Linha de uniformes do Náutico para a temporada 2017/2018, via Topper

Uniformes do Náutico para a temporada 2017/2018. Crédito: Náutico/twitter (@nauticope)

Após postergar o lançamento, o Náutico apresentou a linha de uniformes para a temporada 2017/2018, o segundo dos quatro anos da parceria do clube junto à Topper. Desta vez, o modelo masculino (R$ 219) traz uma gola com botão, enquanto a camisa feminina segue com uma gola decotada (R$ 209).

O novo padrão principal veio com um vídeo produzido pelo departamento de marketing nos Aflitos, onde o time deverá utilizá-lo no próximo ano.

“Se o futebol é uma paixão, o Náutico é amor incondicional. Um sentimento que vai além da compreensão. Um clube pra gente como você, que quando ama, ama de verdade. Todo dia, e não só de vez em quando. Na alegria ou na dificuldade, porque o Náutico não é só um clube, o Náutico é o seu clube. E essa é a sua camisa.”

Relembre a linha anterior com a Topper clicando aqui.

Alvirrubro, o que você achou do novo padrão?

Videocast – As maiores vitórias da história de Náutico, Santa Cruz e Sport

Os três clubes pernambucanos têm histórias centenárias, colecionando episódios marcantes na construção de suas torcidas, de suas respectivas identidades vitoriosas. Então, num universo de quase 15 mil jogos de futebol envolvendo Náutico, Santa e Sport, você conseguiria escolher a maior vitória de cada um? Entrando neste amplo debate, o 45 minutos analisou cada clube em três vídeos exclusivos com história, análise e humor, chegando aos vereditos nos Aflitos, no Arruda e na Ilha. O que deveria pesar mais, a importância da competição ou a época? Ou uma goleada, uma vitória sobre o rival numa decisão, uma classificação inacreditável… Foco apenas no profissionalismo? Pois é, são várias nuances, devidamente consideradas.

Até hoje, foram 2.300 vitórias do Náutico, 2.555 do Santa e 2.620 do Sport.

Estou nas produções. Assista e opine sobre o maior triunfo do seu clube…

Náutico (34 min)

Santa Cruz (32 min)

Sport (51 min)

MLS mostra a intensidade do jogo na pele do árbitro, mas foi esperta no áudio…

Vídeo gravado pelo árbitro da MLS

Durante o tour nos Estados Unidos, visando a temporada 2017/2018, Real Madrid enfrentou o “all-star team” da Major League Soccer. Até aí ok, assim como o resultado, com uma vitória merengue nos pênaltis após o 1 x 1.

Ocorre que o árbitro da partida disputada no Soldier Field, em Chicago, utilizou uma microcâmera presa no peito do uniforme. Nove dias após o amistoso, a MLS divulgou um vídeo com a intensidade da disputa na visão do juiz Allen Chapman, mesmo sendo uma peleja de pré-temporada.

Apesar da interessante edição de 3 minutos, o vídeo não traz os diálogos durante a partida, com uma trilha sonora de fundo. E trata-se de uma parte essencial sobre o trabalho da arbitragem, como a história ensina (a seguir).

Voltando 35 anos no tempo, chegamos a um episódio polêmico no futebol brasileiro, quando o árbitro José Roberto Wright entrou em campo com um microfone sem fio escondido em seu padrão. Ele havia topado a ideia de participar de uma reportagem do programa Esporte Espetacular, da Globo. O objetivo era mostrar a pressão sobre o árbitro (ou quase isso).

E não era num jogo qualquer, mas na decisão da Taça Guanabara de 1982. O Flamengo venceu o Vasco por 1 x 0, mas com a repercussão toda voltada sobre os diálogos, pelo uso indevido da imagem e pela suposta perseguição ao meia Giovane, do time cruz-maltino. Relembre e tire as suas conclusões.

Obs. Fica claro o motivo da trilha sonora no vídeo lá em Chicago…

A camisa 23 de Grafite retorna ao Santa Cruz, possivelmente até o fim da carreira

A camisa 23 de Grafite, de volta do ao Santa Cruz em 2017. Crédito: Santa Cruz/reprodução

Aos 38 anos, o atacante Grafite acertou o seu retorno ao Santa Cruz. Após uma rápida passagem no Atlético-PR, onde foi disputar a Libertadores depois de ter sido vice-artilheiro do Brasileirão, com 13 gols, o jogador decidiu dar uma pausaa na carreira. No Recife, onde mora, acabou mantendo contato com o tricolor, firmando um acordo até o fim da Série B de 2017, onde terá a missão de tirar o time da briga contra o rebaixamento, devendo se aposentar em seguida. Para o entendimento, perdoou algumas dívidas – saiu com quatro meses de atraso salarial – e ainda topou um salário no nível do elenco.

