Resumo da 3ª rodada do Pernambucano

Jogos da 3ª rodada do Estadual 2018: Náutico 3 x 0 Sport (Roberto Ramos/DP), Pesqueira 1 x 2 Vitória (Acadêmica Vitória/site oficial) e Santa Cruz x Central (Ricardo Fernandes/DP)

A 3ª rodada do Campeonato Pernambucano de 2018 foi bem movimentada, com doze gols, incluindo uma goleada no clássico, que valeu a liderança ao timbu. Por sinal, dos dez times que entraram em campo, só o favorito ($) Sport não fez gol. Outra característica desta rodada foi o G4 povoado de clubes intermediários, com os três (Central, Vitória e América) pontuando como visitantes. Já na segunda metade da tabela, a mesma situação das rodadas anteriores, com os critérios de cartões vermelhos e amarelos decidindo as posições. Portanto, Salgueiro à frente do Flamengo pelo número de vermelhos (0 x 1) e o Santa em vantagem sobre o Afogados pelo critério seguinte – ambos têm um vermelho, com o corais tendo menos amarelos (4 x 5).

Com o Fla de folga, a rodada levou apenas 10.164 torcedores aos estádios, com média de 2.032, péssima, mas ainda assim superior à rodada passada. Quanto à artilharia, Caxito (América), Thomas Anderson (Vitória), Willian Gaúcho e Wallace Pernambucano (ambos do Náutico) lideram com 2 gols.

Pesqueira 1 x 2 Vitória – O time de Vitória de Santo Antão segue invicto após três apresentações. Agora, finalmente saiu o primeiro triunfo, construído no 1T. Já o Pesqueira larga muito mal. A possibilidade de G8 evita o desespero

Salgueiro 1 x 1 América – Com 20 minutos os gols já haviam sido marcados. O Mequinha chega a 3 jogos pesados com bom (e surpreendente) desempenho, pontuando em 2. Já o atual vice atual com 2 empates

Afogados 1 x 1 Belo Jardim – A coruja teve que se contentar com mais um empate no Vianão, embora desta vez tenha reagido na partida. Já o calango chegou ao terceiro empate, se mantendo como um dos invictos

Náutico 3 x 0 Sport – Três dias após ser goleado em Caruaru, o timbu devolveu o placar no maior rival, na primeira goleada em 26 anos. A aplicação tática num intervalo tão curto surpreendeu. E foi determinante na arena

Santa Cruz 1 x 1 Central – O tricolor começou melhor, mas não suportou (outra vez) o ritmo até o fim. Já a patativa engata uma sequência de boas atuações, pontuando e se mantendo no G4, o seu objetivo

Destaque – Wallace Pernambucano. O meia de 30 anos foi escalado como centroavante e no seu primeiro clássico marcou 2 gols de ‘atacante’

Carcaça – Pedro Castro. Três atuações ruins seguidas do leonino. No clássico errou feio no 2º gol, além da recomposição, perdendo a corrida para Wallace

Próxima rodada (Santa Cruz folga)
28/01 (16h00) – Vitória x Náutico (Arena Pernambuco) – Globo
28/01 (16h00) – América x Afogados (Ademir Cunha) – FPF/internet
28/01 (16h00) – Central x Flamengo (Lacerdão)
28/01 (16h00) – Belo Jardim x Salgueiro (Joaquim de Brito)
29/01 (20h00) – Sport x Pesqueira (Ilha do Retiro) – Premiere

A classificação após 3 rodadas (verde = quartas; vermelho = descenso).

