A tabela do Pernambucano de 2018, com 34 partidas na TV (aberta, PPV e internet)

Campeonato Pernambucano de 2018: Afogados, América e Belo Jardim; Central, Flamengo, Náutico e Pesqueira; Salgueiro, Santa Cruz, Sport e Vitória

O Campeonato Pernambucano de 2018 terá uma fórmula diferente em relação às últimas quatro edições, com hexagonais. Agora, volta o modelo com turno único, mas com onze times, no início de uma redução gradativa no número de participantes. São onze rodadas na primeira fase, com cada clube folgando uma vez. Avançam os oito melhores colocados, iniciando o mata-mata a partir das quartas final, uma etapa inédita na história da competição.

Em relação à tabela detalhada pela FPF, é possível mensurar datas, horários e a grade de transmissão na televisão. Além das exibições na Globo e no Premiere, atendendo à última temporada do contrato de quatro anos, haverá transmissões via streaming, numa parceria da federação com o site mycujoo, que já vem exibindo jogos de categorias menores da entidade.

Ao todo, 34 partidas estão com algum tipo de transmissão agendada, o que corresponde a 61% dos 55 jogos da primeira fase – considerando apenas o sinal aberto, serão 11. Com o Sport fora do Nordestão, após desistência do próprio clube, a Globo priorizou o rubro-negro na fase classificatória, com nada menos que sete jogos. E as outras três apresentações do leão serão transmitidas via pay-per-view. Ou seja, nenhum jogo via FPF – ao contrário de Santa e Náutico, que, por outro lado, também terão jogos na copa regional.

Já sobre a fase eliminatória, a entidade só divulgou a tabela básica, com o dia 11 de março para as quartas de final, 18 e 25 de março nas semifinais, sendo uma data para cada chave, e 1 e 8 de abril na decisão, aí sim em ida e volta.

1ª rodada
17/01 (20h00) – Afogados x Central (Vianão)
17/01 (20h00) – Pesqueira x Belo Jardim (Joaquim de Brito) – FPF/internet
17/01 (21h30) – Flamengo x Sport (Áureo Bradley) – Globo
18/01 (20h00) – Santa Cruz x Vitória (Arruda) – Premiere
19/01 (20h00) – Náutico x América (Arena PE) – Premiere
Folga: Salgueiro

2ª rodada
20/01 (18h30) – Sport x Afogados (Ilha do Retiro) – Premiere
21/01 (16h00) – América x Santa Cruz (Ademir Cunha) – Globo
21/01 (16h00) – Central x Náutico (Lacerdão) – FPF/internet
21/01 (16h00) – Vitória x Salgueiro (a definir)
21/01 (16h00) – Belo Jardim x Flamengo (Mendonção)
Folga: Pesqueira

3ª rodada
24/01 (20h00) – Pesqueira x Vitória (Joaquim de Brito)
24/01 (20h00) – Salgueiro x América (Cornélio de Barros)
24/01 (20h00) – Afogados x Belo Jardim (Vianão) – FPF/internet
24/01 (21h30) – Náutico x Sport (Arena PE) – Globo
25/01 (20h00) – Santa Cruz x Central (Arruda) – Premiere
Folga: Flamengo

4ª rodada
28/01 (16h00) – Vitória x Náutico (a definir) – Globo
28/01 (16h00) – América x Afogados (Ademir Cunha) – FPF/internet
28/01 (16h00) – Central x Flamengo (Lacerdão)
28/01 (16h00) – Sport x Pesqueira (Ilha do Retiro) – Premiere
28/01 (16h00) – Belo Jardim x Salgueiro (Mendonção)
Folga: Santa Cruz

5ª rodada
03/02 (20h00) – Pesqueira x Náutico (Joaquim de Brito) – Premiere
03/02 (20h00) – Salgueiro x Santa Cruz (Cornélio de Barros)
04/02 (16h00) – Vitória x América (a definir)
04/02 (16h00) – Central x Sport (Lacerdão) – Globo
04/02 (16h00) – Flamengo x Afogados (Áureo Bradley) – FPF/internet
Folga: Belo Jardim

6ª rodada
06/02 (20h00) – Náutico x Salgueiro (Arena PE) – Premiere
07/02 (20h00) – Belo Jardim x Vitória (Mendonção)
07/02 (20h00) – Flamengo x Pesqueira (Áureo Bradley)
07/02 (20h00) – América x Central (Ademir Cunha) – FPF/internet
07/02 (21h30) – Afogados x Santa Cruz (Vianão) – Globo
Folga: Sport

