As vendas milionárias dos clubes de futebol do Nordeste no Plano Real

O G7 do Nordeste

Inicialmente, o levantamento considerava apenas as vendas milionárias do futebol pernambucano, mas o blog resolveu expandir o ranking, com as maiores negociações em todo o Nordeste. Três clubes já conseguiram negócios acima de R$ 10 milhões, não coincidentemente os três clubes mais presentes na elite do futebol nacional – Bahia, Sport e Vitória, que somam 63 vendas, ou 66% de todas as vendas milionárias na região. Apesar do número de transações do leão pernambucano, a dupla de Salvador aparenta um trânsito melhor no mercado externo, refletido na regularidade de de vendas elevadas. Ao todo, seis estados já firmaram ao menos uma transferência milionária no período a partir do Plano Real, com a circulação iniciada oficialmente em 1º de julho de 1994. Até hoje, treze times conseguiram.

Número de jogadores vendidos (95 nomes até 13/03/2018):
25 – Vitória
19 – Bahia e Sport
10 – Náutico
6 – Santa Cruz
5 – Ceará
3 – Corinthians Alagoano
2 – Fortaleza
1 – ABC, ASA, Campinense, CRB, Porto e Sampaio Corrêa

Número de jogadores vendidos por estado:
44 – Bahia
36 – Pernambuco
7 – Ceará
5 – Alagoas
1 – Paraíba, Maranhão e Rio Grande do Norte

O ranking é apresentado tanto em reais quanto em dólares. Isso porque, em mais de duas décadas, o valor da moeda nacional já flutuou bastante. Se no início chegou a valer mais que o dólar, em determinado momento caiu para 1/4 da moeda americana. Embora o euro seja a versão mais utilizada, hoje, no futebol internacional, o blog opta pelo dólar uma vez que a moeda europeia só foi criada em 1999, sendo impossível calcular valores anteriores.

A pesquisa engloba valores oficiais e extraoficiais, esses divulgados na imprensa (jornais e sites), uma vez que os clubes raramente revelam os valores oficiais – ou mesmo suas receitas gerais. Na maioria dos casos, cada venda foi informada em um valor (real, dólar ou euro), com o blog convertendo nas duas colunas abaixo de acordo com o câmbio de cada época, precisamente no dia da notícia.

Ah, existe a possibilidade de algum ter sido esquecido. Caso lembre, pode deixar o seu comentário no post, que a lista será atualizada.

Observação: a cifra estabelecida por Jean Filho, em 22 de dezembro de 2017, pode ser ainda maior, uma vez que o Bahia tem direito aos direitos econômicos de mais um jogador, ainda em discussão junto ao São Paulo.

9 thoughts on “As vendas milionárias dos clubes de futebol do Nordeste no Plano Real

  1. segundo o globo esporte a venda de Bruno paulista rendeu 11,39 milhões ao Bahia, desse valor um percentual foi destinado a pagar dividas trabalhistas mas ainda entra para o calculo da venda.

    Nota do blog

    Ítalo, não achei esta fonte. Caso tenha o link, cole aqui, por favor. Valeu.

  2. A venda do atacante Marinho foi de 16 milhões e meio,e foi o Vitória quem vendeu. O rubro negro repassou metade do valor ao Cruzeiro. Mas o montante da venda foi pago ao Vitória.
    Corrija isso aí

    Nota do blog

    Sandro, a sua própria explicação mostra que o Vitória não teve direito a tudo. Não é por uma questão técnica, de recebimento da quantia antes do repasse, que o valor seria aplicado ao clube. Ao menos não aqui, neste levantamento. Abraço.

  3. Com volta à Série A, Bahia terá R$ 62 milhões em acordo com a Globohttp://espn.uol.com.br/noticia/681860_com-volta-a-serie-a-bahia-tera-r-62-milhoes-em-acordo-com-a-globo

  4. Amigo, a ideia do ranking é mt boa, parabens!
    Mas os cálculos não me parecem corretos. Oq precisa ser feito para comparações de valores em anos diferentes é deflacionar tais valores. Ou seja, considerar os efeitos da inflação para atualizá-los para o ano atual. Para tal, o IPCA, medido pelo IBGE, é o índice mais indicado.
    A comparação cambial não nos dá uma noção exata, pois há variações (valorizações e desvalorizações) em ambas as moedas ao longo do tempo.

  5. A maior venda foi a de Marinho O Valor que aí está, reflete somente a parte que coube ao E.C. Vitória.

    Nota do blog

    João Eduardo, o post trata (e deixa claro nas observações) que o levantamento só trata do % recebido pelos clubes do Nordeste. No caso, Marinho não foi, em R$, o jogador que mais rendeu a um clube da região.

  6. Quanto custou Lenis???

    Nota do blog

    R$ 3,16 milhões… Mas Lenis foi compra, não venda (ainda).

  7. SEM DUVIDA PERNAMBUCO SE RESUME AO SPORT. POR SER SERIE A. E TEM UM MELHOR EXTRUTURA, NO ENTANDO O TRABALHO AINDA É MAL FEITO POIS RECENTEMENTE AO ATLETICO DO PR VENDEU HERNANDE PARA A EUROPA POR 30 MILHÕES, AQUI O SPORT PEGA SEUS BONS JOGADORES E ENTREGA AOS FALIDOS TIME S DO SUL QUE ATE OS SALARIOS ESTÃO ATRAZADOS COMO O SPORT VAI GANHAR DINHEIRO ASSIM? VERGONHA ESSA INCOMPETENCIA.

  8. Eu acho que o problema maior de PE, além da incapacidade dos seus dirigentes, é a falta de paciência da torcida com atletas da base. Vejam o exemplo do lateral alvirrubro Joazi, considerado o melhor LD da série B e líder em estatísticas, contudo isso, cansei de vê-lo sendo execrado pela torcida em vários jogos. Aí vem um clube qualquer da europa, paga uma merreca e leva um bom jogador.

  9. Impressionante como a dupla BaVi vende mais, mais caro e direto até mesmo para os ‘médios’ da Europa. Aqui em PE, se vende pouco, barato e ainda para times pequenos da Europa/Ásia, ou para os mercados nacionais. PE precisa urgente abrir novos mercados para venda de jogadores daqui. Até mesmo para espalhar essa garotada que vem chegando da base agora, no caso do Sport, já que não vai ter como aproveitar todo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>