Esta é a 4ª passagem no clube do experiente jogador, após 2001, 2002 e 2015/2016. Celebrando a volta do camisa 23, a direção tricolor lançou um vídeo com o uniforme da marca Cobra Coral já estampado com o número e o nome do reforço, além de alguns momentos marcantes do Grafa.

Grafite trata a sua volta como “superação”. Resta ver o rendimento técnico.

Tricolor, o que você achou da volta do atacante ao Arruda?

Grafite no Santa Cruz
2001 – 22 jogos, 5 gols
2002 – 15 jogos, 11 gols
2015 – 15 jogos, 7 gols
2016 – 56 jogos, 24 gols

Total – 108 jogos, 47 gols

As primeiras imagens do Sport no game PES 2018, com as marcas Adidas e Caixa

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Sport no game Pro Evolution Soccer 2018. Crédito: officialpes/youtube

Pela 6ª consecutiva o Sport foi licenciado no game Pro Evolution Soccer, produzido pela Konami. No PES 2018, o leão vem com o seu uniforme rubro-negro atual, lançado pela Adidas para a temporada 2017/2018, com as faixas horizontais na parte frontal, vermelho dominante nas costas e as três listas douradas da fornecedora no ombro. Desta vez, o padrão do clube também vem com a patrocinadora-master, a Caixa Econômica Federal.

No trailer para o mercado brasileiro, a produtora confirmou o licenciamento do Brasileirão, com os vinte participantes da edição de 2017, incluindo Flamengo e Corinthians, que assinaram contratos de exclusividade. Durante as cenas sobre a jogabilidade, o Sport aparece em três momentos, em simulações contra Coritiba e São Paulo. No fim, na comemoração de um gol, um jogador troca de camisa rapidamente com os times licenciados. O blog captou os frames de cada momento para mostrar, num primeiro momento, como será a nova versão rubro-negra no game. Em relação aos nomes dos atletas, a tendência é que sejam genéricos. Por outro lado, Diego Souza aparece no PES 2018 como jogador da Seleção Brasileira, com imagem já digitalizada.

Clubes brasileiros licenciados no PES
2008 – 1 time
2009 – 1 time
2010 – 1 time
2011 – 5 times
2012 – 6 times
2013 – 20 times (Náutico e Sport)
2014 – 24 times (Náutico e Sport)
2015 – 21 times (Náutico e Sport)
2016 – 24 times (Sport)
2017 – 20 times (Sport e Santa Cruz)
2018 – 22 times (Sport)

Campeonato Brasileiro licenciado no Pro Evolution Soccer 2018, com o Sport

Clubes brasileiros licenciados no Pro Evolution Soccer 2018

Seguindo o contrato de dois anos, o Campeonato Brasileiro voltou a ser licenciado de forma exclusiva no game Pro Evolution Soccer. Até então, a produtora Konami assinava apenas contratos pontuais com os clubes. Para 2017 e 2018, a empresa firmou um acordo com a CBF com o objetivo de reproduzir a chancela da competição, com os vinte clubes, troféu, bola oficial e tabela. No PES 2018, a composição é a do campeonato de 2017. Ou seja, com o Sport, que aparece pela 6ª vez seguida no game. Pelo trailer para o mercado nacional, oito estádios foram digitalizados: São Januário, Maracanã, Arena Corinthians, Vila Belmiro, Morumbi, Allianz Parque, Beira-Rio e Mineirão

Pelo acordo Konami/CBF, o jogo também será utilizado no “E-Brasileirão”, o campeonato brasileiro de videogame. Na primeira fase, são feitas seletivas online em cada clube, de onde sairá um representante para a fase final.

No caso do Sport, a seletiva será em 17 de setembro, com até 1.024 vagas. Até a publicação deste post, 66 já haviam feito a inscrição gratuita. Veja aqui.

Eis os clubes brasileiros licenciados: Vasco, Palmeiras, Cruzeiro, Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Santos, Atlético-GO, Avaí, Bahia, Ponte Preta, Chapecoense, São Paulo, Atlético-PR, Coritiba, Sport e Vitória. Pelo trailer, Internacional e Red Bull Brasil também devem ser jogáveis, mas fora do contexto da Série A, naturalmente.

