“A mobilidade não foi determinante para a subutilização da Arena PE”, diz governo

O procurador geral do estado de Pernambuco, César Caúla, durante coletiva sobre a rescisão do contrato de operação da Arena. Foto: Cassio Zirpoli/DP

A rescisão da concessão de operação da Arena Pernambuco, por parte do governo, está nas mãos do procurador geral do estado, César Caúla. Em coletiva na sede do órgão, no centro do Recife, Caúla esmiuçou alguns dados, tendo que assumir a posição de porta-voz de Paulo Câmara acerca do contrato. Após o pagamento de R$ 81,16 milhões de contraprestação de operação em 2013 e 2014, o governador autorizou a suspensão das parcelas em janeiro de 2015, devido à medida de revisão contratual baseada no estudo da Fundação Getúlio Vargas. Na coletiva, o procurador sequer utilizou a expressão “rescisão unilateral”, tirando qualquer lacuna de culpa por parte do estado, repetindo o mantra do Palácio do Campo das Princesas. Agora, a ‘crise econômica do país’ seria o principal motivo para o mau resultado.

As declarações do porta-voz do estado caso e as observações do blog:

Quando o estado decidiu rescindir o contrato?
“O contrato previa uma revisão após seis meses seguidos de frustração (saldo negativo). Usamos o mecanismo de defesa em janeiro 2015, seis meses após a Copa do Mundo. Suspendemos o pagamento.”
O procurador alega que o fator principal para o desempenho foi a mudança de cenário econômico do país nos últimos dois anos. À frente do contrato com uma garantia milionária ao consórcio e à infraestrutura de mobilidade.

O motivo do rompimento…
“O rompimento decorre que a manutenção do contrato implicaria uma COA adicional (contraprestação de operação da arena) de R$ 13 milhões por ano. Ficaria muito oneroso para o estado.”
Dos R$ 119 milhões correspondentes a 25% da obra, já corrigidos pelo IPCA, o estado pagou apenas R$ 40 milhões. O restante, R$ 388,9 milhões, foi pago em dezembro de 2013, num financiamento do BNDES.

Por que o governo garantiu os 3 clubes no contrato original?
“O governo fez um levantando de viabilidade (através da inglesa Comperio Research, em 2010), e, como em todas as outras arenas, mostrava um aumento de receitas, com uma diferença no perfil do torcedor. Era um outro cenário econômico.”
Seriam oito cenários possíveis de operação, começando sem clubes (R$ 5,7 mi/ano) à presença dos três (R$ 86,2 mi/ano). Já na época o cenário seria difícil, pois nem mesmo juntando as 20 melhores partidas de cada um se chegaria a tal valor. Como só o Náutico assinou, foi preciso fazer um aditivo, garantindo um faturamento mínimo de R$ 73 milhões por ano. Caso não fosse alcançado, o estado completaria.

Qual foi o peso da mobilidade sobre o déficit na operação?
“O governo do estado não se obrigou contratualmente a executar as obras de mobilidade. Essas obras serão finalizadas, mas não foram determinantes para dizer que o equipamento é subutilizado. O jogo Sport x São Paulo, por exemplo, encheu, e outros eventos também.”
O governo pode até ter o respaldo legal nesta disputa, mas moralmente é inaceitável tentar tirar o peso da mobilidade não finalizada como fator determinante no sucesso econômico nos jogos regulares – ao menos tivesse dito ao povo há seis anos. Dados atuais: Ramal da Copa 85%, Corredor Norte-Sul 83% e Corredor-Leste Oeste 81%, todos necessários para o BRT.

O governo reconhece a arena como um fiasco em seus primeiros anos?
“A palavra fiasco vai da visão subjetiva de cada um. Na nossa visão, não, pois o estádio recebeu a Copa do Mundo, teve jogos com grandes públicos, como o do Sport, e continua sendo um equipamento de primeira qualidade. Um contrato de 33 anos não pode ser visto como mau negócio por causa de 2 anos. A gente vai trabalhar para que a arena seja bem utilizada.”
A Copa do Mundo e a Copa das Confederações foram os eventos que legitimaram a construção do estádio, colocando Pernambuco entre as 12 subsedes. Porém, isso não isenta (não mesmo) o mau desempenho (esperado) na operação, com déficits milionários ano a ano.

