A voz do torcedor sobre o Pernambucano de 2018: pontos corridos ou mata-mata?

Site "A Voz do Torcedor", sobre sugestões para o Pernambucano 2018. Crédito: FPF/reprodução

O torcedor pernambucano poderá sugerir o formato do campeonato estadual de 2018. O blog já havia antecipado a possibilidade, confirmada com o lançamento do site especial vozdotorcedor.com.br.

“A FPF abre um canal exclusivo para dar voz ao torcedor. Uma janela virtual para que o torcedor, de forma livre e democrática, contribua com a sua opinião para um Campeonato Pernambucano forte. É possível participar desde a indicação de uma fórmula para o campeonato até a opinião de quais pontos são fundamentais para que o torcedor esteja motivado a comparecer aos jogos no estádio. As sugestões serão apresentadas ao Conselho Arbitral.”

As respostas podem ser enviadas até 20 de agosto. Após o cadastro com idade, gênero e clube do coração, o torcedor responde imediatamente sobre a melhor fórmula: pontos corridos ou mata-mata. Pois é. Em tese, o campeonato pode deixar de ter uma final garantida após oito edições consecutivas.

Há um mês, a FPF anunciou que o Estadual de 2018 teria 11 times, subindo só um da segundona. Segundo o novo site, as 12 equipes seriam mantidas.

Nos pontos corridos, com 11 rodadas (supostamente), leva quem somar mais pontos. Entre 2004 e 2010, a competição ocorreu de forma parecida, com pontos corridos nos turnos. Porém, em caso de igualdade o regulamento previa jogos extras. Pelo novo questionário, o desempate seguiria o formato tradicional (vitórias, saldo, gols marcados, confronto direto e sorteio).

Caso o torcedor opte pelo mata-mata, é preciso responder duas perguntas.

Quantos grupos na primeira fase?
1 (12 times)
2 (6 times)
3 (4 times)
4 (3 times) 

Quantos jogos de mata-mata?
Quartas de final, semifinal e final
Semifinal e final (formato em vigor desde 2010)
Apenas final

O projeto foi apresentado na sede da FPF durante a primeira reunião para a formatação do torneio, com a presença de dirigentes e de jornalistas. Qual seria a sua sugestão para o Campeonato Pernambucano de 2018? Comente.

Abaixo, à parte do questionário da FPF, uma enquete sobre o formato…

Qual a sua fórmula ideal para o Campeonato Pernambucano de 2018?

View Results

Loading ... Loading ...

Reunião na sede da FPF para debater o formato do Pernambucano 2018. Foto: FPF/twitter (@fpfpe)

As possíveis vagas pernambucanas no Nordestão de 2018. Do campeão ao 6º

Sorteio da Copa do Nordeste. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A notícia sobre a desfiliação de Sport e Náutico na Copa do Nordeste pode mudar bastante a composição pernambucana na competição. Por sinal, paralelamente ao anúncio houve o sorteio da fase preliminar do regional, na CBF, com Santa x Itabaiana valendo um lugar na fase principal do torneio. À parte de possíveis adesões ao movimento de saída idealizado pelos clubes do Recife, veja os quatro cenários locais para o regional de 2018. Até porque, independentemente da escolha dos filiados, a FPF tem direito a três vagas.

Em todos os cenários, apenas um clube estaria garantido: o Salgueiro.

Sport e Náutico fora
Os dois clubes formalizaram o pedido de desfiliação da Liga do Nordeste em 30 de junho, último dia do prazo para desistências do Nordestão 2018. A CBF ainda irá consultar os clubes sobre o ato. Na prática, apenas a saída do Sport mudaria a composição local.

Fase de grupos: Salgueiro (vice no PE) e Santa Cruz (3º no PE)
Pré: Belo Jardim (5º no PE)

Sport fora, Náutico dentro
O presidente leonino, Arnaldo Barros, afirmou que desfiliação significa a saída do leão do torneio no “modelo atual”. No caso alvirrubro, a decisão foi tomada pelo presidente executivo, Ivan Brondi. Contudo, o conselho deliberativo do timbu entende que o ato também deveria ter a aprovação do órgão. Impasse.

