Daniel Paulista deixa o comando do Sport com as 4 metas alcançadas, sem futebol

Pernambucano 2017, 8ª rodada: Sport 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Ricardo Fernandes/DP

A decisão de escalar o time titular no clássico contra o Santa, com as quartas do Nordestão a seguir, foi de encontro ao discurso sobre o planejamento traçado no Sport. Tanto do presidente Arnaldo Barros quanto de Daniel Paulista. O técnico foi para o all in, numa aposta desnecessária. Com o time reserva, a análise seria outra. Com o time titular, que seguiu jogando mal, o treinador acabou fomentando a sua própria saída. Três horas após o empate.

Daniel, lembrando, assumiu o comando do Leão na 31ª rodada da Série A, após a saída de Oswaldo de Oliveira, que foi para o Corinthians. Com 4 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, manteve o clube na elite, com direito à vaga na Sula. Porém, pela proposta de campanha do então candidato Arnaldo, ele seria o técnico do time B, o reserva, atuando integralmente no Estadual. Mas o tempo passou e um novo nome não chegou. Daniel, aos 34 anos, assumiu os dois times, A e B. Com o principal, alcançou todas as metas: quartas na Lampions, semifinal no Estadual e 4ª fase na Copa do Brasil. Só não fez o time jogar bola, não mesmo. E isso pesou na decisão sobre a sua saída.

Trecho da nota do Sport
“Ele (Daniel) marcou a trajetória do Leão como jogador e, na Praça da Bandeira, deu seus primeiros passos na carreira de treinador, que o Clube deseja que seja longa e vencedora. Por questões de planejamento, porém, Daniel Pollo Barion não ocupa mais o cargo de técnico do Sport. Jovem e talentoso, Paulista tem as ferramentas necessárias para seguir fazendo história no futebol. O Sport convidou Daniel a continuar trabalhando no Clube, exercendo outra função.”

Sport em 2017, com Daniel Paulista
Nordestão: 6 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 1 derrota
Estadual: 8 jogos, 3 vitórias, 4 empates, 1 derrota
Copa do Brasil: 4 jogos, 4 vitórias

Total em 2016: 18 jogos; 11 vitórias, 5 empates e 2 derrotas

Ao todo, um aproveitamento de 70,3%. Número excelente, mas que não pode ser analisado tão friamente. Não houve confrontos de Série A.

A mudança no comando, em busca de uma melhor extração da capacidade técnica do grupo, era necessária. Não havia evolução. Será que a saída foi tarde demais? Veremos a partir de agora, com a maratona de mata-matas…

Joinville x Sport. Em jogo, R$ 1 milhão e a vaga nas oitavas da Copa do Brasil

Joinville x Sport, o confronto na 4ª fase da Copa do Brasil. Crédito: Joinville/site oficial

O Sport avançou nas três primeiras fases da Copa do Brasil através de goleadas, sobre CSA, Sete de Dourados e Boavista. Na quarta fase, o Leão irá encarar mais um adversário abaixo das duas principais divisões do futebol brasileiro. Em sorteio realizado na sede da CBF, no Rio de Janeiro, o time pernambucano foi logo a primeira bolinha selecionada, junto ao Joinville, recém-rebaixado à Série C. Cabe ao rubro-negro render em campo, claro, mas o resultado foi bem camarada. Em termos de nível técnico, o duelo é bem acessível. Ainda mais comparando com as demais opções. Entre as nove bolinhas estavam Corinthians, São Paulo, Cruzeiro, Flu, Vitória e Inter.

Prováveis datas da chave, ambas em abril: 12 (Ilha) e 19 (Arena Joinville)

Vale destacar que das 15 partidas oficiais disputadas em 2017, os leoninos só enfrentaram clubes presentes nas Série B, C e D, além de times sem divisão.

Confrontos da 4ª fase da Copa do Brasil
Sport x Joinville*
Vitória x ASA* ou Paraná*
Fluminense* x Goiás
Corinthians* x Internacional
Cruzeiro* x São Paulo
* Decidem em casa

Pré-classificados às oitavas: Santa, Paysandu, Atléticos MG, Atlético-PR, Atlético-GO, Chapecoense, Palmeiras, Santos, Flamengo, Botafogo e Grêmio

O confronto contra os catarinenses vale a passagem às oitavas de final e uma generosa cota, no primeiro repasse milionário do torneio. Em caso de classificação nesta 23ª participação, o Sport chegaria a dez campanhas nas oitavas – lá, será feito um novo sorteio. A última foi em 2010. Faz tempo.

