participações, com 2 semifinais 

Bahia
Vitória (campeão baiano): 13 participações, com 4 títulos, 3 vices e 2 semis
Bahia (vice): 13 participações, com 3 títulos, 3 vices e 3 semifinais
Fluminense de Feira (3º lugar): 6 participações, com 1 vice 

Ceará
Ceará (campeão cearense): 12 participações, com 1 título, 1 vice e 2 semis
Ferroviário (vice): 2 participações, com 2 fases de grupos 

Maranhão
Sampaio Corrêa (finalista estadual): 3 participações, com 3 fases de grupos
Cordino (finalista estadual): estreante

Paraíba
Botafogo (campeão paraibano): 13 participações, com 1 semifinal
Treze (vice): 7 participações, com 1 semifinal 

Pernambuco
Sport (finalista estadual): 12 participações, com 3 títulos, 2 vices e 4 semis
Salgueiro (finalista estadual): 3 participações, com 2 quartas de final
Santa Cruz (3º lugar): 11 participações, com 1 título e 3 semifinais 

Piauí
Altos (campeão piauiense): 1 participação, com 1 fase de grupos
Parnahyba (vice): estreante 

Rio Grande do Norte
ABC (campeão potiguar): 12 participações, com 1 vice e 1 semifinal
Globo (vice): 1 participação, com 1 fase de grupos 

Sergipe
Confiança (campeão sergipano): 9 participações, com 9 fases de grupos
Itabaiana (vice): 2 participações, com 1 quartas de final