Craque da Comunidade – Júnior Beleza

Reproduzo abaixo a primeira matéria da série de reportagens “Craque da comunidade”, do repórter Lucas Fitipaldi, do Aqui PE (do grupo Diários Associados, do qual faz parte o Diario de Pernambuco). Trata-se de uma ótima idéia com o objetivo de “apresentar” os craques suburbanos do Grande Recife, conhecidos em seus bairros como grandes jogadores durante um bom tempo, mas que por inúmeros motivos acabaram não conseguindo se profissionalizar. Em breve, mais “craques” aqui no blog. Confira o primeiro, cuja matéria foi publicada em 29 de setembro.

Craque da Comunidade – Júnior Beleza

Júnior Beleza é o ídolo da meninada da Ilha do JoaneiroEle é o craque do pedaço. Na comunidade da Ilha do Joaneiro não tem pra ninguém. Ednaldo Lopes Júnior, o Beleza, é o grande nome quando o assunto é bola no pé. Baixinho e franzino, o garoto de riso fácil e olhar tímido é o rei entre os peladeiros da localidade. “Ele é o cara, é famoso aqui nas favelas. As pedaladas de Beleza são as melhores. Além disso, chuta forte com as duas pernas. Sem falar que não cansa”, elogia o colega Vladimir Maciel.

Aos 20 anos, Beleza não tem mais tanta esperança em se tornar jogador profissional. Pai do pequeno Lucas Rian, de um ano, ele trabalha como artesão para tirar o sustento da família. Nada que impessa os seus shows particulares nos campinhos da área. “Hoje em dia não é mais como antigamente. Quando era mais novo, eu jogava de manhã, de tarde e à noite. Agora só praticamente nos fins de semana, mas sempre que posso bato uma bolinha”, afirma.

A concorrência entre os times da região é grande. Freqüentemente, Beleza é alvo de disputa nas peladas. O amigo Ricardo revela o assédio. “A turma vem direto buscar ele de carro para ir jogar por aí. Beleza sempre foi assim, desde pequeno ele arrebenta”. Algumas vezes, porém, a habilidade traz prejuízos ao craque. Os caneleiros de plantão costumam pegar pesado. “Teve uma vez que ele driblou tanto um cara ali no campo do 15, que acabou tomando uma cotovelada na cara. Ficou todo melado de sangue e quase desmaiado”, conta Ricardo.

Habilidade e faro de gols... Esse é o Júnior Beleza!Hoje em dia, Beleza joga por vários times da região. Na Ilha do Joaneiro, veste as camisas do Nacional, Santa Cecília, SPA, entre outros. Isso sem falar nas equipes das comunidades vizinhas. A fama de craque se espalhou. “Às vezes vem gente falar comigo que eu nem conheço”, diz ele. Mais um talento brotado do fértil solo que é o futebol brasileiro.

Perfil do craque
Nome: Ednaldo Lopes Júnior
Posição: meia-atacante
Pé:direito
Qualidades: habilidade e velocidade
Jogada favorita: pedalada
Com a bola no pé ele lembra: Messi
Altura: 1,64 m
Peso: 62 quilos
Idade: 20 anos
Ídolos: Romário e Ronaldo
Recado: “Gosto de botar pra cima. Meu negócio é driblar e fazer gol”
Estilo: Sossegado, humilde
Gol inesquecível: Um de bicicleta, na época em que ainda era mirim no futsal

Copa América de 2014

América/PEPernambuco poderá ser a sede da “Copa América” de 2014. Não a Copa América de seleções promovida pela Conmebol, que deverá acontecer no país apenas em 2015, mas sim uma competição envolvendo clubes de nome América, para celebrar os 100 anos do Mequinha do Recife. Na verdade, seria um quadrangular, que contaria ainda com os Américas do Rio de Janeiro (o pioneiro), de Natal (o único na Série B) e o de Propriá, campeão sergipano de 2007. O centenário do Alviverde pernambucano será em 12 de abril de 2014.

América/RNO plano foi revelado pelo presidente do clube de Casa Amarela, Sérgio Serpa. Outra idéia é realizar um torneio internacional em conjunto com o Santa Cruz, que também completará 100 anos em 2014. Nesse caso, seriam convidados um time de Portugal e um da Argentina. Os nomes das equipes não foram revelados.

