Classificação da Série B 2017 – 1ª rodada

A classificação da 1ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Favorito absoluto ao título, com o vice-campeonato podendo ser apontado como vergonhoso, o Internacional estreou com tudo na Série B do Brasileiro. A primeira partida do colorado fora da elite foi no Estádio do Café, onde goleou o mandante, o Londrina. Tendência de “G3″ em 2017.

Por sinal, entre os clubes que caíram, três estrearam com vitória. Também fora de casa, o Santa venceu o Criciúma, largando em 5º lugar. Não por acaso, nesta segundona esses clubes largam com os maiores repasses da tevê (de 6,0 a 6,4 mi), após o novo formato de divisão de cotas. O América empatou com o Náutico na arena e foi o único rebaixado sem vitória. Curiosamente, o timbu, 5º colocado na Série B de 2016, é o remanescente de maior cota.

No G4, dois gaúchos, um paulista e um paraense.

A 2ª rodada dos representantes pernambucanos
20/05 (16h30) – Santa Cruz x Guarani (Arruda)
20/05 (16h30) – Figueirense x Náutico (Orlando Scarpelli)

Museu do Sport até dezembro de 2018

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

A primeira vez em que o Sport sinalizou a ideia de um memorial, substituindo a já asfixiada sala de troféus, foi em 2008. A ideia não seguiu adiante, até pelo projeto da arena, que surgiria pouco depois. Com a Ilha do Retiro ainda em pé, o clube retomou o projeto, finalmente apresentado, durante as festividades pelos 112 anos do leão. Conforme dito anteriormente, o “memorial está sendo idealizado para se tornar, também, mais um ponto turístico do Recife”. De fato, o vídeo de divulgação do projeto traz um museu de ponta, interativo, proposto para ser uma experiência bem além da visitação de taças. Imagens de times históricos, evolução do escudo e dos uniformes, esportes olímpicas que fizeram parte do clube, torcedores ilustres (Dona Maria, Ariano Suassuna, Zé do Rádio e Cabuloso lembrados), passeio virtual no estádio, gritos da torcida (óbvio que terá o cazá-cazá), campanhas sociais… E, claro, as passagens pelas conquistas nacionais de 1987 e 2008. Na primeira, uma área exclusiva, com uma imensa Taça das Bolinhas no centro. Na segunda, os lances do jogo de volta, no 2 x 0 sobre o Corinthians, com o cenário se transformando na sequência em uma reprodução do pódio armado no campo, quando o capitão Durval ergueu a troféu – agora, com o torcedor emulando o gesto.

O prazo de conclusão da obra é até dezembro de 2018. O projeto foi feito pela Câmara Museologia, sob comando de Aloísio Câmara. Caso não seja mais um bom projeto restrito ao 3D, o museu tende a multiplicar a visitação pública na Ilha. Neste nicho do mercado, os museus de Barcelona e Real Madrid são os cases mundiais (e mais rentáveis), com espaços abusando da tecnologia. No Brasil, um bom exemplo sobre visitação paga – uma fonte alternativa de receita – está no Santos, com espaços exclusivos sobre Pelé e Neymar e exposições especiais. O local já recebeu 26 mil pessoas em um mês.

Abaixo, imagens captadas no vídeo oficial do Sport. Qual foi o melhor espaço?

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Projeto do Museu do Sport. Crédito: TV Sport (youtube)/reprodução

Santa Cruz joga mal em Criciúma, toma pressão e vence de virada na estreia da B

Série B 2017, 1ª rodada: Criciúma 1 x 2 Santa Cruz. Foto: Fernando Remor/Mafalda Press/Estadão conteúdo

Quem assistiu ao jogo do Santa Cruz, pela tevê, viu uma vitória pra lá de surpreendente. Pelo futebol praticado durante toda a tarde, era difícil imaginar a virada no placar. Com desfalques de Pitbull e Léo Costa, este de última hora, e técnico pressionado, o tricolor viajou até o interior catarinense para a estreia na Série B, intercalando os mata-matas pelo Estadual e pela Copa do Brasil. Em tese, um pontinho no Heriberto Hülse seria interessante. Não que o dono da casa estivesse em ótima fase (não está), mas costuma prevalecer no seu mando de campo e o desempenho coral era bem questionável.