Fase de grupos: Salgueiro (vice em PE) e Santa Cruz (3º no PE)
Pré: Náutico (4º no PE)

Sport, Náutico e Santa fora
Na coletiva, com dirigentes rubro-negros e alvirrubros, foi dito que o Santa havia solicitado à CBF a retirada de seu nome do sorteio da fase Pré – o que não ocorreu. Em nota oficial, o tricolor informou que ainda irá submeter a ideia de desfiliação da liga ao conselho (sem data). Ao considerar esta hipótese, é preciso ignorar o prazo dado pela CBF para desistências (até 30/06).

Fase de grupos: Salgueiro (vice em PE) e Belo Jardim (5º no PE)
Pré: Central (6º no PE)

Sport e Náutico dentro
Caso a desfiliação não seja suficiente – juridicamente falando – para a saída da próxima Lampions League, as três vagas locais seguiriam com o pódio do último Campeonato Pernambucano. E o timbu seguiria fora.

Fase de grupos: Sport (campeão em PE) e Salgueiro (vice no PE)
Pré: Santa Cruz (3º no PE)

Sport lidera o público do Estadual 2017, o segundo mais esvaziado em 28 anos

Pernambucano 2017, final: Sport 1x1 Salgueiro. Imagem: Rede Globo/reprodução

Na década atual, o campeão pernambucano sempre teve como característica a liderança conjunta no ranking de público. Foi assim com o Santa Cruz em 5 oportunidades e com o Sport em 2, a última agora em 2017, já marcada como a segunda edição mais esvaziada desde que a FPF passou a contabilizar a presença média de torcedores na competição, em 1990. Caiu pelo terceiro ano seguido, chegando a 2.402 pessoas. Em termos absolutos não teve jeito. Com 209 mil espectadores, entre pagantes e não pagantes, foi a pior edição.

Para se ter uma ideia, o índice leonino não chegou nem a 10 mil pessoas, sendo a primeira vez entre os dados levantados pelo blog, a partir de 2005 (gráfico abaixo). Até porque jogou 6 vezes com formações reservas. Não por acaso, o seu maior público (e também do Pernambucano) foi bem modesto, com 22 mil torcedores no jogo de ida da final. E a grande decisão, no Sertão, acabou sendo a de público mais baixo que se tem notícia no futebol local: 5.544 torcedores. Além da capacidade reduzida do Cornélio, pesou, bastante, a desorganização do torneio, com seguidas mudanças de data.

Naturalmente, a arrecadação seguiu a mesma curva descendente. E o dado geral assusta. Em 87 jogos com borderô, pois 8 partidas sequer puderam ter público devido à falta de laudos técnicos, a bilheteria foi de R$ 2,4 milhões, com queda de 43% em relação a 2016, com R$ 4,7 mi ao todo. Com direito a 8% de todas rendas, a FPF ficou com R$ 213 mil.

Os números de público e renda do Campeonato Pernambucano de 2017…

Os 5 maiores públicos
22.757 – Sport 1 x 1 Salgueiro (Ilha do Retiro, 06/05)
22.056 – Santa Cruz 1 x 0 Salgueiro (Arruda, 15/04)
19.541 – Náutico 1 x 1 Sport (Arena, 23/04)
15.082 – Sport 3 x 2 Náutico (Ilha do Retiro,16/04)
12.408 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (Arruda, 18/02)

1º) Sport (7 jogos como mandante, na Ilha do Retiro)
Público: 62.428 torcedores
Média de 8.918 
Renda: R$ 1.102.285
Média de R$ 157.469 

2º) Santa Cruz (7 jogos como mandante, no Arruda)
Público: 53.299 torcedores
Média de 7.614
Renda: R$ 466.550
Média de R$ 66.650 

3º) Náutico (7 jogos como mandante, na Arena Pernambuco)
Público: 37.420 torcedores
Média de 5.345 
Renda: R$ 525.390
Média de R$ 75.055 

4º) Salgueiro (10 jogos como mandante, no Cornélio de Barros)
Público: 29.697 torcedores
Média de 2.969 
Renda: R$ 295.980 
Média de R$ 29.598 

5º) Central (8 jogos como mandante; 3 no Antônio Inácio, 2 no Lacerdão, 1 na Arena, 1 no Carneirão e 1 no Arruda)
Público: 8.573 torcedores
Média de 1.071  
Renda: R$ 116.750  
Média de R$ 14.593  