América/SEOutrora considerado um dos grandes do Recife, o América hoje se vira como pode para continuar em atividade. Boa parte da receita do time (6 vezes campeão estadual) vem do aluguel da histórica sede na Estrada do Arraial, ao colégio NAP, que também patrocina o “segundo time de todos os pernambucanos”. Com um gasto mensal de R$ 30 mil, Serpa paga um salário mínimo (R$ 415) para todos os atletas. aNa tual Série A-2 do Pernambucano, o Mequinha venceu 4 vezes po WO…

Atualmente, o time joga em Timbaúba (Zona da Mata), mas Serpa diz que está conversando com prefeitos da Região Metropolitana do Recife sobre a possibilidade de construir um estádio para 5 mil pessoas. O custo seria de R$ 1,5 milhão. “Faremos tudo de pouquinho em pouquinho. Contaríamos com a ajuda de todos. Qualquer um pode dar tijolos, R$ 20… Até mesmo você”, disse Serpa, já querendo tirar uma graninha do blogueiro… Essa ajuda eu daria ao América, que é sim um clube simpático.

America Football Club, o "pai" de todos os Américas!Curiosidade: Tudo começou com o rubro America Fooball Club, fundado no Rio de Janeiro em 18 de setembro de 1904. Depois, outros clubes com o nome ‘aportuguesado’ “América Futebol Clube” foram criados Brasil afora. Mas esse não foi o caso do time pernambucano, que havia sido fundado como João de Barros.

Mas bastou uma excursão do Diabo carioca (mascote do Mequinha) ao Recife, em 1915, para os dirigentes da agremiação pernambucana simpatizarem com aquele clube, que contava com o famoso desportista Belfort Duarte. E no mesmo ano, o João de Barros virou América Futebol Clube, mas com as cores originais (verde e branco). Segundo o Wikipedia, existem pelo menos 18 Américas no Brasil.

Com 18 times daria até para fazer a Série AFC do Brasileiro…

PS. O nome do America carioca é sem acento agudo mesmo.

Imperador do Uzbequistão

Rivaldo, tomando conta do Uzbequistão

Será que Rivaldo está achando ruim?

Rivaldo estreou pelo Bunyodkor, do Uzbequistão, no último dia 11 de setembro. E em duas partidas pelo novo clube, o meia pernambucano de 36 anos já marcou 3 gols. O time dele também irá disputar a Liga dos Campeões da Ásia. Apesar de estar praticamente escondido, o meia revelado pelo Santa Cruz, em 1991, está de bem com a vida na capital do país, Tashkent. Ao deixar o AEK, de Atenas, Rivaldo assinou um contrato por uma temporada com o Bunyodkor, onde ganhará 5 milhões euros por temporada (R$ 13,4 milhões). O jogador foi recebido com muita festa no novo país.

A verdade é que Rivaldo – eleito o melhor do mundo pela Fifa em 1999 e campeão mundial com a Seleção em 2002 – ainda tem futebol para jogar em qualquer clube brasileiro. E não se espante se em 2009 o meia pintar como reforço em algum grande clube do país. O Palmeiras de Vanderlei Luxemburgo, por exemplo, sondou “de leve” o jogador, antes da proposta irrecusável do Uzbequistão.

Você pode ver os dois gols marcados pelo meia na estréia contra o Mashaal AQUI.

Obs. O Bunyodkor, que se chamava Kuruvchi até o mês passado, já tentou contratar outra fera do futebol mundial. Ninguém menos que o camaronês Samuel Eto’o, do Barcelona. O clube foi fundado em 6 de julho de 2005, e é o atual vice-campeão nacional. A equipe joga no estádio MHSK, que tem capacidade para apenas 16 mil torcedores.

Foto: Blog Brasil Mundial FC

Bolsa de tripulantes

A Regata Oceânica Internacional Recife/Fernando de Noronha acontecerá somente no próximo dia 27, mas muita gente já vêm se mexendo para poder participar da tradicional competição pernambucana de vela. E olhe que muita gente nem tem barco para participar da 20ª edição da Refeno. Aliás, várias pessoas que sequer têm experiência em aventuras náuticas, mas que estão correndo atrás dessa participação justamente por causa desse espírito.

