Com hat-trick de Paulinho e golaço de Neymar, Brasil goleia no Centenário

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: CBF/twitter (@CBF_Futebol)

Que atuação da Seleção Brasileira! Diante do Uruguai, até então 100% nos seis jogos disputados no Centenário, o time verde e amarelo goleou por 4 x 1 e colocou um pé e meio na Copa do Mundo da Rússia. Com 30 pontos, já está dois pontos à frente da média histórica das eliminatórias sul-americanas. E este cenário não deve mudar nos cinco jogos restantes.

Em Montevidéu, com 50 mil torcedores e o velho clima de clássico, a Celeste abriu logo o placar numa penalidade convertida por Cavani. Consequência do péssimo recuo de Marcelo, que ainda cometeria outras faltas perigosas na entrada da área. Apesar da pressão e do placar desfavorável, o Brasil manteve a calma vista nesta Era Tite. Por sinal, foi a 7ª apresentação oficial sob o comando do técnico, com a 7ª vitória, um início recorde na história da Seleção. Com Neymar muito bem, avançando, driblando e distribuindo o jogo, a marcação charrúa acabou deixando espaço, como o rombo na intermediária, com a grata finalização de Paulinho, acertando o ângulo. Chute a 94 km/h.

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: CBF/twitter (@CBF_Futebol)

Com 18 minutos, o jogo já voltava aos eixos. Controlado de tal forma pelos visitantes que Tite que sequer cogitou mudanças. Voltou do intervalo com a mesma formação, com o mesmo Paulinho aparecendo como elemento-surpresa, virando a partida após rebote de Firmino. Em vantagem, obrigando o Uruguai a se expor, a velocidade brasileira foi fatal. Sendo mais direto: a velocidade do camisa 10. Ganhando do marcador após um bico da defesa brasileira, Neymar ficou cara a cara com Martín Silva. Num curto espaço, mostrou plena frieza e categoria para encobrir o goleiro. Outro golaço na noite.

Aos 43 minutos, Diego Souza foi acionado no lugar de Firmino, O meia do Sport, utilizado na Canarinha como centroavante, atuou em apenas cinco minutos, mas se apresentou, com duas jogadas como pivô. Em campo, ainda viu Paulinho escorar um cruzamento nos descontos e encerrar a goleada. Com o hat-trick, chegou a 9 gols pelo Brasil e tornou-se o volante com mais gols pela Seleção. Deixou para trás Alemão, César Sampaio, Dunga, Emerson e Falcão, todos com 6 tentos. Fez história num estádio histórico.

Eliminatórias da Copa 2018, em 22/03/2017: Uruguai 1x4 Brasil. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O histórico dos 23 convocados para as Eliminatórias, com Diego Souza na lista

O primeiro treino do Brasil visando o jogo contra o Uruguai, no CT do Corinthians. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A CBF divulgou o perfil de todos os jogadores lembrados por Tite para os jogos contra Uruguai e Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa 2018. O relatório (abaixo) traz o número de convocações, partidas disputadas, minutos em campo e gols marcados. Considerando os 23 nomes para as rodadas 13 e 14, segundo a diretoria de seleções da entidade, o lateral-direito Daniel Alves é o mais experiente na Canarinha, com 100 apresentações. Já Neymar é o principal artilheiro. Com 25 anos, o atacante do Barcelona já soma 50 gols pelo Brasil – Pelé, o maior goleador da Seleção, tem 77 gols em jogos oficiais.

A lista conta com Diego Souza. Aos 31 anos, o meia do Sport, chamado como atacante, tem apenas três jogos com a camisa verde e amarela, totalizando 128 minutos, metade no último amistoso, o Jogo da Amizade no Engenhão.

23/03/2017 (20h00) – Brasil  x Uruguai (Montevidéu)
28/03/2017 (21h45) – Brasil x Paraguai (Arena Corinthians)

Confira o quadro em uma resolução maior clicando aqui.

