Estamos de olho

Placa anunciando obra da Cidade da Copa, em São Lourenço da Mata. Foto: Gil Vicente/Diario de Pernambuco

Esta segunda-feira, 30 de agosto de 2010, marca o primeiro mês de obras na Cidade da Copa. Por enquanto, o trabalho ainda é tímido, com a instalação do canteiro de obras.

Serão mais 24 meses até a conclusão da Arena Pernambuco, a principal obra do estado para a Copa do Mundo de 2014. Até porque o orçamento é de R$ 532 milhões…

O Diario de Pernambuco inicia hoje a série mensal “Diario de uma Arena”, sobre a evolução da empreitada, sempre no dia 30 de cada mês até dezembro de 2012.

A edição impressa sempre trará uma foto do local exato do estádio (já mapeado), além das principais ações executadas nos últimos 30 dias.

A reportagem vai contar ainda com uma serviço multimídia, com um hotsite especial, com vídeos produzidos no local e fotos exclusivas, além de outras reportagens sobre a arena, como a viabilidade econômica e as medidas socioambientais, por exemplo.

Para conferir o hotsite “Diario de uma Arena”, clique AQUI.

Não é Winning Eleven. É aqui

Arena virtual, desenvolvida pela Soft.Zone

Esqueça bilheterias, longas filas, aborrecimento…

E, acima de tudo, a falta de um lugar marcado no estádio.

A arena pernambucana para o Mundial de 2014 deverá contar com um sistema moderno para a comercialização de entradas. Um salto para o futebol pernambucano.

Venda em 3D.

Os 46.214 assentos do estádio em São Lourenço deverão ser digitalizados pela Soft.Zone, empresa pernambucana de software que negocia com a Odebrecht para fornecer o I.I. (Imóvel Interativo) à arena. O programa custou R$ 220 mil!

Detalhe: a venda em 3D também será acessível em celulares.

A Soft.Zone desenvolveu uma versão de uma arena virtual com exclusividade para o blog, com uma ideia do que vem por aí. Confira AQUI.

O estádio, em 2014, terá a mesma modelagem da arena do estado.

Confira a reportagem completa neste domingo, no Diario.

Dos canaviais para a arquibancada

Diario de Pernambuco: 15/08/2010. Caderno de esportes. Arte: Jarbas Domingos/Diario de PernambucoAcredite se quiser, mas as 42.214 cadeiras da arena pernambucana para a Copa do Mundo serão feitas a partir da cana-de-açucar. Zona da Mata!

É um plástico 100% renovável.

Há décadas, o produto era feito a partir do petróleo. A Braskem, braço petroquímico da Odebrecht, que lidera o consórcio do estádio, desenvolveu  o biopolietileno após cinco anos de pesquisa.

A arena em São Lourenço da Mata será a primeira do mundo com este tipo de assento.

Leia a reportagem completa sobre a sustentabilidade do estádio pernambucano – em mais um ótimo trabalho de arte do diagramador Jarbas Domingos – clicando AQUI.

Copa do Passado

Diario de Pernambuco: 04/08/2010. Página de esportes. Arte: Jarbas/DPNo meio de uma conversa, a informação de que a Cidade da Copa precisa de um aval arqueológico para dar sequência à obra vigente em São Lourenço da Mata.

Como é que é…? Arqueologia?! Sim.

O departamento de arqueologia da UFPE já foi acionado para a missão. Algo de praxe, como em outras grandes empreitadas.

Na terreno de 52 hectares existem indícios históricos de tribos indígenas tupi-guarani há 500 anos e passagem de tropas holandesas há 360. Um duelo pra lá de hipotético!

Caso qualquer vestígio seja encontrado na área, o tesouro será retirado, com todo cuidado, é claro. Paralisação mesmo, só se encontrarem uma “pirâmide” por lá…

Pauta pronta. Faltava, então, uma ilustração para o texto no jornal.

Após outra conversa, agora com Jarbas Domingos, do departamento de arte do Diario, saiu o “ok” para a página.

E numa tarde, Jarbas criou a bela página ao lado, na edição desta quarta-feira do jornal. Confira a reportagem AQUI.

A casa do futebol

Antiga seda da associação de moradores vira centro administrativo da Odebrecht na construção da Cidade da Copa. Foto: Cassio Zirpoli/Diario de Pernambuco

A casa acima foi reformada em caráter de urgência. Passou por revisões no telhado e nos sistemas elétrico e hidráulico. Foi devidamente pintada, é claro.

