Pesquisas de torcida do Ibope no Brasil (1969), Pernambuco (1969) e Recife (1971)

Pesquisas de torcida realizadas pelo Ibope em Pernambuco (1969) e Recife (1971). Arte: Cassio Zirpoli/DP

A metodologia atual das pesquisas de torcida realizadas no Brasil considera o interesse por um clube em qualquer lugar (Flamengo no Recife, Náutico no Rio etc), além de registrar o percentual de pessoas à parte do futebol, sem preferência alguma. Isso foi estabelecido em 1983, pelo Gallup. Entretanto, bem antes, o Ibope já havia realizado incursões no tema, passando inclusive por Pernambuco, duas vezes. E os percentuais são bem diferentes dos dados atuais. Vamos às pesquisas, num achado do historiador paulista Clayton Silvestre, com o blog recuperando as reportagens do Diario de Pernambuco.

Começou em 1969, numa pesquisa encomendada pelo jornal carioca O Globo. O resultado foi divulgado em março no Diario, em dois momentos, com os dados nacionais no dia 4 (Santos de Pelé com quase metade do país!) e os dados locais, de onze estados, no dia 9. Se desde 1983 o Sport fica à frente de todas as pesquisas, catorze anos antes não foi assim. Longe disso. Em 1969, a liderança pernambucana era dos rivais. Náutico e Santa Cruz reunem preferências do torcedor, diz pesquisa feita pelo Ibope, estampou o Diario, com a reportagem sobre todos os locais pesquisados (Bahia e Ceará inclusos).

No questionário do Ibope foram feitas duas perguntas a cada entrevistado:
1) No seu entender, qual o clube de futebol mais querido em todo o Brasil?
2) No seu entender, qual o clube de futebol mais querido de seu estado? 

Atualmente, a pergunta é feita da seguinte forma:
Para qual clube de futebol você torce? (direta e sem distinção de localidade)

A explicação é necessária, pois a soma dos nove clubes no ranking nacional chega a 100%, assim como no local, com apenas três times. Ou seja, dá a entender que na pesquisa havia a preferência local e um segundo time de preferência nacional. Neste estudo não há detalhes sobre a quantidade de entrevistados ou mesmo a margem de erro. Em relação à dianteira alvirrubra, ainda que empatada, o Diario escreveu o seguinte: “A posição do Náutico (….) é uma decorrência da série de conquistas durante anos a fio, no futebol pernambucano, o que levou o clube dos Aflitos a se tornar até líder de arrecadações, como aconteceu no campeonato passado (1968)”. Hexa.

Já a segunda pesquisa, de 1971, ocorreu em sete municípios do Grande Recife, sob encomenda da Federação Pernambucana de Futebol (cujo último pedido do tipo data de 2008, ao Opine). Aqueles dados só foram divulgados no jornal em 18 de janeiro de 1972. Na ocasião, o título foi Nosso futebol visto pelo torcedor, pois também trouxe questionários como mobilidade (pela ordem, ônibus, carro particular, táxi e ônibus elétrico) e a dificuldade no acesso aos estádios (já naqueles tempos!). Tricampeão estadual, o Santa ficou na liderança graças à imensa maioria nas classes D/E, reforçando a aura popular. Também chama atenção a faixa etária coral, envelhecida, o que denota uma liderança anterior.

Para projetar as torcidas absolutas em cada pesquisa, o blog utilizou os dados do censo do IBGE de 1970, uma vez que naquela época não havia a atualização anual de estimativas – ou seja, dados antes, só em 1960, e depois, em 1980.

Ibope / Brasil 1969
Período: janeiro e fevereiro de 1969
Público: n/d (em 11 capitais e cidades vizinhas)
Margem de erro: n/d
População estimada (IBGE/1970): 94.508.583

1º) Santos – 49% (46.309.205)
2º) Flamengo – 20% (18.901.716)
3º) Corinthians – 14% (13.231.201)
4º) Vasco – 5% (4.725.429)
5º) São Paulo – 3% (2.835.257)
5º) Botafogo – 3% (2.835.257)
5º) Palmeiras – 3% (2.835.257)
8º) Fluminense – 2% (1.890.171)
9º) Atlético-MG – 1% (945.085)

Ibope / Pernambuco 1969
Período: janeiro e fevereiro de 1969
Público: n/d (dentro da pesquisa do Brasil)
Margem de erro: n/d
População estimada (IBGE/1970): 5.253.901

1º) Náutico – 36% (1.891.404)
1º) Santa Cruz – 36% (1.891.404)
3ª) Sport – 28% (1.471.092)

Ibope / Grande Recife 1971
Período: 15/04 a 16/05 de 1971
Público: 400 entrevistados (7 cidades*)
Margem de erro: n/d
População estimada (IBGE/1970): 1.664.865
* Recife, Jaboatão, Olinda, Cabo, São Lourenço, Paulista e Moreno

1º) Santa Cruz – 39% (649.297)
2º) Sport – 34% (566.054)
3º) Náutico – 24% (399.567)
4º) América – 2% (33.297)
5º) Central – 1% (16.648)

Ibope / Recife 1971
Período: 15/04 a 16/05 de 1971
Público: n/d (dentro da pesquisa do Grande Recife)
Margem de erro: n/d
População estimada (IBGE/1970): 1.060.701

1º) Santa Cruz – 35% (371.245)
2º) Sport – 33% (350.031)
3º) Náutico – 29% (307.603)
4º) América – 3% (31.821)

