Proposta do Brasileirão com 664 clubes nas Séries A, B, C, D e E. Na última divisão, microrregiões

Cálculo do Bom Senso FC sobre a Séries C, D  e E (projeto). Crédito: facebook.com/BomSensoFC14

O Campeonato Brasileiro, com esta alcunha, surgiu em 1971.

No mesmo ano foi criada a segunda divisão nacional, intermitente. A terceirona teve a sua primeira edição disputada em 1981.

O quarto degrau do nosso futebol, já batizado de Série D, foi implantado em 2009. Por enquanto, o modelo profissional, via CBF, segue com quatro divisões.

Mas há quem imagine uma quinta divisão oficial. Sim, a Série E!

Somando todas as divisões, essa proposta totalizaria 664 times em ação. Já pensou?

De acordo com os dados do movimento Bom Senso FC, em apenas 22% dos jogos das Séries C e D os times se deslocam de ônibus. No restante das partidas, ou 78%, as viagens ocorrem de avião, elevando bastante o custo. Não por acaso, a despesa de cada jogo fica em R$ 100 mil, a partir do subsídio da Confederação Brasileira de Futebol.

O Bom Senso estipula um gasto bem menor para a CBF, de R$ 10 mil, desde que em 91% das partidas os clubes façam viagens de ônibus.

O investimento bruto da CBF seria o mesmo, de R$ 40 milhões, mas podendo incluir até mesmo uma quinta divisão. Nas últimas três séries (C, D  e E), os campeonatos seriam “microrregionalizados”, algo como grupos com Pernambuco/Paraíba e Alagoas/Sergipe.

Somente na reta final haveria cruzamento com outras áreas, ainda assim, de forma regionalizada. Nada de clube atravessando o país para jogar. Só nas duas primeiras divisões, já estruturadas financeiramente (patrocínio e tevê).

Segundo o movimento dos jogadores, essa (enorme) mudança poderia evitar que 16 mil dos 20 mil atletas profissionais do país ficassem seis meses parados no ano. O mesmo ocorre com 583 dos 684 clubes do Brasil.

Confira as propostas do Bom Senso para as cinco divisões do Brasileirão.

Proposta do Bom Senso FC para as Séries A e  B

Proposta do Bom Senso FC para a Série C

Proposta do Bom Senso FC para a Série D

Proposta do Bom Senso FC para a criação da Série E

21 thoughts on “Proposta do Brasileirão com 664 clubes nas Séries A, B, C, D e E. Na última divisão, microrregiões

  1. Penso que seja bastante mirabolante essa proposta do extinto bonsenso. Muitos clubes para divisões bastantes inchadas Primeiramente,como se determinaria as equipes de cada divisão? Quem da Série D ou ora dela não iria querem ganhar uma vaga numa nova Série C ? Para ficar mais simples,já que a CBF resolveu unificar os brasileiros,deveriam rever a questão do ranking que fez desaparecer campanhas honrosas de clubes que hoje não estão nem na divisão principal de seus Estados. Que tal começar elaborando esse ranking para determinar mais divisões e mais clubes nas disputas das mesmas? Penso que as 3 divisões não se deveria mudar,talvez puxar mais 20 equipe pelo ranking. Seria mais atraente puxar pelo ranking todas as equipes para disputa da um nova Série D + os já classificados para a mesma através de seus estaduais.Daí então, se poderia elaborar até a criação de uma Série E e para os anos seguintes se necessário mais divisões ou aumento de participantes nas D e E. A forma regionalizada é a única forma de tornar as competições mais atrativas para as equipes menos favorecidas financeiramente.Deveria também cada federação avaliar seus filiados e os campos antes de apontar qualquer um para disputar o brasileiro. Infelizmente existe muito amadorismo em alguns estaduais e isso não seria bom ser levado a uma competição nacional.Não há necessidade de acabar com os estaduais pois ate então nunca um clube da Série D disputou Libertadores e assim, as datas da competição junto com da Sul Americana serviriam para as divisões inferiores. A Copa do Brasil poderia ser ampliada a ser disputada com modelo parecido com a Copa São Paulo de Futebol Junior,colocando mando de campo as equipes menos tradicionais para dar oportunidade de terem uma boa renda em jogos contra as equipes mais tradicionais,abrindo mais vagas e tornando a competição mais longa,tipo garantindo vaga as equipes das Séries A,B,C e dando as das demais divisões,vagas através dos estaduais.Imaginem a Copa do brasil,exemplo,um grupo com um clube de Roraima,um clube do Piauí,uma equipe grande da Série A e outra da B ou C.Sede no Piauí e Roraima.

