Os Combinados improváveis entre Náutico, Santa Cruz e Sport

Edição do Diario de Pernambuco de 5 de janeiro de 1961

Imagine a cena. A diretoria do seu clube acerta um amistoso com o maior rival. Não para enfrentá-lo, mas para formar uma aliança contra um outro adversário. Um combinado especial durante noventa minutos, com torcidas misturadas.

Hoje seria impossível. Num passado distante, vez por outra as agremiações se uniam para a realização de amistosos, rivalidade à parte, sobretudo contra equipes de nível técnico superior. Acredite, isso já foi realidade para alvirrubros, rubro-negros e tricolores. No imenso arquivo do historiador Carlos Celso Cordeiro, com 20.200 jogos, seis partidas tiveram nomes bem curiosos…

Eis as nomenclaturas: Náutico-Sport, Sport-Santa e Santa Cruz-Náutico.

A última vez que isso aconteceu foi em 8 de janeiro de 1961, na união entre Timbu e Cobra Coral. No estádio dos Aflitos, com o povão no “Balança mas não cai”, o combinado foi goleado pelo Dínamo de Bucareste, 4 x 1. Por sinal, o clube romeno conquistaria o campeonato nacional da temporada 1961/1962. No DP, após o amistoso: “Dínamo demonstrou que não veio fazer turismo”.

Os rivais das multidões também se juntaram uma vez, em 9 de julho de 1950. Na Ilha do Retiro, com cazá-cazá, o Combinado Sport-Santa enfrentou a Iugoslávia, perdendo por 5 x 2. A fortíssima seleção havia sido eliminada da Copa do Mundo uma semana antes. Derrota para o Brasil, no Maracanã, com gols de Ademir e Zizinho. Na ocasião, o empate teria dado a vaga aos europeus.

O amistoso no Recife foi organizado pela Federação Pernambucana de Desportos, atual FPF, que pagou 70 mil cruzeiros à federação sérvia. A bilheteria da partida bancou o investimento, com um apurado de 124.850 cruzeiros. Sobre o jogo, o Diario destacou: “Os visitantes apresentaram um futebol de primeira que satisfez ao grande público recifense”.

O combinado que há mais tempo não entra em campo envolve os rivais centenários. Por outro lado, o Combinado Náutico-Sport é o de maior histórico.

13/08/1911 – Náutico-Sport 0×1 Western Telegraph (British Club)
13/11/1932 – Náutico-Sport 7×2 Torre (Campo da Avenida Malaquias)
08/12/1932 – Náutico-Sport 2×3 Bahia (Campo da Jaqueira)
24/11/1959 – Náutico-Sport 2×0 América-RJ (Ilha do Retiro)

Na primeira atuação em conjunto da história, nos primórdios do futebol local, houve um curioso acordo. Em vez de um uniforme distinto, o combinado jogou cada tempo com o padrão de um clube. Na primeira etapa, “encarnado e branco”. Na segunda, “encarnado e preto”. Em 1959, no triunfo sobre o Mequinha do Rio de Janeiro, os dois técnicos sentaram juntos no banco de reservas… Não se tem registro se houve discussão no comando do time.

Edição do Diario de Pernambuco de 11 de julho de 1950

Refinanciamento das dívidas dos clubes em vigor, com R$ 105 milhões no Recife

A presidente Dilma Rousseff assina a medida provisória sobre a renegociação das dívidas dos clubes, em 2015. Foto: governo federal

Assinada a medida provisória sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal dos clubes de futebol. A presidente Dilma Rousseff ratificou o projeto (“MP do Futebol”) estabelecendo contrapartidas (abaixo) para o refinanciamento das dívidas públicas dos times das Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Os times terão entre 120 e 240 meses para quitar os débitos com a União. Entre as exigências para integrar o refinanciamento, destaque para o limite de gasto de no máximo 70% da receita para a folha do futebol profissional. Também não poderá mais haver a antecipação de receitas, algo comum nas cotas de tevê.

A medida do governo federal tem o objetivo de parar a bola de neve gerada em três décadas de administrações irresponsáveis, com as dívidas tributárias dos clubes na casa dos R$ 2,7 bilhões. As conversas haviam avançado em julho de 2014, em dois encontros reunindo dirigentes e governo, no Palácio do Planalto, em Brasília, e na sede da CBF, no Rio de Janeiro. O ato passa a vigorar imediatamente, antes mesmo de o projeto ser enviado ao Congresso Nacional.

A decisão tem uma influência direta nos maiores clubes pernambucanos. Somadas, as dívidas fiscais de alvirrubros, tricolores e rubro-negros chegam a R$ 105,1 milhões, de acordo com os últimos balanços publicados.

Dívidas tributárias (entre parênteses, a relação com todo o passivo):
Náutico – R$ 54,2 milhões (61,6% do total, R$ 87,9 mi)
Santa Cruz – R$ 34,4 milhões (48,2% do total, R$ 71,3 mi)
Sport – R$ 16,5 milhões (72,6% do total, R$ 22,7 mi)

Quem não cumprir as exigências do governo federal, após acordar um refinanciamento, poderá ser rebaixado. Resta aguardar a fiscalização…

Medida provisória do governo federal para renegociar as dívidas dos clubes brasileiros. Imagem: Ministério do Esporte/twitter

A Copa do Mundo dividida entre verão, outono, inverno e primavera até 2022

Temperatura média anual no mundo.