Cotas do Sport na Copa do Brasil
1ª fase – R$ 525 mil (4 x 1 CSA)
2ª fase – R$ 595 mil (3 x 0 Sete de Setembro)
3ª fase – R$ 810 mil (3 x 0 e 1 x 0 Boavista)
4ª fase – R$ 900 mil (vs Joinville)
Oitavas – R$ 1,05 milhão?

Sport vence Boavista, chega à 4ª fase e já soma R$ 2,83 milhões na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 3ª fase: Sport x Boavista. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Nove edições após o título da Copa do Brasil, finalmente o Sport voltou a avançar em três mata-matas. Com mais uma vitória sobre o Boavista, o Leão chegou à 4ª fase do torneio, que no novo formato corresponde aos 16 avos de final, cujo adversário será decidido em sorteio. Em mais uma noite às moscas na Ilha neste ano, com apenas 2.014 espectadores, um jogo morno. Embora Daniel Paulista tenha escalado força máxima, exceção feita a Rithely, ainda vetado, o time entrou numa rotação baixa diante do time fluminense, formado por reservas. O 0 x 3 em Saquarema praticamente decidiu o confronto, refletindo bastante duelo no Recife. Faltou futebol, competitividade.

A gol da vitória leonina, por 1 x 0, foi de Diego Souza. Recebeu de André, livre de marcação na área, e bateu cruzado. Chegou a 5 gols em partidas oficiais em 2017, se igualando a André e Rogério, os goleadores da equipe. Foi o seu último ato antes da apresentação à Seleção Brasileira, onde participará dos jogos contra Uruguai e Paraguai, pelas Eliminatórias. Com Tite, será atacante.

Voltando à Copa do Brasil, o Leão já soma R$ 2,83 milhões em cotas de participação, já considerando o novo repasse e a ampliação das cotas anunciada pela CBF. Como comparação, a premiação absoluta pelo título da Lampions League é de R$ 2,85 milhões. Na próxima fase, já valendo uma cota milionária, a tendência é ter pela frente um adversário de peso, como São Paulo, Cruzeiro ou Fluminense, por exemplo. Precisará acelerar.

Cotas do Sport na Copa do Brasil
1ª fase – R$ 525 mil (vs CSA – AL)
2ª fase – R$ 595 mil (vs Sete de Setembro – MS)
3ª fase – R$ 810 mil (vs Boavista – RJ)
4ª fase – R$ 900 mil (a definir)
Oitavas – R$ 1,05 milhão?

Copa do Brasil 2017, 3ª fase: Sport x Boavista. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

A simulação das novas cotas da Copa do Brasil, com aporte extra de R$ 17 milhões

Simulação das novas cotas da Copa do Brasil 2017. Crédito: Douglas Batista/divulgação (@dbatistadacruz)

Com a Copa do Brasil de 2017 já na terceira fase, a CBF anunciou um aumento nas cotas de participação no torneio. Em nota enviada a todas as federações estaduais, a entidade justificou o adicional após “intensas negociações com fornecedores”, como destaca a ESPN. O acréscimo foi de R$ 17 milhões, sendo proporcional em todas as fases, com 91 clubes envolvidos. Porém, a circular não detalhou o quanto isso representa especificamente. Vamos lá…

O recifense Douglas Batista calculou a premiação total, fase por fase (quadro acima). Com isso, o novo aporte corresponde a um aumento de 19,1% sobre o valor bruto até então, passando R$ 89 mi para R$ 106 milhões. Considerando todas as oito etapas e o grupo 1 nas duas primeiras (com valores diferenciados aos times de melhor ranking nacional), o campeão poderia arrecadar até R$ 11,68 milhões. Agora, pode chegar a R$ 13.916.963.