  2. Embora já tenha passado um tempo depois que a proposta foi apresentada, continuo achando que ninguém está levando em conta uma realidade. Temos um modelo de campeonato utilizado em países do tamanho de Serjipe em um território muito maior do que a Europa inteira. Em todos os campeonatos nacionais europeus, os clubes viajam não mais do que 3 horas de trem ou ônibus para os confrontos, muitas vezes, inclusive, viajando no mesmo dia da partida. No Brasil, temos o mesmo intervalo de tempo entre as partidas e o mesmo número de equipes que precisam viajar por 4, 5 ou até 10 horas de avião, considerando as escalas e conexões. Só vejo uma saída para esse problema: regionalização desde a elite.

  3. Cassio, muito interessante esse artigo em seu blog. A única coisa que lastimo é que faz mais de 3 anos que a proposta do Bom Senso FC foi divulgada e muito pouco foi feito até então para melhorar o calendário do futebol brasileiro. Se eles não conseguem fazer tal mudança, fica muito difícil para nós, apenas amantes do futebol, conseguirmos sucesso em nossos anseios. Confesso que não tinha conhecimento do teor da proposta do Bom Senso FC e fiquei muito impressionado com as ideias ao lê-las em seu blog, pois elas vêm de encontro com a maioria das ideias que tenho sobre esse tema.
    Para mim, os Campeonatos das Séries A, B e C estão ótimos da forma que estão.

    A única mudança que poderia ser feita seria igualar o formato da Série C por pontos corridos (da mesma forma que as séries A e B), ou incluir mais 10 times, mantendo a regionalização em duas chaves de 15 times. Nessa segunda opção, cada time jogaria no mínimo, 28 vezes. Cairiam para a Série D, 4 clubes de cada chave. Os 8 primeiros de cada chave jogariam em mata x mata, sendo que o 1º de uma chave jogaria contra o 8º da outra e assim sucessivamente. Os oito clubes classificados seriam divididos em 2 grupos de 4 na fase seguinte, para um quadrangular onde os dois primeiros de cada chave subiriam para a Série B e os primeiros de cada chave disputariam a final em 2 jogos. Assim, seriam as mesmas 38 rodadas das séries A e B.

    Já o Campeonato Brasileiro da Série D seria composto por 80 times divididos em 8 grupos de 10 times.
    Esses 80 times seriam os seguintes:
    8 –> que caíram da Série C;
    8 –> melhores colocados da Série D do ano anterior que não subiram para Série C;
    64 –> clubes indicados pelas Federações Estaduais conforme índice técnico obtido nos campeonatos regionais. Assim como é hoje, a divisão de vagas por estado deve obedecer o Ranking de Federações.
    Esses 80 clubes jogariam em turno e returno dentro de suas chaves e após 18 rodadas, conheceríamos os 32 classificados para as próximas fases (4 primeiros de cada chave). Na próxima fase, os clubes classificados seriam divididos em 16 grupos de 2 times que jogariam um mata x mata. Os clubes eliminados na primeira e segunda fase, voltariam para seus estados e entrariam numa fase adiantada de seus campeonatos regionais, conforme esclarecido mais adiante. Os 16 clubes classificados seriam divididos em 2 grupos de 8 times, que jogariam em turno e returno. Os 4 primeiros colocados de cada chave sobem para a Série C. Os primeiros colocados de cada chave jogam em ida e volta para decretar o campeão. Os 4 últimos colocados de cada chave estão automaticamente classificados para a Série D do ano seguinte. Ao todo, seriam necessárias 36 rodadas para a Série D.

