Náutico de Lisca leva a torcida à loucura na Ilha

Copa do Nordeste 2014, 2ª rodada: Sport 0x1 Náutico. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Eram 12 derrotas e 9 empates na Ilha do Retiro.

Quase uma década sem vencer o centenário rival em sua casa.

A estatística incomodava bastante o Náutico. Até esta quinta-feira…

Tecnicamente, o primeiro clássico pernambucano do ano foi que se esperava. Pobre, dos dois lados. Passes errados, alguns até arrancando risos da própria torcida, bolas espanadas da grande área somente na base do chutão.

Lisca veio precavido. Em alguns momentos eram duas linhas enormes na defesa. À frente de Gideão, cinco. Um pouco mais adiantados, outros quatro.

Fechado, consciente da limitação e da má apresentação na estreia na Copa do Nordeste e de que a noite reservava um duelo de porte bem maior.

O atacante leoonino Neto Baiano, que deu uma provocada antes do jogo, até foi lançado como titular por Geninho, como a grande mudança da noite.

Teve duas chances, uma evitada pelo goleiro e outra em uma finalização sem direção. Assim, precisaria engolir as palavras ao fim dos 90 minutos.

Copa do Nordeste 2014, 2ª rodada: Sport 0x1 Náutico. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Aos poucos, o Náutico foi se aproximando do campo adversário. Primeiramente, parecia mais interessado em cavar um pênalti, ao menos três vezes.

O jogo seguiu… e com a bola rolando o Timbu levou a geral do placar à loucura. João Ananias tocou para Zé Mário, que mandou bem na meta de Magrão.

O técnico gaúcho parecia mesmo a arma alvirrubra para acabar o longo tabu. Não havia insanidade alguma nisso. Havia confiança. O time vermelho e branco voltou ainda mais compacto na etapa final. Até começou arisco, em dois contragolpes, mas depois apertou a marcação.

No Sport, a mesma desorganização tática vista em João Pessoa, apesar de ter corrido mais na Ilha. Mas a verdade é Gideão não praticou uma defesa sequer.

Empurrado pela torcida, que mesmo em menor número cantou mais, o visitante conseguiu buscar a vitória no reduto leonino, Náutico 1 x 0.

Um resultado há tempos esperado. É para ganhar de vez a torcida…

Copa do Nordeste 2014, 2ª rodada: Sport 0x1 Náutico. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Distintivo do América repaginado aos 100 anos

Camisa retrô do América (PE Retrô, década de 1950 e uniforme oficial de 2014 (Garra). Crédito: montagem sobre imagens do Blog do Mequinha

O tradicional Ameriquinha chega aos 100 anos em 2014.

O alviverde da Estrada do Arraial foi fundado em 12 de abril de 1914. Outrora um dos grandes clubes do estado, o América Futebol Clube tem seis títulos pernambucanos em sua galeria.

Na época em que rivalizava com Náutico, Santa Cruz e Sport, ergueu a taça do campeonato estadual em 1918, 1919, 1921, 1922, 1927 e 1944.

Em seu padrão verde e branco sempre foi estampado o distintivo de traços simples, mas de um simbolismo ímpar, com as letras A, F e C entrelaçadas.

Recentemente, a direção lançou um novo escudo, repaginado e mais escuro. O nome completo da agremiação foi inserido, além do ano de fundação.

Confira os escudos de 1914 e 2014.

O que você achou da nova marca do Mequinha?

A evolução do Macintosh via Super Bowl

Macintosh de 1984 e 2013.

Trinta anos de Macintosh. Pois é, o famoso computador pessoal produzido pela Apple chega a esta idade em 2014. Foram inúmeras versões do revolucionário equipamento, avançando em ritmo cada vez maior nas soluções tecnológicas para facilitar a vida do usuário.

O primeiro deles foi lançado no Super Bowl de 1984. A grande final da liga de futebol americano, em 22 de janeiro, terminou com vitória do Los Angeles Raiders sobre o Washington Redskins por 38 x 9.

No terceiro quarto da partida realizada em Tampa, entrou no ar no canal de tevê norte-americano CBS o histórico comercial anunciando o pioneiro Mac.

O vídeo, dirigido por ninguém menos que Ridley Scott, foi inspirado no livro “1984″, de George Orwell, sobre um futuro distópico através do Big Brother…

A crítica elogiou bastante o comercial, que acabou entrando na lista dos 50 melhores já criados, segundo o Clio Awards.

Com uma tela de 9 polegadas e 128KB de memória, o eletrônico entraria no mercado dois dias depois, por US$ 2.495. Três décadas depois, agora chamado de iMac, finíssimo e com telas de 27 polegadas, se mantém inovador.

No entanto, tudo começou num touchdown dos Raiders…

Agora, em 2014, é a vez de Denver Broncos e Seattle Seahawks no Super Bowl.

Será que a Apple prepara algo para o intervalo da NFL em Nova York…?

Na espera pela Adidas, torcedores projetam os uniformes do Sport

Ideias de torcedores do Sport para o novo uniforme do Leão, através da Adidas. Crédito: Futuro Sport/Facebook

A Adidas irá produzir os uniformes oficiais do Sport de 2014 a 2017. Mesmo com o contrato vigorando, os primeiros padrões só devem chegar em junho.

Atuando com um camisa de “transição”, sem uma fabricante definida, o Leão vai só aguçando a curiosidade dos rubro-negros em relação aos novos modelos.

Em tempos de editores de imagens e compartilhamentos nas redes sociais, os próprios torcedores passaram projetar possíveis opções para o padrão titular.

No facebook, o grupo Futuro Sport passou a postar vários desses modelos representativos. Aqui vão seis deles, criados por André Martins (1 e 5), Rafael Crespo (2), Júnior Bullard (3), Eduardo Silva (4) e Daniel Ramone (6).

Na maioria dos casos, as camisas foram baseadas em modelos lançados nas últimas coleções da Adidas para os clubes de futebol.

Na sua opinião, qual foi a melhor ideia? Até junho, vale apenas a imaginação…