6º) Belo Jardim (8 jogos como mandante; 5 no Antônio Inácio, 2 no Arruda e 1 na Arena)
Público: 3.572 torcedores
Média de 446 
Renda: R$ 26.522 
Média de R$ 3.315 

Geral – 87* jogos (1ª fase, hexagonais e mata-mata)
Público total: 209.059 
Média: 2.402 pessoas
Arrecadação: R$ 2.673.367 
Média: R$ 30.728 
* Mais 8 jogos ocorreram de portões fechados 

Fase principal – 38 jogos (hexagonal do título e mata-mata)
Público total: 182.724 
Média: 4.808 pessoas
Arrecadação total: R$ 2.444.211 
Média: R$ 64.321 

O ranking de pontos do Campeonato Pernambucano, de 1915 a 2017

O Campeonato Pernambucano de 2017 teve 95 partidas, com doze clubes envolvidos na disputa. Esses dados alimentaram o ranking histórico de pontos, num levantamento a partir da pesquisa de Carlos Celso Cordeiro. O seu legado se mantém e aqui o blog atualiza a tabela (abaixo), com o Sport na liderança absoluta, com 196 pontos a mais que o rival Santa. Em relação à edição de 2017, o destaque fica com o Salgueiro, apesar do vice. O carcará foi, disparado, o clube que mais pontuou no torneio, pois liderou tanto o hexagonal do título quanto a primeira fase, que não contou com os grandes clubes da capital. Ao todo, jogou 20 vezes, com 13 vitórias, 4 empates e apenas 3 derrotas. Pulou do 14º para o 12º lugar. Está a 28 pontos do top ten.

Sobre o ranking de títulos do futebol local, clique aqui.

O blog tomou a liberdade de padronizar a pontuação e estabelecer algumas ressalvas entre os 64 clubes que já disputaram ao menos um certame local – o Afogados foi estreante nesta temporada, já aparecendo em 53º na lista.

1) Três pontos por vitória. Oficialmente, o critério só foi introduzido no Estadual de 1995. Porém, para um levantamento geral, isso acabava resultando numa distorção (para baixo) nos clubes com triunfos obtidos antes desse período.

2) Um ponto por empate. O critério pode até parecer lógico – já era assim na pioneira competição de 1915 -, porém, em alguns anos, como 1998, o empate com gols valeu dois pontos e o empate sem gols, um.

3) Clubes que mudaram de nome/escudo/uniforme, mas, oficialmente, mantiveram o registro de fundação, são considerados pela FPF como a mesma agremiação. Idem na lista. No ranking, valeu o último nome utilizado (no fim, como curiosidade, as campanhas de cada denominação).

Ferroviário do Recife: Great Western e Ferroviário (R)
Atlético Caruaru: Esporte Caruaru e Atlético Caruaru
Manchete: Santo Amaro, Casa Caiada, Recife e Manchete 

4) No caso de clubes de um mesmo município com características bem semelhantes (padrão, nome e/ou escudo), mas que foram inscritos (legalmente) como agremiações distintas, valeram as campanhas separadas.

Do Cabo de Santo Agostinho:
Destilaria (1992-1995)
Cabense (1996-2011) 

De Vitória de Santo Antão:
Desportiva Pitu (1974)
Desportiva Vitória (1991-2006)
Acadêmica Vitória (2009-2016).

5) Em 1915, a Colligação SR jogaria 5 vezes, mas só foi a campo 2, levando o W.O. em três oportunidades. Em ação, perdeu de Santa (1 x 0) e Flamengo do Recife (3 x 0). Por isso, tem menos gols sofridos (4) que derrotas (5)!

6) As fase preliminares e hexagonais da permanência foram contabilizados com o mesmo peso das fases principais. 

O ranking de pontos do Campeonato Pernambucano, de 1915 a 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Antes do mata-mata, Estadual registra 112 mil torcedores e renda de R$ 1,1 milhão

Pernambucano 2017, 10ª rodada: Santa Cruz 1x2 Náutico. Foto: Rafael Brasileiro/DP

Após 91% da tabela programada, ou 87 de 95 jogos, o Campeonato Pernambucano de 2017 registra uma média de 1,4 mil pessoas. Baixíssima, com apenas duas partidas acima de dez mil espectadores. Após mais um clássico esvaziado, desta vez com 5.055 espectadores, para Santa 1 x 2 Náutico, a competição finalmente chega à hora da verdade. Serão oito jogos decisivos, com quatro nas semifinais, dois na disputa de terceiro lugar e dois na final. É a chance concreta para evitar a pior média de público da história, desde que a federação passou a contabilizar o dado oficial, há 27 anos.