    Série E –> Na verdade, minha ideia não era chamar essa categoria de Série E, mas sim, dos campeonatos regionais. Cada federação deveria organizar seu campeonato regional com todos seus afiliados que estejam regularizados e não participem de nenhuma divisão Nacional (A, B, C ou D). Não haveria limite de times. Esse campeonato deve iniciar todo o ano em paralelo com o Campeonato Brasileiro da Série D. A primeira fase deve durar as mesmas 20 rodadas das duas primeiras fases da Série D, de tal forma que os 64 clubes eliminados daquela série possam disputar com os classificados do Campeonato Regional, conforme regulamento de cada estado. Como o número de clube é variável em cada Federação, cada uma deverá adequar seus campeonatos para atender seus afiliados. O importante é que esse campeonato sirva para classificar os times para a Série D, Copa do Brasil e Copa Estadual. Outro fator importante desse campeonato é manter as rivalidades regionais que tanto impulsionam o amor por esse esporte.

    Copa Estadual –> Em substituição aos Campeonatos Estaduais que temos hoje, teríamos as COPAS Estaduais, nos mesmos moldes de uma Copa do Mundo. Essa Copa teria a participação de todos os clubes que representaram seus estados nos Campeonatos Brasileiros das Séries A, B, C e D do ano anterior, mais os melhores classificados no Campeonato regional (Série E) também do ano anterior. Aqui também, cada estado deve adequar sua COPA de acordo com a sua realidade. A Copa teria sedes, grupos e deveria ser disputado em no máximo um mês e meio. Dessas Copas, cada Federação pode utilizar para, dependendo do índice técnico, indicar afiliado para a Série D ou Copa do Brasil.

    Calendário –>
    Jan e Fev –> Férias e pré-temporada
    Fev –> Amistosos e início de campeonatos Sul-Americanos, Copa do Brasil e Copas Regionais (Nordeste, Verde, 1ª Liga)
    Mar e Abr (1ª Qui) –> Copa Estadual
    Abr (2ª Qui) à Dez (1ª Qui) –> Campeonatos Nacionais e Estaduais

    Se você conseguiu ler até aqui, parabéns e obrigado pela atenção! Deixo aqui meu registro para, quem sabe, algum dia, alguém colocar em prática alguma dessas ideias.

    Sejam felizes!!
    Cláudio Mejorado.

  4. PROPOSTA DE CALENDÁRIO PARA O FUTEBOL

    CAMPEONATO BRASILEIRO

    LIGA OURO
    No mesmo formato atualmente. Os 20 clubes jogam entre si em turno e returno. Os sete primeiros colocados vão para a Taça Libertadores. Do 8° ao 14° vão para a Copa Sulamericana. Os 4 últimos são despromovidos para a LIGA PRATA.

    LIGA PRATA
    No mesmo formato atualmente. Os 20 clubes jogam entre si em turno e returno. Os quatro primeiros ascendem a Liga Ouro.Os 4 últimos são rebaixados para a LIGA BRONZE.

    LIGA BRONZE
    Disputada por 20 clubes em pontos corridos, em jogos de ida e volta. Os quatro primeiros ascendem a Liga Prata. Os 4 últimos são rebaixados ao Campeonato Nacional.

    CAMPEONATO NACIONAL
    Seria disputada por 320 clubes, divididos em 32 grupos de 10 clubes, em quatro turnos, dois de ida e dois de volta. Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná teriam dois grupos e os demais estados apenas um grupo. Para a Segunda Fase classifica o campeão de cada grupo, 16 grupos de dois clubes, os vencedores classifica para as oitavas, os vencedores das oitavas se classifica para as quartas, os vencedores das quartas se classifica para as semis e os vencedores das semis fariam a final. Os quatros primeiros são promovidos para a LIGA BRONZE.

    COPA DO BRASIL
    Disputada por 32 equipes, assim distribuídas: 08 que disputaram a Libertadores, 08 que disputaram a Sulamericana e 16 da COPA DA LIGA. O sistema de disputa será eliminatório, as duas primeiras fases em jogo único e a partir das quartas em jogos de ida e volta, sendo cinco fases (Dezesseis avos,oitavas, quartas, semi e final). O Campeão é promovido para a Libertadores do ano seguinte.

