Sport e Náutico se desfiliam da Liga NE. Pressão ou articulação por novo torneio?

G7 do Nordeste

“O Sport formalizou a sua desfiliação da Liga do Nordeste, que é responsável pela organização da Copa do Nordeste, na tarde da última sexta-feira (30/6). O documento é assinado também pelo Náutico.”

A nota oficial do Sport sobre a decisão tomada pelo presidente Arnaldo Barros, já informada ao conselho deliberativo, escancarou uma batalha política acerca da organização do Nordestão. O ponto é claro: dinheiro. O clube rubro-negro entende que a divisão de cotas na primeira fase tem que ser revista. Em 2017, cada um dos 20 clubes recebeu recebeu R$ 600 mil. De Sport, Santa e Náutico a Uniclinic, Altos e Juazeirense. Somando todas as fases foram R$ 18,5 milhões em cotas, com previsão de R$ 23 milhões em 2018.

E aí entra uma discussão sobre a equidade disso. Ao reclamar da disparidade de cotas no Campeonato Brasileiro, como querer o mesmo no cenário regional? Por outro lado, o blog entende que, através da elaboração de um critério técnico (ranking?), seria possível, sim. Como já ocorre na Copa do Brasil, com três grupos de cotas distintas nas duas primeiras fases.

Entretanto, neste embate político, Sport e Náutico tomaram uma atitude capital, deixando a liga fundada por eles mesmos há 17 anos. A Associação dos Clubes de Futebol do Nordeste (ACFN), hoje “Liga do Nordeste”, foi criada em 30 de outubro de 2000 por 16 clubes, os principais da região, excetuando Maranhão e Piauí, na época integrados à extinta Copa Norte. O objetivo foi organizar a (bem sucedida) edição de 2001. Eis os fundadores: Bahia, Vitória, Fluminense de Feira, Náutico, Santa Cruz, Sport, Ceará, Fortaleza, ABC, América-RN, CRB, CSA, Botafogo-PB, Treze, Confiança e Sergipe.

Na época, indo de encontro às federações estaduais – e na nota atual, o Sport teve o apoio da FPF -, a liga foi idealizada pelos presidentes de Sport e Vitória, Luciano Bivar e Paulo Carneiro, respectivamente. Por sinal, os primeiros presidente e vice-presidente da associação, hoje comandada por Alexi Portela, também ligado ao rubro-negro baiano.

A princípio, ao menos até a coletiva agendada pelo leão, a desfiliação não é sinônimo de ausência do Nordestão 2018, cuja organização passa pela liga e pelo canal Esporte Interativo, detentor dos direitos na TV até 2022. Até porque mexeria em toda a composição – o Santa, por exemplo, seria alçado da fase pré para a fase de grupos. Contudo, considerando a visão mais radical, uma articulação por um torneio paralelo enxuto, com outros clubes, pontuado por novas cotas e parceiros comerciais, soaria mais como uma “Copa União”. E justamente por quem disputou o módulo amarelo na época… A conferir.

Cotas* do Sport no Nordestão: R$ 6,625 milhões
2013 – R$ 300 mil (quartas)
2014 – R$ 1,9 milhão (campeão)
2015 – R$ 890 mil (semi)
2016 – R$ 1,385 milhão (semi)
2017 – R$ 2,15 milhões (vice) 

Cotas* do Santa Cruz no Nordestão: R$ 5,135 milhões
2013 – R$ 300 mil (quartas)
2014 – R$ 850 mil (semi)
2016 – R$ 2,385 milhões (campeão)
2017 – R$ 1,6 milhão (semi)

Cotas* do Salgueiro no Nordeste: R$ 1,850 milhão
2013 – R$ 300 mil (grupo)
2015 – R$ 615 mil (quartas)
2016 – R$ 935 mil (quartas)

Cotas* do Náutico no Nordestão: R$ 1,315 milhão
2014 – R$ 350 mil (grupo)
2015 – R$ 365 mil (grupo)
2017 – R$ 600 mil (grupo 
* Após o retorno oficial do torneio

Atualização: na coletiva, Arnaldo Barros confirmou a intenção de sair do torneio com o “modelo atual”, propondo, caso tenha outras adesões, a formatação de outra competição, com nova venda de direitos. Acha o Nordestão deficitário… Já o Santa vai submeter a ideia ao conselho.

10 thoughts on “Sport e Náutico se desfiliam da Liga NE. Pressão ou articulação por novo torneio?

  1. É lamentável ver que o Sport, vai atirar no próprio pé! O EI vai acabar chamando os outros clubes, vai dar uma Luva a cada um que permanecer na Liga, e os 2 babacas vão ficar de fora. A Globo vai quebrar a cara! O Náutico vai pra série C, e o Sport joga a Sul-minas, onde não vai ganhar quase nada! Ferraram-se! #EIplus #EsporteInterativo #ConexãoEI

  2. A Copa do Nordeste atualmente é um orgulho para todos os Nordestinos. Mentem aqueles que dizem que as cotas são distribuídas igualmente. Apenas uma parcela inicial é que é igual, só para dar condições de começar a brincadeira. Depois os clubes adicionam mais cotas na mesma medida do desempenho. O campeão da Copa do Nordeste recebe ao todo quase o mesmo que o Campeão da Copa do Brasil (mesmo reconhecendo que esta tem mais visibilidade nacional). A Copa do Nordeste premia em função da meritocracia pelo desempenho no torneio. Utilizar critério de ranking seria utilizar como critério o empenho do clube no Camp. Brasileiro, mesmo que o clube não se empenhasse no Nordestão.