Para não ficar atrás da edição de 1997, que encerrou com 2.080 testemunhas, é preciso somar ao menos 68.081 pessoas nos jogos restantes – com isso, alcançaria 2.081. Com o torneio à vera, é até provável que se estabeleça o necessário índice de 8.510 no período. Entretanto, o quadro mostra que a maior parte da competição segue pouco atrativa. Em relação à arrecadação, também aquém, a FPF tem direito a 8% da renda bruta de todos os jogos. Logo, do apurado de R$ 1,1 milhão, a federação já arrecadou R$ 91.704.

Os 5 maiores públicos no Pernambucano 2017
12.408 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (Arruda, 18/02)
10.221 – Sport 1 x 1 Santa Cruz (Ilha, 26/03)
6.419 – Náutico 2 x 1 Sport (Arena, 05/03)
5.055 – Santa Cruz 1 x 2 Náutico (Arruda, 10/04) 
5.015 – Santa Cruz 1 x 2 Salgueiro (Arruda, 02/03)

Dados até a 10ª rodada do hexagonal do título e a 10ª rodada da permanência:

1º) Santa Cruz (5 jogos como mandante, no Arruda)
Público: 27.856 torcedores
Média de 5.571
Renda: R$ 248.840
Média de R$ 49.768  

2º) Sport (5 jogos como mandante, na Ilha do Retiro)
Público: 24.589 torcedores
Média de 4.917 
Renda: R$ 311.325
Média de R$ 62.265 

3º) Náutico (5 jogos como mandante, na Arena Pernambuco)
Público: 15.287 torcedores
Média de 3.057 
Renda: R$ 226.010
Média de R$ 45.202 

4º) Salgueiro (8 jogos como mandante, no Cornélio de Barros)
Público: 19.019 torcedores
Média de 2.377  
Renda: R$ 76.974  
Média de R$ 9.621   

5º) Central (8 jogos como mandante; 3 no Antônio Inácio, 2 no Lacerdão, 1 na Arena, 1 no Carneirão e 1 no Arruda)
Público: 8.573 torcedores
Média de 1.071  
Renda: R$ 116.750  
Média de R$ 14.593  

6º) Belo Jardim (8 jogos como mandante; 5 no Antônio Inácio, 2 no Arruda e 1 na Arena)
Público: 3.572 torcedores
Média de 446 
Renda: R$ 26.522 
Média de R$ 3.315 

Geral – 79* jogos (1ª fase, hexagonal do título e hexagonal da permanência)
Público total: 112.966 
Média: 1.429 pessoas
Arrecadação: R$ 1.146.311  
Média: R$ 14.510  
* Mais 8 jogos ocorreram de portões fechados 

Fase principal – 30 jogos (hexagonal do título e mata-mata)
Público total: 86.631 
Média: 2.887 pessoas
Arrecadação total: R$ 917.155  
Média: R$ 30.571  

Ranking dos pênaltis e das expulsões (10)

Pernambucano 2017, 10ª rodada: Central 1 x 3 Sport. Crédito: Rede Globo/reprodução

Na última atualização das listas levantadas pelo blog, com pênaltis e expulsões no Estadual 2017, o Sport tomou a dianteira no ranking de pênaltis a favor. Na 10ª rodada, o rubro-negro teve uma penalidade marcada (e convertida por Lenis) no último lance do jogo contra o Central, no Arruda. Terminou o ranking com quatro marcações, embora tenha desperdiçado duas.

A situação mais curiosa foi a do Salgueiro, que não viu um pênalti sequer em seus jogos. Nem a favor nem contra. Apesar da “participação insossa” do Carcará neste contexto, este hexagonal foi o recordista em penalidades assinaladas, com cinco a mais que o recorde anterior. Lembrando que o blog só enumera as marcações na fase principal (turno ou hexagonal).