Refeno e os seus contrastesPara isso, basta se inscrever na Bolsa de Tripulantes, no site oficial da Refeno. Com isso, chefes de embarcações inscritas poderão convidar o sortudo para a travessia. Até agora, mais de 140 pessoas já preencheram a ficha online. Nela, o candidato apresenta seus dotes. Alguns apelam para a culinária, outros para o bom contato com estrangeiros. Tem até quem queira dividir os custos da travessia!

Algumas fichas ‘originais’:
1) Cristina, ótima cozinheira
2) Clóvis, o poliglota (seis línguas)
3) Alex, piloto de helicóptero
4) Pedro, interessado em dividir os custos
5) Augusto, promete falar pouco durante a viagem
6) Cláudio, garante que não irá enjoar no trajeto

Se interessou? Se inscreva no site www.refeno.com.br.

Foto: Arquivo/DP

De algum lugar no Quênia…

Mapa do blogA internet é mesmo uma das maiores – senão a maior – ferramentas de aproximação da atualidade. Só isso mesmo para explicar o fato de internautas de 23 países já terem acessado o blog, que está no ar há pouco mais de um mês.

Ao lado, o mapa com as visitações (a cor verde indica a origem dos internautas). Claro que a maioria é formada por brasileiros (97%), mas o que me chamou a atenção, entre os internautas do exterior, foram as duas visitas do Quênia… Duas visitas da capital Nairóbi. Mas o que teria levado alguém de tão longe, de uma região tão sofrida na África, a entrar nesse endereço? Olimpíadas, futebol brasileiro? Será que foi ‘sem querer’ (via google)? Não sei. Mas foi bacana.

No Quênia, apenas 1,6% da população tem acesso à internet. Com certeza, trata-se de uma das conseqüências da pobreza do país, que tem uma renda per capta de apenas 1.000 dólares (e é conhecido pelos seguidos escândalos de corrupção). Por isso, como agradecimento (a todos os visitantes, aliás), esse post vai falar um pouco sobre o futebol queniano. Para começar, a Federação de Futebol do Quênia quase foi suspensa neste ano pela Fifa…

A decisão eliminaria a seleção das eliminatórias africanas para a Copa do Mundo de 2010. O motivo seria a interferência do governo federal na federação, algo proibido pela Fifa. No entanto, o Quênia segue na disputa pela inédita vaga no Mundial. A missão, porém, segue complicada, como admitiu o técnico da seleção, Francis Kimanzi, em uma entrevista ao site da Fifa. “Eu não estou olhando para o grupo de qualificação ainda. Tudo o que eu quero é fazer com que o grupo fique o mais competitivo possível”, disse.

A disputa ainda está na primeia fase, ao lado de mais 47 nações. O Quênia está na liderança do grupo 2, com 10 pontos. No sábado, a equipe venceu a Namíbia por 1 x 0, em casa. Time base: Ayuko; Owino, Ochieng, Mwangi e Ouma; Oliech, Opondo, Makacha e Wanjohi; Mariga e Mambo.

Federação de Futebol do QuêniaLIGA – O primeiro campeonato nacional aconteceu em 1963, logo no ano da independência do país em relação ao Reino Unido. O Nakuru All-Stars venceu a liga, com 10 equipes naquele ano. O Leopards e o Mahia são os maiores campeões, com 12 taças cada. Na atual temporada, o Mathare United, de Nairóbi, lidera com 41 pontos, quatro a mais que o vice-líder, Sony Sugar, de Awendo.

A próxima rodada da competição será em 13 de setembro. Além do baixo nível técnico, o futebol do país ainda é bastante desorganizado. Para se ter uma idéia, em 2004 foram realizadas duas ligas, uma pirata e uma oficial (esvaziada), vencidas por Utalii e Coast Stars, respectivamente.

Foi feito então um terceiro campeonato, para decidir a vaga para a Copa dos Campeões Africanos, e o vencedor foi Ulinzi, que acabou sendo considerado o campeão queniano de 2004. No entanto, o Ulinzi desistiu da competição continental e foi substituído pelo vice, o Tusker. Como punição, a Confederação Africana de Futebol (CAF) excluiu o Ulinzi de qualquer campeonato por 3 anos.

