Balanço dos jogadores profissionais no Nordeste, inferior a dois salários mínimos

Quadro sobre os jogadores profissionais de futebol no Nordeste em 2015 (via CBF/FPF). Arte: Infogr.am (Cassio Zirpoli)

Um levantamento da CBF sobre o Nordeste, de 2015, aponta a existência de 1.911 contratos ativos de jogadores profissionais. No futebol, de uma forma geral, se enxerga um meio de altos salários, muito acima da média do trabalhador comum. Esse contexto existe, é verdade, mas numa parcela ínfima dos atletas, como Diego Souza (R$ 250 mil) e Grafite (R$ 166 mil), destaques de Sport e Santa Cruz, por exemplo. No geral, nas divisões inferiores, nacionais e estaduais, o rendimento mensal mal passa de um salário mínimo (R$ 788).

De acordo com o dado repassado pelo diretor de competições da FPF, Murilo Falcão, apenas 200 jogadores ganham mais de R$ 1 mil na região. E essa mesma fatia é a única com contratos superiores a três meses de duração. Pois é, o restante (89,5%) ganha menos e só atua 1/4 do ano. Não por acaso, no futebol local é comum ver os mesmos nomes disputando a primeira divisão no primeiro semestre e a segunda divisão no segundo semestre, sempre em clubes pequenos. Imagine em centros menos estruturados, como Sergipe e Piauí…

Em 2014, o movimento Bom Senso FC, liderado pelos próprios jogadores, também fez um raio x da categoria, num retrato nacional. Situação parecida. Dos 20 mil atletas no boletim informativo diário (BID), 82% joga por menos de salários mínimos (na época em R$ 724), com 15% de desempregados. Dos 684 clubes listados, 583 (ou 85%) ficam inativos por seis meses. É um problema geral.

Nordeste (CBF) 
1.911 jogadores profissionais
89,5% com menos de R$ 1.000
10,5% com mais de R$ 1.000

Brasil (Bom Senso FC)
20.000 jogadores profissionais
82% com menos de dois salários mínimos (R$ 1.448)
3% com mais de dois salários mínimos  (R$ 1.448) 

Na Série A2 do Pernambucano (abaixo), o cenário fica ainda mais evidente, até por ser “Sub 23″, com a possibilidade de inscrição de no máximo quatro jogadores sem limite de idade. Naturalmente, a faixa salarial cai ainda mais.

Série A2 (Sub 23) de 2015: Barreiros 0x0 Ipojuca. Foto: FPF/site oficial

Sub 23, o novo caminho para a elite pernambucana, com e sem profissionais

Clubes do Pernambucano Sub 23 de 2014 (segunda divisão). Crédito: Cassio Zirpoli

A segunda divisão do Campeonato Pernambucano foi instituída de forma regular em 1995, tendo como primeiro campeão o Sete de Setembro de Garanhuns.

Deficitária desde sempre, a competição se manteve aos trancos e barrancos com estádios vazios, jogos ruins e tendo como único ponto a favor o acesso. A movimentação do interior era quase uma falácia, com arremedos em campo.

Demorou quase duas décadas, mas a FPF tomou uma atitude e reformulou o torneio de forma drástica, dando um sentido a mais além das vagas. A partir de agora, a segundona, a popular Série A2, passa a ser o Pernambucano Sub 23.

Os dois lugares na elite do futebol local seguem em disputa. Porém, para isso as equipes postulantes terão que seguir o mesmíssmo modelo.

Em cada jogo, os time podem inscrever 22 jogadores, com pelo menos 18 tendo no máximo 23 anos (nascidos a partir de 1992). O formato é semelhante ao da Olimpíada, mas aqui cinco nomes sequer precisam ser profissionais…

Até a conquista do título, os 15 clubes vão passar por cinco fases, sendo duas etapas em grupos e o restante em mata-mata. Acesso somado às revelações.

Elogio à parte, a federação precisa mudar outro cenário, o das arquibancadas. A segundona (“Sub 23″) começou com campos precários e vazios, como sempre.

