Náutico vence Figueira e pode terminar a rodada fora da lanterna após 15 partidas

Série B 2017, 21ª rodada: Náutico 2 x 0 Figueirense. Foto: Paulo Paiva/DP

Até a 17ª rodada, o Náutico tinha apenas uma vitória no Campeonato Brasileiro, com 15% de aproveitamento. Na lanterna, via o concorrente mais próximo, o ABC, a sete pontos de distância. Sem meias palavras, encaminhava um rebaixamento virtual, que só não seria confirmado em caso de uma recuperação bem fora da curva. Passadas duas semanas, o time vem ensaiando essa reação. De lá pra cá foram três vitórias em quatro jogos, perdendo apenas para o líder da Série B, o América Mineiro.

Com o 2 x 0 sobre o Figueirense de Milton Cruz, num confronto direto importantíssimo dentro do Z4, o alvirrubro finalmente ultrapassou o ABC de Natal. Assim, após 15 longas rodadas, da 6ª até a 20ª, o Náutico saiu da última colocação. E só terminará a rodada na lanterna caso o clube potiguar vença o Internacional no Frasqueirão, sábado. Não parece fácil.

Série B 2017, 21ª rodada: Náutico x Figueirense. Crédito: Premiere/reprodução

Nesta segunda vitória seguida na Arena Pernambuco, o técnico Roberto Fernandes armou o time num 4-3-3 e pôde contar com a volta de Giovanni, fora por lesão há um mês, e com a estreia do centroavante William. Ambos com bom desempenho, sobretudo o meia, com o belo gol de fora da área, pavimentando a vitória, e o passe que deixou Breno em ótima condição, rolando para William, que empurrou a bola pra barra vazia. Dois gols no 1T.

Numa rara boa atuação do time nesta turbulenta temporada, mostrando organização em todos os setores, o prata da casa Erick teve mais condições de se apresentar melhor – algo dito há tempos, com o seu desempenho prejudicado pela má fase da equipe. A possível negociação de Erick para Portugal pode trazer alívio financeiro para o restante da campanha, tendo como contrapartida a perda técnica. Escolha difícil num momento-chave.

Sequência da “retomada”
18ª – Náutico 1 x 0 Vila Nova (Goiânia)

19ª – Náutico 1 x 0 Luverdense (Arena PE)
20ª – Náutico 0 x 1 América (Belo Horizonte)
21ª – Náutico 2 x 0 Figueirense (Arena PE)

Série B 2017, 21ª rodada: Náutico 2 x 0 Figueirense. Foto: Paulo Paiva/DP

Em jogo de poucas chances, o Náutico perde do líder América no Independência

Série B 2017, 20ª rodada: América-MG x Náutico. Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Em um turno disputado, o líder América e o lanterna Náutico acabaram separados por 22 pontos. Curiosamente, no encontro, logo na abertura do Brasileiro, um empate sem gols na Arena Pernambuco de portões fechados. Largando no returno, agora numa arena mineira, o esvaziado Independência, outro jogo equilibrado, de forma até surpreendente. Não porque o Náutico conseguiu pressionar o mandante ou neutralizar as suas jogadas, mas, na visão do blog, devido a uma atuação pobre do Coelho.

O time mineiro atuou sem aceleração, sem variação de jogadas, embora tenha sido obediente taticamente. Não se expôs, tentando quebrar a defesa timbu em jogadas mais trabalhadas – no número de passes, 375 x 190 segundo o Footstats. Talvez confiante demais, com o resultado de 1 x 0 dando razão no fim das contas. Com duas vitórias seguidas até então, o Náutico encarava a partida como “bônus”, devido à esperada disparidade técnica. Tanto que Roberto Fernandes fechou o time, trabalhando na hipótese de um empate.