7ª rodada
17/02 (18h30) – Santa Cruz x Náutico (Arruda) – Premiere
18/02 (16h00) – Central x Belo Jardim (Lacerdão) – FPF/internet
18/02 (16h00) – Salgueiro x Flamengo (Cornélio de Barros)
18/02 (16h00) – Afogados x Pesqueira (Vianão)
18/02 (16h00) – Sport x América (Ilha do Retiro) – Globo
Folga: Vitória

8ª rodada
20/02 (20h00) – Náutico x Afogados (Arena PE) – Premiere
21/02 (20h00) – Vitória x Central (a definir)
21/02 (20h00) – Flamengo x Santa Cruz (Áureo Bradley) – FPF/internet
21/02 (20h00) – Pesqueira x Salgueiro (Joaquim de Brito)
21/02 (21h45) – Belo Jardim x Sport (Mendonção) – Globo
Folga: América

9ª rodada
24/02 (18h30) – Sport x Vitória (Ilha do Retiro) – Premiere
25/02 (16h00) – América x Belo Jardim (Ademir Cunha) – FPF/internet
25/02 (16h00) – Salgueiro x Afogados (Cornélio de Barros)
25/02 (16h00) – Santa Cruz x Pesqueira (Arruda) – Globo
26/02 (20h00) – Náutico x Flamengo (Arena PE) – Premiere
Folga: Central

10ª rodada
04/03 (16h00) – Afogados x Vitória (Vianão)
04/03 (16h00) – Flamengo x América (Áureo Bradley)
04/03 (16h00) – Pesqueira x Central (Joaquim de Brito) – FPF/internet
04/03 (16h00) – Salgueiro x Sport (Cornélio de Barros) – Globo
04/03 (16h00) – Santa Cruz x Belo Jardim (Arruda)
Folga: Náutico

11ª rodada
07/03 (20h00) – Vitória x Flamengo (a definir)
07/03 (20h00) – América x Pesqueira (Ademir Cunha) – FPF/internet
07/03 (20h00) – Central x Salgueiro (Lacerdão)
07/03 (20h00) – Belo Jardim x Náutico (Mendonção) – Premiere
07/03 (21h45) – Sport x Santa Cruz (Ilha do Retiro) – Globo
Folga: Afogados

Nº de jogos transmitidos na Globo (11)
7 – Sport
4 – Santa Cruz
2 – América e Náutico
1 – Afogados, Belo Jardim, Central, Flamengo, Pesqueira, Salgueiro e Vitória

Nº de jogos transmitidos no Premiere (12)
7 – Náutico
3 – Santa Cruz e Sport
2 – Afogados, Pesqueira e Vitória
1 – América, Belo Jardim, Central, Flamengo e Salgueiro

Nº de jogos transmitidos pela FPF/internet (11)
4 – América, Belo Jardim e Central
3 – Afogados e Pesqueira
2 – Flamengo
1 – Náutico e Santa Cruz

Total de jogos transmitidos via Globo + Premiere + FPF/internet (34)
10 – Náutico e Sport
8 – Santa Cruz
7 – América
6 – Afogados, Belo Jardim, Central e Pesqueira
4 – Flamengo
3 – Vitória
2 – Salgueiro

Na Ilha do Retiro, Sport vence o Bahia e finalmente chega a 10 vitórias na Série A

Série A 2017, 36ª rodada: Sport 1 x 0 Bahia. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Após oito jogos de jejum, o Sport voltou a vencer no Brasileirão. No clássico regional contra o Bahia, o leão fez 1 x 0, na Ilha, e finalmente chegou a 10 vitórias na competição – curiosamente, o tricolor soteropolitano foi o único a perder lá e lô. Para isso, o rubro-negro precisou de 36 rodadas! E olhe que havia virado o turno com oito triunfos, o que dimensiona o caos no returno.

Em sua 8ª participação na Série A nos pontos corridos, o Sport deste ano igualou o número de rodadas de 2012, justamente na última edição em que caiu. Abaixo das duas, apenas a campanha de 2009, outra com rebaixamento.