Simples, né?!

Seleção do QuêniaRepública do Quênia
Independência: 1963
Área: 582.650 quilômetros quadrados
Capital: Nairóbi
Idiomas: inglês e suaíli
Moeda: shilling
População: 31.138.735 habitantes
Renda per capta: US$ 1.020
Jogadores de futebol: 75.102
Clubes: 711

Ranking da Fifa: 86º (395 pontos)
A melhor posição do país foi em fevereiro de 2004, quando ficou em 70º. A pior foi em julho de 2007, quando caiu para o 137º lugar. Na foto acima, Mcdonald Mariga (de branco) em ação pelas Eliminatórias da Copa.

Você pode ver todo o ranking de seleções da Fifa AQUI.

Já nas Olimpíadas, o país é uma potência no atletismo. O Quênia terminou em15º lugar nos Jogos de Beijing, com 5 ouros, 5 pratas e 4 bronzes. Todas as medalhas do país foram no atletismo, com destaque para as douradas, obtidas pelos fundistas do Quênia (nas provas entre 800 metros e a maratona).

Em breve, mais um post no mesmo estilo, mas com uma análise das visitações no Brasil.

Viajando no tempo

Por Carlos Celso Cordeiro*

Quando o futebol foi introduzido em Pernambuco, no ano de 1905, os jogos eram disputados no campo do Derby, então chamado “Campina do Derby”, e no “Parque Santana”. O campo do Derby ainda existe. Lá foi erguido um monumento alusivo à realização da 1ª partida de futebol no Recife. Este campo fica na Praça do Derby, em frente ao Quartel da Polícia Militar, responsável por sua manutenção. O campo do Parque Santana não existe mais. Ficava localizado nas imediações do Hiper de Casa Forte.

Com o crescente interesse pelo futebol em Recife, a partir de 1911, começaram a aparecer os campos suburbanos. Vamos nos ater aos campos mais importantes, os utilizados para jogos do Campeonato Pernambucano, cujo início se deu no ano de 1915. Primeiro surgiu o campo do “British Club”, um clube de ingleses. Este campo ficava por trás de onde é hoje o Museu do Estado e tinha como vantagem o fato de ser “cercado”. Depois, em 1917, a LIGA (como era chamada a Federação Pernambucana de Futebol naquela época) arrendou um terreno para construir o campo dos Aflitos. Após um ano, a LIGA desistiu do campo e o Náutico assumiu o arrendamento. Posteriormente, o Náutico comprou o terreno e este campo é o hoje Estádio dos Aflitos.

Em 1918, os ingleses saíram do “British Club”. O campo passou a ser do América até o final de 1919. Em 1920, o América passou a ter o seu campo na Jaqueira (no Parque da Jaqueira). Em meados dos anos 30, este campo, passou a ser do Tramways. Em 1918, o Sport construiu seu campo na Avenida Malaquias, onde ficou até 1937, quando se transferiu para a Ilha do Retiro. No campo da Avenida Malaquias, o Sport instalou arquibancadas de madeira, adquiridas ao Fluminense do Rio. Na Ilha do Retiro o Sport começou a construção de moderno estádio que serviu de palco para um dos jogos da Copa do Mundo de 1950.

Quando o Sport saiu da Avenida Malaquias, o América assumiu este campo por um pequeno período. Os locais onde foram os campos do British Club e da Avenida Malaquias, hoje estão ocupados por prédios e avenidas. O local onde foi o campo da Jaqueira é parte, hoje, do Parque da Jaqueira, um dos pulmões da cidade do Recife. Nos anos 40, o Santa Cruz adquiriu o campo do Arruda, onde, nos anos 60/70, ergueu o Estádio do Arruda, apelidado de “Mundão do Arruda”. Antes da construção do Estádio do Arruda, o campo do Santa Cruz era utilizado principalmente para treinos. Algumas vezes foi utilizado para jogos amistosos e era conhecido como o “Alçapão do Arruda”.

