Classificação da Série A 2017 – 27ª rodada

A classificação da Série A de 2017 após 27 rodadas. Crédito: Superesportes

O Sport venceu o Vitória no Barradão e acabou com um jejum de nove rodadas, que havia derrubado o time do G6 para o Z4 do Brasileirão. Com os resultados desta rodada, acabou ficando no meio tempo, na zona de classificação à Sul-Americana. Isso mesmo, o leão ganhou nada menos que seis posições, indo do 17º para o 11º lugar, num evidente sinal de achatamento da classificação do campeonato, sobretudo na segunda metade. Agora, o Sport terá dois jogos seguidos na Ilha (Galo e Peixe). Embates difíceis, mas uma boa oportunidade para normatizar a campanha.

Obs. Um jogo da 28ª rodada foi antecipado para 7 de outubro, antes mesmo da realização da 27ª rodada. No caso, a vitória do Cruzeiro sobre a Ponte.

Resultados da 27ª rodada
Atlético-PR 2 x 2 Atlético-GO
Botafogo 2 x 1 Chapecoense
Corinthians 3 x 1 Coritiba
Atlético-MG 1 x 0 São Paulo
Grêmio 0 x 1 Cruzeiro
Avaí 1 x 2 Vasco
Flamengo 1 x 1 Fluminense
Vitória 1 x 2 Sport
Ponte Preta 1 x 1 Santos
Palmeiras 2 x 2 Bahia 

Balanço da 27ª rodada
3V dos mandantes (14 GP), 4E e 3V dos visitantes (13 GP)

Agenda da 28ª rodada
07/10 (16h00) – Cruzeiro 2 x 1 Ponte Preta (Mineirão)
14/10 (19h00) – Vasco x Botafogo (Maracanã)
14/10 (21h00) – São Paulo x Atlético-PR (Morumbi)
15/10 (17h00) – Atlético-GO x Palmeiras (Olímpico)
15/10 (17h00) – Fluminense x Avaí (Maracanã)
15/10 (17h00) – Sport x Atlético-MG (Ilha do Retiro)
15/10 (17h00) – Chapecoense x Flamengo (Arena Condá), Globo*
15/10 (19h00) – Coritiba x Grêmio (Couto Pereira), SporTV*
15/10 (19h00) – Bahia x Corinthians (Fonte Nova)
16/10 (20h00) – Santos x Vitória (Pacaembu), SporTV*
* Considerando as transmissões para o Recife, fora o Premiere (PPV) 

Histórico de Sport x Atlético-MG no Recife, pelo Brasileiro (17 jogos)
6 vitórias leoninas, 9 empates e 2 derrotas

Podcast – A análise do triunfo do Sport sobre o Vitória em Salvador, caindo o tabu

Série A 2017, 27ª rodada: Vitória 1 x 2 Sport. Foto: Mauricia da Mata/E. C. Vitória

O Sport não vencia o Vitória no Barradão desde 1995. Eram 22 anos de jejum, tendo como exceção um triunfo pernambucano em Feira de Santana, na Série A de 2014. De forma, o tabu acabou, inclusive neste Brasileirão, cuja sequência negativa chegava a nove rodadas. Numa gravação exclusiva, o 45 minutos comentou a apresentação nas questões técnica e tática, se estendendo às análises individuais (Diego Souza como maior destaque?). Terminando, claro, com a situação na tabela. Estou neste debate. Ouça!

12/10 – Vitória 1 x 2 Sport (42 min)

Os maiores artilheiros do Nordeste no Brasileirão, com Jorge Mendonça, Ramon e Diego Souza à frente no Trio de Ferro

Jorge Mendonça (Náutico), Ramon (Santa Cruz) e Diego Souza (Sport)

Na história do Campeonato Brasileiro, considerando o período a partir de 1971, alguns nomes se firmaram no futebol nordestino pelo poder de fogo país afora. Três deles chegaram terminar a competição na liderança da artilharia atuando em clubes da região. No caso, Ramon no Santa (1973), Charles no Bahia (1990) e Diego Souza no Sport (2016). Ao todo, dez clubes já tiveram goleadores com ao menos dez tentos numa edição, sendo 3 em PE, 2 na BA, CE e RN e 1 na PB. Ampliando o histórico em todas as temporadas, seis grandes clubes da região já tiveram jogadores com mais de vinte gols. São scores representativos, com o levantamento exposto aqui no blog.