Série B 2017, 20ª rodada: América-MG x Náutico. Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

O gol sofrido aos 40 minutos de jogo, com Hugo Almeida concluindo uma boa trama diante de uma zaga povoada, não injetou uma reação no visitante. Num segundo tempo quase sem finalizações, de ambos os lados, o Náutico abusou da bola aérea, com 23 cruzamentos e 49 (!) lançamentos. Sem resultado. Basta dizer que das 6 finalizações ao longo da noite, nenhuma foi efetiva. Se o jogo contra o líder era um “descarte”, na próxima terça, em casa, contra o Figueirense, é decisão. Espera-se mais organização, com a bola no chão…

O lanterna da Série B após 20 rodadas (e a situação após a 38ª)
2006 – 15 pontos, Remo (12º, 46 pts)
2007 – 17 pontos, Ituano (20º, 33 pts)
2008 – 12 pontos, CRB (20º, 24 pts)
2009 – 17 pontos, Campinense (19º, 37 pts)
2010 – 15 pontos, Ipatinga (19º, 41 pts)
2011 – 9 pontos, Duque de Caxias (20º, 17 pts)
2012 – 10 pontos, Barueri (20º, 30 pts)
2013 – 14 pontos, ABC (14º, 46 pts)
2014 – 14 pontos, Vila Nova (19º, 32 pts)
2015 – 17 pontos, Mogi Mirim (20º, 23 pts)
2016 – 14 pontos, Sampaio Corrêa (20º, 27 pts)
2017 – 14 pontos, Náutico

Série B 2017, 20ª rodada: América-MG x Náutico. Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Classificação da Série B 2017 – 19ª rodada

A classificação da 19ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

O primeiro turno da Série B só foi encerrado na noite de segunda-feira, data incomum na competição, devido a um ajuste de programação na televisão. Como a “Segunda Campeã”, faixa no Sportv, ficou vaga pela mudança na Série A, o duelo entre Londrina e Vila foi remarcado para o horário.

Os times pernambucanos já haviam entrado em campo bem antes disso. Na sexta-feira, o Náutico venceu a primeira na Arena Pernambuco. Ainda na lanterna, o timbu reduziu em um ponto a distância em relação ao 16º lugar, o primeiro fora do Z4. De 10 para 9 pontos. No sábado, lá no interior gaúcho, o Santa Cruz perdeu a terceira seguida e caiu novamente na tabela, encerrando a 19ª rodada na 16ª colocação, justamente a “atual meta” do rival alvirrubro. O sonho do acesso no Arruda vai dando lugar a uma briga contra o descenso – hoje, encontra-se a oito pontos de distância do G4. Ainda há metade do Campeonato Brasileiro pela frente para mudar esta visão. É possível?

Com América Mineiro e Inter começando a deslanchar, o G4 já virou G2?

Resultados da 19ª rodada
Criciúma 1 x 2 Brasil
Náutico 1 x 0 Luverdense
Goiás 0 x 2 Oeste
CRB 2 x 1 América
ABC 0 x 1 Ceará
Guarani 0 x 2 Internacional
Juventude 2 x 1 Santa Cruz
Boa 2 x 1 Paraná
Paysandu 0 x 1 Figueirense
Londrina 0 x 1 Vila Nova 

Balanço da 19ª rodada
4V dos mandantes (8 GP), nenhum empate e 6V dos visitantes (12 GP)

Agenda da 20ª rodada
08/08 (19h15) – Santa Cruz x Criciúma (Arruda)
08/08 (21h30) – Luverdense x Juventude (Passo das Emas)
11/08 (19h15) – Brasil x Guarani (Bento Freitas)
11/08 (20h30) – Vila Nova x Boa (Serra Dourada)
11/08 (21h30) – América x Náutico (Independência)
12/08 (16h30) – Ceará x CRB (Castelão)
12/08 (16h30) – Paraná x ABC (Durival Britto)
12/08 (16h30) – Internacional x Londrina (Beira-Rio)
12/08 (19h00) – Oeste x Paysandu (Arena Barueri)
12/08 (19h00) – Figueirense x Goiás (Orlando Scarpelli)

