Árbitro caseiro na Série A, literalmente

Escala de arbitragem para Corinthians x Sport. Crédito: CBF/reproduação

No início do Campeonato Brasileiro de 2015, o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, anunciou uma medida polêmica. Ele autorizou a escalação de árbitros do mesmo estado do clube mandante ou visitante. Anteriormente, isso só acontecia em clássicos, naturalmente.

A explicação do cartola:
“Estamos trabalhando aos poucos, vai ser uma coisa lenta, porque as pessoas têm que se habituar a confiar. O grande problema é que ninguém confia em nada. Isso não existe. Agora, os árbitros têm que fazer a parte deles”.

Dos dez jogos da 18ª rodada da Série A, apenas um teve um árbitro do mesmo estado do time da casa. Levando em conta as 180 partidas até aqui, esta foi apenas a oitava vez, desconsiderando os clássicos estaduais, em que um juiz do estado de um dos clubes (mandante ou visitante) foi sorteado. Numa briga direta pelo G4, a situação de Corinthians x Sport é ainda mais curiosa porque todo o quadro é ligado ao futebol paulista. Caso inédito. Na visão do blog, por mais que, a partir de uma “nacionalização”, Sérgio Corrêa alegue que “era assim na década de 1970″, trata-se de impor ainda mais a pressão sobre o trio.

Mesmo árbitro do mandante
31/05 – Internacional 0 x 0 São Paulo – Leandro Vuaden (Fifa-RS)
02/08 – Figueirense 3 x 1 Ponte Preta – Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
12/08 – Corinthians x Sport – Luis Flávio de Oliveira (Fifa-SP)

Mesmo árbitro do visitante
31/05 – Goiás 1 x 1 Grêmio – Anderson Daronco (Fifa-RS)
13/06 – Sport 2 x 1 Joinville – Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
20/06 – Grêmio 1 x 0 Palmeiras – Raphael Claus (Fifa-SP)
02/07 – Figueirense 3 x 1 Goiás – Wilton Sampaio (Fifa-GO)
19/07- Joinville – 1 x 1 Ponte Preta – Rapahel Claus (Fifa-SP)

Podcast 45 (159º) – Estreia de Grafite, má fase do Timbu e empate amargo do Sport

O 45 minutos esmiuçou os jogos dos grandes clubes pernambucanos pelo Brasileiro no fim de semana. Nesta 159ª edição, a pauta principal foi o Santa Cruz, com a estreia de Grafite. Foram quase 40 minutos sobre a vitória coral e o peso da presença do atacante para o decorrer da Série B. Na sequência, a má fase do Náutico, derrotado no Rei Pelé e queimando a sua gordura na classificação. Por fim, o amargo empate do Sport em Curitiba, sofrendo um gol do Atlético-PR aos 52 do segundo tempo.

Neste podcast, de 1h32m, estou ao lado de Celso Ishigami, Fred Figueiroa, João de Andrade Neto e Rafael Brasileiro. Ouça agora ou quando quiser!