Perfil dos 23 convocados do Brasil para as rodadas 13 e 14 das Eliminatórias da Copa 2018. Crédito: CBF/reprodução

O Sport nas Eliminatórias da Copa, com a convocação dupla de Diego Souza e Mena

Diego Souza (Brasil) e Mena (Chile), do Sport. Ambos convocados para as Eliminatórias da Copa 2018. Crédito: Sport/instagram (@sportrecife)

Pela primeira vez, o Sport cedeu dois jogadores simultaneamente para as Eliminatórias da Copa do Mundo. Trilando a rota para a Rússia, Diego Souza e Mena foram chamados por Tite e Pizzi. Vão defender as seleções do Brasil e do Chile nas rodadas 13 e 14 do qualificatório da Conmebol, no qual os dois países aparecem na zona de classificação direta ao Mundial. O ineditismo da convocação foi destacado pelo próprio Leão da Ilha, com “o Sport é Seleção”.

Na história rubro-negra, já são oito jogadores convocados às Eliminatórias. Na Canarinha, por exemplo, são três nomes, sendo o único clube da região a ceder atletas. Considerando outras bandeiras, a edição para 2018 tornou-se a mais prolífica, com três jogadores, já que o costa-riquenho Rodney Wallace já havia sido lembrado também, durante a sua passagem em 2016. Das últimas cinco seletivas, o clube cedeu jogadores em quatro. Disputas na Conmebol, Concacaf e na CAF, a confederação africana. No geral, 13 partidas.

Confira o histórico dos clubes pernambucanos nas Eliminatórias aqui.

Copa do Mundo 2002, Coreia do Sul e Japão (2 atletas, 3 jogos)
Bosco (goleiro, Brasil)

08/10/2000 – Brasil 6 x 0 Venezuela (Maracaibo)
15/11/2000 – Brasil 1 x 0 Colômbia (Morumbi)

Leomar (volante, Brasil)
25/04/2001 – Brasil 1 x 1 Peru (Morumbi) 

Copa do Mundo 2010, África do Sul (2 atletas, 3 jogos)
Juan Arce (atacante, Bolívia)
05/09/2009 – Bolívia 0 x 1 Paraguai
09/09/2009 – Bolívia 1 x 3 Equador

Hamilton* (volante, Togo)
06/09/2009 – Togo 1 x 1 Marrocos
Teve problemas na documentação e não atuou 

Copa do Mundo 2014, Brasil (1 atleta, 1 jogo)
Chumacero (volante, Bolívia)
10/09/2013 – Bolívia 1 x 1 Equador

Copa do Mundo 2018, Rússia (3 atletas, 6 jogos)
Rodney Wallace (lateral-esquerdo, Costa Rica)
02/09/2016 – Costa Rica 1 x 0 Haiti
06/09/2016 – Costa Rica 3 x 1 Panamá

Diego Souza (meia-atacante, Brasil)
23/03/2017 – Brasil  x Uruguai (Montevidéu)
28/03/2017 – Brasil x Paraguai (Arena Corinthians)

Mena (lateral-esquerdo, Chile)
23/03/2017 – Argentina x Chile (Buenos Aires)
28/03/2017 – Chile x Venezuela (Santiago)

Sport goleia o Boavista no Rio e abre boa vantagem para avançar na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Com a Copa do Brasil finalmente entrando no formato com jogos de ida e volta, o Sport abriu ótima vantagem em Saquarema. Abrindo a terceira fase, o time pernambucano goleou o rodado time do Boavista por 3 x 0 e traz uma folga para a Ilha, onde jogará para sacramentar a classificação dentro de uma semana.

Vindo de um revés no clássico, o Leão teve desfalques importantes, Rithely e Rogério, vetados pelo DM. Rodrigo compôs a cabeça de área com Ronaldo, com atuação regular. Na frente, André foi acionado, com Leandro Pereira caindo pela ponta esquerda. Foi a primeira chance efetiva do camisa 90, como titular com a formação principal. Coincidência ou não, enfim rendeu. Nos primeiros 18 minutos, uma cabeçada no travessão e um gol. Animado pelo desafogo particular, seguiu participativo – ao todo, finalizaria cinco vezes. Embora tenha sido pressionado nos primeiros minutos, com o ex-rubro-negro Maicon ganhando a disputa para o estreante Mena (que depois melhorou), o Sport controlou o jogo, com 55% de posse. E ampliou ainda no primeiro tempo. Diego Souza converteu o pênalti sofrida por ele mesmo, quando chapelou o zagueiro.

