A sétima bola da final europeia em Wembley

Bola oficial da final da Liga dos Campeões 2013, a "Wembley Finale". Crédito: Adidas/divulgação

Pela sétima vez o mítico estádio de Wembley receberá a decisão da Liga dos Campeões da Uefa.

O jogo desta temporada no maior estádio inglês é uma homenagem aos 150 anos da The Football Association, a federação inglesa. Trata-se da entidade de futebol mais antiga do mundo. A Fifa foi fundada 41 anos depois…

E já começaram as ações de marketing para promover a decisão do torneio de clubes mais rico do planeta, como se já não fosse suficiente a mídia envolvida.

Entre os atos, a bola oficial, produzida pela 13ª vez pela Adidas, a Finale Wembley. Há dois anos a pelota foi batizada de London Finale (veja aqui).

No design, a bola lembra justamente as finais anteriores no estádio londrino, vencidas por Milan (1963), Manchester United (1968), Ajax (1971), Liverpool (1978) e Barcelona (1992 e 2011).

A 7ª final em Wembley será disputada em 25 de maio. Favoritos?

Bola oficial da final da Liga dos Campeões 2013, a "Wembley Finale". Crédito: Adidas/divulgação

Hora de decidir a Liga dos Campeões em 180 minutos

Oitavas de final da Liga dos Campeões da Uefa 2012/2013. Crédito: Fifa/divulgação

Liga dos Campeões da Uefa em 180 minutos.

Definidas as chaves das oitavas da final da edição 2012/2013, na primeira etapa com eliminação direta do torneio que reúne os maiores clubes do Velho Mundo (veja aqui).

Galatasaray x Schalke 04
Duelo com times medianos, considerando os demais finalistas da competição. Contudo, as duas torcidas estão entre as mais fanáticas do continente, tanto na Turquia quanto na Alemanha. O clima quente na arquibancada poderá se estender ao gramado.

Celtic x Juventus
Surpresa no grupo G, ao ficar à frente de Benfica e Spartak Moscou, o aguerrido clubes escocês sonha repetir a glória continental de 1967. Mas o favoritismo está tod0 com a Velha Senhora, atual campeã italiana e já na ponta na nova temporada do Calcio, bem organizada com a técnica do meia Andrea Pirlo.

Arsenal x Bayern de Munique
O título do Chelsea, rival londrino, aumentou a pressão dos gunners, ainda em busca de sua primeira taça da Liga dos Campeões. A missão do time inglês segue inglória, ainda mais sem o atacante Van Persie, agora no United. Encarar o Bayern, líder disparado da Bundesliga, não melhora em nada o cenário.

Shakhtar Donetsk x Borussia Dortmud
Atual bicampeão alemão, o Borussia, campeão europeu em 1997, chega ao mata-mata credenciado pelo segundo melhor desempenho na fase de grupos, com 14 pontos, invicto. Já o representante ucraniano, derrotado vezes na edição vigente, terá bastante trabalho para conter a turma do rápido atacante Lewandowski.

Milan x Barcelona
Em campo, 11 títulos europeus. Apesar da enorme tradição rossoneri, o heptacampeão Milan aparece como “azarão”. Enquanto os espanhóis mantêm o alto nível técnico, o Milan avançou de fase com a pior campanha entre os 16, com apenas oito pontos.

Real Madrid x Manchester United
Numa primeira análise, este é disparado o confronto mais empolgante das oitavas de final. Os dois clubes vêm batendo na trave nas últimas edições da Champions. Rooney e Van Persie nos diab0s vermelhos e Cristiano Ronaldo, ainda em grande fase, ao lado das estrelas merengues. Imprevisível e imperdível.

Valencia x Paris Saint-Germain
O PSG foi o líder geral, com 15 pontos em 18 possíveis, sempre com Ibrahimovic como destaque. Contratado por 24 milhões de euros, o sueco já marcou 17 gols em 15 partidas pelo clube francês. O Valencia, vice-campeão europeu em 2000 e 2001, faz uma campanha frustrante na liga espanhola, atualmente em 11º lugar após 21 rodadas.