  3. O erro do Sport , e ter entrado na briga por melhores cota com o náutico.
    se tivesse entrando só eu apoiaria, porque todo mundo sabe que a copa do nordeste é rentável , e pagam mixaria para os clubes . é um dos grandes do nordeste tinha que abrir a boca. infelizmente os outro clubes grandes estão conformado com a situação . tem gente ficando muito rico com a copa do nordeste.

  4. O Sport esta sendo manipulado para acabar com o torneio mais organizado do Brasil. No Nordeste o Sport é grande? É grande, sempre menor que o Bahia, mas é grande. Saiu, vai continuar sendo pequeno em qualquer torneio com times do sul

  5. Com todo respeito ao Eduardo Silveste, mais vou concorda com Wile quando ele fala que as cotas tem que ser iguais para os 16 clubes que estarão na copa do nordeste de 2018 , só nessa parte, na parte que entende a atitude do sport não concordo. Assim o campeonato seria bem mais competitivo. Problema é do clube que quis investir mais caro. Ai só porque o clube foi buscar jogadores mais caros que paguem com a bilheteria já que se gabam com o tamanho da torcida. Por isso que o campeonato brasileiro quem só ganha é os times do Rio, São Paulo e Minas. Só para ter uma ideia de 2002 á 2016 quem ganhou o brasileiro foi Rio, São Paulo e Minas. (Santos, Corinthians, São Paulo, Palmeira, Flamengo, Fluminense e Cruzeiro). Sou á favor de cotas iguais.

  6. O que o Arnaldo Barros está fazendo é no mínimo contraditório. Como ele pode alegar cotas baixas, se agora ele vai priorizar um campeonato falido organizado por uma federação suja, onde o Sport recebe míseros R$ 900 000 00? Essa ação terá consequências, pois irá esfacelar a competição que vinha ganhando muita importância com crescimento ano após ano, e com isso diminuir a importância do futebol nordestino mais ainda. Realmente me parece que o Sr. Arnaldo deve está acatando as ordens de superiora (globosta), já que a atual diretoria infelizmente come na mão deles.

  7. Infelizmente, a TV Globo, mais uma vez, articula nos bastidores para implodir uma liga e atingir o objetivo de dominar o futebol brasileiro. Foi assim com o Clube dos 13 e está sendo assim com a Liga do Nordeste. Acho que a liga tem problemas e a competição não está no melhor formato, mas a saída de Sport e Náutico só tem como finalidade enfraquecer a liga, a competição e abrir espaço para a TV Globo dominar. A briga da Vênus Platinada com o Esporte Interativo está por trás de tudo isso.

    Além disso, cabe dizer que o argumento espalhado por aí, da suposta injustiça das cotas, é o mesmo que garante Flamengo e Corinthians ganhando R$ 170 milhões contra R$ 35 milhões do Sport. Parabéns aos leoninos por darem razão a esse absurdo.

    Por fim, é BURRICE querer tirar cotas dos clubes menores para entregar aos maiores. Isso diminuiria o nível da competição, enfraquecendo de vez a primeira fase. É exatamente isso que não queremos. Os clubes menores precisam mais dessas cotas do que os maiores. Precisamos, pelo contrário, fortalecer a competição, garantindo que esses clubes menores terão mais oportunidade de crescer, fazendo assim crescer a Copa do Nordeste e, por consequência, crescer os nossos clubes.

  8. Os outros clubes e os outros estados rezem muito, orem muito, mas muito mesmo para que o Sport dispute a Copa Nordeste 2018. O que é uma Copa NE sem o maior clube de futebol entre todos? Nada!!!!!

  9. Com todo respeito ao Wille discordo frontalmente da opinião dele, clube com folha de pagamento 20 vezes maior (não é exagero não, como no caso de SPORT em relação a Barbe, e audiência com diferença proporcional na TV no comparativo não pode ter a mesma cota como o canal ESPORTE INTERATIVO paga, e olhe que não é falta de dinheiro não, afina o canal pertence a FOX (Americana) é rentável com a audiência (Patrocínios) e venda do torneio para outros canais. ortão do bolso pessoal da Vanto vamos dar a “Cézar o que é de Cézar” e tirar o escorpião

  10. A postura do Sport até dá para entender, mas a do Náutico… Se o problema forem as cotas e se fosse alterada a divisão, ele deveria receber menos que Bahia, Sport, Vitória, Ceará e Santa Cruz. Receberia mais que vários clubes, mas aumentaria o gap em relação aos maiores…

    Acho que no caso do Nordeste, como o futebol da região precisa ser desenvolvido e para aumentar a atratividade da competição, eu aprovo cotas iguais para todos na primeira fase. Os clubes mais populares podem tirar a diferença com bilheteria…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>