Na etapa complementar, o Leão jogou mais solto, chegando bastante à meta do time de Joel Santana. Fechou o placar aos 29, num cruzamento preciso de Samuel Xavier para André, que bateu com categoria e marcou o seu segundo (fim a inhaca?). Em termos de cotas, o clube soma R$ 1,62 milhão e jogará para ganhar os R$ 750 mil correspondentes à quarta fase. Está quase lá…

Copa do Brasil 2017, 3ª rodada: Boavista x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Náutico tira a invencibilidade do Sport com futebol mais organizado na Arena

Pernambucano 2017, 6ª rodada: Náutico 2x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP

Na Ilha, a fraca apresentação diante dos reservas do Sport causou desconforto nos alvirrubros quanto ao jogo de domingo, também pelo hexagonal estadual, quando o centenário rival teria força máxima – incluindo o meia Diego Souza, convocado para as Eliminatórias da Copa. Em campo, embora o visitante tenha controlado o primeiro tempo, as mudanças e orientações dos técnicos foram decisivas para o confronto, a favor do Náutico, com Milton Cruz utilizando os espaços deixados por Daniel Paulista. A vitória timbu, por 2 x 1, derrubou a invencibilidade leonina de onze partidas oficiais na temporada.

No primeiro tempo, o leão teve mais intensidade ofensiva, sobretudo pela direita, há tempos o escape. Após a convocação, DS87 acabou jogando próximo ao estilo que Tite espera na Seleção, fazendo o pivô. Assim, quase não avançou carregando a bola, como em seus melhores momentos. Mas não foi o “9″, com Leandro Pereira cumprindo a função. Porém, o centroavante de fato desperdiçou duas ótimas chances (em cruzamentos), mandando a primeira na trave e furando na segunda. O suficiente para Tiago Cardoso chamar a atenção da defesa, com dificuldades para sair jogando, principalmente João Ananias.

Pernambucano 2017, 6ª rodada: Náutico 2x1 Sport. Foto: Paulo Paiva/DP

Ao menos o também volante Rodrigo Souza apresentou um futebol melhor que seus últimos (e indefensáveis) jogos. Bronca era chegar à meta de Magrão, com a maioria das jogadas passando por Erick, bem marcado – embora Mansur tenha sido amarelado com 24 segundos (!). No reinício, o Náutico já assustou com Alison. Essa fome seria determinante, enquanto o Sport manteria a sua cadenciada (displicente?) forma de jogar. De fato, o Náutico acelerou. Roubava a bola e atacava. Na primeira, Dudu iniciou a jogada e tocou para Erick, que serviu Marco Antônio. De fora da área, o meia marcou um belo gol.

Em desvantagem, Daniel Paulista acionou André. Saiu Rithely, machucado. Isso mesmo, um ataque povoado (apesar de Diego ter sido recuado) e um rombo no meio, que não seria consertado. Com o presente, Milton orientou a sua equipe para os espaços que o visitante deixaria (e deixaria mesmo). Dez minutos depois, o Alvirrubro ampliou, com Erick, de cabeça – a promessa já havia feito no clássico anterior. Mesmo no sufoco, o Sport diminuiu aos 24, com Ronaldo Alves. Só não mudou a desorganização e as bolas alçadas. Já o Náutico valorizou a posse, a vantagem. E saboreou um triunfo nas mãos do treinador.

Pernambucano 2017, 6ª rodada: Náutico 2x1 Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Podcast – A análise sobre a convocação de Diego Souza para as Eliminatórias

Os convocados do Brasil para as Eliminatórias da Copa 2018 (vs Uruguai e Paraguai, em março/2017). Crédito: P. D. Rocha/twitter (@RochaPD)

A convocação de Diego Souza para as Eliminatórias da Copa 2018 rendeu uma gravação especial do 45 minutos. No podcast, analisamos as funções que podem ser desempenhadas pelo jogador do Sport no esquema de Tite. Afinal, apesar de atuar como meia no leão, ele foi chamado como atacante, ao lado de nomes do Barcelona (Neymar), Bayern de Munique (Douglas Costa) e Liverpool (Firmino). O que representa essa convocação para o futebol nordestino? Quebra de barreira ou casualidade? O fato é que DS87 segue presente na Canarinha.