    COPA DA LIGA
    Disputada por 44 clubes das Ligas Ouro, Prata e Bronze que não disputaram as Copas Continentais (Libertadores e Sulamericana), divididos em 11 grupos de 4 equipes. O campeão de cada grupo e os 5 melhores segundos colocados são promovidos a Copa do Brasil do mesmo ano e avança para as oitavas, os vencedores das oitavas se classifica para as quartas, os vencedores das quartas se classifica para as semis e os vencedores das semis fazem a final. O campeão disputará a Copa Sulamericana do ano seguinte.

    COPA NACIONAL
    Disputada pelas 320 equipes do Campeonato Nacional, divididos em 64 grupos de 5 clubes, apenas em jogos de ida. Classificando o campeão de cada grupo para a fase seguinte, que será disputada em jogo único, a partir das oitavas será disputada em jogos de ida e volta, com exceção da final que será em jogo único e em local neutro. O campeão disputará a Supercopa Nacional.

    SUPERCOPA DO BRASIL
    Disputada pelo Campeão da Liga Ouro e o Campeão da Copa do Brasil.

    SUPERCOPA DA LIGA
    Disputada pelo Campeão da Liga Prata e o Campeão da Copa da Liga.

    SUPERCOPA NACIONAL
    Disputada pelo Campeão do Campeonato Nacional e o Campeão da Copa Nacional.

    OBSERVAÇÕES
    - Janeiro : Pré- temporada.
    - Fevereiro: Reservado para as seleções disputarem as Eliminatórias, Copas Continentais ( Copa América, Eurocopa, etc) e Copa do Mundo.
    - Os 380 clubes teriam um calendário de março a novembro, disputariam no mínimo 40 jogos e no máximo 60, excetuando-se os jogos comemorativos de abertura de temporada ( Supercopa do Brasil, Supercopa da Liga, Supercopa Nacional e Recopa Sulamericana).
    - Dezembro seria disputado o Mundial de Clubes e férias para os jogadores.

  5. Série A – 20 times com 4 caindo
    Série B – 24 clubes divididos em 2 grupos de 12, com 4 clubes subindo e 6 caindo
    Série C – 80 clubes divididos em 4 grupos de 20 clubes com 6 equipes subindo e 16 caindo
    Série D – 256 times divididos em 16 grupos de 16 equipes, com 16 clubes subindo e 64 caindo
    Série E – 512 ou mais clubes divididos em 32 grupos de 16 times com 64 clubes subindo. Sendo a penúltima divisão.
    Série F – Torneios microregionais

    Todas as divisões com grupos regionalizados

  6. Para mim a Liga Nacional deveria ser assim:
    SÉRIE A-20 Times,4 ultimos seriam rebaixados
    SÉRIE B-20 Times,4 sobem e 4 caem
    SÉRIE C -54 Times,regionalizados em 3 grupos de 18 times,o campeao de cada grupo sobe,vices,terceiros e os 2 melhores quartos colocados disputam um play-off para definir a ultima vaga.os 4 piores de cada grupo caem
    SÉRIE D-162 Times,regionalizados em 9 grupos de 18 times,o campeao de cada grupo sobe,vices,terceiros e os 6 melhores quartos colocados disputam um play-off para definir as 3 ultimas vagas.os 4 piores de cada grupo caem para sua respectiva liga estadual.
    ESTADUAIS,seriam definidos de acordo com cada estado,porem mantendo o calendario o ano todo para os times,os campeoes de cada estado,mais os vices dos 9 principais estados subiriam para a SÉRIE D.

    COPA DO BRASIL-256 Times(20 da SÉRIE A,20 da SÉRIE B,54 da SÉRIE C e 162 da SÉRIE D),Disputariam em eliminatorias simples,com jogo único,sendo o mandante definido por sorteio(ou quando for um time de divisao inferior),8 partidas até a final,que seria em campo neutro-sugestao:BRASÍLIA OU RIO DE JANEIRO.