Onze clubes vão largar somente nas oitavas de final (incluindo o Santa Cruz, como atual campeão nordestino). Para esse bolo, o título subiu de 9,13 mi para 10,87 milhões de reais. O anúncio mudou diretamente os ganhos dos quatro representantes pernambucanos no torneio vigente. De cara, R$ 571 mil a mais.

R$ 1,929 milhão – Sport, até a 3ª fase (+309 mil)
R$ 1,048 milhão – Santa Cruz, a partir das oitavas (+168 mil)
R$ 297 mil  - Náutico – R$ 297 mil, eliminado, na 1ª fase (+47 mil)
R$ 297 mil – Salgueiro – R$ 297 mil, eliminado, na 1ª fase (+47 mil)

Confira as cotas originais da Copa do Brasil, de 2012 a 2017, clicando aqui.

Abaixo, a projeção de cotas somando todos os clubes, fase por fase.

Simulação das novas cotas da Copa do Brasil 2017. Crédito: Douglas Batista/divulgação (@dbatistadacruz)

Sport completa 5.000 jogos de futebol

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

A vitória do Sport sobre o Boavista, no Rio, pela terceira fase da Copa do Brasil, foi emblemática para a história leonina. Ainda que distante de casa, com poucos torcedores presentes no acanhado estádio em Saquarema e alheio à estatística, o clube completou 5.000 jogos com o time principal em 113 temporadas. A conta parte da peleja dos fundadores do clube lá no campo do Derby, ainda existente. Curiosamente, o rubro-negro  alcançou a marca onze dias após o rival tricolor, numa compilação do blog a partir do acervo de Carlos Celso Cordeiro.

Confira o retrospecto completo do Sport clicando aqui.

Nº de jogos do Trio de Ferro
5.002 – Santa Cruz
5.000 – Sport
4.679 – Náutico

1º jogo leonino
Sport 2 x 2 English Eleven, em 22/06/1905, no Derby

5.000º jogo leonino
Boavista 0 x 3 Sport, em 08/03/2017, em Saquarema-RJ

Total* (competições oficiais e amistosos)
5.000 jogos (9.330 GP e 5.401 GC, +3.929)
2.601 vitórias (52,02%)
1.176 empates (19,60%)
1.213 derrotas (24,26%)
* 10 jogos com placar desconhecido

Na Ilha do Retiro (competições oficiais e amistosos)
2.118 jogos
1.306 vitórias (61,66%)
461 empates (21,76%)
351 derrotas (16,57%)

Nº de jogos por competição
2.203 – Estadual
874 – Brasileiro
116 – Copa do Nordeste
107 – Copa do Brasil
14 – Libertadores

12 – Sul-Americana 

Nº de Clássicos
553 vs Santa Cruz
546 vs Náutico

Mais jogos: 623, Magrão (2005-2017), ou 12,46% do clube

Mais gols: 202, Traçaia (1955-1962), ou 2,16% do clube

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sport goleia o Boavista no Rio e abre boa vantagem para avançar na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Com a Copa do Brasil finalmente entrando no formato com jogos de ida e volta, o Sport abriu ótima vantagem em Saquarema. Abrindo a terceira fase, o time pernambucano goleou o rodado time do Boavista por 3 x 0 e traz uma folga para a Ilha, onde jogará para sacramentar a classificação dentro de uma semana.

Vindo de um revés no clássico, o Leão teve desfalques importantes, Rithely e Rogério, vetados pelo DM. Rodrigo compôs a cabeça de área com Ronaldo, com atuação regular. Na frente, André foi acionado, com Leandro Pereira caindo pela ponta esquerda. Foi a primeira chance efetiva do camisa 90, como titular com a formação principal. Coincidência ou não, enfim rendeu. Nos primeiros 18 minutos, uma cabeçada no travessão e um gol. Animado pelo desafogo particular, seguiu participativo – ao todo, finalizaria cinco vezes. Embora tenha sido pressionado nos primeiros minutos, com o ex-rubro-negro Maicon ganhando a disputa para o estreante Mena (que depois melhorou), o Sport controlou o jogo, com 55% de posse. E ampliou ainda no primeiro tempo. Diego Souza converteu o pênalti sofrida por ele mesmo, quando chapelou o zagueiro.