O histórico de recuperação dos lanternas na Série B e a esperança timbu no returno

Série B 2017, 19ª rodada: Náutico 1 x 0 Luverdense. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Com duas vitórias nas últimas duas rodadas do primeiro turno, o Náutico alimentou a esperança de permanência na Série B. Apesar de ter somado apenas 14 pontos, o time pernambucano tem exemplos de recuperação para poder se espelhar no returno. Na lanterna, precisaria, no mínimo, de quatro rodadas perfeitas para sair do Z4. A meta, portanto, é a longo prazo. Dos cinco times que somaram 14 pontos na primeira metade da segundona, na era dos pontos, dois deles escaparam do descenso, os rivais nordestinos ABC e Ceará. O primeiro era treinado pelo atual técnico timbu, Roberto Fernandes

Para isso, o Náutico precisará de pelo menos 31 pontos nos próximos 19 jogos, ou 54% de aproveitamento – abaixo disso, dependeria de combinações. Basicamente, trata-se do índice alcançado pelo Vila Nova, que encerrou o primeiro turno na 3ª colocação. Enquanto isso, o timbu teve 24%.

Projeção de campanha com 31 pontos no returno
10 vitórias, 1 empate e 8 derrotas
9 vitórias, 4 empates e 6 derrotas
8 vitórias, 7 empates e 4 derrotas

O lanterna da Série B após 19 rodadas (e a situação após a 38ª)
2006 – 15 pontos, Ceará (15º, 45 pts)
2007 – 17 pontos, Ituano (20º, 33 pts)
2008 – 12 pontos, CRB (20º, 24 pts)
2009 – 14 pontos, Campinense (19º, 37 pts)
2010 – 15 pontos, Ipatinga (19º, 41 pts)
2011 – 9 pontos, Duque de Caxias (20º, 17 pts)
2012 – 10 pontos, Barueri (20º, 30 pts)
2013 – 14 pontos, ABC (14º, 46 pts)
2014 – 14 pontos, Vila Nova (19º, 32 pts)
2015 – 14 pontos, Ceará (15º, 45 pts)
2016 – 13 pontos, Sampaio Corrêa (20º, 27 pts)
2017 – 14 pontos, Náutico

O desempenho do Náutico no 1º turno da Série B de 2017

Como mandante (7 pontos; 23,3% de aproveitamento)
10 jogos; 1 vitória, 4 empates e 5 derrotas
Venceu o Luverdense (1 x 0 )

Como visitante (7 pontos; 25,9% de aproveitamento)
9 jogos; 2 vitórias, 1 empate e 6 derrotas
Venceu ABC (0 x 1) e Vila Nova (0 x 1)

Náutico vence o segundo jogo seguido na Série B, o primeiro na Arena Pernambuco

Série B 2017, 19ª rodada: Náutico 1 x 0 Luverdense. Foto: Náutico/instagram (@nauticope)

Duas vitórias seguidas, na base do sufoco, mas que alimentam o sonho de recuperação, cujo desfecho só poderá vir a longo prazo. Diante de Vila Nova e Luverdense, o Náutico fez o mesmo placar, 1 x 0, terminando o primeiro turno da Série B com 14 pontos. Em uma semana de mais mudanças, com a 4ª troca de técnico no ano, estreou Roberto Fernandes, que trouxe a sua conhecida vibração para a partida na arena. O alvirrubro não vencia em casa há 4 meses (!) e não tinha mais o direito de deixar passar a oportunidade. Até então, eram nove apresentações como mandante, com quatro empates e cinco derrotas. Nenhuma vitória! Um desempenho bizarro que, mesmo com as duas vitórias fora de casa, deixava o clube afundado na lanterna.