    SUPERCOPA DO BRASIL:Abriria a temporada com o confronto entre o campeão da liga e o campeão da copa,sendo este ultimo o mandante da partida.

    os times disputariam no minimo 30 jogos(times nas divisoes estaduais),35 jogos(times nas séries C ou D),e no maximo 67 jogos

  7. Na minha opinião teria 4 LIGAS – SERIE A (SUL, SUDESTE, NORDESTE E CENTRO-NORTE, esta ultima com clubes do centro-oeste e norte), todas com 16 clubes, todos contra todos, fazendo 30 jogos cada time.
    Os 3 últimos caem diretos para serie B da liga que disputa, o 13 colocado disputa confronto promoção/despromoção em jogo de ida e volta com o 4 colocado da serie b da liga disputada.
    Os melhores colocados disputam a LIGA DO BRASIL, que seria 16 clubes, oitavas de final, ida e volta (sul “4”, sudeste “8”, nordeste “3”, centro-norte “1”, essa classificação deve modificar de acordo com o ranking da cbf, mais no mínimo deve ter 1 representante e no máximo 8), os 4 melhores vão para libertadores, e do 5 ao 12 vão para copa sulamericana, os campeões das ligas regionais vão para a copa sulamericana se não conseguir a vaga na libertadores. Tem confronto dos perdedores dos mata-matas até chegar ao 5 ao 12 colocados.
    A SERIE B 4 LIGAS (SUL, SUDESTE, NORDESTE E CENTRO-NORTE) , com 16 clubes cada, do 1 ao 3 sobem diretos, o 4 colocado disputa com o 13 o mata-mata de promoção/despromoção.
    Caem para Serie C (sul “12”, sudeste “12”, nordeste “9”, centro-norte “11”).
    SERIE C – são os estaduais, variando de 6 a 16, dependerá da quantidade de clubes do estado, os estados do sul “sobe 4 de cada estado”, sudeste “sobe 3 de cada estado”, nordeste “sobe 1 de cada estado”, centro-norte “sobe 1 de cada estado”.
    Só caem se tiver a Serie D, dependerá do estado, por exemplo São Paulo terá, já o Amazonas não terá, pois não tem clubes suficientes
    Jogos no fim de semana, diminuição de datas, diminuição de custos, fortalecimento de clássicos,

  8. Na minha opinião, o formato ideal para o Brasileirão seria com três divisões nacionais, mais um torneio de acesso dos estaduais para a Série C. A Série A teria 20 times, sendo que dois seriam rebaixados diretamente e outros dois (décimo sétimo e décimo oitavo colocados) fariam uma repescagem contra os terceiro e quarto colocados da Série B, ao passo que apenas o campeão e o vice da Série B subiram diretamente para a elite. As Séries B e C teriam 32 times e seriam regionalizadas em dois grupos de 16. Em ambas, seriam rebaixados quatro times, dois de cada grupo. Abaixo das três divisões nacionais, ficariam os campeonatos estaduais. Os estaduais menores teriam no mínimo 10 times para que estes jogassem três turnos, num total de 27 partidas. Os estaduais maiores teriam 12, 14 16, 18 times, de acordo com o tamanho de cada estado, no caso de São Paulo que é um estado populoso, o certame poderia ter até 28 ou 32 times, divididos em dois grupos como as Séries B e C, por exemplo.
    A Série D deixaria de ser uma divisão e passaria a ser um mero torneio de acesso dos estaduais para a Série C. Neste caso, o competição seria disputado por 64 times no formato de mata-mata, sendo que cada estado teria dois, três ou quatro representantes, dependendo do ranking, tal como é hoje. O torneio de acesso seria disputado paralelamente aos estaduais, uma vez que não teria fase de grupos e portanto, os times eliminados precocemente não ficariam sem calendário.

  9. Serie A 20 clubes, descem 4 pra serie b
    Serie B 20 clubes, sobem 4 pra A, e descem 4 pra C
    Serie C 32 clubes, sobem 4 pra B, descem 10 pra D
    Serie D 64 clubes, sobem 10 pra C, descem 20 pra E
    Serie E 128 clubes, sobem 20 pra D, outros 21 a 40 melhor campanha garantia vaga pra proximo ano na serie E !

  10. Bom a idéia me parece interessante. Hoje temos em torno de 700 clubes profissionais (não sei quantos estão na ativa ou não) que disputam uma competição qualquer durante o ano, estadual e nacional. Mas se formos a ferro e fogo olharmos temos somente 64 times que tem uma atividade média de 8 meses ao ano (40 equipes da série a e b mais os 20 da série C e mais os 8 que conseguem chegar a fase decisiva da série D), ou seja, a maior parte dos clubes brasileiros tem em média 4 meses de atividade por ano. Se for olhar em centros bem menores como o extremo norte isso se reduz a 3 meses, mesmo com uma segunda competição como a Copa Verde que poderia ser até melhor explorada (poderia ser no segundo semestre e até valer uma vaga para o vice-campeão para a fase decisiva da Copa do Brasil no ano seguinte.