Na etapa complementar, o Leão jogou mais solto, chegando bastante à meta do time de Joel Santana. Fechou o placar aos 29, num cruzamento preciso de Samuel Xavier para André, que bateu com categoria e marcou o seu segundo (fim a inhaca?). Em termos de cotas, o clube soma R$ 1,62 milhão e jogará para ganhar os R$ 750 mil correspondentes à quarta fase. Está quase lá…

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O legado do Sport no Sete de Dourados, com a produção de uma camisa especial

Camisa do Sete de Setembro de Dourados em homenagem ao Sport. Crédito: Sete de Dourados/facebook (@cdsetedesetembrooficial)

O modesto Sete de Dourados fez a sua estreia na Copa do Brasil em 2017. Com uma folha de apenas R$ 98 mil, o clube sul-mato-grossense conseguiu avançar à segunda fase, onde enfrentou o Sport. O jogo no Recife foi apontado pela direção como o “mais importante da história do clube”. À frente até da final do campeonato estadual de 2016, quando ficou com o título. Em campo, pouco fez, sendo facilmente batido por 3 x 0. Deixou a competição com R$ 565 mil em cotas, o maior valor já arrecadado pelo clube desde a sua profissionalização.

A passagem no Recife, com o time tirando fotos com atletas rubro-negros e da própria Ilha, gerou um engajamento da torcida do Sport na página oficial do clube no facebook. Simpatia mútua com uma ação curiosa por parte do tricolor. Duas semanas após a partida, com 500 rubro-negros passando a seguir o perfil do ex-rival, o Sete anunciou a produção de uma camisa em homenagem ao Sport. À parte dos dois uniformes oficiais, azul com detalhes vermelhos e branco, o modelo especial tem listras horizontais nas cores azul e vermelha, emulando o design utilizado pelo clube pernambucano. Em vez de Adidas, RM Camisetas.

“Em breve, uma singela homenagem ao Maior do Nordeste, Sport Recife, e essa torcida que tem demonstrado um carinho imenso com nosso clube”

Sport goleia Sete de Dourados e já soma R$ 1,6 milhão em cotas na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 2ª fase: Sport 3 x 0 Sete de Setembro-MS. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Em um confronto com um abismo técnico, o Sport cumpriu o script na Ilha. Goleou o Sete de Setembro e avançou à 3ª fase da Copa do Brasil. Teve extrema facilidade para chegar na meta sul-mato-grossense, mas, com preciosismo e pecando nas finalizações, o placar foi até econômico, 3 x 0.

O adversário veio ao Recife disposto à retranca, mas passou longe disso. O futebol apresentado condiz com o cartel na temporada – agora, uma vitória em sete jogos. Quando dominou a bola um pouco, só conseguiu arremates de fora da área, longe de Magrão. No lado leonino, mesmo sem a intensidade cobrada, bastava um troca de passes para chegar com perigo, sobretudo pela direita, com Rogério. Por lá, aliás, saíram os gols no primeiro tempo. Ambos com o centroavante Leandro Pereira, que desencantou. Concluiu dois cruzamentos, de Samuel Xavier e Rogério. De pé direito (10) e de cabeça (23). Logo no início do segundo tempo (cujo ritmo seria ainda mais cadenciado), Rogério definiu.

Com a classificação, o clube pernambucano já soma R$ 1,62 milhão em cotas. O valor já supera em 670 mil a verba do Estadual e equivale a chegar na semi do Nordestão. Na próxima fase, o Leão vai encarar o Boavista do Rio – apesar de modesto, recebeu R$ 4 milhões da TV pelo Carioca. O time é treinado por Joel Santana e tem caras conhecidas na Ilha, como os laterais Maicon e Christianno. Nesta fase, finalmente volta o regulamento clássico, com ida e volta e gol qualificado. Provavelmente, com um nível de dificuldade maior.

Cotas do Sport na Copa do Brasil
1ª fase – R$ 440 mil (vs CSA – AL)
2ª fase – R$ 500 mil (vs Sete de Setembro – MS)
3ª fase – R$ 680 mil (vs Boavista – RJ)
4ª fase – R$ 750 mil?