Obs. A narração do futebol brasileiro será de Milton Leite, locutor do SporTV.

O disfarce de Magrão como Alessandro…

Comercial com o goleiro Magrão, do Sport. Crédito: Shopping Recife/youtube (reprodução)

Com 655 partidas no Sport, Magrão é o jogador que mais atuou em um clube do Nordeste em todos os tempos. No Recife desde 2005, o goleiro tornou-se uma figura conhecida, embora seja mais reservado fora dos gramados.

Talvez por isso, numa associação com a imagem do goleiro, sem grandes polêmicas na carreira no futebol pernambucano, o “disfarce” dure pouco tempo como vendedor numa loja de material esportivo no Shopping Recife.

Na gravação do comercial, atuou como o funcionário “Alessandro”.

É o nome verdadeiro de Magrão, diga-se.

Acredite, esta não é a primeira vez de Magrão como “ator”. Veja aqui.

Flamengo x Corinthians, o Clássico da TV, sai da grade de Pernambuco pela 2ª vez

Corinthians x Flamengo ao vivo para todo o Brasil, menos Pernambuco. Arte: Cassio Zirpoli/DP

A partida entre Corinthians e Flamengo, pela 17ª rodada do Brasileirão 2017, entrou na grade da tevê aberta de 26 estados. O confronto entre os clubes mais populares do país é o pico de audiência da Rede Globo na competição. Não por acaso, a emissora paga R$ 170 milhões a cada um por temporada, segundo o acordo do triênio 2016-2018. Como consequência do robusto contrato, o canal trabalha a divulgação do jogo como o “Clássico Nacional”. Basta ver a chamada da partida exibida para 26 estados da rede.

“É mais que um jogo, é mais que um clássico, é mais que a rivalidade Rio-SP. É o desafio entre dois campeões do mundo, dois hexas (?) no Brasileirão e as duas maiores torcidas do país. Isso é Corinthians e Flamengo, a maior das disputas entre os gigantes nacionais. Domingo, 4 da tarde, o Brasil inteiro vai escolher um lado. Futebol na Globo, aqui é emoção.”

Considerando esta década, este será o 13º jogo na Série A. Ao todo, 12 passaram ao vivo em sinal aberto, tendo apenas uma exceção na tevê paga. Mas apenas por uma questão de ajuste forçado no calendário, pois a partida no returno de 2011 ocorreu numa quinta-feira. Ainda assim, entrou na programação do Sportv em horário nobre. Por isso, chama a atenção, mais uma vez, a ilha de audiência (e resistência) no futebol que é o Recife.

Em 2016, o estado foi o único em que a emissora não transmitiu o jogo do primeiro turno. Em vez disso, Botafogo 2 x 1 Santa na Globo Nordeste – fato ocorrido somente após dez edições do “Clássico Nacional”. No primeiro turno de 2017, o mesmo cenário, com a afiliada local agendando Bahia x Sport no lugar do duelo de domingo na Arena Corinthians. Claro, a escolha também é baseada em audiência, com partidas decisivas do Trio de Ferro registrando 40 pontos – bem acima de outras praças -, como foi o caso do Sport, presente nas cinco maiores audiências de clubes no Recife, no ano, até o momento

As 5 maiores audiências na tevê aberta no Recife em 2017*
1.184.400 – Bahia 1 x 0 Sport (24/05, Nordestão)
1.129.485 – Santa Cruz 0 x 2 Sport (03/05, Nordestão)
1.107.600 – Sport 1 x 1 Bahia (17/05, Nordestão)
976.458 – Salgueiro 0 x 1 Sport (28/06, Estadual)
833.147 – Sport 1 x 1 Salgueiro (07/05, Estadual)
* A média de telespectadores

Em termos de torcida, tomando como base a última pesquisa nacional do Ibope, de 2014, Fla e Timão teriam a preferência de 29,8% da população, ou 59,9 milhões de aficionados. É gente demais, mas, nesta mesma pesquisa, ambos teriam apenas 9,6% em Pernambuco. O Ibope deve lançar uma nova pesquisa em setembro, que se transformará na próxima base de comparação.