Hexagonal
2014 – 6 pênaltis e 6 vermelhos
2015 – 7 pênaltis e 11 vermelhos
2016 – 9 pênaltis e 11 vermelhos
2017 – 14 pênaltis e 7 vermelhos

Vamos à atualização das duas listas levantadas pelo blog após 30 jogos.

Pênaltis a favor (14)
4 pênaltis – Sport (desperdiçou 2)
3 pênaltis – Santa Cruz (desperdiçou 1) e Náutico (desperdiçou 1)

2 pênaltis – Belo Jardim e Central
Sem penalidade – Salgueiro

Pênaltis cometidos (14)
5 pênaltis – Belo Jardim (defendeu 1) e Central (defendeu 1)
2 pênaltis – Santa Cruz 
1 pênalti – Náutico (defendeu 1) e Sport

Sem penalidade – Salgueiro

Cartões vermelhos (7)
1º) Salgueiro – 2 adversários expulsos; 1 vermelho
2º) Sport e Náutico – 2 adversários expulsos; 1 vermelho

4º) Santa Cruz – 1 adversário expulso, 2 vermelhos
5º) Central e Belo Jardim – nenhum adversário expulso; 1 vermelho  

Confira os rankings anteriores, de 2009 a 2016, clicando aqui.

Resumo da 10ª rodada do Pernambucano

Pernambucano 2017, 10ª rodada: Santa Cruz x Náutico, Central 1x3 Sport e Salgueiro 3x1 Belo Jardim: Crédito: Ricardo Fernandes/DP (clássico), Williams Aguiar/Sport Club do Recife e Rede Globo/reprodução

O G4 do hexagonal do Campeonato Pernambucano foi o mesmo da 1ª até a 10ª rodada. Desde a 8ª a composição já estava confirmada para a semifinal, restando o emparelhamento do mata-mata. Numa rodada final desmembrada, em mais uma ação questionável da FPF, a fase classificatória só acabou na noite de segunda-feira, num jogo isolado. Diante de apenas 5.055 pessoas no Arruda, o Timbu venceu mais um clássico, o terceiro no ano. Surpreendeu a escolha? Quanto ao derrotado Santa, vai mais uma vez ao interior, como em 2011 (Porto), 2012 (Salgueiro) e 2015 (Central). Sempre passou.

Nos 30 jogos realizados esta fase do #PE2017 saíram 79 gols, com média de 2,63. Em relação à artilharia, com a FPF considerando os dados do hexagonal e do mata-mata, Éverton Santos (Santa) lidera com 5 gols.

As semifinais do Pernambucano: Salgueiro x Santa Cruz e Náutico x Sport .

Central 1 x 3 Sport – O time reserva do leão não fez uma boa apresentação. Ainda assim, venceu, com três gols de atacantes (Juninho, Leandro e Lenis).

Salgueiro 3 x 1 Belo Jardim – De virada, o misto do Carcará chegou a sete vitórias no hexagonal, em sua melhor campanha no formato. Líder disparado

Santa Cruz 1 x 2 Náutico – Na segunda, o clássico definiu o emparelhamento do Estadual. O tricolor teve volume de jogo, mas o timbu foi mais organizado.

Destaque: Erick. O atacante timbu marcou o 3º gol em clássicos no Estadual. E ainda sofreu o pênalti. Aos 19 anos, já é a revelação do torneio.

Carcaça: Pitbull. Desta vez, o centroavante coral decepcionou. Se no Nordestão esteve isolado, no clássico se apresentou pouco na partida.

Tabela das semifinais:
Ida
15/04 (18h30) – Santa Cruz x Salgueiro, Arruda (Premiere)
16/04 (16h00) – Sport x Náutico, Ilha do Retiro (Globo)

Volta
22/04 (19h00) – Salgueiro x Santa Cruz, Cornélio de Barros (Premiere)
23/04 (16h00) – Náutico x Sport, Arena Pernambuco (Globo)

Obs. No mata-mata não há vantagem para a melhor campanha (a não ser o segundo jogo em casa). Logo, nada de resultados iguais ou gol qualificado.

