Os patrocínios da Caixa no futebol em 2016, incluindo Sport e Santa Cruz

Valores das cotas de patrocínio da Caixa Econômica Federal em 2016, segundo reportagem da globo.com

Em 2014, quando entrou no futebol, a Caixa Econômica Federal patrocinou nada menos que 15 times das Séries A, B e C, sendo seis do Nordeste, incluindo o Sport. Um investimento de R$ 111,9 milhões. Em 2015, o momento econômico instável do país parecia indicar um freio neste gasto da Caixa, mas o noticiário em janeiro de 2016 aponta uma injeção R$ 188 milhões em 16 clubes. Uma ampla reportagem do globo.com projetou os valores de cada clube.

Após dois anos recebendo R$ 6 milhões, o Leão negocia um aumento para R$ 7,5 milhões no ano. A novidade é a inclusão do Santa, que enfim conseguiu as certidões negativas de débito, uma exigência no processo com o banco estatal – os documentos de órgãos públicos declaram que não existem pendências. Os corais receberiam R$ 3,5 milhões, o menor valor entre os integrantes da Série A, junto ao América. Porém, as duas receitas podem ser maiores.

O blog apurou que a cota do Rubro-negro pode chegar a R$ 8 mi, com o Tricolor recebendo até R$  6 mi – ambos, até janeiro, sem assinatura. Pelo quadro, o valor faria mais sentido, ficando no patamar entre Coxa, Furacão, Vitória e Chape. Talvez o fato de ser o primeiro contrato puxe para baixo. Dos times listados, só um está na B, o Vasco. Entretanto, as negociações para mais times na Segundona não estão descartadas. Desde fevereiro de 2014 se articula a entrada do Trio de Ferro, inclusive politicamente. O Náutico também pode pintar em 2016 – receberia no máximo R$ 2 milhões. Ainda na região, o Bahia divulgou que conseguiu todas as certidões, num claro indício para este negócio.

Sobre o quadro divulgado, causa surpresa, sem dúvida, os R$ 17 milhões ao Botafogo, bem acima de Cruzeiro e Atlético-MG, que ganharam tudo nos últimos anos (Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil) e contam com públicos bem maiores, em projeção de torcida, consumo de pay-per-view e número de sócios, por exemplo. O endereço carioca certamente deve ter influenciado nisso.

16 thoughts on “Os patrocínios da Caixa no futebol em 2016, incluindo Sport e Santa Cruz

  1. O Vitoria foi o primeiro Clube do Nordeste a obter o Patrocinio Master do Banco Estatal, isso em fins de 2012/13. Em 2013 o Leao da Barra ja estampava a marca da Caixa na campanha do Quinto Lugar do Brasileirao daquele ano. Atualmente o Vitoria recebe R$ 6 milhoes, mesma quantia de Atletico Pr, Coritiba e Sport ( um dos ultimos Clubes a obter o patrocinio). Nao tem a minima condicao de Santa Cruz, se for patrocinado pela estatal, receber o mesmo que o Vitoria e Atletico Pr recebem por exemplo, bem como o Santa Cruz receber os mesmos valores de Cotas da Globo de R$ 35 milhoes que recebem Vitoria e Atletico Pr, entendem? Eh como se o time coral, pegasse um buzu lotado e quizesse sentar na janela! Outra, essa cota de patrocinio da Caixa eh praticamente fiel a divisao de cotas da TV, existe um Bloco intermediario, com Vitoria, Atletico Pr, Sport e Coritiba e por que agora o Banco iria pagar quase R$ 8 milhoes para o Sport? baseado em que? O valor do patrocinio do Leao da Ilha eh o mesmo de R$ 6 milhoes e se o Santa Cruz conseguir as Certidoes
    o valor gira em torno de R$ 4 milhoes. O resto eh sonho ou pura ilusao…

  2. O #SantaCruz tem seu patrocinador master, a sua IMENSA, FIEL E APAIXONADA TORCIDA.
    #…NuncaVou te abandonar…

  3. Absurdo um banco público de um governo que prega justiça e igualdade, pagar valores tão distintos aos clubes. Não respeitando inclusive o critério do número de torcedores e importância das campanhas recentes, como é o caso de Cruzeiro e Atlético. Nota-se um grande favorecimento ao eixo RIO X SP.