Como a vida do Náutico não tem sido fácil, a sexta-feira começou com o pedido de rescisão do goleiro Tiago Cardoso, com Jefferson, da base, sendo acionado mais uma vez. No restante da equipe, mudanças pontuais no posicionamento, com o meio-campo bem povoado. Os 4.789 torcedores que foram a São Lourenço, mantendo a fé, tiveram que se apoiar no pensamento positivo até o finzinho, pois o jogo foi amarrado. A proposta alvirrubra era utilizar a velocidade do ataque, em contragolpes armados por Bruno Mota.

Série B 2017, 19ª rodada: Náutico x Luverdense. Foto: João de Andrade Neto/DP

Não por acaso, o time mato-grossense teve a posse de bola, com 63%, segundo o Footstats. Ao desarmar o adversário, o timbu tentava explorar a ligação rápida, na maioria das vezes em lançamentos – e foram 38, dos quais apenas 11 corretos. Após o primeiro tempo em branco, com Erick perdendo um gol embaixo da barra, o segundo tempo foi facilitado pela expulsão (justa) do volante Ricardo. No 11 x 10, o Náutico ganhou campo, apesar da afobação compreensível para quem vem tão mal na competição.

Jogando mais próximo à área, acabou forçando o erro do visitante, conseguindo um pênalti aos 17 minutos. Nada de Anselmo (já desligado) ou Gilmar, que haviam desperdiçado cobranças neste Brasileiro. Coube a Erick a responsabilidade. E guardou, chegando a 9 gols em sua primeira temporada como profissional, com 37 jogos disputados. A partir daí, era segurar a vantagem, primordial para manter o objetivo de permanência no returno.

Série B 2017, 19ª rodada: Náutico 1 x 0 Luverdense. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Roberto Fernandes, o 5º treinador do Náutico em 2017, o 5º perfil diferente

Os 5 técnicos do Náutico em 2017. Fotos: Diario de Pernambuco

Pela 4ª vez em uma década Roberto Fernandes assume o comando do Náutico. O técnico já esteve em diferentes momentos do clube, com destaque para a estreia, em 2007, com uma recuperação sensacional no returno do Brasileirão, evitando a queda. Repetiria isso em 2008 e ainda voltaria em outras oportunidades, mas sem o mesmo rendimento. Agora, um encontro em baixa, tanto do técnico, que estava no Confiança de Sergipe, quanto do próprio Náutico, com o rebaixamento à Série C se aproximando.

Com a missão bem indigesta, para não dizer inglória, o treinador de 46 anos deve chegar focado em arrumar a casa para 2018, quando o time deverá ter a volta do estádio dos Aflitos, no segundo semestre, além de uma temporada nacional mais escassa em termos de direitos de transmissão. Sendo o 5º técnico timbu em 2017, Roberto Fernandes terá 20 jogos até o fim do ano, já descontando a partida comandada pelo eterno interino Levi Gomes.

Se essa visão de reorganização já havia sido aplicada ao antecessor, Beto Campos, por qual motivo seria diferente agora? Resta torcer pelo bom senso em Rosa e Silva, cuja pressão vem findando trabalhos de apenas 10 jogos…

Roberto Fernandes (2007, 2008/2009 e 2010/2011; apto. de 53,2%)
104 jogos
47 vitórias
25 empates
32 derrotas

Os técnicos anteriores do alvirrubro em 2017:

Dado Cavcalcanti (7 jogos no PE, NE e Copa do Brasil; apto. de 33,3%)
2 vitórias
1 empate
4 derrotas

Foi a aposta para a montagem do elenco. Apesar das indicações, não conseguiu encaixar o time, sem transição durante a rápida passagem.

Milton Cruz (12 jogos no PE e NE; apto. 52,7%)
5 vitórias
4 empates
3 derrotas 

Taticamente, foi o melhor nome do ano e os resultados deixam isso claro. Mostrou-se competitivo na semifinal estadual, com um time veloz.