Estou neste debate (28 min) com Celso Ishigami e João de Andrade Neto. Ouça.

Diego Souza, o 3º jogador do Sport a defender a Seleção nas Eliminatórias

Bosco, Leomar e Diego Souza, convocados para as Eliminatórias da Copa diretamente do Sport

Diego Souza voltou a ser convocado para a Seleção Brasileira, desta vez numa lista sem restrição de nomes – o meia havia atuado 64 minutos num amistoso ‘caseiro’ contra a Colômbia. O jogador do Sport foi chamado pelo técnico Tite para duas partidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, o que não acontecia no futebol do Nordeste há 16 anos! Desde o ciclo para 2002, também com o rubro-negro envolvido. Agora, já estamos indo para 2018. Mas o hiato acabou.

É mais uma barreira quebrada pelo camisa 87, lembrado como “atacante”, ao lado de Firmino, para disputar a vaga deixada pelo contundido Gabriel Jesus – além do papel tático como pivô, justifica a artilharia da Série A, com 14 gols. DS é o terceiro jogador da história rubro-negra a defender o Brasil nas Eliminatórias. Antes, dois atletas no qualificatório para a Ásia. Primeiro, Bosco. Chamado duas vezes, por treinadores diferentes, Candinho e Emerson Leão. Nas duas oportunidades, foi o reserva de Rogério Ceni. Em 2001 foi a vez de Leomar, titular contra a seleção peruana, lembrado por Leão como “jogador nota 7″.

A região nunca teve um jogador numa Copa. O alvirrubro Nado (1966) e o tricolor Nunes (1978) foram convocados, mas foram cortados antes do torneio.

Voltando às Eliminatórias, já são sete jogadores do Sport lembrados, somando com os gringos em ação na Ilha do Retiro. Nas últimas cinco edições, o clube só não foi representado no ciclo de 2006. Entre os gringos há até outro “brazuca”, Hamilton. Ele se naturalizou togolês apenas para ser chamado. E até foi, mas não entrou em campo porque teve problemas na documentação junto à Fifa.

Jogadores do Sport convocados à Seleção Brasileira para as Eliminatórias…

Copa do Mundo 2002, Coreia do Sul e Japão
Bosco (goleiro)

08/10/2000 – Brasil 6 x 0 Venezuela(Maracaibo)
15/11/2000 – Brasil 1 x 0 Colômbia (Morumbi) 

Leomar (volante)
25/04/2001 – Brasil 1 x 1 Peru (Morumbi) 

Copa do Mundo 2018, Rússia
Diego Souza (meia-atacante)

23/03/2017 – Brasil  x Uruguai (Montevidéu)
28/03/2017 – Brasil x Paraguai (Arena Corinthians)

Jogadores do Sport convocados para as Eliminatórias por outras seleções…

Copa 2010 – Arce (Bolívia, atacante; 2 jogos) e Hamilton (Togo, volante; 1 jogo)
Copa 2014 – Chumacero (Bolívia, volante; 1 jogo)
Copa 2018 – Rodney Wallace (Costa Rica, lateral-esquerdo; 2 jogos)

Sport vence o River no Piauí com frevo de Diego Souza e gol no jogo 400 de Durval

Copa do Nordeste 2017, 1ª fase: Sport x River. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

No acanhado estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina, o Sport finalmente desencantou contra o River. Após três confrontos seguidos terminando em 2 x 2, todos pela Copa do Nordeste, desta vez o time pernambucano se impôs – tecnicamente, era uma obrigação. Venceu e assumiu a liderança do grupo, praticamente assegurando a classificação às quartas de final pelo 5º ano.

