Calculando as cotas do Brasileirão de 2017 a partir do futuro modelo da Globo

Distribuição de cotas do Brasileirão, segundo a Rede Globo. Crédito: Globo/reprodução

O formato atual de distribuição de receita do Campeonato Brasileiro tem data para acabar. Vai até 2018, com todos os contratos possíveis através da Rede Globo – tv aberta, tv fechada, PPV, sinal internacional e web. A partir de 2019, com a entrada do Esporte Interativo na tevê por assinatura, haverá uma divisão, de clubes e receitas. Forçada pela concorrência, a Globo resolveu adotar um sistema semelhante ao da Premier League. A divisão será 40% em parcelas iguais, 30% em rendimento e 30% em audiência, em vez de 50%, 25% e 25% da liga inglesa. Valerá por seis edições, englobando a transmissão aberta – o pay-per-view segue à parte. Hoje, 21* clubes estão acordados com a emissora para o período, incluindo Náutico, Santa Cruz e Sport. Todos eles se reuniram no Rio com a cúpula do canal, com o diretor-geral Carlos Henrique Schroder presente. Debateram o “futuro”. Foi a primeira vez que a empresa se pronunciou publicamente sobre o novo modelo (veja aqui).

Embora clubes como Bahia, Coxa e Santos tenham assinado com o Esporte Interativo, a tendência é que sigam com a Globo no sinal aberto. Logo, a regra deve ser geral. Como curiosidade, o blog simulou as cotas da Série A de 2017 com o novo modelo. O montante de “cotas fixas” é de R$ 1,306 bilhão, já com a ampliação recente da Chape, que passa a ganhar R$ 32 mi, em vez de R$ 23 mi. Para a projeção, a única ressalva seria a receita do SportTV, presente no número, mas que seria repassada apenas aos contratados da Globo, claro. Portanto, em vez do atual sistema de (oito) castas, com um hiato de R$ 147 milhões entre a maior cota (Flamengo e Corinthians) e a menor (Ponte, Avaí e Atlético-GO), a diferença máxima seria a metade disso, R$ 73 milhões. No caso, entre Flamengo e Avaí, recém-promovido. Mais equilíbrio.

* América-MG, Atlético-GO, Atlético-MG, Avaí, Brasil-RS, Chapecoense, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Inter, Londrina, Náutico, Ponte Preta, São Paulo, Sport, Santa, Vasco, Vila Nova e Vitória.

Projeção de cotas do Brasileiro de 2017 com o modelo a ser adotado a partir de 2019. Quadro: Cassio Zirpoli/DP

No quadro, o blog projetou a cota conferindo os seguintes valores na divisão por classificação em 2016: 20x para o campeão (ou seja, 20 x R$ 1.865.714, o valor base), 19x para o vice, 18x para o 3º lugar e assim sucessivamente, até o 4º da Série B, com 1x. Já na coluna de audiência, o valor considerado foi 30% da verba que cada clube receberá de fato, pois trata-se da única fonte de informação para definir a atual visibilidade de cada um neste momento.

Lembrando que essa demonstração é referente apenas às cotas fixas. É importante reforçar isso pois há o rateio de meio bilhão de reais no PPV, através do Premiere, até então calculado pelo número de assinantes apurado em pesquisa do Datafolha, ampliando a disparidade. Em 2015, o Sport, com 1,4% dos assinantes, ganhou R$ 6,75 milhões. O Fla, com 19,2%, recebeu R$ 68 mi. E aí deve estar o grande segredo sobre a mudança no formato, pois o impacto econômico do PPV segue ascendente no bolo – mantendo Fla e Timão bem à frente. Hoje, corresponde a 27,6%. Em 2019, já salta para 33,2%, com 650 milhões de reais. Imagine em 2024…

Projeção de cotas do Brasileiro de 2017 com o modelo a ser adotado a partir de 2019. Quadro: Cassio Zirpoli/DP

15 thoughts on “Calculando as cotas do Brasileirão de 2017 a partir do futuro modelo da Globo

  1. e o demais Clubes ficarão para trás. Como devemos igualar os demais clubes para que não sofram de deboche e piadinha dos torcedores rivais. Deveria haver novas arenas para os demais clubes das Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro. É muita baixada humilhar os outros estádios que falta irrigação, infraestrutura, pontos de acessos aos deficientes, alimentos, banheiros e gramados excelente para realizarem os jogos.

  2. O que acontece que há pouco investimento nos clubes pequenos, que entram na Série A do Campeonato Brasileiro, mas não consegue permanece um bom tempo, logo depois caem de volta para Série B do Campeonato Brasileiro, muitas das vezes é falta de estrutura para comportar um bom público. Deveria ser mais igualitário as rendas de emissoras de televisão, assistir jogos pela internet seria uma boa ou inventar uma tecnologia que vai beneficiar em assistir um jogo de qualidade, porém os mais beneficiados é o Flamengo, o Corinthians, o Palmeiras, o São Paulo, o Cruzeiro e o Grêmio com novas arenas, não acham que a maioria dos públicos é para esse clubes da Série A.

  3. Deveria haver algumas mudança no campeonato brasileiro, não é o time que vai ter mais audiência será beneficiado e sim ter uma disputa legal que garanta a igualdade de renda para os clubes brasileiro. Estarei explicando como funciona no próximo comentário.