Porto x Málaga
Um choque ibérico encerra as oitavas. O Málaga surpreendeu ao ficar com a liderança do grupo C, com 12 pontos, deixando o Milan em segundo. Mesmo com 13 pontos, um a mais que o novo adversário, o Porto ficou na segunda posição. Na tradição, goleada. O time português ostenta 2 títulos da Europa, em 1987 e 2004.

Qual é a sua opinião sobre os possíveis classificados às quartas de final da Champions?

Sorteio das oitavas de final da Liga dos Campeões 2012-2013. Foto: Uefa/divulgação

Fair Play Financeiro para moderar as gestões nos clubes

Financial Fair Play

No futebol, alguns clubes apresentam um poder de compra ilimitado. Ou pelo menos apresentavam, uma vez que uma nova era se aproxima na administração das equipes.

A gastança promovida por Chelsea e Paris Saint-Germain, turbinados por bilionários sem perspectiva de retorno num prazo aceitável, acendeu a luz amarela na Uefa sobre a competitividade imposta pela soma vultosa de dinheiro no esporte do Velho Mundo.

A partir disso foi elaborado o Fair Play Financeiro. Criado em 2009, o projeto deverá ser implantado de forma oficial a partir da temporada 2013/2014 (veja aqui).

1) Introduzir mais disciplina e racionalidade nas finanças dos clubes;
2) Diminuir a pressão sobre salários e verbas de transferências e limitar a inflação;
3) Encorajar os clubes a competir apenas com valores das suas receitas;
4) Encorajar investimentos a longo prazo no futebol juvenil e em infraestruturas;
5) Proteger a viabilidade a longo prazo do futebol europeu;
6) Assegurar que os clubes resolvem os seus problemas financeiros a tempo e horas.

Os seis pontos visam evitar a bolha econômica que vem se formando nas últimas temporadas com uma elevação das despesas acima da média.

Por fim, a regra será fundamentada na “punição”, que pode ir da perda de pontos à exclusão de campeonatos, dependendo do modelo de gestão.

Abaixo, o debate promovido pela Universidade do Futebol, com comentaristas, representantes do Ministério do Esporte e profissionais de gestão e marketing.

No Brasil, o primeiro passo deste tipo surgiu no Campeonato Paulista. O clube que chegar a três meses de atraso de salário perderá pontos no torneio.

Você aprovaria essa ideia no futebol pernambucano?

Campeão de bilheteria real

Real Madrid

Pela primeira vez história uma instituição esportiva ultrapassou em sua receita anual a barreira dos 500 milhões de euros.

Mérito do Real Madrid, que faturou 514 milhões euros na temporada 2011/2012, cuja análise fiscal acabou de ser encerrada (veja aqui).

Convertendo, US$ 667 milhões ou R$ 1,35 bilhão.

O número geral é 7% maior que na temporada anterior. Receita altíssima.

Em euros, o faturamento do Real Madrid.

2010-2011: 480,2 milhões
2011-2012: 514,0 milhões
2012-2013: 516,6 milhões (projeção)

O lucro foi de 24,2 milhões de euros. E olhe que o clube amortizou a sua dívida em 26,5%, agora de 124 milhões. Sim, apesar desse faturamento todo, o Real deve…

Um triênio de prêmios bilionários na Uefa

Prêmios da Uefa de 2009 a 2012. Crédito: Futebol Finance

No último triênio, a Uefa distribuiu 2.691 bilhões de euros em premiações para os clubes nos torneios continentais, Liga dos Campeões, Liga Europa e Supercopa.

O portal Futebol Finance fez um levantamento com todos os clubes que alcançaram a fase de grupos, listando prêmio por prêmio a cada fase.

A Inglaterra, com dez clubes no período, recebeu 493.721.000 euros. Só o Chelsea representa 28% disso. O país com mais times foi a Itália, com onze, em 4º lugar no geral, com uma média de 29 milhões de euros por clubes – contra 49 mi dos britânicos.

Começa o verdadeiro campeonato europeu, de clubes

Sorteio da Liga dos Campeões. Foto: Uefa/divulgação

Fim da fase preliminar interclubes na Europa. Fase de grupos a postos.

A Uefa sorteou nesta sexta-feira as oito chaves da temporada 2012/2013 da Liga dos Campeões, dando início de fato à milionária competição.

