Quando os clássicos pernambucanos também atravessaram a fronteira

Nordeste

A história do futebol pernambucano é concentrada em Náutico, Santa Cruz e Sport. Os embates envolvendo as três principais forças passam de 1.500.

Desde 1909, quando o primeiro Clássico dos Clássicos foi disputado no campo do British Club, nos primórdios do futebol no país.

De todas essas partidas, apenas três não aconteceram em Pernambuco.

Num fluxo inverso ao que se desenha no estado a partir de agora, com Botafogo x Fluminense na Arena Pernambuco.

Santa Cruz 0 x 0 Sport na Paraíba – 1951

O primeiro clássico local em outro estado foi em 22 de abril de 1951, em João Pessoa. Inicialmente, Santa e Sport, já populares, fariam a curta viagem para enfrentar as forças locais, Botafogo e Auto Esporte, respectivamente.

Não seria um torneio, mas as vitórias pernambucanas acabaram resultando numa “final das multidões”, segundo o pesquisador Carlos Celso Cordeiro. Detalhe, o clássico foi no mesmo dia dos triunfos sobre os paraibanos.

Porém, o Clássico das Multidões terminou num empate sem gols. Acabou até antes do tempo regulamentar, pois faltou energia no estádio. Título dividido?

Náutico 2 x 1 Santa Cruz no Rio Grande do Norte – 1975

Em 9 de março de 1975, alvirrubros e tricolores se enfrentaram no Castelão, em Natal. Castelão? Sim, este este o antigo nome do tradicional Machadão, que agora dá lugar a uma nova arena. Era a penúltima rodada do Torneio Cortez Pereira, em homenagem ao governador potiguar.

A vitória do Náutico sobre o Santa, que abriu a rodada dupla, foi presenciada por 9.375 pessoas. O atacante Jorge Mendonça marcou de pênalti o tento decisivo. Três dias depois o Timbu venceria o Bahia e conquistaria o pentagonal amistoso.

Sport 2 x 0 Náutico na Bahia – 1976

Em 15 de agosto de 1976, o Clássico dos Clássicos inaugurou o estádio Ruberleno Oliveira, em Paulo Afonso, na Bahia, a 443 km do Recife. O palco às margens do Rio São Francisco foi custeado pela Chesf, que tem usinas hidrelétricas na cidade e empregava 5,8 mil dos 65 mil moradores na época.

O jogo só não foi um Ba-Vi porque os rivais decidiram o título baiano no mesmo dia. Mesmo assim, a lotação foi esgotada, com 4 mil torcedores. O Leão venceu o amistoso com gols de Pedrinho e Cláudio Mineiro, que abriu o placar aos 8 minutos, e, assim, ganhou uma placa comemorativa no estádio.

O jogo contou com a presença do presidente da FPF, Rubem Moreira. Posteriormente, o “Rubão” mudou de nome para Álvaro de Carvalho.

14 thoughts on “Quando os clássicos pernambucanos também atravessaram a fronteira

  1. Arenas são p/ shows, teatros etc. não p/ futebol. Os campos q temos tem q melhorar o gramado, vestiários e banheiros, mas, futebol é p/ ser assistido em pé como sempre foi, com essas arenas o futebol perde sua característica principal, ou seja, a participação do publico com liberdade de se expressar, quem acompanha futebol é o publico de baixa renda pois faz parte de sua vida devido a paixão pelos clubes e agora c/ a presença dessas arenas querem elitizar o futebol q é a maior diversão do povo de baixa renda.

  2. Fala Sério:ASSINO EMBAIXO!já estamos sendo traídos.mas grande parte da população ainda não percebeu isso!

  3. A resposta que se pode dá ao Governo de Pernambuco, mais propriamente ao governador de Pernambuco é convocar os eleitores dos 03 grandes clubes de Pernambuco, que representa 90% dos eleitores para votar contra o Eduardo Campos na próxima eleição. Será que ele aguenta essa pancada?. O povo é quem manda no governo, é só saber usar nossas armas…

  4. Esses clássicos fora de da capital Pernambucana foi no tempo que lampião dava choque… qual o público que daria? aqui na Capital não dar público, imagine em outra cidade… A intenção das autoridades do eixo Sul/Sudeste é unificar e fazer torcidas a nível nacional e olhe que falta pouco…

  5. Vamos deixar de besteira estamos vivendo num mundo capitalista, podemos esperar o que quando envolve dinheiro… tudo é comércio inclusive FUTEBOL, haja visto que torcedor não sustenta clube (estou falando de cifras), se observarmos as rendas (R$) locais, não podemos ficar na dependência de todos com a nota, subsidiado pelo Governo do Estado de Pernambuco temos que reciclar o modo de pensar, futebol se faz com dinheiro, se exigimos bons times temos que pagar um pouco mais caro no ingresso e toda sua estrutura…