  4. A série A do campeonato brasileiro será composto de 40 equipes compostos em 4 grupos de 10 equipes cada um: Ao todo serão 32 jogos durante o ano de 2018. Ou seja, cada equipe enfrentará o Grupo Sorteado nesse ordem de Grupo A1, A2, A3 e A4.
    Terá 18 jogos na primeira fase: Classificaria as 2 melhores equipes de cada grupo, totalizado 8 times para segunda fase e as 2 piores equipes de cada grupo será rebaixado.
    A Segunda Fase será disputada 14 jogos para saber que é o campeão do campeonato brasileiro da série A. 1º ao 4º lugar estará na fase de grupos da Libertadores do 5º e 6º disputaria a 1º fase da Libertadores 2019.
    Do 7º ao 16º disputaria a sulamericana.
    O campeão da Copa do Brasil estará na fase de grupos da Libertadores + O campeão da sulamericana.
    O campeão da Copa do Nordeste 2018 disputaria a sulamericana
    + O campeão da Copa Verde 2018 disputaria a sulamericana.

    O Calendário será composto de maio ao novembro de 2018, somente para esse campeonato brasileiro da série A 2018, isso é projeto que tem que dar certo para o ano que vem sem dúvida. O calendário será de Maio a Novembro de 2018.

  5. Ah sim, obrigado pela resposta. Embora ainda possa melhorar, já será bem mais justo.

  6. Cássio, mas essa divisão do dinheiro do PPV vai continuar sendo baseada nessas pesquisas questionáveis do Datafolha e IBOPE? Ou será baseado no real numero de torcedores assinantes de cada clube?

    Nota do blog

    Não, Pedro. Agora será a partir dos percentuais de assinantes. Tanto que o Premiere vem estimulando os assinantes ao cadastro do clube do coração através do site oficial do canal. A Globo deverá detalhar mais este processo.

  7. Cássio, ótimo post, o conteúdo da informação é totalmente relevante, aliás seu textos são ótimos, parabéns. Bom, comentando um pouco sobre o novo modelo de cotas, eu creio que podemos avalia-lo como bom, para os nossos clubes de Pernambuco, levando em consideração o contexto de hoje. É fato que Flamengo e Corinthians sempre levarão vantagem, até mesmo pela questão do PPV já explicada no post. É algo como a seleção natural de Darwin, onde os mais fortes prevalecem. Pela torcida que a dupla de ferro do futebol brasileiro têm, é natural que isso ocorra. Mas a disparidade já diminui bastante com esse novo molde. Resta agora aos clubes de Pernambuco e do Nordeste, praticar uma administração correta, ética, dentro das regras do profut e outras legislações do futebol. Porque se assim for feito, finalmente poderemos ver Santa, Náutico e Sport, logrando êxito a nível nacional.

  8. Prezados leitores, caro jornalista Sr. Cássio Zirpoli. Aos poucos as coisas começam a tomar outro rumo. Com estádios cada vez mais vazios, com as equipes que não fazem parte do grupo principal da CBF (g-12), mesmo que façam parte da série A (g-20), estão deixando claro que se quiserem conquistar fregueses que foram embora ao longo do tempo, um êxodo causado pelas injustiças e abusos (clubes de série B para baixo, cada vez mais sem a mínima condição de fazer frente a gigantes no quesito $$$), terão que repensar e até mesmo se reinventar, para sobreviver. A atual decisão, se dá devido o atual retrato que ora se apresenta. Exemplos até recentes não faltam. O Náutico, ainda que com dificuldades financeiras, tem melhor quadro que o Belo Jardim. Penou para terminar com um empate contra um adversário sem o devido preparo, como ficou evidenciado. No outro jogo da rodada, o milionário Sport não passou de um empate com os RESERVAS do Santa Cruz. No nordestão, vemos times com orçamento super deficitário, jogando de igual contra os com melhor desempenho. Esse também tem sido o quadro atual não só no sul maravilha, como em todo restante do país. Ou muda e tenta melhorar, ou cada vez mais, adeus galinha d’ovos d’ouro.

  9. Esses caras da Globo não são crianças, eles sabem o que querem. Essa cláusula de 30 % para audiência é que eu não concordo. Quem tem esses números é emissora e ela reparte da forma que quer. Deveria ser 40% igual pra todos, 30% classificação do último campeonato e 30% classificação de um ranking a partir de 1971.

  10. Cássio, essa mudança na cotas pode transformar o campeonato de forma definitiva a partir de 2018. A melhor distribuição de renda pode trazer novos campeões ao longo do tempo. Clubes que sobem dá série B podem agora (com planejamento, organização e pé no chão ainda) almejar algo mais que a permanência na série A.

    Uma coisa que não entendi foi como Flamengo e Corinthians (os maiores beneficiados com as antigas cotas) aceitaram esse novo modelo?

    Nota do blog

    Emmanuel, o quadro 40/30/30 parece bom (sobretudo para o formato atual), mas para ter certeza disso será preciso ver a receita do PPV no período de 2019 a 2024. A ressalva está no fato de Flamengo e Corinthians seguem dominantes no pay-per-view, e essa fatia do contrato de transmissão cresce num ritmo maior que as demais(são cinco formatos, como dito no início do post). Logo, a verba de Fla e Corinthians também deverá crescer num ritmo maior… Vale ficar de olho.

    Ps. Não por acaso, ainda que eu ache improvável, já se fala a médio prazo (Evandro Carvalho, o presidente da FPF, por exemplo) até em foco apenas na tevê fechada, como é a transmissão do campeonato inglês.

  11. Cássio, “E aí deve está o grande segredo sobre a mudança”

    Deveria ser no infinitivo (estar). “Está” seria uma conjugação (não é o caso).
    Pode apagar o comentário :)
    Abçs

    Nota do blog

    Stavros, muito obrigado. E não há motivo para apagar. Gosto quando a turma ajuda, seja com informação ou seja com correção (acontece!). Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>