A -  Porto, Dínamo de Kiev, Paris Saint-Germain e Dínamo Zagreb

Dono de dois títulos no torneio, o Porto de Hulk pode até ser o mais tradicional da primeira chave, mas o plantel mais forte é o do novo rico do continente, o PSG de Ibrahimovic, Tiago Silva e cia. Sem trocadilho, os Dínamos são times de operários.

B – Arsenal, Schalke 04, Olympiakos e Montpellier

Campeão francês, o Montpellier deve brigar com o Shalke pela segunda vaga. No embalo da crise grega, o Olympiakos aparece como coadjuvante. Mesmo sem o atacante Van Persie, o Arsenal é favorito à vaga, apesar das amareladas históricas no torneio.

C – Milan, Zenit, Anderlecht e Málaga

O rossoneri é o favorito absoluto. Heptacampeão da Champions League, o Milan tem mais cancha e mais elenco. A briga pela segunda posição deverá ser enorme. Zenit e Anderlecht já festejaram conquistas internacionais menores na Europa.

D – Real Madrid, Manchester City, Ajax  e Borussia Dortmund

Um campeonato à parte. Uma chave espetacular, com três campeões europeus e, fechando o quarteto, o atual campeão inglês. Apesar da força do nome, o Real deverá se esforçar um bocado para avançar, ainda que siga supercotado.

E – Chelsea, Shakthar Donetsk, Juventus e Nordesjaelland

O atual detentor da “orelhuda”, como é chamada a taça da Liga dos Campeões, irá viajar bastante na Europa, passando por Ucrânia, Itália e Dinamarca. Ainda assim, o Chelsea deve figurar na próxima fase. A Velha Senhora também chega forte.

F – Bayern de Munique, Valencia, Lille e Bate Borisov

Vice-campeão de maneira traumática na última edição, o Bayern junta os cacos para recomeçar a busca pela penta. Terá na chave o Valencia, a quem derrotou na conquista do seu 4º título, em 2001. Ambos com boas chances nesta chave.

G – Barcelona, Benfica, Spartak Moscou e Celtic

Sem Guardiola, mas com Messi, que já mantém nesta nova temporada a incrível média de gols, o Barcelona se destaca. Boa corrida pela segunda vaga. Como curiosidade, apesar da cara de coadjuvantes no torneio, Benfica e Celtic já foram campeões.

H – Manchester United, Braga, Galatasaray e Cluj

A princípio, uma chave facílima para os Diabos Vermelhos. Derrotado duas vezes pelo Barcelona na final dos últimos anos, o United quer mesmo é não cruzar com o time catalão. Nesta etapa, deverá fazer uma campanha sólida.

Qual é o grupo da morte? E a chave mais fácil? Opine sobre os possíveis classificados às oitavas de final da Champions League, com dois times por grupo.

Sorteio da Liga dos Campeões 2012-2013. Foto: Uefa/divulgação

Novos uniformes dos maiores campeões da Europa

Uniformes de Real Madrid e Milan para a temporada 2012/2013. Crédito: Adidas/divulgação

Os dois maiores campeões da Champions League apresentaram os seus uniformes para a temporada 2012/2013, produzidos novamente pela Adidas.

Buscam retomar a tradição, com o “peso” da camisa.

Real Madrid, 9 títulos europeus. Eliminado na semifinal em 2012.

O clube espanhol abandonou os detalhes dourados, o grande destaque lançamento da última camisa, para voltar ao tom usado no fim da década de 1990, quando iniciou uma série de três títulos da Liga dos Campeões da Uefa em cinco anos

Milan, 7 títulos europeus. Despachado nas quartas de final em 2012.

O time italiano mudou drasticamente o tamanho das listras verticais, além da presença de detalhes brancos na camisa rossoneri, como na linha fina e na gola.

O Milan não conquista o troféu máximo do Velho Mundo desde 2007, enquanto o Real não ergue a taça desde 2002. Algum desses uniformes entrará para a história?

Uniformes de Real Madrid e Milan para a temporada 2012/2013. Crédito: Adidas/divulgação

A milionária Eurocopa, acabando a crise no Velho Mundo

Tabela de prêmios da Eurocopa 2012. Crédito: Futebol Finance

As dezesseis seleções que participaram da recém-encerrada Eurocopa 2012 vão repartir US$ 229 milhões em prêmios (182 milhões de euros), com índice de US$ 14,3 milhões.