    Na minha visão, a Série C ideal teria 32 times (os 16 que ficaram na Série C mais os 16 melhores da Série D), com duas chaves regionalizadas de 16. A Série D teria 64 times (os quatro rebaixados da Série C, os 24 restantes da Série D que foram eliminados e 8 equipes colocadas das 8 melhores federações ranqueadas pela CBF (4 grupos regionalizados de 16 times) e uma Série E com 128 times (8 chaves regionalizadas de 16, daí todos oriundos dos Estaduais (São Paulo, Rio, Minas, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Ceará e Goiás com 6 representantes e os demais estados com 4 representantes cada). Todos contra todos em turno e returno e começando o mata-mata. Só nas fases finais (no caso da Série C na final, na Série D na semi-final e na Série E nas quartas-de-final) onde teria cruzamento de chaves. Teríamos 264 times que estariam com atividades em ao menos 8,5 meses ao ano.

    E as equipes que não conseguirem índices para nenhuma dessas? Copas Estaduais. Em alguns estados já tem (A Copa Paulista é o modelo mais acertado, que reúne equipes das 3 divisões integradas) as Copas Estaduais, o que é muito válido, porém mal explorado.

  11. Séries A, B e C como são hoje!!
    D, a estudar, mas subindo 4 como é hoje para a C!
    E, a estudar!
    Sérgio Rodrigues.

  12. De fato, creio que há um erro no grafismo do Bom Senso. Creio que caiam doze times (e não quatro) da Série C pra D. (Quem sabe estes quadros tenham sido feitos a partir de um rascunho de outro esquema depois abandonado?)

    E, aliás, creio que o número de jogos mínimo da Série E também está errado. Se eles vão jogar no mesmo esquema da 3ª e da 4ª divisões, deveriam jogar os mesmos 32 jogos. Aliás, seria bom detalhar o esquema: como 12 times jogando em turno e returno vão chegar a 32 partidas? Será que vai ter um terceiro turno? Ou um cruzamento com um grupo de um estado/região vizinha(o)?

  13. O Bom Senso deveria assumir a direção da CBF e as federações estaduais deveriam simplesmente deixar de existir ou apenas cuidarem de campeonatos amadores (tal qual são seus dirigentes).
    Somente assim superaríamos os 7 x 1 que merecidamente levamos da Alemanha.
    Parabéns ao Bom Senso.

  14. Seria excelente para todos os clubes do Brasil, quanto maiores jogadores jogando, maiores são as possibilidades de se encontrar excelentes jogadores. A CBF tem dinheiro para organizar e as federações estaduais tem capacidade para ajudar a organizar. Só em 2014 tínhamos cerca de 680 clubes em atividades em todo o Brasil no estaduais, todos esses clubes precisam de ligas nacionais para poderem trabalhar o ano todo. Em formatei um campeonato C com 48 equipes e Serie D com 144 equipes. Usei como base para definir os times das 2 divisões os últimos campeonatos estaduais de 2014 e a Serie C e Serie D de 2014. O uso deste meu arquivo é livre, segue o link: http://www.4shared.com/file/P4mFvXEcba/Serie_C_e_D.html