A classificação final do hexagonal do título do Estadual de 2017

A classificação do hexagonal do título do Pernambucano 2017 após 10 rodadas: Crédito: Superesportes

Com 88% dos jogos realizados, Estadual de 2017 tem média de 1.369 torcedores

Pernambucano 2017, 9ª rodada: Náutico 5 x 0 Central. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Após 84 das 95 partidas programadas para o Campeonato Pernambucano de 2017, a média de público segue a pior desde que a federação passou a contabilizar o dado oficial, há 27 anos. E olhe que a última rodada contou até com uma rodada dupla na Arena Pernambuco, algo inédito no empreendimento. Porém, os dois jogos, Náutico 5 x 0 Central e Belo Jardim 0 x 4 Santa, atraíram apenas 1.370 pessoas – com o visual (acima) indicando bem menos. Para a contagem média dos clubes, o timbu e o calango somaram o dado bruto, tanto de público quanto de renda. Já para aferição da competição, através do blog, o borderô da quarta-feira foi dividido por dois.

Hoje, o índice é de assistência é de 1.369 espectadores. Para não ficar atrás da edição de 1997, que encerrou com 2.080, é preciso somar ao menos 76.931 pessoas nos 11 jogos restantes, sendo oito em mata-matas – com isso, alcançaria 2.081. Com a fase final, é possível, ainda que por pouco. Em relação à arrecadação, a FPF tem direito a 8% da renda bruta de todos os jogos. Logo, do apurado de R$ 1,1 milhão, a federação já arrecadou R$ 89.600.

Os 5 maiores públicos no Pernambucano 2017
12.408 – Santa Cruz 1 x 1 Sport (Arruda, 18/02)
10.221 – Sport 1 x 1 Santa Cruz (Ilha, 26/03)
6.419 – Náutico 2 x 1 Sport (Arena, 05/03)
5.015 – Santa Cruz 1 x 2 Salgueiro (Arruda, 02/03)
4.902 – Sport 2 x 2 Salgueiro (Ilha, 03/04)

Dados até a 9ª rodada do hexagonal do título e a 10ª rodada da permanência:

1º) Santa Cruz (4 jogos como mandante, no Arruda)
Público: 22.801 torcedores
Média de 5.700
Renda: R$ 225.130
Média de R$ 56.282 

2º) Sport (5 jogos como mandante, na Ilha do Retiro)
Público: 24.589 torcedores
Média de 4.917 
Renda: R$ 311.325
Média de R$ 62.265 

3º) Náutico (5 jogos como mandante, na Arena Pernambuco)
Público: 15.287 torcedores
Média de 3.057 
Renda: R$ 226.010
Média de R$ 45.202 

4º) Salgueiro (7 jogos como mandante, no Cornélio de Barros)
Público: 15.840 torcedores
Média de 2.262 
Renda: R$ 76.671 
Média de R$ 10.953  

5º) Central (7 jogos como mandante; 3 no Antônio Inácio, 2 no Lacerdão, 1 na Arena e 1 no Carneirão)
Público: 7.957 torcedores
Média de 1.136 
Renda: R$ 114.460 
Média de R$ 16.351 

6º) Belo Jardim (8 jogos como mandante; 5 no Antônio Inácio e 2 no Arruda)
Público: 3.572 torcedores
Média de 446 
Renda: R$ 26.522 
Média de R$ 3.315 

Geral – 76* jogos (1ª fase, hexagonal do título e hexagonal da permanência)
Público total: 104.116 
Média: 1.369 pessoas
Arrecadação: R$ 1.120.008 
Média: R$ 14.736 
* Mais 8 jogos ocorreram de portões fechados 

Fase principal – 27 jogos (hexagonal do título e mata-mata)
Público total: 77.781 
Média: 2.880 pessoas
Arrecadação total: R$ 890.852 
Média: R$ 32.994 

Ranking dos pênaltis e das expulsões (9)

Pernambucano 2017, 9ª rodada: Belo Jardim 0 x 4 Santa Cruz. Crédito: Rede Globo/reprodução

Se a 8ª rodada não alimentou os rankings de penalidades e expulsões no hexagonal do título do Campeonato Pernambucano de 2017, a 9ª rodada voltou com força (e polêmicas)No empate entre Sport e Salgueiro, na Ilha do Retiro, o árbitro Gilberto Castro Júnior deu cartão vermelho direito ao rubro-negro Wallace, numa falta sobre Levi. O toque foi involuntário, embora o jogador sertanejo, infelizmente, tenha se machucado gravemente na queda. Fraturou a tíbia. Quanto ao árbitro, acabou afastado pela FPF.