  6. sempre achei uma que seria mais uma cagada da diretoria do nautico ir para esta arena ” rio- sao paulo ” administrada pela or ” dudu ” brocha , nao se venda a propria casa para morar de favor na casa dos outros, vamos boicotar esta palhacada , convoco as torcidas do nautico , santa cruz e sport. Pernambuco em primeiro lugar

  7. ATENÇÃO TORCIDA CORAL: O GOVERNO DE PERNAMBUCO ESTÁ TENTANDO A TODO CUSTO FAZER COM QUE O SANTA MANDE SEUS JOGOS NA ARENA PE>> prejudicando o gramado, cortando o TCN pra quem não jogar na arena PE>> olhe lá se teve o dedo do Governo de pernambuco em cortar a cota de TV que ia ser paga pela CBF aos clubes da série C>> A CASA DO SANTA É O ARRUDA>> NÃO REFORMARAM O ARRUDA PRA COPA 2014 PQ NÃO QUISERAM AGORA AGUENTEM AS CONSEQUÊNCIAS>> pois até jogos dos times de fora estão vindo pra cá>> isso é um ABSURDO>> A DITADURA VOLTOU!!!

  8. Tenho certeza que a torcida de Pernambuco (Recife e região metropolitana), não irá ter representatividade nesse jogo, alias, o jogo do Santa Cruz terá um público bem maior. Porém, não podemos dizer que os nossos vizinhos (PB, AL e RN), que são carentes de futebol e não tem o mesmo respeito pelos times de suas terras como nós temos pelos nossos, não irão comparecer. O incrível é que aceitaram a regra e agora não temos como questionar. Haja mediocridade da ADM-Arena, FPF e do Nautico também…..

  9. PEÇO A TORCIDA PERNAMBUCANA QUE NÃO COMPAREÇA A ESSE JOGOS!!! pois esses jogos é um desrespeito com o cidadão e o torcedor pernambucano>> QUEREMOS A COTA DE TV!!!

  10. HOJE NO GLOBO ESPORTE PASSOU UM MATÉRIA RIDÍCULA, COM TORCEDORES DE TIMES DE OUTRO ESTADO ( FLU, BOTAFOGO ) E HOJE O FLAMENGO DIVULGOU QUE MANDARÁ 4 JOGOS AQUI NA NOSSA ARENA ISTO É RIDÍCULO, O ESTADO NÃO PRECISA DISSO, TEMOS TRÊS GRANDES TORCIDAS AQUI.

    ENTÃO TORCIDA ALVIRRUBRA, SÓ NOS RESTA UMA COISA, LOTAR A ARENA E MOSTRA QUE NÃO PRECISAMOS DISSO, EU PREFIRO QUE O SPORT E O SANTA MANDEM SEUS JOGOS LÁ TAMBÉM, DO QUE TIMES DE OUTROS ESTADOS JOGUEM AQUI. ABSURDO.

  11. ESCLARECIMENTOS PQ NÃO QUEREMOS ESSES JOGOS AQUI>> A GLOBO e CBF>> são culpadas por excluir da cota de TV o futebol do Norte/Nordeste!!! e invadem a programação do interior>> e colocam os jogos dos times do rio e são paulo ao invés do futebol pernambucano!!! SEM INVESTIMENTOS IGUALITÁRIO (COTA DE TV)NUNCA TEREMOS UM CAMPEONATO COMO O FUTEBOL ALEMÃO, ESPANHOL e INGLÊS!!!

  12. Agora está comprovado pq a Arena da Copa não foi o estádio do ARRUDA, pois Recife só seria benefíciado com uma arena e ter jogos da Copa se concordasse a continuar a MONOPOLIZAR o futebol Brasileiro, juntamente com CBF e GLOBO!!

    AGORA QUEM VAI PAGAR A CONTA É O CIDADÃO PERNAMBUCANO, que não tem interesses em ver jogos dos times do Sul do país, sem falar que os times locais recifenses sempre foram excluídos, AGORA SEREMOS TRAÍDOS PELO NOSSO GOVERNO e IMPRENSA LOCAIS!!!

  13. AI FICA A PERGUNTA, SE TIVESSE UM CLÁSSICO ENTRE NÁUTICO E SPORT NO RIO DE JANEIRO, COMO SÉRIA QUE OS CARIOCAS IRIAM REAGIR COM A NOTICIA ?? CERTAMENTE IRIAM NOS XINGAR DE CABAÇAS CHATAS, MAIS DO QUE JÁ NOS XINGAM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>