Waldemar Lemos (8 jogos no PE e Série B; apto. de 12,5%)
0 vitória
3 empates
5 derrotas 

Trabalha mais o lado psicológico da equipe, servindo quase sempre como bombeiro. Taticamente, pouco apresenta, além das improvisações.

Beto Campos (9 jogos na Série B. apto. de 22,2%)
1 vitória
3 empates
5 derrotas

Campeão gaúcho, chegou como indicação para remontar a defesa, o setor mais criticado do time. Até melhorou um pouco, mas mexeu mal no ataque.

Dorme no G4 e acorda para secar

Série B 2011: Sport 4 x 0 Americana. Foto: Ricardo Fernandes/Diario de Pernambuco

Nos primeiros instantes, um duelo até certo ponto amarrado.

O Sport errava muitos passes, chutava de qualquer maneira.

Estava visivelmente afobado, tenso.

A três rodadas do fim da Série B do Brasileiro, obrigado a vencer em casa, realmente não deveria estar sendo fácil lidar com aquela pressão interna, por mais que a torcida estivesse, enfim, a favor.

Após cerca de 20 minutos, os rubro-negros, então, acertaram o passe.

Passaram a concluir as jogadas com mais objetividade…

E o primeiro tempo do confronto contra a Americana, na noite desta sexta-feira, na Ilha do Retiro, se transformou numa atuação incrível, com uma avalanche de gols.

Marcelinho Paraíba, num golaço por cobertura, aos 25.

Gabriel, de cabeça após escanteio pelo lado direito, aos 36.

Wellington Saci, em uma bela cobrança de falta, aos 40.

Marcelinho Paraíba, novamente, bateu forte e fez o quarto gol, aos 44.

A vitória sobre a equipe de Roberto Fernandes, um jogo-chave, estava selada, 4 x 0.

Desde já, na Ilha, na etapa complementar, a figa para a secação no sábado…

Aos trancos e barrancos, o Leão de Mazola chegou aos G4. Vai ter um sono bom.

Mas, ao acordar no sábado, a dura realidade. Vale a “secada”, vale o sonho…

Série B 2011: Sport 4 x 0 Americana. Foto: Ricardo Fernandes/Diario de Pernambuco

Semifinal PE2011: Náutico x Sport

Pernambucano 2011: Sport 1 x 1 Náutico. Foto: Helder Tavares/Diario de Pernambuco

Mote principal da disputa pelo hexacampeonato em 2011, o Clássico dos Clássicos tinha tudo para ser a decisão do Estadual, devido ao investimento milionário da dupla.

Folhas: R$ 1,2 milhão para os rubro-negros e R$ 800 mil para os alvirrubros.

NáuticoSportChegou a hora! O ano de 1968 está em jogo.

O Náutico, líder, encara o arquirrival que não venceu um clássico sequer. Foram três derrotas e um empate nos clássicos para os leoninos. Agora, é bom lembrar, o regulamento do mata-mata será o mesmo adotado na Copa do Brasil.

O choque vai acontecer na semifinal. Primeiro na Ilha do Retiro, em 24 de abril, e depois nos Aflitos, no dia 1º de maio. Dois domingos que vão parar o Recife!

Confronto de 180 minutos envolvendo uma equipe que ainda busca a sua melhor formação, sem brilho algum durante a competição, e um time que já mostrou o seu potencial, tanto para o bem quanto para o mal. Algum favorito? Não.

Em 5 maio do ano passado o blog publicou o post “A 4 jogos do hexa” (veja AQUI).

O texto segue como uma verdade. Porém, para o Náutico serão apenas dois…

Timbu: 47 pontos, 14 vitórias, 5 empates e 3 derrotas, 48 GP, 25 GC. Apt: 71,2%.
Leão: 37 pontos, 11 vitórias, 4 empates e 7 derrotas, 29 GP, 20 GC. Apt: 56,0%.

Qual é a sua opinião sobre este embate, valendo uma vaga na final do PE2011?