No jogo que encerrou a rodada, entre Santa e Belo Jardim, Emerson Sobral assinalou dois pênaltis a favor dos corais (convertidos por Anderson Salles, acima, e Thomás, abaixo). O primeiro inexistente, o segundo correto. E ainda deixou de marcar mais um, numa falta clara em Julio Sheik…

Vamos à atualização das duas listas levantadas pelo blog após 27 jogos.

Pênaltis a favor (12)
3 pênaltis – Sport (desperdiçou 2) e Santa Cruz (desperdiçou 1)
2 pênaltis – Náutico, Belo Jardim e Central
Sem penalidade – Salgueiro

Pênaltis cometidos (12)
5 pênaltis – Belo Jardim (defendeu 1)
4 pênaltis – Central (defendeu 1)
1 pênalti – Santa Cruz, Náutico (defendeu 1) e Sport

Sem penalidade – Salgueiro

Cartões vermelhos (7)
1º) Salgueiro – 2 adversários expulsos; 1 vermelho
2º) Sport e Náutico – 2 adversários expulsos; 1 vermelho

4º) Santa Cruz – 1 adversário expulso, 2 vermelhos
5º) Central e Belo Jardim – nenhum adversário expulso; 1 vermelho  

Confira os rankings anteriores, de 2009 a 2016, clicando aqui.

Pernambucano 2017, 9ª rodada: Belo Jardim 0 x 4 Santa Cruz. Crédito: Rede Globo/reprodução

Resumo da 9ª rodada do Pernambucano

Pernambucano 2017, 9ª rodada: Sport 2 x 2 Salgueiro, Náutico 5 x 0 Central e Belo Jardim 0 x 1 Santa Cruz. Fotos: Ricardo Fernandes/DP

Com o G4 do Estadual definido desde a rodada passada, a 9ª rodada só serviu para embaralhar o mata-mata. Com o empate na Ilha, o Sport caiu para a 4ª colocação, sendo hoje o adversário do próprio Salgueiro, já assegurado como líder do hexagonal. Com isso, o Clássico das Emoções ficaria na outra chave – curiosamente, alvirrubros e tricolores jogaram na quarta na Arena, mas numa inédita rodada dupla. Com o esdrúxulo desmembramento da rodada final, pode ocorrer uma situação curiosa. Se o rubro-negro não ganhar do combalido time do Central, no domingo, as semifinais já serão definidas antes do desfecho – com a ordem atual dos confrontos. Assim, o clássico na segunda-feira serviria apenas para definir o mando de campo

Nos 27 jogos realizados esta fase do #PE2017 saíram 68 gols, com média de 2,51. Em relação à artilharia, com a FPF considerando os dados do hexagonal e do mata-mata, o tricolor Éverton Santos é o novo líder, com 4 gols.

Hoje, as semifinais seriam Salgueiro x Sport e Santa Cruz x Náutico

Sport 2 x 2 Salgueiro – O leão utilizou apenas os juniores. Chegou a virar o jogo, mas o líder deixou o Recife com mais um pontinho na conta.

Náutico 5 x 0 Central – Diante de um adversário frágil, o alvirrubro chegou à vitória na base dos cruzamentos. Foram quatro gols marcados no 2º tempo.

Belo Jardim 0 x 4 Santa Cruz – Zerando os cartões, os corais golearam o Belo Jardim num jogo insosso, mesmo com 4 gols. Foi a 2ª goleada coral.

Destaque: Marco Antônio. Um gol, uma assistência e outras finalizações com perigo. O camisa 10 se apresentou para o jogo. Papel importante no timbu

Carcaça: Gilberto Castro Jr. Uma expulsão inacreditável, em mais um erro na carreira do árbitro no futebol local. Foi pra geladeira logo após o apito final.

Próxima rodada
09/04 (16h00) – Central x Sport, Arruda (Globo)
09/04 (16h00) – Salgueiro x Belo Jardim, Cornélio de Barros
10/04 (20h30) – Santa Cruz x Náutico, Arruda (Premiere)

A classificação do hexagonal após a 9ª rodada

A classificação do hexagonal do título do Pernambucano 2017 após 9 rodadas: Crédito: Superesportes