Nota: Antes de ser adquirido pelo Santa Cruz, o campo do Arruda pertenceu à Associação Atlética do Arruda (AAA), conhecido como o clube da “Trinca de Az” e, posteriormente, ao Tabajaras.

*Carlos Celso Cordeiro é escritor e pesquisador do futebol pernambucano. Já publicou livros com os retrospectos de todos os jogos de Náutico e Sport (além do Campeonato Pernambucano), e se prepara para lançar a coleção com todas as partidas do Santa Cruz.

Ninho do Pardal

Santos DumontO mundo viu em Pequim uma enxurrada de quebra de recordes no fantástico estádio olímpico Ninho do Pássaro – cuja tecnologia da pista possibilitou a melhora de pelo menos 1% no rendimento dos atletas. Com o fim dos Jogos, ficou claro que o Brasil ainda sente a falta de centros de excelência para o atletismo. Pernambuco, então, está há anos-luz disso.

O principal pólo da modalidade no estado é o Centro de Esporte, Lazer e Cultura Alberto Santos Dumont, em Boa Viagem, inaugurado em 1975. Com uma pista ultrapassada desde 1994, os atletas pernambucanos vem se esforçando bastante para atingir índices satisfatórios no local.

Em 20 de outubro de 2007, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, divulgou no Recife, com muita pompa, a verba de R$ 1,266 milhão para reformar o Santos Dumont, com direito a obras de acessibilidade para portadores de deficiência e idosos. Dinheiro dos governos federal (R$ 1 mi) e estadual (R$ 266 mil). Passado quase um ano, a reforma segue a passos lentos, até mesmo porque a receita injetada não foi suficiente. Longe disso. A princípio, serão reformados o alambrado e a gaiola de arremessos.

Apesar do atraso, a situação deverá mudar bastante no ano que vem. Com um novo orçamento de R$ 15 milhões aprovado para o setor de esportes e lazer de Pernambuco, a secretaria estadual espera agora pela liberação da verba, que deverá sair em 2009. Segundo o coordenador do Santos Dumont, Cristiano Ferreira, o montante – que faz parte do Orçamento Geral da União (OGU) – foi destinado para o estado após uma ação suprapartidária da bancada pernambucana na Câmara dos Deputados.

Com todo esse dinheiro, Pernambuco deverá contar com um verdadeiro centro formação de atletas e equipes de alto rendimento (até mesmo porque o ginásio e a piscina do centro também estão na pauta de reforma). Algo bem animador, se realmente sair do papel. Enquanto isso, continuará sendo raro o surgimento de atletas olímpicos, como Keila Costa (buscando o índice para Atenas, em 2004, na foto abaixo) e Jessé Farias.

Keila CostaPISTA - A má conservação da pista do Santos Dumont é visível. As placas de borracha se soltam a todo instante. O trabalho é apenas de manutenção. De acordo com Cristiano Ferreira, até mesmo na última reforma (em 1994) o piso colocado já era defasado, segundo as normas da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). Mas em 2009, porém, a nova pista será no mesmo nível da colocada no estádio olímpico João Havelange, no Rio de Janeiro.

“Pernambuco terá uma pista moderna, no mesmo nível do Pan-Americano do Rio. O valor era muito alto para a verba inicial, tanto que essa pista deverá custar quase R$ 4 milhões. Estamos apenas esperando a análise da Caixa Econômica, que irá repassar o dinheiro em 2009″, afirmou Ferreira. O piso será do tipo Decoflex, que tem uma manta de poliuretano SBR, revestida por outra camada de borracha (com 14mm), do tipo EPDM – que tem o papel de reduzir o desgaste dos raios ultravioleta.

“A reforma dessa pista é prioridade para a gente”, disse o coordenador. Para todo o estado, Cristiano.

Evolução da pista olímpica do Santos Dumont

1975 – Pista de carvão
1994 – Piso roberdan (placas de borracha)
2009 – Pista sintética SBR (poliuretano)

4.331 metros quadrados de pista

Custo: R$ 4 milhões

Longe de Heysel

Apesar de contestada, a proibição da venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol do Brasil vem sendo apontada como a força motriz para a redução de incidentes entre torcedores nos jogos. Esse foi um dos pontos apresentados na Procuradoria-Geral da Inglaterra pelo promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias Criminais, Aguinaldo Fenelon, responsável pelo Juizado Especial do Torcedor, que funciona em Pernambuco. A visita aconteceu em 16 de agosto, em Londres.