Náutico x Sport
390 jogos no Estadual
151 vitórias do Sport (540 gols)
130 vitórias do Náutico (498 gols)
109 empates

Últimos cincos jogos
18/04/10 – Náutico 2 x 0 Sport
02/05/10 – Náutico 3 x 2 Sport
05/05/10 – Sport 1 x 0 Náutico
13/02/11 – Sport 1 x 1 Náutico (foto 1)
17/04/11 – Náutico 1 x 0 Sport (foto 2)

Pernambucano 2011: Náutico 1x0 Sport. Foto: Edvaldo Rodrigues/Diario de Pernambuco

Timbu veleja para a história

Diario de Pernambuco: 13/04/2011

Último barco de Pernambuco na Copa do Brasil de 2011, o Náutico começa nesta quarta-feira uma regata que poderá virar um marco na história do clube.

Desde 1968, quando acabou a era do hexa, o Alvirrubro só alcançou as quartas de final nas turvas águas nacionais em apenas três oportunidades.

Todas na terra firme das grandes embarcações.

Em 1984, na Série A, atracou em 6º. No embalo, os ventos trouxeram o título estadual.

Depois, em 1990, chegou a ver o porto no fim do horizonte, em plena semifinal da Copa do Brasil, mas acabou afundado pelo Clube de Regatas Flamengo, um gigante na navegação. Na última vez, em 2007, na mesma rota da Copa, um 5º lugar.

Portanto, o choque contra o tradicional almirante Vasco da Gama poderá colocar o Timbu entre os oito melhores em um torneio de elite.

No leme, um carioca de 112 anos e um recifense de 110.

Largando em casa, o agora capitão Roberto Fernandes pode colocar o seu nome entre os grandes comandantes da nau timbu. As velas estão içadas, os canhões armados…

Do Capibaribe até a Guanabara.

Após o sinal, fogo!

Análise da semifinal 2011 – Náutico

Náutico 2011: Eduardo Ramos e Ricardo Xavier. Foto: Paulo Paiva/Diario de Pernambuco

Investimento pesado, com o objetivo de evitar o hexa do rival rubro-negro: R$ 800 mil mensais. Com a permanência do técnico Roberto Fernandes, a diretoria alvirrubra aposta na identificação com a torcida, algo que deu certo em 2001, iniciando a “era Muricy”.

Com a união de dirigentes do Náutico para bancar parte da folha, reforços de qualidade chegaram, como Eduardo Ramos, Derley e Ricardo Xavier. Outros, de destaque, permaneceram, como Bruno Meneghel. Rapidamente, o Timbu encaixou o time, que chegou a ficar 11 jogos sem perder.

Nos Aflitos, o time segue invicto e vale lembrar que as 3 derrotas aconteceram com o time reserva. Com a formação principal, o time joga muito rápido, eventualmente com até três atacantes, buscando opções pelos lados dos campos, na mesma intensidade.

Destaque
Eduardo Ramos, candidato a “bi”. Craque do Estadual de 2010, pelo Sport, o meia conhecido outrora pelo extracampo parece ter tomado rumo nos Aflitos. Com qualidade indiscutível no passe e na armação de jogadas – além dos gols -, Eduardo Ramos ganhou a camisa 10 e vem fazendo a diferença.

A aposta
O centroavante Ricardo Xavier aproveitou bem o ritmo mais lento de Bruno Meneghle neste ano. Aproveitou bem o espaço e vem marcando muitos gols. Já tem 9, dois deles belíssimos, contra Cabense (cobertura) e Sport (voleio). Puxa bastante a marcação e abre espaços para rápido ataque timbu.

Ponto fraco
A defesa. Sofreu 25 gols em 21 jogos (média de 1,19), a segunda pior entre os semifinalistas. Roberto Fernandes testou várias opções, num verdadeiro rodízio, mas nenhuma delas emplacou de vez. Apenas o grandalhão Everton Luiz ganhou plena confiança até o momento.