Dados da pesquisa de 1971 por classe social, idade e localidade…

Pesquisa de torcida realizadas pelo Ibope no Grande Recife em 1971. Arte: Cassio Zirpoli/DP

12 thoughts on “Pesquisas de torcida do Ibope no Brasil (1969), Pernambuco (1969) e Recife (1971)

  1. Claro que uma boa gestão no clube, influência muito, quando comecei a torcer pelo CNC, estava com seis anos de idade, e via quem nos bastidores do CNC, varios cartolas alvirrubros comprometidos em fazer com que o TIMBA fosse um dos clubes bem administrado de Pernambuco, hoje nós torcedores do CNC, só vemos pessoas que só querem abastecer os seus egos com o cargo de presidente e diretores, quando não metem as mãos nas finanças do CNC, é o caso do Paulo Wanderley conseguiu derrubar o CNC, com 57 milhões nos cofres e onde foi parar essa irrisória quantia? na minha conta bancária é que não foi, depois desta desastrosa gestão, entrou outra prometendo que faria auditoria nas contas do CNC, e que contrataria jogadores de 1ª divisão mesmo jogando a série B, elegeu-se estes mentirosos, logo após vieram estes que estão ai amadores, incompetentes e sem inteligência. e com isso o clube vem perdendo prestigio, credibilidade e torcedores.

  2. Amigo Cássio Zirpoli, veja ai uma pesquisa mais atualizada, nesta você ainda não era nascido, e gostaria de saber a sua posição de qual o seu time em Pernambuco.

    Nota do blog

    Aílton, óbvio que essa pesquisa é bem antiga, já longe do cenário atual. A sua publicação foi apenas para aumentar a informação sobre o tema, recorrente aqui no blog (basta clicar na tag “Pesquisa”, no fim do post). Abraço.

  3. como o amigo falou,realmente perdemos torcedores ao longo dos anos devido a falta de títulos,porém tenho maior orgulho em pertencer a essa minoria…resta torcer que o CNC seja dirigido por pessoas sérias e competentes,e consequentemente volte ao patamar que já ostentou

  4. Complemento do post… (parte 2)

    As pesquisas estaduais do Ibope em 196

    BA: Bahia 78%, Vitória 14%, Ypiranga 5%, Galícia 3%
    CE: Ceará 60%, Ferroviário-CE 20%, Fortaleza 16%, Calouros do Ar 3%, América 1%
    DF: Rabello 76%, Defelê 13%, Cruzeiro-DF 11%
    MG: Atlético-MG 89%, Cruzeiro 10%, América 1%
    MT: Mixto 51%, Operário 32%, Dom Bosco 17%
    PA: Remo 65%, Paysandu 32% e Tuna Luso 3%
    PE: Náutico 36%, Santa Cruz 36%, Sport 28%
    PR: Coritiba 55%, Atlético-PR 27%, Ferroviário-PR 18%
    RJ: Flamengo 56%, Vasco 25%, Botafogo 9%, Fluminense 8%, Bangu 1%, América 1%
    RS: Internacional 60%, Grêmio 40%
    SP: Corinthians 50%, Santos 21%, São Paulo 15%, Palmeiras 14%

  5. Agora tá explicado porque a torcida sarnista insiste em se auto declarar a maior, devem viver ainda nesse passado remoto e não querem aceitar que em todas as pesquisas, de todos os institutos só dá Sport em primeiro.

  6. Depois disso, O Glorioso foi penta e se tornou o Terror do Nordeste nos anos 70. O cenário só mudou com a interferência da máfia dos 13, depois do acordão da safadeza pós 87.

  7. A pergunta é interessante: “No seu entender, qual o clube de futebol mais querido de seu estado?”. Abria margem para aquilo que a pessoa achava. Por exemplo: Eu poderia torcer para o Sport, porém considerar que o Náutico era o mais querido pelos fatores Títulos, percurso em competições nacionais… Em toda a pesquisa, a pergunta de investigação tem que ser muito clara e precisa para não abrir margem à discussão. Talvez o Santa ou o Sport tivesse a maior torcida, porém considerassem o Náutico o mais querido, pois agregava a simpatia por estar fazendo bonito. Meu pai mesmo é torcedor do Sport e, na década de 60, ia a muitos jogos do Náutico pelo fato de que o time dava gosto de ver jogar. São discussões. Mas nada mais justo que o Náutico ter maior torcida à época.

  8. Normal o Timbu liderar nessa pesquisa de 1969, pois tinhamos acabado de conquistar o hexa campeonato e estávamos fazendo bons campeonatos nacionais, inclusive chegando aos jogos semi-finais e finais. Já no início da década de 60 os tricolores vivism seu melhor momento. Os números do TIMBA foram minguando em função das más administrações e da falta de títulos ao longo dos anos. Nada que não possa ser corrigido com inteligência e determinação. Fica o alerta aos nossos dirigentes que sem bons resultados a torcida não se anima. Avante, TIMBA!

  9. Complemento do post… (parte 1)

    População oficial no censo do IBGE de 1970
    Recife – 1.060.701
    Jaboatão – 200.975
    Olinda – 196.342
    Cabo – 75.829
    São Lourenço – 55.820
    Paulista – 43.994
    Moreno – 31.204

    Dificuldade no acesso aos estádios, segundo a pesquisa do Ibope em 1971

    Arruda
    Muita – 38%
    Pouca – 18%
    Nenhuma – 44%

    Ilha do Retiro
    Muita – 29%
    Pouca – 22%
    Nenhuma – 49%

    Aflitos
    Muita – 35%
    Pouca – 23%
    Nenhuma – 42%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>