Grupo A: Araripina, Afogados, Altinho e Petrolina.
Grupo B: Belo Jardim, Centro Limoeirense, Sete de Setembro e Timbaúba.
Grupo C: Barreiros, Ferroviário do Cabo, Jaguar e Vera Cruz.
Grupo D: Atlético/PE Íbis e Olinda.

O Decisão, que integraria a chave D, desistiu. Favoritos ao acesso?

Jogos da rodada de abertura do Pernambucano Sub 23 de 2014. Fotos: FPF/site oficial

Torcidômetro pré-transmissão do Nordestão

Torcidômetro da TV Esporte Interativo em 22/10/2013. Crédito: Facebook/reprodução

Detentor dos direitos de transmissão da Copa do Nordeste até 2022, o canal Esporte Interativo lançou uma enquete exclusiva para os clubes da região.

Em sua página no facebook, a tevê criou neste mês um “torcidômetro”, um ranking virtual para as maiores torcidas da região na maior rede social da web.

Ao todo, 101 clubes foram listados nas opções de voto.

Entre os 12 pernambucanos estão Santa Cruz (9.371), Sport (5.849), Náutico (1.520), Íbis (602), Central (469), Pesqueira (334), Salgueiro (306), Ypiranga (303), Araripina (138), Chã Grande (119), Serra Talhada (106) e Porto (102).

A liderança atual é do Bahia, com 14% dos votos. Você já participou… ?

Para votar no seu clube, clique aqui.

Camisas históricas do futebol pernambucano, do Recife ao Sertão

Colecionar camisas de futebol é o hobby de muitos torcedores. Além da camisa do próprio time, o armário costuma contar com padrões de outros clubes tradicionais, grandes ou pequenos, nacionais ou internacionais.

Mas e o que dizer de uma coleção de 120 camisas apenas com agremiações pernambucanas? Um tanto rara. Em seu perfil público no álbum Picasa, Manula Galo disponibilizou toda a coleção com uniformes de 35 times desde a década de 1980. Além dos três grandes da capital, raridades de times pequenos.

Abaixo, os uniformes em ordem da esquerda para a direita. Para conferir as camisas numa resolução maior e com as respectivas descrições, clique aqui.

AGA (2), América (3), Araripina (1), Arcoverde (1), Barreiros (1), Belo Jardim (1), Cabense (1), Carpinense (1), Central (7), Centro Limoeirense (1), Chã Grande (1) e Destilaria (2), Vitória (2).
Camisas históricas de cluebes pernambucanos. Crédito: Manula Galo/Picasa

Vitória (1), Estudantes (1), Ferroviário do Cabo (1), Flamengo de Arcoverde (1) e Íbis (5), Náutico (15).

Camisas históricas de cluebes pernambucanos. Crédito: Manula Galo/Picasa

Náutico (4), Olinda (2), Paulistano (2), Pesqueira (1), Petrolina (2), Porto (4), Primeiro de Maio (1), Recife (2) e Santa Cruz (6).

Camisas históricas de cluebes pernambucanos. Crédito: Manula Galo/Picasa

Santa Cruz (13), Salgueiro (3), Sera Talhada (1), Serrano (2), Sete de Setembro (2) e Sport (3).

Camisas históricas de cluebes pernambucanos. Crédito: Manula Galo/Picasa

Sport (20), Surubim (1), Unibol (1), Vera Cruz (1) e Ypiranga (1).

Camisas históricas de cluebes pernambucanos. Crédito: Manula Galo/Picasa

Campeonato da segunda divisão a definir

Tabela da Série A2 do Campeonato Pernambucano de 2013. Crédito: FPF

A FPF divulgou a tabela oficial da segunda divisão pernambucana de 2013.

Os 15 clubes estão divididos em três grupos. Ao todo serão dez rodadas.

As datas estão ok. Já os estádios… Mistério. Não há definição alguma.

Na Série A2 a capacidade mínima de público é de 3 mil espectadores. Não precisa sequer contar com iluminação artificial na fase inicial.

Na semifinal e na decisão do Estadual o número estipulado pela fedederação subirá para 5 mil torcedores, além da exigência de refletores. Porém, alguns times não contam com praças com as condições mínimas.

Basta ver a situação do estádio Jefferson de Freitas, em Jaboatão, a casa do Jaguar. Faltando um mês para o campeonato não existe nem grama.