  15. Acho ótima a proposta do Bom Senso, especialmente no que tange á criação de mais uma série, mais regionalizada, a Série E. Apenas entendo que as séries A, B e C estão bem do jeito que estão. As séries D e E poderiam ser melhor estudadas, é o que eu entendo. Não esqueçamos da Copa do Brasil e do Copa do Nordeste, que são ótimas. Bem como da Libertadores e da Sul Americana. Achei excelente que os times que disputam a Libertadores entrem no final da Copa do Brasil, é justo. Assim, no primeiro semestre, haveria Campeonato Brasileiro 1º Turno + Copa do Brasil ou Libertadores – fase inicial. No segundo semestre, Campeonato Brasileiro 2º Turno + Copa do Brasil com os times que disputaram a Libertadores e os que chegaram para a fase decisiva + Sul-Americana. Quanto às Copas Regionais, algo com julho/julho, cada Federação faria como melhor entendesse. O que o Bom Senso propõe é que o Campeonato Regional seja entre as fases 1 e 2 do Brasileirão. Repito, entendo que as séries A, B e C do Campeonato Brasileiro estão ótimas. A CBF poderia criar a série E, e verificar a possibilidade de aumentar o número de equipes da série D. Não sei se o número de jogos diminui para as equipes grandes, mas é certo que movimentará os times pequenos. Equipes do Nordeste poderiam abrir mão de Copas Estaduais pela Copa do Nordeste e, seguindo o modelo da Bahia, as equipes que disputam a Copa do Nordeste entriam ao final da Copa Estadual. Exemplo: times disputariam a Copa de Pernambuco ou Campeonato Pernambucano e sairia um time que se juntaria a outros três, portanto, Sport + Náutico + Santa Cruz + outro time para definir o Campeão do Estado. No Sul poderia haver a Copa Sul e no RS, por exemplo, Grêmio e Inter disputariam um triangular ou quadrangular com uma ou duas equipes, classificadas em Copa Regional, para definir o Campeão Regional. A Bahia já faz assim. Quem disputa a Copa do Nordeste só entra no final.

  16. Cássio,

    A proposta da regionalização é que nas séries C, D e E existam campeões regionais e estes subam e os últimos caiam de divisão, é isso?

    :: Sobre regionalização o BomSensoFC não mostra como funcionaria a resolução em si. Funcionaria um pouco nos moldes do que é feito hoje com a Série C ou D? __ levando em conta que existe um número maior de times em SP,, e possivelmente no sul e sudeste, do que em outros estados essa mudança realmente alavancaria o futebol no país, ou seria um mecanismo (regionalização) que aumentaria a distancia financeira e técnica entre regiões? Tá ai uma boa pauta para um post ou matéria ^^

    caso os times que ascendam sejam apenas os lideres regionais acredito que isso diminui em muito as chances dos times mais expressivos de regiões subvalorizadas e aumentam as chances dos times menos expressivos das regiões valorizadas.

    Não acredito que haverá suporte de TV ou outros meios de mídia crescendo a abrangendo as regiões menos valorizadas.

    Ex:: O santa quando caiu para série D e subiu para a Série C fez algum rebuliço em relação a cobertura Televisiva de alcance nacional que fez com que outros times menos expressivos fossem televisionados por tabela. Caso um Fluminense da vida caísse para a C provavelmente a cobertura levada por este para a série C não colocaria outros times no mapa, apenas mostraria um pouco mais outros da mesma região com também pouca visibilidade… o que de fato não é ruim. Mas se esse mesmo fosse jogar na amazônia, Pará ou Caruaru, teria um impacto nacional maior para os times com menor visibilidade nacional, mas possíveis forças medianas em suas localidades.

    abs!

  17. Bela atitude de se discutir essa regionalização. Só falta ter o bom senso (perdão pelo trocadilho) de tomar partido da divisão injusta de cotas de tv e reformulação do STJD, mas aí são outros 500.

  18. Há um erro no grafismo feito pelo próprio Bom Senso FC. O que parece, na verdade, é que caem os 4 piores da Série B para a C e sobem os campeões dos 4 grupos que compõem esta última. Já os 3 piores de cada grupo da Série C (12 clubes, portanto) vão para a Série D, composta por 12 grupos. Por outro lado, os campeões desses 12 grupos da D serão os promovidos à Série C. Por fim, os 3 piores colocados de cada um dos 12 grupos da Série D (totalizando 36 clubes) serão os rebaixados à Série E, ao tempo em que os campeões dos 36 grupos desta última serão os promovidos.

  19. Só não entendi como que caem 4 clubes pra série C e sobem 12 clubes! Terá mais de 48 clubes na série C logo após o primeiro acesso.

  20. Proposta interessante. Só uma dúvida: Está correto onde tem escrito que sobem 12 equipes da D para C? Está meio estranho já que só são 4 rebaixados da C para D.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>