E seguiu assim, como previsto, com o Criciúma, aniversariante do dia, tomando conta do jogo e criando as melhores oportunidades. Quanto ao Santa, com os improdutivos atacantes Everton Santos e Julio Sheik em campo, o foco era na marcação. Com a bola dominada, pouca lucidez, com Thomás, envolto numa negociação com o rival, apagado. Já nos descontos do primeiro tempo, com o empate sem gols bem aceitável, Diogo Mateus recebeu voltando, na meia lua, e bateu colocado, abrindo o placar para o Tigre. Um gol para mudar completamente o vestiário.

No segundo tempo, o time continuou sem reagir. Acabou chegando ao empate depois da furada do zagueiro, que não cortou o passe de Primão. Vitor dominou e finalizou rápido, empatando. Script da Série B, com sofrimento e aproveitamento nas poucas chances (mínimo de eficiência, neste campeonato, vale muito). O ponto triste do sábado foi a grave lesão sofrida pelo lateral-direito, minutos depois – Vitor quebrou a perna na dividida. Tentando exercer o mando, o Criciúma, agora aos 70 anos, seguiu pressionando. E se expôs no finzinho, com os corais chegando na cara do gol duas vezes. Na primeira, André Luís acertou a trave. Na segunda, no minuto seguinte, aos 41, Barbio guardou. Entrou na ponta direita, onde parece ter mais personalidade – curiosamente, na vaga de Thomás. Na estreia, uma ótima vitória por 2 x 1, ótima pelo resultado. Pelo futebol, nem tanto…

Série B 2017, 1ª rodada: Criciúma 1 x 2 Santa Cruz. Foto: Criciúma/site oficial

Decifrando os campeões oficiais da Copa do Nordeste através do site da CBF

CBF dá os parabéns ao Sport pelos 112 anos. Crédito: Site da CBF/reprodução

A história da Copa do Nordeste é intermitente. Ao longo dos anos, vários torneios de caráter regional já foram disputados, o primeiro em 1946. Nomes e formatos diferentes, mas com o início oficial bem datado, 1994. Está escrito na base do troféu daquela primeira edição: “1ª Copa do Nordeste”, organizada pela federação pernambucana com o apoio do governo de Alagoas. Deu certo e foi reconhecido pela CBF, que organizou o regional a partir de 1997.

Nessas duas décadas, com outras paralisações, em 2004 e 2011, o torneio foi brigando para existir no calendário. Com a rivalidade sendo primordial para o processo. Afinal, quem não gostaria do status de maior campeão? O dono da orelhuda dourada. Desde 2012, devido a uma publicação no Guia Oficial da CBF, com dados fornecidos pelo próprio clube, o Vitória passou a se considerar “pentacampeão”. Somou as quatro taças do Nordestão ao Torneio José Américo de Almeida Filho, de 1976. Importante, mas outro torneio.

Como a confederação jamais publicou em seu site a lista de campeões, o refino da informação é paulatino. Neste 13 de maio de 2017, aniversário de 118 anos do Vitória (abaixo) e 112 anos do Sport (acima), o departamento de comunicação da CBF publicou notas de parabéns, em ambas enumerando as conquistas regionais, com quatro para o leão da barra (excluindo 76) e três para o leão da ilha (somando 94). E também desconsiderou a fase Norte-Nordeste da Taça da Brasil, na qual o Sport venceu em 1962.

Portanto, hoje, a lista de campeões oficiais da Lampions League é a seguinte:

1994 – Sport (16 participantes)
1997 – Vitória (17)
1998 – América-RN (16)
1999 – Vitória (16)
2000 – Sport (16)
2001 – Bahia (16)
2002 – Bahia (16)
2003 – Vitória (12)
2010 – Vitória (15)
2013 – Campinense (16)
2014 – Sport (16)
2015 – Ceará (20)
2016 – Santa Cruz (20) 

Títulos (13 edições): Vitória (4), Sport (3), Bahia (2), América-RN (1), Campinense (1), Ceará (1) e Santa Cruz (1)