A colunista de Vida Urbana do Diario, Ana Braga, comentou na edição de hoje sobre a atuação do Juizado – que poderá ser implantado no restante do país em breve. Instalado nos três estádios do Recife e no Lacerdão, em Caruaru, o Juizado poderá ganhar mais espaço em outras cidades do interior no Campeonato Pernambucano de 2009. Segundo os dados de Fenelon, de maio até agosto deste ano, a redução de crimes já atinge a marca de 78%.

Como falamos acima, a bebida alcoólica está diretamente ligada à confusão nos estádios. Abaixo, um dos motivos de a reunião ter sido justamente na Inglaterra.

Hooligans

Uma palavra abominada na Inglaterra. É o que define aquele torcedor brigão, fanático ao extremo e quase sempre alcoolizado, e que poucas vezes quer mesmo ver o jogo. O caso mais emblemático (e triste) de confusões em um estádio ocorreu na decisão da Liga dos Campeões da Uefa de 1985, em Bruxelas, na Bélgica. A Juventus, da Itália, venceu os ingleses do Liverpool por 1 x 0, em 29 de maio. Infelizmente, naquele dia, a lembrança não se refere à comemoração de Michel Platini após marcar, de pênalti, o gol do título, mas sim à morte de 39 torcedores (grande maioria da Juve), agredidos por hooligans do Liverpool.

Um número de guerra civil. O episódio ficou conhecido como Tragédia de Heysel (nome no estádio).

Medidas adotadas pela organização belga naquele dia (comuns nos clássicos pernambucanos):

1) Suspensão da venda de bebidas alcoólicas no estádio
2) Revista de todos os torcedores na entrada
3) 1.500 policiais (o recorde no Recife foram os 900 oficiais na final da Copa do Brasil deste ano, entre Sport e Corinthians)

O que aconteceu então?

Todos os bares no entorno do estádio estavam abertos (assim como ainda acontece no Brasil). Os confrontos começaram bem antes da partida, ainda na entrada Heysel. Devido à superlotação do estádio (outro ponto que também preocupa), torcedores dos dois times ficaram em um mesmo setor. Barras de ferro do alambrado, pedras… Tudo isso virou arma naquela fatídica decisão.

Obs. NINGUÉM foi preso naquela noite em Heysel. Apenas o futebol, refém dos vândalos.

Você já presenciou algum incidente em um jogo de futebol? Tem alguma sugestão para ajudar no combate aos crimes nos estádios? OPINE!

Faltam 5

Ricardo TeixeiraEm 14 de março de 2007, durante uma visita ao governador de Pernambucano, Eduardo Campos, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, confirmou que o Recife receberá um jogo da Seleção Brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, que será realizada na África do Sul. Com a confirmação do Engenhão (no Rio de Janeiro) para o jogo de 10 de setembro, contra a Bolívia, restam agora mais cinco partidas da Canarinha em solo brasileiro.

Caso o dirigente máximo da CBF mantenha a decisão, o Brasil poderá jogar aqui contra Chile, Paraguai, Peru, Colômbia ou Venezuela. “Eles até já conseguiram tirar da CBF a certeza de que um jogo dessas eliminatórias será aqui em Pernambuco”, revelou um sorridente Ricardo Teixeira naquele dia (foto acima), durante a entrevista coletiva em um dos salões nobres do Palácio do Campo das Princesas. O evento marcou a apresentação da proposta pernambucana para ser subsede do Mundial de 2014.

O aguardado jogo em Pernambuco deverá ser realizado no Arruda, que precisará passar por uma série de reformas. O mandatário da FPF, Carlos Alberto Oliveira, já revelou que prefere que a partida seja contra o Paraguai, em 9 de junho do ano que vem. A última vez que o Brasil jogou no Recife foi há mais de 13 anos, mais precisamente em 29 de junho de 1995, quando venceu a Polônia por 2 x 1, também no José do Rego Maciel (cujo gramado estava completamente alagado naquela noite).