Para isso, gols de dois de seus principais nomes no primeiro tempo. Num pênalti sofrido por Rogério, que recebeu a carga após entrar driblando, Diego Souza deslocou o goleiro e abriu o placar. Na comemoração, ensaiou um passo de frevo em pleno Sábado de Zé Pereira. Pouco antes do intervalo, um belo gol de Durval, que pegou um rebote na área e bateu no ângulo. A comemoração do grupo sobre o capitão se devia à marca em campo, com a 400ª apresentação do zagueiro com a camisa rubro-negra, quase todas com o número 4.

No segundo tempo, o time piauiense voltou acuado, possivelmente assimilando o golpe após o segundo gol. Tentando se aproveitar disso, o Sport bem que tentou ampliar, mas esbarrou na afobação, com Rogério e Everton Felipe. Ao menos a recomposição vinha segura. Até os 30 minutos, quando Viola aproveitou um rebote e diminuiu. O artilheiro da Lampions (4 gols) pôs fogo num jogo praticamente definido. De certa forma, foi um “se ligue” no Sport, que se reorganizou. Com DS tomando conta do meio-campo, o Sport segurou o 2 x 1.

Copa do Nordeste 2017, 1ª fase: River x Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Sport goleia Sete de Dourados e já soma R$ 1,6 milhão em cotas na Copa do Brasil

Copa do Brasil 2017, 2ª fase: Sport 3 x 0 Sete de Setembro-MS. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Em um confronto com um abismo técnico, o Sport cumpriu o script na Ilha. Goleou o Sete de Setembro e avançou à 3ª fase da Copa do Brasil. Teve extrema facilidade para chegar na meta sul-mato-grossense, mas, com preciosismo e pecando nas finalizações, o placar foi até econômico, 3 x 0.

O adversário veio ao Recife disposto à retranca, mas passou longe disso. O futebol apresentado condiz com o cartel na temporada – agora, uma vitória em sete jogos. Quando dominou a bola um pouco, só conseguiu arremates de fora da área, longe de Magrão. No lado leonino, mesmo sem a intensidade cobrada, bastava um troca de passes para chegar com perigo, sobretudo pela direita, com Rogério. Por lá, aliás, saíram os gols no primeiro tempo. Ambos com o centroavante Leandro Pereira, que desencantou. Concluiu dois cruzamentos, de Samuel Xavier e Rogério. De pé direito (10) e de cabeça (23). Logo no início do segundo tempo (cujo ritmo seria ainda mais cadenciado), Rogério definiu.

Com a classificação, o clube pernambucano já soma R$ 1,62 milhão em cotas. O valor já supera em 670 mil a verba do Estadual e equivale a chegar na semi do Nordestão. Na próxima fase, o Leão vai encarar o Boavista do Rio – apesar de modesto, recebeu R$ 4 milhões da TV pelo Carioca. O time é treinado por Joel Santana e tem caras conhecidas na Ilha, como os laterais Maicon e Christianno. Nesta fase, finalmente volta o regulamento clássico, com ida e volta e gol qualificado. Provavelmente, com um nível de dificuldade maior.

Cotas do Sport na Copa do Brasil
1ª fase – R$ 440 mil (vs CSA – AL)
2ª fase – R$ 500 mil (vs Sete de Setembro – MS)
3ª fase – R$ 680 mil (vs Boavista – RJ)
4ª fase – R$ 750 mil?

Copa do Brasil 2017, 2ª fase: Sport 3 x 0 Sete de Setembro-MS. Foto: Paulo Paiva/DP

Podcast – Análise do primeiro Clássico das Multidões no Pernambucano 2017

Pernambucano 2017, 4ª rodada: Santa Cruz 1 x 1 Sport. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O primeiro confronto entre Santa e Sport nesta temporada não foi dos mais vistosos, mas rendeu debate. Pela má atuação dos times (bem nervosos em campo), pela maior aplicação do corais, pela falta de variação de jogadas dos leoninos e pelo trabalho do árbitro Sebastião Rufino Filho (expulsões? impedimento?)). Os assuntos foram debatidos numa gravação exclusiva do podcast 45 minutos. Estou nessa com Celso Ishigami e Fred Figueiroa. Ouça!

Confira um infográfico com a pauta do programa aqui.

18/02 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (38 minutos)