Acima, a tabela de prêmios do torneios segundo o Futebol Finance, em euros, com direito a uma verba extra por ponto conquistado na fase de grupos.

Ao todo, a campeã Espanha abocanhou 28,9 milhões de dólares. Há dois anos, na África do Sul, a Fúria recebeu US$ 30 milhões, um valor bem próximo.

Para se ter uma ideia do que esse valor pago pelo torneio da Uefa desta temporada representa em competições deste porte, os 32 países que disputaram a Copa do Mundo de 2010 dividiram 420 milhões de dólares, com média de US$ 13,1 milhões.

A crise econômica está pesada no Velho Mundo, mas as seleções passaram ilesas…

Confira a premiação absoluta do Mundial de futebol, de acordo com a Fifa.

2002 – US$ 199 milhões
2006 – US$ 300 milhões (+ 50,7%)
2010 – US$ 420 milhões (+ 40,0%)

Eurocopa – Fúria de novo nas cabeças, sem acelerar

Eurocopa 2012, quartas de final: Espanha x França. Foto: Uefa/divulgação

Como poucos no mundo do futebol, o time espanhol sabe ficar desmarcado na grande maioria do tempo com a bola nos pés.

Considerando que há alguns anos a Fúria termina quase todas as apresentações com o maior percentual na posse da pelota, então o time realmente se mexe bastante…

Os jogadores focam o desempenho coletivo, se sobrepondo ao lampejo individual.

Isso explica um pouco o primeiro gol da vitória por 2 x 0 sobre a França, neste sábado, que levou o país à semifinal da Eurocopa, em busca do tricampeonato.

Da intermediária, o meia Xabi Alonso seguiu sozinho à área dos Bleus, onde cabeceou livre, livre. O gol saiu aos 19 minutos do primeiro tempo.

A vantagem logo cedo fez com que a partida ficasse ainda mais no ritmo cadenciado dos espanhóis, que tiveram 55% de domínio da bola.

Enquanto isso, a França tinha apenas o arisco Ribéry e o perigoso Benzema para tentar algo. Na etapa complementar, entraram Ménez e Nasri. Não deu resultado.

Aos 44 minutos, num raro lance à frente, a Espanha ainda teve um pênalti a favor. Destaque no Real Madrid, Xabi Alonso deslocou o goleiro e fechou o placar.

Com um toque de bola que oscila entre a plasticidade e a burocracia, a Espanha agora vai encarar Portugal. No clássico ibérico será preciso esquentar o clima.

Eurocopa 2012, quartas de final: Espanha x França. Foto: Uefa/divulgação

Eurocopa – Futebol total da Alemanha, não mecânica

Eurocopa 2012, quartas de final: Alemanha 4 x 1 Grécia. Foto: Uefa/divulgação

Campeã da Europa em 1972, 1980 e 1996, a Alemanha conseguiu na edição atual a sua melhor arrancada no torneio, com quatro vitórias seguidas.

Chega à semifinal do torneio apresentando o melhor futebol, compacto e bastante ofensivo, esbanjando objetividade no toque de bola.

É uma equipe que vem assimilando bem o processo de renovação nos últimos anos, com uma preparação avançada para o próximo Mundial, em solo brasileiro.

Antes, quer ratificar a posição de destaque na Eurocopa. Nesta sexta-feira, o time espantou a zebra grega e goleou por 4 x 2, em uma grande apresentação.

O capitão Lahm abriu o placar num golaço de fora da área, em um chute cheio de efeito. Era apenas um tento entre inúmeras chances desperdiçadas.

Samaras, aos quatro da etapa final, empatou. Parecia um castigo. Mas a tradicional Mannschaft, mentalmente equilibrada, continuou praticando o seu jogo eficiente e marcou outros belos gols com Khedira (de prima), Klose (cabeça) e Reus (rebote).

De pênalti, a Grécia marcou o gol de despedida de sua torcida, que via na Eurocopa a chance de desopilar em relação ao colapso econômico do país.

Na Alemanha, fica a certeza sobre como é antiquado o discurso de que os germânicos são mecânicosEles jogam futebol. Muito bem.

Eurocopa 2012, quartas de final: Alemanha 4 x 1 Grécia. Foto: Uefa/divulgação