Copa do Brasil 2017, 2ª fase: Sport 3 x 0 Sete de Setembro-MS. Foto: Paulo Paiva/DP

Salgueiro perde a invencibilidade em 2017 no 10º jogo oficial, logo na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 1ª fase: Sinop-MT x Salgueiro. Foto: Leandro De Marco/Sinop/facebook (@sinopfutebolclubeoficial)

De Salgueiro, no sertão pernambucano, até Sinop, no norte do Mato Grosso. Uma viagem trabalhosa, com conexões e muita paciência para chegar ao destino. O Carcará encarou tudo isso com a missão de manter a invencibilidade na temporada, o que já seria suficiente para obter a classificação à segunda fase da Copa do Brasil. Pressionado e jogando com um a menos desde os 8 do segundo tempo, após a expulsão de Ranieri, o time acabou sofrendo o solitário gol da noite aos 39 minutos. Depois, entre lesões e outro vermelho, terminou com apenas oito jogadores. Insuficiente para uma reação, Sinop 1 x 0.

O Salgueiro foi eliminado na 1ª fase pelo segundo ano seguido. Curiosamente, nos dois casos a classificação teria proporcionado um (rentável) confronto contra o Fluminense. Assim, o clube saiu da copa com apenas uma cota, de R$ 250 mil – a vaga teria rendido mais R$ 315 mil. Algumas das consequências do primeiro revés após 10 apresentações oficiais. E olhe que nos cinco jogos anteriores como visitante o time havia vencido todos. Falhou no mais importante até o momento, que fomentaria a receita para a participação na Série C.

A viagem de volta até o Cornélio será longa… ainda mais com o baque.

Salgueiro em 2017
Estadual (1ª fase) – 6 jogos, 5 vitórias e 1 empate

Estadual (hexagonal) – 3 jogos, 2 vitórias e 1 empate
Copa do Brasil – 1 jogo; 1 derrota

Total – 10 jogos; 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota

Náutico perde em Juazeiro e é eliminado na 1ª fase da Copa do Brasil pela 5ª vez

Copa do Brasil 2017, 1ª fase: Guarani de Juazeiro 1 x 0 Náutico. Imagem: Rede Globo/reprodução

O Náutico entrou numa curva descendente que vem custando caro neste início de temporada. São apenas sete jogos oficiais, ok, mas o time sofreu a 4ª derrota seguida. No revés diante do Guarani de Juazeiro, por 1 x 0, após rebote de Tiago Cardoso, somou também a 4ª partida sem marcar gols. A consequência do futebol inoperante é a primeira eliminação em 2017, ainda em fevereiro. 

O resultado no interior cearense encerrou um dos principais caminhos para a captação de receitas – além do moral junto à torcida. Pela participação na primeira fase da Copa do Brasil, o alvirrubro recebeu R$ 250 mil. A cota da etapa seguinte renderia, como se esperava, mais R$ 315 mil ao clube. Nada feito, como já havia sido em 2016, diante de outro interiorano da região.

Ao todo, em 22 participações na copa, esta foi a 5ª eliminação do Náutico na primeira fase. Somente em 2013 o clube tinha um argumento concreto, pois jogou com os reservas para poder ir à Copa Sul-Americana – que condicionava a vaga à eliminação precoce no torneio nacional. Nas demais, todas contra nordestinos, o time entrou como favorito. Agora, com Dado Cavalcanti por um triz (de fato, a equipe não rende), o clube de Rosa e Silva conseguiu a proeza de ser eliminado nos “128 avos de final”, devido à ampliação do torneio.

Eliminações do Náutico na 1ª fase da Copa do Brasil
1992 – Sergipe (2 x 1 e 0 x 2)
2001 – ABC (2 x 2 e 0 x 2)
2013 – Crac-GO (1 x 3 e 1 x 1)
2016 – Vitória da Conquista (0 x 0 e 1 x 1)
2017 – Guarani de Juazeiro (0 x 1) 

Atualização: Dado Cavalcanti entrou o cargo e não treina mais o timbu…

Copa do Brasil 2017, 1ª fase: Guarani de Juazeiro 1 x 0 Náutico. Imagem: Rede Globo/reprodução