Personagens de 1987 sentados lado a lado na CBF, mas falando apenas do futuro

Assembleia Geral Extraordinária da CBF, em 8 de junho de 2015. Foto: CBF/Site Oficial

Às pressas, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, convocou uma Assembleia Geral Extraordinária com os clubes da Série A de 2015. O objetivo com os dirigentes dos principais times era oferecer vantagens (autonomia) nos arbitrais das próximas edições em troca de apoio, uma vez que o mandatário encontra-se bastante pressionado após a divulgação da investigação do FBI.

Na sede da Confederação Brasileira de Futebol, na Barra da Tijuca, no Rio, 18 clubes foram representados, incluindo 15 presidentes. A composição de uma das mesas, no entanto, foi de uma coincidência incrível. Sentados lado a lado, quatro dos principais personagens do Campeonato Brasileiro de 1987.

Primeiramente, os presidentes de Sport e Flamengo, João Humberto Martorelli e Eduardo Bandeira de Mello, protagonistas da disputa pelo título, entre a posse exclusiva do Leão ou a divisão entre os rubro-negros, dependendo do Supremo Tribunal Federal. Ambos pediram a palavra durante o evento, sobre mudanças estaturárias. Na sequência da bancada, Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo hoje e em 87, quando também presidia o Clube dos 13, grupo que organizou a Copa União, segregando o campeonato nacional. Por último, Eurico Miranda, todo poderoso do Vasco, hoje e ontem. Coube a Eurico representar o Clube dos 13 no conselho arbitral da competição oficial, assinando, em nome dos 16 times do “Módulo Verde”, o regulamento com o cruzamento final.

Em 2015, tanto tempo depois, talvez o assunto nem tenha sido debatido, nem por um segundo, até mesmo porque a pauta atual era bem relevante. Contudo, bastará haver o posicionamento do STF, seja qual for a resposta, para os quatro nomes voltarem ao passado, na época dos incontáveis bate-bocas na antiga sede da CBF, na Rua da Alfândega, bem no centro do Rio de Janeiro…

Assembleia Geral Extraordinária da CBF, em 8 de junho de 2015. Foto: CBF/Site Oficial

3 thoughts on “Personagens de 1987 sentados lado a lado na CBF, mas falando apenas do futuro

  1. Sobre 1987. Quando o MEGADIEGUITO SHOWZA tirou a maior onda com o framedo, após consumar o pênalti, em pleno Maraca, JUJU KFOURI tudo presenciou, junto a MÁRCIO BREGA, PATRICINHA ZIQUINHO, JÚNIOR (o paraibaca da Grobo) e uma caravana de jornalistas do RIO DA FANTASIA. JU K não aguentou. Começou a suar frio, sentir cólicas, náuseas, tontura, boca seca, sua coluna começou a arder, seus cansados neurônios quase congelando. Ante terrível e insuportável mal estar, foi levado, às pressas, à uma clínica da Rocinha. Sua pressão disparou, ao nível das axilas da estátua do Cristo Redentor. ATÉ SEU SITEZINHO DESAPARECEU POR 48 HORAS. Quanto aos cronistas e a patota citada acima, foram vistos na UNICORDIS, também da Rocinha. Vôte! JUQUINHA PREFERE A COMPANHIA DE ZÉ PILINTRA CHUPANDO DELÍCIAS DE PICOLÉ DE FOGO que ouvir alguém referir-se a 87, SPORT – ÚNICO CAMPEÃO BRASILEIRO. JUJUZINHO, CHUPA QUE É DA MAIS PURA UVA DO SÃO FRANCISCO, visssssse! Puuuuts! Uaaaalá! PELO INCRÍVEL, FABULOSO, MONUMENTAL, FANTÁSTICO MEGASPORT ESPETACULAR, O ÚNICO CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1987, TAMBÉM O ÚNICO NORDESTINO NA ELITAÇA, O TERROR E REI DO NORDESTE, TUDO!!!

  2. Meu Deus como esse jornalista gosta de voltar para 1987….kkkkk, Cassio vai ouvir o comentário de Juca Kfoury sobre os 4 primeiros do Brasileirão desse ano kkkkk, vai gostar de relembrar essa palhaçada de 1987 na lá na China…..É MUITO FANATISMO E POUQUÍSSIMO PROFISSIONALISMO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>