Não por acaso, o fantasma do rebaixamento é bem real em 2017…

Quando o Sport chegou a 10 vitórias nos pontos corridos
2007 – 26ª rodada (10V, 6E e 10D; 46,1% de apto; 9º lugar)
2008 – 24ª rodada (10V, 5E e 9D; 48,6% de apto; 9º lugar)
2009 – não conseguiu (venceu apenas 7)
2012 – 36ª rodada (10V, 10E e 16D; 37,0% de apto; 17º lugar)
2014 – 23ª rodada (10V, 5E e 8D; 50,7% de apto; 8º lugar)
2015 – 30ª rodada (10V, 13E e 7D; 47,7% de apto; 10º lugar)
2016 – 31ª rodada (10V, 7E e 14D; 39,7% de apto; 14º lugar)
2017 – 36ª rodada (10V, 9E e 17D; 36,1% de apto; 18º lugar)

Série A 2017, 36ª rodada: Sport 1 x 0 Bahia. Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Santa perde do Boa e consolida queda à Série C. Ao todo, o 8º rebaixamento coral

Série B 2017, 35ª rodada: Boa Esporte 4 x 2 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

Em 2016, quando retornou à Série A após uma década, o Santa Cruz teve o maior faturamento de sua história, com R$ 36,8 milhões. Caixa superior ao dobro da marca anterior. Ainda assim, na elite, o esse dado era irrelevante diante dos poderio dos concorrentes. Gastando mais do que poderia e nem assim evitando o descenso ou, no mínimo, se estruturando, a direção deixou o abacaxi para o ano seguinte.

Além da perda das principais peças na ocasião (Grafite, Keno, João Paulo, Léo Moura etc), o clube viveu uma crise administrativa enorme em 2017. O presidente Alírio Moraes alegou o bloqueio das (poucas) receitas, sendo incapaz de manter em dia uma folha bem mais modesta – de um time que tecnicamente esteve longe de ser brilhante, mas que não aparentava, ao menos, ser um dos quatro piores numa fraca Série B. Seguindo também sem dinheiro de bilheteria, o caos financeiro se instalou no Arruda.

Após a saída de Vinícius Eutrópio, desgastado pelas eliminações no Nordestão (Sport) e Estadual (Salgueiro), quando obteve vantagem no jogo de ida nas duas oportunidades, o tricolor trouxe Givanildo Oliveira, cuja exigência clássica é o pagamento regular dos salários. Não houve acerto, não houve resultado. Do bom início na competição ao desespero, já com quatro meses de atraso, entre o interino Adriano Teixeira e o último técnico, Martelotte, o tricolor chegou à marca de 1 vitória em 19 jogos. Inacreditável e inviável.

A derrota para o Boa por 4 x 2, em Varginha, sepultou a campanha, 7V, 12E e 16D.
Com o Santa somando o 8º rebaixamento em sua história, o 2º à terceirona.
E a caminhada de volta fica cada vez mais longa. Novamente…

Rebaixamentos do Santa Cruz (8)
1988 – A pra B (22º lugar de 24 times; caíram 4)
1993 – A pra B (23º lugar de 32 times; caíram 8*)
2001 – A pra B (25º lugar de 28 times; caíram 4)
2006 – A pra B (20º lugar de 20 times; caíram 4)
2007 – B pra C (18º lugar de 20 times; caíram 4)
2008 – C pra D (29º lugar de 63 times; caíram 43)
2016 – A pra B (19º lugar de 20 times; caíram 4)
2017 – B pra C (18º lugar de 20 times; caíram 4*)
* Foram rebaixados apenas os times dos grupos C e D (os 4 últimos de cada)
** Competição em andamento, com possibilidade de mudança dentro do Z4

Acessos do Santa Cruz (6)
1992 – B pra A (4º lugar de 32 times; 12 vagas)
1999 – B pra A (2º lugar de 22 times; 2 vagas)
2005 – B pra A (2º lugar de 22 times; 2 vagas)
2011 – D pra C (2º lugar de 40 times; 4 vagas)
2013 – C pra B (1º lugar de 21 times; 4 vagas)
2015 – B pra A (2º lugar de 20 times; 4 vagas)

Santa Cruz na Série C
56 jogos (78 GP e 57 GC, +21)
22 vitórias (39,2%)
18 empates (32,1%)
16 derrotas (28,5%)
3 participações: 2008 (29º), 2012 (14º) e 2013 (campeão)

Série B 2017, 35ª rodada: Boa Esporte 4 x 2 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

Em nova derrota na Arena, Náutico volta a ser rebaixado à Série C após 19 anos

Série B 2017, 35ª rodada: Náutico 1 x 2 Londrina. Foto: Ricardo Fernandes/DP

A derrota para o Oeste, em 26 de novembro de 2016, mudou o rumo da história do Náutico como poucas vezes se viu – aliás, já se viu. A vitória naquela partida teria levado o alvirrubro à elite nacional, mas o surpreendente revés, diante de um time quase rebaixado, custou caro em Rosa e Silva. Pelo segundo ano seguido o clube terminava a Série B na 5ª posição, num cenário no qual os quatro primeiros subiam. No ano seguinte, o baque à Série C.