Qual seria o valor da indenização neste contrato?
“Ainda estamos no processo de deliberação sobre o modelo de rescisão (unilateral, acordo entre as partes, falha no contrato etc). Por isso, preferimos não falar sobre valores.”
No começo da coletiva o procurador afirmou que o governo do estado determinou que todas as informações fossem concedidas aos jornalistas… Uma nova licitação para a operação será lançada em 60 dias, independentemente do desfecho do contrato atual.

8 thoughts on ““A mobilidade não foi determinante para a subutilização da Arena PE”, diz governo

  1. O maior estádio da Europa será ainda maior daqui a cinco anos. Com direito a cobertura, o Camp Nou, do Barcelona, terá capacidade ampliada para mais de 100 mil torcedores. A reforma vai começar na temporada 2017/2018 e aumentará o tamanho das arquibancadas, que passarão a receber 105.000 fãs do time catalão, contra a atual capacidade de 99.354

    hahahahhahahahahhahahahah
    quanta gente de mentalidade pequena, picuinha,..

    A arena da Copa para..45.000 espectadores….hahahhahahaaaa!!!!

    Mentalidade Empresarial NELA!!!!!!!!

  2. Aqui nao é forum de politica nem de Politicagem barata!!
    Agora,atualmente na “Olimpiada” do “RIO”…constroem dezenas de novas estações de Metrô,duplicação do aeroporto do galeão e as pessoas aqui discutindo bobagens!!
    Porque so RIO e SÃO Paulo recebem verbas??????

    Este estadio aqui de Recife para 45.000 espectadores, é um estadio pequeno ate!!!
    Se houve roubo vamos punis os ladrões,isso é outro assunto,Existe a Justiça para isto.
    Sport, tem torcedores p uma Arena de 45.000 espectadores nao sejamos “Mediocres”.
    No futuro talvez quem sabe o Sport assuma este estadio mediante contrato com o estado(desde que o nautico,ache nao tem torcida para pagar as despesas.
    O raciocinio deve ser Progressista.
    O Centro de convenções,na decada de 70, era chamado de “ELEFANTE BRANCO” raciocinem ,meus amigos!!!
    Cade as boas ideias,??so fazem criticar nao resolve nada.
    Acho que o Sport é um serio candidato a fazer um contrato para a Arena de Pernambuco(caso o nautico se acovarde)

  3. Quando do lançamento do projeto o governo do estado prometeu mundos e fundos, tais como, futura construção da cidade da copa, obras de mobilidade, incluindo BRT,S e estação do METRÔ do lado da arena, e, não cumpriu absolutamente nada. São totalmente culpados do retumbante fracasso que é a arena/PE, e por isso deve ser responsabilizado. Quanto ao NÁUTICO, soa “estranho” que a diretoria da época, tenha recusado uma proposta de João Carlos Pães Mendonça, que queria trocar os aflitos por área construída, (estádio, sede campestre na guabiraba,etc.) sem envolver DINHEIRO, preferindo entrar nessa canoa furada! Se a arena fosse o que foi apresentado no projeto original, seria bom, porém, do jeito que está, é um crime. Que se apure responsabilidades e puna-se os culpados!!!

  4. 1) Como sempre, o Governo do Estado de PE não cumprindo o prometido!
    Já não basta o fato de terem mentido para Jeep na questão do arco metropolitano, agora quebra o contrato da Arena alegando crise econômica. Mas esperem um pouco : Não há um economista decente em pernambuco para orientar o governo ? Achar que em 30 anos haveria só bonança econômica é uma burrice sem precedentes!!
    O fato é : Após a mentira absurda sobre o arco metropolitano e a quebra de contrato com a Arena , quem vai se arriscar a investir em PE ? Especialmente em regiões distantes da capital?
    2) É inegável que o local escolhido para construção da mesma foi péssimo!! SLM não tem infra estrutura! Quem vai se deslocar até lá para assistir um jogo de segunda categoria ? Usar o exemplo do jogo Sport x São Paulo é um sofisma por parte do procurador Caúla! O jogo do Brasil também lotará a Arena. Os caras não sabiam que 90% não seriam de 2° categoria ?
    3) Os petistas que agora posam de defensores do Estado, deveriam se recolher ao silêncio, afinal, quando a Arena foi projetada o então governador do Estado era aliado da presidência da república!! Logo, os dois entes Estatais foram coniventes com o projeto com alto risco de fracasso!

  5. Paulinho tá cheio de dedos pra falar no assunto… deve ter é muita podridão nessa arena envolvendo eduardinho, marininha e lulinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>