Dados atualizados até 22/10/2017

Os maiores artilheiros dos clubes do NE em todas as edições da Série A:

Santa Cruz (+20)
39 – Ramon (1971-1975)
37 – Nunes (1975-1978)
33 – Luciano Veloso (1971-1974)
32 – Betinho (1971-1980)
29 – Fumanchu (1975-1978)

Bahia (+20)
37 – Douglas (1972-1980)
32 – Nonato (2000-2003)
21 – Beijoca (1975-1978) e Charles (1988-1990)
20 – Cláudio Adão (1986-1991)

Vitória (+20)
36 – Allan Delon (2000-2004)
32 – Dinei (2008-2014)
31 – André Catimba (1972-1975)

Sport (+20)
35 – Diego Souza (2014-2017)
33 – Leonardo (1994-2000)
23 – André (2015-2017)
21 – Miltão (1975-1978), Roberto Coração de Leão (1978-1982) e Marcelo Rocha (1994-1996)

Náutico (+20)
31 – Jorge Mendonça (1973-1975)
30 – Baiano (1983-1986)
24 – Bizu (1989-1991)
23 – Felipe (2007-2008)

Fortaleza (+20)
27 – Rinaldo (2005-2006)
21 – Geraldino (1973-1984)

Os maiores artilheiros dos clubes do NE em uma edição da Série A:

Santa Cruz (+10 gols)
21 gols – Ramón (1973)
14 gols – Nunes (1977)
13 gols – Grafite (2016)
12 gols – Nunes (1978) e Luizinho Vieira (2001)
11 gols – Fumanchu (1978) e Róbson (2000)

10 gols – Luciano Veloso (1973 e 1974), Fumanchu (1977) e Keno (2016)

Vitória (+10 gols)
19 gols – Obina (2004)
16 gols – Dinei (2013)
15 gols – Roger (2009)
14 gols – Petkovic (1998) e Allan Delon (2000)
13 gols – André Catimba (1974)
12 gols – André Catimba (1973) e Marinho (2016)
11 gols – Maxi Biancucchi (2013) e Allan Delon (2001)
10 gols – Claudinho (1993), Tuta (1999), Aristizábal (2002) e Nádson (2003)

Náutico (+10)
19 gols – Acosta (2007)
14 gols – Jorge Mendonça (1974)
13 gols – Felipe (2008) e Kieza (2012)
12 gols – Miradinha (1983) e Carlinhos Bala (2009)
11 gols – Jorge Mendonça (1975) e Baiano (1983)

10 gols – Bizu (1989 e 1991) e Felipe (2007)

Bahia (+10 gols)
18 gols – Cláudio Adão (1986)
15 gols – Fernandão (2013)
14 gols – Douglas (1978)
13 gols – Guga (1997)
12 gols – Beijoca (1978)
11 gols – Charles (1990), Nonato (2003) e Souza (2011)
10 gols – Everaldo (1973), Marinho (1985), Róbson (2001) e Nonato (2001 e 2002)

Fortaleza (+10 gols)
16 gols – Rinaldo (2005)
13 gols – Vinícius (2003)
11 gols – Rinaldo (2006)
10 gols – Marciano (1973)

Sport (+10 gols)
14 gols – Luís Carlos (1984) e Diego Souza (2016)
13 gols – Leonardo (2000), Taílson (2000), Carlinhos Bala (2007) e André (2015)
12 gols – Dario (1975) e Mauro (1978)
11 gols – Marcelo Rocha (1995) e Roger (2008)
10 gols – Luís Müller (1996) e André (2017)

Botafogo-PB (+10 gols)
12 gols – Anselmo (1978)

ABC (+10 gols)
12 gols – Arildo (1985)

Ceará (+10 gols)
11 gols – Petróleo (1986)
10 gols – Jorge Costa (1973), Ramón (1982), Volnei (1985) e Felipe Azevedo (2011)

América-RN (+10 gols)
10 gols – Pedrada (1975)

Os maiores artilheiros de cada clube na Série A (+30 gols)