É impossível não traçar um paralelo com a sequência entre 1996 e 1998, com o alvirrubro ficando em 3º lugar na segundona nos dois primeiros anos, nos quais apenas os dois primeiros se classificavam, e desabando no terceiro. Pois é. Agora, jogando na arena, diante do Londrina, o revés por 2 x 1 encerrou a chance de permanência, com o timbu retornando à terceirona após 19 anos.

No entanto, apesar da coincidência, não é algo cabalístico. O descenso em 2017 é reflexo da irresponsabilidade financeira cometida pela gestão do Náutico, com quatro presidentes executivos no biênio (!). Basta lembrar da folha no Estadual, de R$ 1 milhão. O clube, claro, não conseguiu manter o quadro nem por dois meses, devido à óbvia previsão enxuta de receitas – como ignoraram isso?. Já na segundona, houve a venda de Erick junto ao Braga, de Portugal, por R$ 2,8 milhões. O objetivo era manter os salários em ordem para tentar evitar a queda, após um primeiro turno catastrófico. Só que o dinheiro foi bloqueado – e o clube ficou sem a grana e sem o atacante.

Apesar da reação da equipe, a terceira montada no ano, não foi possível.
Juntando os cacos, vem o único alento em 2018. A volta aos Aflitos.
Que seja uma nova mudança de rumo na história alvirrubra…

Rebaixamentos do Náutico (5)
1994 – A pra B (24º lugar de 24 times; caíram 2)
1998 – B pra C (21º lugar de 24 times; caíram 6)
2009 – A pra B (19º lugar de 20 times; caíram 4)
2013 – A pra B (20º lugar de 20 times; caíram 4)
2017 – B pra C (19º lugar de 20 times; caíram 4*)
* Competição em andamento, com possibilidade de mudança dentro do Z4

Acessos do Náutico (3)
1988 – B pra A (2º lugar de 24 times; 2 vagas)
2006 – B pra A (3º lugar de 20 times; 4 vagas)
2011 – B pra A (2º lugar de 20 times; 4 vagas)

Náutico na Série C
21 jogos (44 GP e 20 GC, +24)
13 vitórias (61,9%)
3 empates (14,2%)
5 derrotas (23,8%)
1 participação: 1999 (4º lugar)

Série B 2017, 35ª rodada: Náutico 1 x 2 Londrina. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Em jogo na Europa, Brasil vence o Japão com Diego Souza atuando em 37 minutos

Amistoso da Seleção em 2017: Brasil x Japão. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O Brasil fez um ótimo primeiro tempo em Lille, na França. Rápido e objetivo, o time marcou três gols no Japão, com Neymar, Marcelo e Gabriel Jesus. No intervalo, Tite promoveu a estreia do goleiro Cássio. Na linha, passou a mexer aos 13 minutos, numa troca dupla, incluindo Diego Souza na vaga de Jesus. 

Pouco depois, Neymar e Willian foram substituídos por Taison e Douglas Costa, com DS87 atuando com o ataque reserva, num claro teste do treinador da Seleção, em busca de alternativas de jogo – além de manter a disputa por vagas no grupo para o Mundial de 2018. Mas a verdade é que no segundo tempo o ritmo da equipe caiu bastante, tanto em velocidade quanto em entrosamento. Os japoneses diminuíram o placar e o time brasileiro, já com seis mudanças, pouco fez em campo, numa atuação burocrática.

Na Europa, o meia do Sport entrou com o papel de retenção de bola e força na jogada aérea, mas limitou-se ao posicionamento. Pela convocação, ainda tem mais uma chance visando a Copa, em Londres. No Recife, o leão, em sua ausência, também parece ter mais uma oportunidade na Série A, em Goiânia.