A Copa do Mundo de 2022 ocorrerá entre novembro e dezembro, num prazo já confirmado pela Fifa. Como se sabe, a drástica mudança no calendário foi motivada pelas temperaturas inviáveis em junho e julho, os meses tradicionais dos Mundiais, com o termômetro no Catar batendo em 50º num verão insano.

Entre 21 de novembro e 18 de dezembro, no outorno, o histórico climático na pequena península no Oriente Médio aponta uma variação entre 15 e 29 graus. De fato, um clima aceitável para a prática do futebol. Historicamente, os Mundiais costumam ser divididos em duas estações. Apenas dois torneios aconteceram no inverno, ambos no hemisfério sul, e apenas um foi realizado integralmente no verão, no hemisfério norte. A última edição em apenas uma estação foi o torneio no México em 1970, na primavera.

Com a mudança na Copa, todo o calendário futebolístico deverá ser modificado de 2019 a 2022, segundo o comitê executivo da Fifa. Brasileirão terminando mais cedo, Mundial de Clubes remanejado, Estaduais mais enxutos etc.

1930 Uruguai – 13/07 a 30/07 (inverno)
1934 Itália – 27/05 a 10/06 (primavera)
1938 França – 04/06 a 19/06 (primavera)
1950 Brasil – 24/06 a 16/07 (inverno)
1954 Suíça – 16/06 a 04/07 (primavera/verão)
1958 Suécia – 08/06 a 26/06 (primavera)
1962 Chile – 30/05 a 17/06 (outono)
1966 Inglaterra – 11/07 a 30/07 (verão)
1970 México – 31/05 a 21/06 (primavera)
1974 Alemanha – 13/06 a 07/07 (primavera/verão)
1978 Argentina – 01/06 a 25/06 (outono/inverno)
1982 Espanha – 13/06 a 11/07 (primavera/verão)
1986 México – 31/05 a 29/06 (primavera/verão)
1990 Itália – 08/06 a 08/07 (primavera/verão)
1994 Estados Unidos – 17/06 a 17/07 (primavera/verão)
1998 França – 10/06 a 12/07 (primavera/verão)
2002 Coreia do Sul e Japão – 31/05 a 30/06 (primavera/verão)
2006 Alemanha – 09/06 a 09/07 (primavera/verão)
2010 África do Sul – 11/06 a 11/07 (outono/inverno)
2014 Brasil – 12/06 a 13/07 (outono/inverno)
2018 Rússia – 14/06 a 15/07 (primavera/verão)
2022 Catar – 21/11 a 18/12 (outono)

Hemisfério Norte
Primavera – 21/03 a 21/06
Verão – 21/06 a 23/09
Outono – 23/09 a 21/12
Inverno – 21/12 a 21/03

Hemisfério Sul
Verão -  21/12 a 21/03
Outono – 21/03 a 21/06
Inverno – 21/06 a 23/09
Primavera – 23/09 a 21/12

Podcast 45 minutos (111º) – Salgueiro e Sport avançam no regional, Náutico fora

Foi eletrizante a última rodada do Nordestão, com dez jogos ao mesmo tempo, com a lista de classificados às quartas de final mudando até os 49 minutos do segundo tempo do último jogo em andamento. Pior para o Náutico, que acabou fora. Essa é a pauta da 111ª edição do 45 minutos, gravado logo após o desfecho da fase de grupos do regional. Claro, o destaque ficou para as classificações de Sport e Salgueiro e o futuro dos dois.

No podcast de 1h23min, estou ao lado de Celso Ishigami, Fred Figueiroa, João de Andrade Neto e Rafael Brasileiro. Ouça agora ou quando quiser!

Sorteios da Champions e da Lampions

Champions League e Lampions League. Montagem sobre arte: Cassio Zirpoli/DP/D.A Press

A agenda de sorteios marca a manhã desta sexta-feira.

Às 8h, na sede da Uefa, em Nyon, na Suíça.
Às 9h30, na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Pela ordem, o emparelhamento das quartas de final da Champions League e da Lampions League, ambos com transmissão, pela ESPN e Esporte Interativo.

Na Europa, os oito classificados podem se enfrentar, sem direcionamento. Na versão nordestina, a estreia das bolinhas no globo, ao contrário dos chaveamentos pré-definidos nas edições anteriores. Agora, o Nordestão terá um sorteio dirigido, tendo no pote 1 os quatro melhores primeiros colocados e no pote 2 o quinto melhor líder e os três melhores segundos lugares.

A mudança não é surpresa. Está intimamente ligada ao sucesso da Liga dos Campeões, onde qualquer movimento é motivo para visibilidade, debates, envolvimento. Na semifinal, apenas a Champions terá um novo sorteio, em 24 de abril. No regional, o chaveamento até a decisão será definido de uma vez.

Clubes da Champions
Atlético de Madri, Barcelona, Bayern de Munique, Juventus, Monaco, Porto, PSG, e Real Madrid

Clubes da Lampions
Pote 1: Vitória, Bahia, Ceará e Sport,
Pote 2: Salgueiro, Fortaleza, América-RN e Campinense.