  4. Pingback: Os primeiros nordestinos patrocinados pela Caixa em 2016, CRB, Sport e Vitória | Blog de Esportes

  5. Corrupção e xenofobia esportiva. Vivemos num nazismo esportivo pró sudeste patrocinado por banco público e não pela força das camisas.

  6. É um absurdo uma instituição pública GASTAR dinheiro em grande monta no futebol desse jeito, qdo nosso povo tem várias necessidades básicas que precisam de investimentos. É por isso que os políticos fazem o que fazem, porque nós vivemos ainda num mundo de faz de conta !!!

  7. Está correto sr. Jairo. Como é possível um órgão público, num momento atual de crise desenfreada, patrocinar times de futebol, com dinheiro de contribuintes e cidadãos. Se ao menos fosse algo voltado para saúde ou educação, seria até compreensível. Deve estar “rolando” algo mais que isso…

  8. SEM DÚVIDAS, QUANTO ABSURDO NO REPASSE DE COTAS DE PATROCÍNIO DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA PARA CLUBES PRIVADOS. NÃO É DIVULGADO PUBLICAMENTE, QUAIS OS CRITÉRIOS USADOS PARA QUE ALGUNS CLUBES TENHAM CIFRAS, MUITO MAIRES QUE OUTROS. O QUE SE VER É SÃO TIMES REGIONAIS, COM MARGENS INFINITAMENTE SUPERIOR A OUTROS DE REGIÕES EMERGENTES DO FUTEBOL BRASILEIRO. SE A POLÍTICA DA CAIXA É FORTALECER AINDA MAIS OS CLUBES DO EIXO RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO, TÁ EXPLICADO A POLARIZAÇÃO MANIPULÁVEL DO FUTEBOL BRASILEIRO.

  9. O Botafogo tem maior cota pelo simples fato de estar na matriz da globo, onde a possibilidade de babagem é maior e contudo maior vitrine para o patrocinador.. ainda assim não entendo o critério, uma vez que o publico mais interessado seriam os torcedores do proprio clube, e isso o Bota tem menos que atletico, cruzeiro e sport!

  10. A CAIXA, por ser um ente público, não deveria utilizar critérios obscuros, como faz a Rede Globo.

  11. Um absurdo! Como pode os dirigentes de um orgão federal distribuir dinheiro que não é dêles? se é um orgão da federação Brasileira, o dinheiro é do povo.

  12. Infelizmente a distribuição de renda causa um obstáculo imenso os times nordestinos, sou torcedor do Santa e não vou nem comparar com os times locais. Queria entender como um time que recebe sempre as menores cotas como é o caso do Santa pode competir com clubes que recebem valores muito acima??? n falo isso só na cota da caixa… tem a participação da serie A, cotas televisivas, etc… Fica impossível montar um time a altura e cada vez mais o futebol vai ficando polarizado. O jeito é apelar para a sorte de se contratar um jogador de valor razoável que jogue por amor ao clube e não pelo dinheiro… Complicado essa distribuição de renda…

  13. A CAIXA deveria patrocinar o campeonato como o todo e dividir, num formato EPL, o valor total do negócio.

  14. NUMA INJUSTIÇA ALUCINANTE, a CAIXA deixou de lado o ÍBIS SPORT CLUB. E inclui, adoidadamente, ÇANTA CRUI, VICTÓRIA, ATLÉTICO-PR…, tudo CLUBES PEQUENOS DO FUTEBOL BRASILEIRO. O Pássaro Preto, O PIOR TIME DO MUNDO, no mínimo, deveria abocanhar DOIS SALÁRIOS MÍNIMOS. PELO REI TUDO!!!

  15. Têm que ser divulgados OS CRITÉRIOS pelos quais A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (um banco público que precisa ser claro em suas ações) classifica os clubes beneficiados. Se fosse uma instituição privada poderia até ser por simpatia ou amizade, mas onde tem DINHEIRO público é necessários (moralidade) ter transparência e clareza. Em casos obscuros acontecem as conhecidas propinas e o FUTEBOL BRASILEIRO E SEUS TORCEDORES NÃO AGUENTAM MAIS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>