A classificação do Pernambucano 2018 após a 3ª rodada. Crédito: Superesportes

Podcast – A análise da goleada do Náutico sobre o Sport pelo Estadual

Pernambucano 2018, 3ª rodada: Náutico 3 x 0 Sport. Foto: Roberto Ramos/DP

A arrancada de Wallace Pernambucano, ganhando de Pedro Castro, no 2º gol

Desde o Estadual de 1992 o Náutico não aplicava um chocolate no Sport. Na Arena Pernambuco, no chamado ‘Clássico do Abismo’, o timbu fez 3 x 0. Num jogo de muitas nuances, de ambos os lados, o resultado derrubou com sobras o favoritismo do time rubro-negro – que ainda não convenceu nesta temporada, diga-se. Aqui, a análise do 45 Minutos, com mais de uma hora falando do jogo, dos times, dos destaques e das consequências. Ouça!

24/01 – Náutico 3 x 0 Sport (69 minutos)

No ‘Clássico do Abismo’, o Náutico se impõe e goleia o Sport após 26 anos

Pernambucano 2018, 3ª rodada: Náutico x Sport. Foto: Roberto Ramos/DP

No aquecimento da rivalidade, este capítulo foi chamado de ‘Clássico do Abismo’, contextualizando a enorme diferença entre as folhas de Náutico e Sport, cerca de 17x. R$ 3,4 milhões x R$ 200 mil, A x C. Realmente, é uma distância financeira (e, consequentemente, técnica) considerável, mas se não houver organização, entrega e foco, isso não se traduz em campo. E por mais clichê que seja, a atmosfera de um clássico importa para qualquer jogo, como provou o time alvirrubro. Vindo de um duro revés em Caruaru e remontado às pressas, o timbu construiu uma goleada com muita aplicação, com dois gols do meia Wallace Pernambucano, numa cabeçada após escanteio e num contragolpe, e outro de Tharcysio, o substituto do próprio ‘falso 9′ da noite.

O timbu não goleava o rival centenário desde 6 de dezembro de 1992. No Arruda, também pelo Estadual, o Náutico aplicou 4 x 1. Época de Paulo Leme, Bizu e Nivaldo. Desta vez, um categórico 3 x 0. Os gols no primeiro tempo não foram acaso. Embora tenha tido apenas 36% de posse, o time de Roberto Fernandes encaixou melhor as jogadas, se aproveitando da recorrente lentidão do adversário, errando fundamentos básicos. Sobre a escalação, o treinador sacou o centroavante Daniel Bueno, pouco participativo, formando um time mais pegador, com Negretti e Josa tendo boas atuações. Na frente, o improvisado Wallace foi eficiente demais. A partida ainda estava esquentando quando o Náutico abriu o placar, num escanteio cobrado por Medina, aos 11. Eram sete leoninos na área, mas o camisa 9 entrou de forma fulminante.

Pernambucano 2018, 3ª rodada: Náutico x Sport. Foto: Roberto Ramos/DP

Sem conseguir produzir uma jogada decente – abusando da bola aérea, a velha mania -, o leão acabou punido numa saída errada. Aos 40, Pedro Castro errou o passe e o contragolpe veio a galope. Num pique surpreendente, de 40 metros, Wallace ganhou do próprio volante e tocou na saída de Magrão. No intervalo, Nelsinho promoveu duas mudanças, acionando o atacante Juninho e o lateral-direito Raul Prata, tirando Thomás e Felipe Rodrigues. A melhora ocorreu num espaço curto de tempo, mas não o suficiente para achar espaço na povoada área alvirrubra, com o time consciente da vantagem. Forçando a ligação direta, o Sport não ofereceu perigo a Jefferson. Todo à frente, ainda viu o garoto Tharcysio fechar o já histórico placar na Arena Pernambuco. Se no domingo Roberto Fernandes não foi bem, no clássico ele alimentou uma estatística particular contra o Sport. São 8 jogos, 4V, 3E e 1D.

Clássico dos Clássicos na Arena Pernambuco
10 jogos (9 mandos alvirrubros e 1 rubro-negro)
4 vitórias do Náutico (40%)
2 empates (2%)
4 vitórias do Sport (40%)

116.495 torcedores nos 10 clássicos, média de 11.649

Pernambucano 2018, 3ª rodada: Náutico x Sport. Foto: Roberto Ramos/DP