181 – Vasco (Roberto Dinamite, 1971-1992)
139 – Flamengo (Zico, 1971-1989)
108 – São Paulo (Luís Fabiano, 2001-2015)
91 – Fluminense (Fred, 2009-2016)
89 – Atlético-MG (Reinaldo, 1973-1983)
78 – Grêmio (Tarciso, 1973-1985)
69 – Botafogo (Túlio, 1994-2000)
57 – Internacional (Valdomiro, 1971-1982)
54 – Santos (Neymar, 2009-2013)
52 – Corinthians (Marcelinho Carioca, 1994-2000)
50 – Atlético-PR (Kléber Pereira, 1999-2002)
48 – Goiás (Túlio, 1988-1992)
46 – Portuguesa (Enéas, 1972-1979)
45 – Cruzeiro (Marcelo Ramos, 1995-2001)
41 – Palmeiras (Leivinha, 1971-1975)
39 – Santa Cruz (Ramon, 1971-1975)
37 – Bahia (Douglas, 1972-1980)
36 – Guarani (Careca, 1978-1982), Vitória (Allan Delon, 2000-2004) e Paysandu (Róbson, 2003-2005)

34 – Ponte Preta (Washington, 2001-2002) e Sport (Diego Souza, 2014-2017)
33 – Coritiba (Zé Roberto, 1972-1974) e Remo (Alcino, 1972-1975)
31 – Náutico (Jorge Mendonça, 1973-1975)

Após 74 dias de jejum, Sport vence Vitória no Barradão e vai do Z4 à zona da Sula

Série A 2017, 27ª rodada: Vitória x Sport. Foto: Romildo de Jesus/Futura Press/Estadão conteúdo

Eram 9 rodadas sem vitória na Série A, num jejum que derrubou o Sport da zona da Libertadores à zona de rebaixamento. Futebol e confiança abaixo, com foco em Diego Souza, cuja qualidade técnica molda o leão, positiva ou negativamente. Jogando mal e irascível, o meia acabou sofrendo a pressão que cabe a um atleta de sua categoria. Cabia ao próprio sair dessa, pois bola tem. E em Salvador, fez por onde, sendo o nome da vitória. Curiosamente, a última também havia sido na capital baiana, no 3 x 1 sobre o Bahia em 30 de julho. Em outro clássico nordestino, mas contra o Vitória, DS87 fez gol e deu assistência, tirando o time do Z4. Contando com uma rodada camarada, voltou à zona da Sula – a princípio, um objetivo mais modesto que o de outrora.

No Barradão, no duelo entre os rubro-negros, o pernambucano teve mais posse de bola no primeiro tempo. E não foi um falso domínio, pois o time rodou bastante, procurando o ataque. Em duas oportunidades o bom goleiro Caique apareceu muito bem, primeiro num chute cruzado de Diego, de canhota, e depois numa cabeçada de André, após boa trama com Wesley e Patrick. Tendo paciência, o visitante conseguiu abrir o placar aos 45 minutos, numa cobrança de falta. Diego Souza mandou no ângulo, golaço. Assim, tornou-se o maior goleador do Sport no Brasileirão, chegando a 34 gols.

Série A 2017, 27ª rodada: Vitória 1 x 2 Sport. Foto: Mauricia da Mata/E. C. Vitória

Embora tenha arrancado triunfos de peso atuando como visitante, sobre Corinthians, Flamengo, Botafogo e Atlético Mineiro, tendo o segundo melhor rendimento neste contexto, o Vitória deve bastante em casa. Tem apenas dois resultados positivos em 14 partidas, sendo o pior mandante. Daí a pressão por mudanças na equipe. Aos 15/2T, Mancini promoveu a entrada de André Lima (centroavante) e Patric (ala), lançando o time ao ataque. No mesmo instante, Luxemburgo tirou Wesley (atuação ok) e Osvaldo (destoou), colocando Rodrigo e Lenis, reforçando a marcação e o poder de contragolpes.

E na primeira bola recuperada o Sport conseguiu ser fatal, com André limpando a jogada no meio-campo e tocando para DS, livre. O camisa 87 avançou e, na saída do goleiro, rolou para Lenis, com o colombiano empurrando para o gol vazio. No feriado, o Sport enfim se apresentou para o jogo. O resultado só não foi efetivamente tranquilo porque o rival diminuiu aos 38, com o também colombiano Trellez, numa sobra. Sufoco até os descontos, mas com a vitória assegurada, 2 x 1. Faz tempo… Precisamente, 74 dias.

Vitória x Sport na Bahia pelo Brasileirão (11 jogos)
6 vitórias do Leão da Barra
2 empates
3 vitórias do Leão da Ilha (1995, 2014 e 2017)

Série A 2017, 27ª rodada: Vitória x Sport. Foto: Lucio Tavora/Agência Tempo/Estadão conteúdo