Diego Souza no Sport em 2017
51 jogos
20 gols
7 assistências

Diego Souza na Seleção em 2017
5 jogos (206 minutos)
2 gols

Participação de Diego Souza na Seleção Brasileira em 2017
25/01 – Brasil 1 x 0 Colômbia (titular, 64 minutos), Amistoso
23/03 – Uruguai 1 x 4 Brasil (reserva, 5 minutos), Eliminatórias
28/03 – Brasil 3 x 0 Paraguai (reserva, 6 minutos), Eliminatórias
09/06 – Brasil 0 x 1 Argentina (reserva, não entrou), Amistoso
13/06 – Austrália 0 x 4 Brasil (titular, 94 minutos e 2 gols), Amistoso
10/11 – Brasil 3 x 1 Japão (reserva, 37 minutos), Amistoso
14/11 – Inglaterra x Brasil (a disputar), Amistoso

Jogos em 2017 nos quais DS87 não foi convocado
31/08 – Brasil 2 x 0 Equador, Eliminatórias
05/09 – Colômbia 1 x 1 Brasil, Eliminatórias
05/10 – Bolívia 0 x 0 Brasil, Eliminatórias
10/10 – Brasil 3 x 0 Chile, Eliminatórias

Amistoso da Seleção em 2017: Brasil x Japão. Imagem: Rede Globo/reprodução

O regulamento do Brasileirão de 1987

O livro 1987 – De fato, de direito e de cabeça traz detalhes sobre o regulamento oficial do Campeonato Brasileiro de 1987. Na produção da publicação de 288 páginas,uma parceria com o também jornalista André Gallindo, tivemos acesso ao livreto original, guardado na sede da CBF, no Rio. Confira o documento sobre os módulos amarelo e verde, totalizando os 32 competidores da ‘Copa Brasil’, se estendendo até a 4ª fase, correspondente ao quadrangular final, com os campeões e vices dos dois módulos.

A fórmula foi acordada em 08/09/1987, a três dias do início da competição.

Com hat-trick de William, Náutico vence o Santa Cruz de virada e leva o Troféu Gena

Série B 2017, 33ª rodada: Náutico 2 x 3 Santa Cruz. Foto: Roberto Ramos/DP

No último clássico entre Náutico e Santa Cruz em 2017, o jogo mais corrido, com cinco gols, duas viradas, polêmica e taça. Ah, também teve herói, como preza um bom clássico. No caso, o centroavante William. Pouco utilizado na Série B e acima do peso, mas com inegável faro de gols. O ‘Batoré’ marcou os três gols alvirrubros, com o terceiro, numa cobrança de pênalti, aos 50 do segundo tempo! O duelo já estava no apagar das luzes, mas ainda teria bastante jogo, com um pênalti não assinalado sobre o tricolor Augusto, aos 52. Com a discussão, resultando na expulsão de Derley, a partida no Arruda foi até os 59, quando enfim houve o apito final, com o 3 x 2 a favor do timbu.

Com o resultado, o clube de Rosa e Silva ficou com o Troféu Gena, instituído pela FPF pelos 100 anos do Clássico das Emoções, homenageando o lateral-direito hexa estadual pelo Náutico e tetra pelo Santa. Para isso, o timbu somou mais pontos nos oito confrontos no ano. Em 2009, no centenário do Clássico dos Clássicos, também ficara com a taça, dividida com o Sport após um 3 x 3 na Ilha – na ocasião, só valeu o placar daquele jogo. Sobre o atual Brasileiro, embora ambos sigam com 90% de chance de queda, a reação do Náutico parece mais factível, com dois jogos seguidos em casa. Vai animado pelo clássico, justificando o peso histórico independentemente da fase…

Série B 2017, 33 rodada: Santa Cruz 2 x 3 Náutico. Foto: João de Andrade Neto/DP

Jogos disputados em 2017
29/01 – Náutico 1 x 1 Santa Cruz, Estadual (Arena, 4.622 pessoas)
04/02 – Santa Cruz 1 x 0 Náutico, Nordestão (Arruda, 5.086)
12/03 – Náutico 1 x 0 Santa Cruz, Nordestão (Arena, 6.692)
10/04 – Santa Cruz 1 x 2 Náutico, Estadual (Arruda, 5.055)
06/05 – Náutico 1 x 2 Santa Cruz, Estadual (Arena, 2.592)
18/05 – Santa Cruz 1 x 1 Náutico, Estadual (Arruda, 3.387)
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz, Série B (Arena, 13.450)
04/11 – Santa Cruz 2 x 3 Náutico, Série B (Arruda, 8.654)
Média de público: 6.192

Classificação final após 8 clássicos
Náutico – 12 pontos; 3V, 3E e 2D; 9 GP e 8 GC; 1 vermelho
Santa – 9 pontos; 2V, 3E e 3D; 8 GP e 9 GC; 2 vermelhos