Agora, o imóvel será o centro administrativo da construção da arena pernambucana para a Copa do Mundo de 2014, no meio da mata em São Lourenço. Ao lado, dois containers (escritórios móveis), que reforçam a área de trabalho dos engenheiros.

Eu tirei essa foto no fim da tarde de segunda-feira, quase no fim do expediente dos cerca de 30 operários da Odebrecht que já preparam o canteiro de obras para as máquinas pesadas que vêm por aí até dezembro de 2012.

Você deve ter se perguntado: “A casa foi ‘reformada’?”

Exatamente. Durante quase duas décadas, o imóvel teve outra finalidade. Funcionava ali a antiga associação de moradores de Jardim de Penedo de Baixo (veja AQUI).

De articulações sociais a planos estratégicos de engenharia.

Tudo por uma data

Cidade da Copa

Faltam 11 dias para o fim de julho.

Após o resultado da licitação da Cidade da Copa, com vitória do consórcio liderado pela Odebrecht, o prazo para o início das obras da arena pernambucana para o Mundial de 2014 seria neste mês. Não havia um dia específico. Apenas o mês de julho.

No entanto, o lançamento da pedra fundamental do estádio está travado por causa de uma licença de instalação da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

O presidente da CPRH, Hélio Gurgel, admite que a entidade vem concentrando esforços na ajuda às vítimas das enchentes na Mata Sul do estado.

A Odebrecht, por sua vez, alega que está pronta para ligar os tratores.

E o estado segue apostando no prazo de julho, tão cobrado pelo governador Eduardo Campos. Em entrevista ao blog, na noite de segunda-feira, o secretário de esportes de Pernambuco, George Braga, afirmou que também não abre mão do prazo.

Ele está sendo cobrado por isso. E, certamente, também irá cobrar.

Braga atendeu a ligação no Aeroporto Internacional dos Guararapes, onde desembarcou após uma viagem para Brasília. Na capital federal, ele acompanhou a assinatura do presidente Lula em mais uma medida orçamentária para a Copa de 2014.

Viajou acompanhado do secretário da Casa Civil, Ricardo Leitão, que é, também, o coordenador do comitê de Pernambuco para Copa 2014… Dá pra imaginar o papo?

Só como curiosidade, vale citar as três datas anteriores para o início da construção do estádio em São Lourenço, neste ano: 4 de janeiro, 28 de fevereiro e 8 de março.

Somente o prazo de conclusão da obra não mudou, ainda: dezembro de 2012.

Pontualidade britânica até 2011

Estádio Olímpico de Londres, em 2012

Vários prazos para o início da construção da arena pernambucana para o Mundial de 2014 já foram ultrapassados. Mesmo assim, o governo do estado assegura que o estádio orçado em R$ 452 milhões estará pronto até dezembro de 2012. A garantia é a mesma da Odebrecht, que lidera o consórcio que venceu a licitação da PPP.

Ok. O prazo está mais do que anotado. Por mais que ainda não tenha saído do papel…

Em Londres, os ingleses estão a dois anos do início da abertura do próximo grante evento esportivo do mundo, a Olimpíada. A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos está marcada para o dia 27 de julho de 2012.

A festa será no estádio olímpico. Sim, na arena acima… A foto aérea foi cedida nesta quinta pelo comitê organizador britânico. A expectativa é que as obras principais (entre elas, o estádio olímpico) terminem em julho de 2011, a um ano da competição.

Os britânicos, conhecidos pela pontualidade, estão cumprindo à risca o cronograma. Vamos ver até onde o Brasil poderá deixar uma boa imagem relação ao calendário…

Confira mais fotos do andamento das obras olímpicas em Londres AQUI.

Qual é a arena pernambucana mais bonita?

Projetos pernambucanos para a Copa de 2014: Cidade da Copa (Odebrecht), Cidade da Copa (versão do governo do estado) e Arena Recife-OlindaO Brasil foi confirmado pela Fifa como sede da Copa do Mundo de 2014 há um bom tempo. Foi em 30 de outubro de 2007.

A candidatura oficial, porém, foi lançada em 17 de março de 2006. A partir desta data, todos os estados começaram a divulgar projetos de estádios modernos, com o objetivo de receber o Mundial.

E olhe que a ecolha das 12 subsedes aconteceu apenas em 31 de maio de 2009. Mas seguem os projetos…

Desde então, sem considerar os projetos dos clubes locais, Pernambuco já apresentou, de maneira oficial, três arenas com o padrão exigido pela Fifa.

A primeira, descartada há muito tempo, ficaria em Salgadinho, em Olinda. As outras duas são versões do mesmo projeto, a Cidade da Copa.