De fato, os laudos técnicos dos palcos ainda vão chegar…

Confira a tabela completa clicando aqui.

Estádio Jefferson de Freitas, em Jaboatão, em julho de 2013. Foto: Washington Vaz/divulgação

Gonzagão Futebol Clube

Luiz Gonzaga no primeiro jogo do Gonzagão Futebol. Foto: arquivo pessoal

Um homem que deu voz ao Sertão, com poesia e ritmo próprio.

Se estivesse vivo, Luiz Gonzaga completaria 100 anos neste 13 de dezembro de 2012.

Sem dúvida alguma, esta é uma data especial para todos os nordestinos, que admiram esse filho ilustre de Exu, que retratou como um poucos a região.

Confira um especial sobre o centenário do Rei do Baião clicando aqui.

Espaço também para o viés futebolístco do Mestre Lula, Santa Cruz de corpo e alma. No Rio de Janeiro, onde também morou, também torceu pelo Botafogo.

Em sua discografia constam pelo menos três músicas com futebol como tema. Siri jogando bola, Hino do Batistão e Lá vai a pitomba (escute abaixo).

Em 1987, Luiz Gonzaga foi homenageado por um sobrinho, que criou um time com o seu nome em Exu, a 630 quilômetros da capital pernambucana.

O Gonzagão Futebol Clube disputou a sua primeira partida contra uma equipe de Araripina. O Seu Lua fez questão de dar o ponta pé inicial.

Aquela imagem foi o último registro de Luiz Gonzaga como torcedor.

Ele morreria em 2 de agosto de 1989. A sua história, porém, continua se propagando.

Musa do Pernambucano, fazendeira e milionária

Viviane Araújo com os uniformes de Serra Talhada, Araripina e Petrolina (em cima); Central, América e Ypiranga (embaixo)

Nos últimos dois anos, Viviane Araújo ganhou algum dinheiro desfilando na apresentação dos uniformes dos clubes pernambucanos.

Começou em 2011 com o América. Depois, partiu para o interior, com Central e Ypiranga. Nesta temporada foi a vez de Serra Talhada, Araripina e Petrolina.

Acabou convidada por times de outros estados.

Após a passagem na passarela, a modelo de 37 anos foi convidada para o reality show A Fazenda, em sua quinta edição.

Após 93 dias de confinamento, Viviane Araújo se tornou a campeã.

Teve como maior rival a também modelo Nicole Bahls, que curiosamente também passou no estado, na apresentação do padrão do Sport.

Com 84% dos votos na decisão, Viviane ganhou um prêmio de R$ 2 milhões.

Milionária, será que ela voltará a ser a musa do Campeonato Pernambucano?

Seleção do blog para o Pernambucano 2012

Votação do blog para o Troféu Lance Final 2012

Acabou nesta quarta-feira a votação na imprensa para a escolha da seleção do Campeonato Pernambucano de 2012. Acima, a seleção votada pelo blog para o Troféu Lance Final, em sua 10ª edição.

Qual é a sua para o Estadual desta temporada? Comente.

Ranking dos pênaltis e dos cartões vermelhos (22)

Um marcado pênalti na 22ª rodada do Estadual de 2012. O derradeiro pênalti no ranking foi marcado a favor do Belo Jardim, o 57º em 132 jogos. Preciso, Philco marcou novamente.

Quem sofreu? O Araripina, o time mais indisciplinado na área neste Pernambucano. Foi nada mais nada menos que a décima penalidade contra o Bode…

Assim como ocorre desde o primeiro levantamento, em 2009, o blog considera apenas a fase classificatória. No caso, as 22 rodadas.

Ou seja, o Santa ficou na liderança, pela primeira vez. Nas anteriores, o Náutico havia sido o líder de pênaltis a favor. Só em um ano o topo foi dividido, com o Araripina.

Confira as edições anteriores dos rankings: 2009, 2010 e 2011.

Em 2009 foram 48 pênaltis marcados (2,18 por rodada). O número subiu para 70 em 2010 (3,18). Em 2011 caiu para 46 (média de 2,09). Agora, um índice de 2,59.