Número de estados que assistiram ao Clássico Nacional na tevê aberta
05/06/2011 – Flamengo 1 x 1 Corinthians (Engenhão) – 18 estados (com PE)
08/09/2011 – Corinthians 2 x 1 Flamengo (Pacaembu) – Sportv
18/07/2012 – Flamengo 0 x 3 Corinthians (Engenhão) – 18 estados (com PE)
10/10/2012 – Corinthians 3 x 2 Flamengo (Pacaembu) – 25 estados (com PE)
01/09/2013 – Corinthians 4 x 0 Flamengo (Pacaembu) – 26 estados (com PE)
24/11/2013 – Flamengo 1 x 0 Corinthians (Maracanã) – 26 estados (com PE)
27/04/2014 – Corinthians 2 x 0 Flamengo (Pacaembu) – 25 estados (com PE)
14/09/2014 – Flamengo 1 x 0 Corinthians (Maracanã) – 23 estados (com PE)
12/07/2015 – Flamengo 0 x 3 Corinthians (Maracanã) – 26 estados (com PE)
25/10/2015 – Corinthians 1 x 0 Flamengo (Itaquerão) – 25 estados (com PE)
03/07/2016 – Corinthians 4 x 0 Flamengo (Itaquerão) – 26 estados (sem PE)
23/10/2016 – Flamengo 2 x 2 Corinthians (Maracanã) – 26 estados (com PE)
30/07/2017 – Corinthians x Flamengo (Itaquerão) – 26 estados (sem PE)

Pesquisas de torcida do Ibope em 2014: Brasil e Pernambuco.

Federer reina na grama de Wimbledon pela 8ª vez e amplia lenda no Grand Slam

Roger Federer conquista o grand slam na grama pela 8ª vez. Foto: Roger Federer/twitter (@rogerfederer)

Em plena forma, o tenista Roger Federer conquistou o título de Wimbledon pela 8ª vez na carreira. Assim, desempatou a disputa com Pete Sampras, tornando-se o maior vencedor na grama do All England Club. Aos 35 anos, o suíço venceu os sete jogos por 3 sets a 0, numa campanha impressionante. Na decisão de 2017, não deu chance ao croata Marin Cilic, fazendo 6/3, 6/1 e 6/4 e voltando a ganhar a taça dourada após cinco anos.

Claro, ampliou o recorde nos torneios de simples do Grand Slam, chegando a 19 conquistas. Abaixo, os maiores vencedores ma “era aberta”, com o profissionalismo em vigor desde 1968, tanto no masculino quanto no feminino. Por fim, o ace que rendeu mais um capítulo brilhante a esta lenda do tênis.

Os maiores vencedores na Era Aberta

Torneios masculinos
Australian Open – Novak Djokovic, 6 vezes (2008, 11-13, 15 e 16)
Roland Garros – Rafael Nadal, 10 vezes (2005-08, 10-14 e 17)
Wimbledon – Roger Federer, 8 vezes (2003-07, 09, 12 e 17)
US Open - Jimmy Connors, 5 vezes (1974, 76, 78, 82-83); Pete Sampras, 5 vezes (1990, 93, 95-96, 2002); Roger Federer, 5 vezes (2004-08)

Torneios femininos
Australian Open – Serena Williams, 7 vezes (2003, 05, 07, 09-10, 15, 17)
Roland Garros – Chris Evert, 7 vezes (1974-75, 79-80, 83, 85-86)
Wimbledon – Martina Navratilova, 9 vezes (1978-79, 82-87 e 90)
US Open - Chris Evert, 6 vezes (1975-78, 80, 82); Serena Williams, 6 vezez (1999, 2002, 08, 12-14)

Os maiores campeões (soma dos 4 torneios)
19 – Roger Federer (Suíça)
15 – Rafael Nadal (Espanha)
14 – Pete Sampas (EUA)
12 – Nova Djokovic (Sérvia)

As maiores campeãs (soma dos 4 torneios)
23 – Serena Williams (EUA)
22 – Steffi Graf (Alemanha)
18 – Chris Evert (EUA)
18 – Martina Navratilova (EUA)

A versão de Diego Souza sobre a novela entre Sport e Palmeiras. Segue na Ilha…

A novela sobre o destino de Diego Souza foi longa, entre a permanência no Sport e a ida ao Palmeiras, pontuada pela ausência na partida contra Coxa, justificada por problemas particulares. Ao se reapresentar no rubro-negro, após quatro dias, o camisa 87 fez um pronunciamento no CT de Paratibe, com 18 minutos ininterruptos. Assista à íntegra abaixo, via Superesportes.

Rusga com a direção leonina, multa de 1,6 milhão de euros, irritação com Edmundo, aviso aos companheiros de time etc.

O meia-atacante permanece na Ilha, com contrato até dezembro de 2018.

Deve fazer o 7º jogo contra a Chapecoense, inviabilizando a participação em outro clube no Campeonato Brasileiro de 2017.