Com modelagens tão diferentes, o objetivo do post é saber a opinião do internauta na nova enquete do blog:

Qual é a arena oficial mais bonita já apresentada por Pernambuco?

1) Julho de 2010 – Cidade da Copa (versão da Odebrecht)
2) Janeiro de 2009 – Cidade da Copa (versão do governo do estado)
3) Janeiro de 2007 – Arena Recife-Olinda

As duas versões do estádio em São Lourenço têm a mesma capacidade (46.214), enquanto o antigo projeto em Olinda teria 45.800 lugares.

Versão beta

Cidade da Copa, a versão final

A arena pernambucana para a Copa do Mundo de 2014 ainda não saiu do papel. A pedra fundamental deverá ser dada, finalmente, no fim deste mês.

Enquanto isso, foram confirmadas algumas mudanças na modelagem original, conforme o blog havia antecipado em 23 de março (veja AQUI).

Sem muito alarde, a Odebrecht, que lidera o consórcio que venceu a licitação do estádio, modificou levemente o projeto. A fachada colorida deu lugar a um tom mais sóbrio, cinza, mas sem sair da concepção original, algo que era uma condição para qualquer mudança da construtora.

Veja abaixo outras imagens do projeto final, adquiridas com exclusividade pelo blog.

Cidade da Copa, a versão final

Já as 46.214 cadeiras, que seriam na cor bege, serão vermelhas. Coincidência ou não, vermelho é a única cor presente nos três grandes clubes do Recife, Sport, Náutico e Santa Cruz. Nenhum deles assinou contrato para jogar lá até agora…

Cidade da Copa, versão antigaUma armação de aço que ficaria no entorno do primeiro projeto da Cidade da Copa (ao lado) foi retirada da nova arena, com a versão beta. Que seja a definitiva.

Apesar das mudanças, o orçamento da obra é o mesmo: R$ 452 milhões. O prazo de conclusão também segue inalterado, para dezembro de 2012. Fica a torcida para que essa data seja cumprida.

O que você achou do projeto final da arena pernambucana para 2014?

Construindo o futuro

A sorte da Cidade da Copa será lançada na próxima segunda-feira.

24 consórcios compraram o edital, que custou R$ 100.

19 grupos chegaram a visitar o terreno de 270 hectares em São Lourenço da Mata.

Mas apenas 2 consórcios depositaram a caução de R$ 4,9 milhões para poder participar da licitação. Dois concorrentes ao megaprojeto orçado em R$ 1,59 bilhão.

São 3 construtoras brasileiras divididas em 2 consórcios.

OdebrechtDe um lado, a Odebrecht.

Fundada por Norberto Odebrecht em 1944, em Salvador, o conglomerado conta hoje com 129.226 empregados (diretos e indiretos) espalhados em 24 países.

Entre os vários segmentos, destaque para a maior construtora do país e a maior petroquímica da América Latina. O seu faturamento em 2009 foi de US$ 19 bilhões.

Site oficial: http://www.odebrecht.com.br

A concorrência será através da parceria entre a OAS e a Andrade Gutierrez.

Consórcio OAS/AGOu, simplesmente, consórcio OAS/AG.

O Grupo OAS foi criado em 1976, também a Bahia, e faz parte do clã ACM, ligado à política baiana. Até hoje, já levantou mais de 41 mil unidades residenciais e 3.500 quilômetros de rodovias.

A empresa começou na construção civil e evoluiu para o ramo do petróleo. A empreiteira já vem construindo um estádio, a Arena Barueri, em São Paulo. Em 2008, o faturamento foi de US$ 1 bilhão.

Site oficial: http://www.oas.com.br

Apesar da sede em São Paulo, o Grupo Andrade Gutierrez foi criado em Minas Gerais, em 1948. Entre as suas principais obras estão a Hidrelétrica de Itaipu e boa parte do metrô de São Paulo. Atualmente é dividida em 3 subsidiárias, sendo uma delas de telecomunicações. No ano passado, o faturamento da empresa foi de US$ 9,5 bilhões.

Site oficial: http://www.andradegutierrez.com.br

Curiosidade: o consórcio que venceu a licitação para reconstruir a Fonte Nova (também visando o Mundial de 2014) é formado pela Odebrecht e OAS. A dupla também construiu o estádio Engenhão, no Rio de Janeiro. Rivais, mas nem tanto… 8-O

Abaixo, um vídeo do programa Megaconstruções, do Discovery Channel, sobre a construção do estádio olímpico Engenhão.