Pênaltis a favor (57)
8 pênaltis – Santa Cruz
7 pênaltis – Porto
6 pênaltis – Serra Talhada, Petrolina e Belo Jardim
5 pênaltis – Central e América
4 pênaltis – Sport e Náutico
3 pênaltis – Araripina
2 pênaltis – Salgueiro
1 pênalti – Ypiranga

Pênaltis cometidos
10 pênaltis – Araripina
6 pênaltis – Serra Talhada, América e Porto
5 pênaltis – Belo Jardim e Central
4 pênaltis – Santa Cruz e Sport
3 pênaltis – Ypiranga, Petrolina e Salgueiro
2 pênaltis – Náutico

Observações
América defendeu 1 pênalti e perdeu 2 pênaltis
Araripina defendeu 1 pênalti e perdeu 1 pênalti
Belo Jardim defendeu 1 pênalti
Central defendeu 1 cobrança e 1 perdeu pênalti
Náutico defendeu 1 cobrança
Petrolina perdeu 1 pênalti
Porto perdeu 2 pênaltis
Santa Cruz perdeu 2 pênaltis
Serra Talhada desperdiçou 1 pênalti e defendeu 1 pênalti
Sport defendeu 2 cobranças
Ypiranga defendeu 2 cobranças

Cartões vermelhos (só para os grandes)

1º) Santa Cruz – 7 adversários expulsos; 2 jogadores receberam o vermelho
2º) Náutico – 5 adversários expulsos; 3 jogadores receberam o vermelho
3º) Sport – 4 adversários expulsos; 2 jogadores receberam o vermelho

Pernambucano em 2 linhas – 22ª/2012

Pernambucano 2012: Sport 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Helder Tavares/diario de Pernambuco

Após 22 longas rodadas, quase intermináveis, o Campeonato Pernambucano de 2012 conheceu os seus finalistas e as respectivas chaves na fase final neste domingo.

As semifinais serão Sport x Náutico e Santa Cruz x Salgueiro.

Leão, Cobra Coral, Carcará e Timbu às semifinais, Petrolina e Ypiranga para a Série D e Araripina e América para a segunda divisão local…

A única surpresa da 22ª rodada do #PE2012 foi o tropeço do Salgueiro diante da desinteressada Máquina de Costura, sem aspirações. Custou a vantagem ao Carcará nas finais. Teve mala branca para Santa Cruz do Capibaribe, confirmada pelos corais.

Foram 15 gols no fim de semana, com uma média de 2,5 por jogo. O Pernambucano chegou a 344 gols em 132 partidas. A média geral teve leve queda de 2,61 para 2,60.

Joelson, do Porto, assumiu a artilharia isolada do torneio com 13 gols, ultrapassando o tricolor Dênis Marques e o rubro-negro Marcelinho. Porém, os adversários seguem.

Sport 2 x 1 Santa Cruz – Bem melhor no primeiro tempo, o Sport fez apenas um gol. No segundo tempo, por pouco não se complicou. Tricolor jogou desfalcado…

Central 1 x 2 Náutico – Em Caruaru, numa tarde de sol e pouco futebol, o jogo serviu apenas para impedir que o Timbu chegasse a oito jogos sem vitória.

América 1 x 0 Petrolina – Na sua despedida da elite, o Mequinha ganhou o seu único jogo em casa, dando um “até breve” para Paulista. Acabou o sonho da Fera.

Ypiranga 1 x 1 Salgueiro – Durante boa parte do jogo o Carcará esteve com a vitória nas mãos. Seria o 2º lugar geral. Cedeu o empate e vai decidir a semi no Recife.

Serra Talhada 1 x 2 Porto – Joelson aproveitou bem a última chance e marcou dois gols. Vai secar muito Dênis Marques e Marcelinho para ficar na artilharia.

Araripina 1 x 2 Belo Jardim – Tranquilo e garantido na primeirona de 2013, o Calango ainda arrancou a vitória, subindo para o 7º lugar. Último berro do Bode.

Confira a tabela da competição clicando aqui.

Destaque da rodada: Joelson. Marcou duas vezes e pode ser o goleador máximo.

Carcaça da rodada: Tiago Cardoso. Falhou nos dois gols do Sport no clássico.

Classificação do PE2012 após 22 rodadas