Lista de jogos do Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010

17/10/2007 – Brasil 5 x 0 Equador – Maracanã (Rio de Janeiro)
21/11/2007 – Brasil 2 x 1 Uruguai – Morumbi (São Paulo)
18/06/2008 – Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (Belo Horizonte)
10/09/2008 – Brasil x Bolívia – Engenhão (Rio de Janeiro)
14/10/2008 – Brasil x Colômbia (a definir)
31/03/2009 – Brasil x Peru (a definir)
09/06/2009 – Brasil x Paraguai (a definir)
08/09/2009 – Brasil x Chile (a definir)
13/10/2009 – Brasil x Venezuela (a definir)

Ficha técnica do último jogo no Recife (29/06/1995)

Brasil 2 x 1 Polônia

Brasil 2 x 1 Polônia - 1995Local: Arruda. Juiz: Wilson Souza (PE). Assistentes: Waldomiro Matias e Marcelino Tavares. Gols: Túlio aos 2 do 1º e aos 11 do 2º tempo; Juskowiak aos 25 do 2º. Cartões amarelos: Edmundo, Ronaldo, Zinho, Bukalski, Jakulski, Nowak, Marek Swierczewsky. Público: cerca de 20 mil pessoas

Brasil:
Danrlei; Jorginho, Aldair, Ronaldão e Roberto Carlos; César Sampaio, Dunga, Souza (Sávio) e Zinho; Edmundo (Leonardo) e Túlio. Técnico: Zagallo

Polônia:
Szczesny; Jakulski, Zielinski, Bukalski (Marek Swierczewsky) e Lapinsky; Waldoch, Nowak, Wieszczycky (Cereshevik) e P. Swierczewsky; Juskowiak e Kowalczyk (Dembinski). Técnico: Henryk Apostel

Foto acima: Souza (aquele mesmo que estava até pouco tempo atrás no América/RN) numa disputa de bola com Lapinsky.

Créditos: Arquivo DP

Segundona secreta

América FCQuase que de forma secreta, começou ontem à noite o Campeonato Pernambucano da 2ª divisão. Ao todo, 15 clubes irão disputar a Série A-2 do Estadual (nome oficial da Segundona), e, assim como nos anos anteriores, o campeão e o vice irão garantir vaga para a Série A-1 de 2009. O maior destaque da competição será a presença do tradicional América Futebol Clube (escudo ao lado), que já foi campeão da elite do Pernambucano em seis oportunidades (1918/1919, 1921/1922, 1927 e 1944).

Apesar de estar sediado na Estrada do Arraial, em Casa Amarela, o clube alviverde (que era conhecido há algum tempo como o “segundo time de todo pernambucano”) irá mandar os seus jogos no estádio Ferreira Lima, em Timbaúba (Zona da Mata). Aos 94 anos, o América – que já chegou a participar 4 vezes da Série B do Campeonato Brasileiro (72, 81, 89 e 91) – tenta, mais uma vez, se reerguer.

O Ameriquinha, aliás, começou muito bem. O time estreou vencendo o Ferroviário do Recife (rival de longa data) por 2 x 1.

Mais dois jogos abriram ontem a competição (que será dividida em 4 fases e terá 90 jogos):

1° de Maio 0 x 1 Afogadense
Cabense 1 x 0 Ferroviário (Cabo)

É inegável que essa competição é deficitária (com públicos entre 300 e 1.500 torcedores, desconsiderando possíveis ingressos promocionais). No entanto, essa ainda é a única forma de subir para a elite do nosso estado. Portanto, boa sorte a todos!

Você pode ler mais sobre a 2ª divisão do Pernambucano AQUI.

Campeões da Segundona do Pernambucano:

1977 – Maguari (Bonito)
1995 – Sete de Setembro
1996 - Flamengo (Arcoverde)
1997 - Ferroviário (Serra Talhada)
1998 – Unibol
1999 – Central
2000 – AGA (Garanhuns)
2001 – Petrolina
2002 – Itacuruba
2003 - Porto
2004 – Ypiranga
2005 – Estudantes (Timbaúba)
2006 – Vera Cruz
2007 - Salgueiro