Campeões dos clássicos centenários
2009 – Clássico dos Clássicos: Náutico e Sport, dividido (1 jogo; 1E)
2016 – Clássico das Multidões: Sport (8 jogos; 3V, 3E e 2D)
2017 – Clássico das Emoções: Náutico (8 jogos; 3V, 3E e 2D)

Série B 2017, 33ª rodada: Náutico 2 x 3 Santa Cruz. Foto: Roberto Ramos/DP

Em jogo insosso, Sport empata com o Junior em Barranquilla e deixa a Sula

Sul-Americana 2017, quartas de final: Junior Barranquilla 0 x 0 Sport. Foto: Conmebol/twitter (@conmebol)

Diante de 31 mil torcedores no estádio Metropolitano de Barranquilla, Junior e Sport disputaram um jogo bem insosso, que não trouxe problema algum ao mandante, já com a ótima vantagem construída no Recife, mas que também parece ter agradado ao visitante, evitando mais uma derrota no exterior. Pois é. Sem as suas principais peças (Diego Souza, André e Rithely não viajaram, poupados para o Brasileirão), o rubro-negro pernambucano foi inofensivo no jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2017.

Assim, com o empate em 0 x 0, o time encerrou a sua 5ª participação. Foi a melhor de um clube nordestino, é verdade, mas a última apresentação, de um total de oito nesta edição, foi frustrante. Sem alma. Agora, fica a expectativa sobre quando o clube voltará a disputar uma copa internacional. Caso se mantenha na Série A, a chance é razoável, pois se Grêmio (Liberta) e Flamengo (Sula) forem campeões sobraria vaga até o 15º lugar, justamente onde encontra-se o leão. Bronca é contar com a permanência, pois é o pior do returno. O futebol na Colômbia é incapaz disso. Com o trio poupado, talvez.

Sul-Americana 2017, quartas de final: Junior Barranquilla 0 x 0 Sport. Foto: Total Sports/twitter (@totalspoorts)

O Sport atuando no exterior em torneios da Conmebol (9 jogos; 3V, 1E e 5D)
18/07/1988 – Universitario (PER) 1 x 0 Sport (Libertadores, Lima)
22/07/1988 – Alianza (PER) 0 x 1 Sport (Libertadores, Lima)
18/02/2009 – Colo Colo (CHI) 1 x 2 Sport (Libertadores, Santiago)
29/04/2009 – LDU (EQU) 2 x 3 Sport (Libertadores, Quito)
25/09/2013 – Libertad (PAR) 2 x 0 Sport (Sul-Americana, Luque)
30/09/2015 – Huracán (ARG) 3 x 0 Sport (Sul-Americana, Buenos Aires)
11/05/2017 – Danubio (URU) (2) 3 x 0 (4) Sport (Sul-Americana, Montevidéu)
27/07/2017 – Arsenal (ARG) 2 x 1 Sport (Sul-Americana, Buenos Aires)
02/11/2017 – Junior (COL) 0 x 0 Sport (Sul-Americana, Barranquilla)

As campanhas do Sport na Copa Sul-Americana
2013 – 1V, 0E e 3D (oitavas, US$ 240 mil/R$ 528 mil)
2014 – 0V, 0E e 2D (16 avos de final, US$ 150 mil/R$ 335 mil)
2015 – 1V, 1E e 2D (oitavas, US$ 375 mil/R$ 1,5 milhão)
2016 – 0V, 1E e 1D (16 avos de final, US$ 300 mil/R$ 974 mil)
2017 – 3V, 1E e 4D (quartas, US$ 1,375 milhão/R$ 4,45 milhões)

Total: 5V, 3E e 12D, com US$ 2,44 milhões em cotas (R$ 7,78 milhões)

Sul-Americana 2017, quartas de final: Junior Barranquilla 0 x 0 Sport. Foto: Conmebol/twitter (@conmebol)

Blog de férias…

Galera, estou entrando de férias.

A partir de agora, neste mês de novembro, o blog só será atualizado em casos excepcionais (e olhe lá). Afinal, o descanso é prioridade neste momento.

Em relação às postagens anteriores, caso haja qualquer comentário, continuarei moderando os textos (o debate é sempre válido).

Além do descanso, o foco também será no lançamento do livro que escrevi em parceria com André Gallindo: ’1987 – De fato, de direito e de cabeça’.

Abraço e saudações!