CBF dá os parabéns ao Vitória pelos 118 anos. Crédito: Site da CBF/reprodução

As projeções da Globo, ESPN e Lance! sobre os 20 clubes da Série A de 2017

Os clubes da Série A de 2017

O Campeonato Brasileiro de 2017 será a 12ª edição com o mesmo formato, com pontos corridos e vinte participantes. O futebol nordestino segue com três representantes na elite, mas agora com um do Recife e dois de Salvador. Sobre o início da competição, fica a expectativa sobre o desempenho de cada um ao longo de 38 jogos. O Palmeiras se mantém como favorito absoluto? Em relação à Libertadores, a regra agora vale desde o início, com seis vagas, sendo quatro na fase de grupos e duas no mata-mata preliminar. Ou seja, um número maior de candidatos. Obviamente, a briga contra o rebaixamento também é tema recorrente no debate. E trata-se de uma pauta tradicional nos guias anuais país afora, com veículos nacionais avaliando as chances de todos os clubes, com critérios bem distintos. O blog compilou três listas, do portal globoesporte, do canal ESPN e do jornal Lance!. As projeções do Sport apontam para uma campanha final na zona intermediária, com 13º, 12º e 11º, respectivamente. Concorda? Na temporada passada, o rubro-negro entrou sob mais desconfiança, com 16º, 11º e 15º. Acabaria na 14ª posição.

Campeão – Palmeiras (2 projeções) e Flamengo (1)
G6 – Palmeiras (3), Flamengo (3), Atlético-MG (3), Cruzeiro (3), Corinthians (3), Santos (2) e São Paulo (1)
Z4 – Avaí (3), Atlético-GO (3), Coritiba (2), Vasco (2), Chape (1), Vitória (1), 

Globoesporte.com
O portal manteve o critério de 2016. A avaliação produzida pela equipe do GE conta com seis categorias: elenco (peso 3), retrospecto (2), finanças (2), momento (2), fator casa (1) e foco na competição (1). Cada tópico recebe de 1 a 5 estrelas, com pontuação máxima de 55. O leão melhorou um pouco a expectativa em relação 2016. Em vez de 27 pontos (16º), 29 pontos (13º).

1º) Palmeiras 46
2º) Flamengo 45
3º) Corinthians 45
4º) Atlético-MG 42
5º) Cruzeiro 38
6º) São Paulo 37
7º) Santos 36
8º) Grêmio 33
9º) Botafogo 32
10º) Fluminense 32
11º) Atlético-PR 30
12º) Vasco 30
13º) Sport 29
14º) Ponte Preta 28
15º) Coritiba 28
16º) Bahia 26
17º) Vitória 26
18º) Chapecoense 25
19º) Atlético-GO 22
20º) Avaí 21

ESPN Brasil
A projeção contou com dez jornalistas da emissora. A avaliação dos clubes aconteceu com cada um dando 20 pontos para o campeão, 19 para o vice, 18 para o 3º lugar e assim sucessivamente, até o lanterna, com apenas 1. A soma das opiniões resultou na avaliação de cada time, com pontuação máxima de 200 e mínima de 10. Sport fecharia a zona da Sula.

1º) Flamengo 189
2º) Palmeiras 187
3º) Atlético-MG 186
4º) Cruzeiro 166
5º) Corinthians 156
6º) Santos 145
7º) Fluminense 137
8º) São Paulo 136
9º) Grêmio 119
10º) Botafogo 113
11º) Atlético-PR 102
12º) Sport 83
13º) Ponte Preta 66
14º) Vitória 58
15º) Chapecoense 58
16º) Bahia 57
17º) Vasco 56
18º) Coritiba 55
19º) Avaí 16
20º) Atlético-GO 15

Lance!
Os jornalista do veículo estipularam as colocações finais dos vinte clubes, com o resultado final através de uma média. O Palmeiras, por exemplo, teve 54,5% dos votos para ser o campeão. Flamengo (27,2%) e Galo (18,3%) também foram lembrados. Sport, Atlético-PR e Grêmio foram os únicos sem votos nem para o G6 nem para o Z4.

1º) Palmeiras
2º) Flamengo
3º) Atlético-MG
4º) Cruzeiro
5º) Santos
6º) Corinthians
7º) São Paulo
8º) Botafogo
9º) Fluminense
10º) Atlético-PR
11º) Sport
12º) Grêmio
13º) Ponte Preta
14º) Chapecoense
15º) Vitória
16º) Bahia
17º) Coritiba
18º) Vasco
19º) Avaí
20º) Atlético-GO

Seleção Sportv
O programa vespertino no Sportv também fez a sua previsão, mas dividindo os clubes em quatro blocos, sem colocações distintas. O Sport ficou na “briga por Libertadores”, embora, pela ordem de apresentação, tenha sido o 10º.

Título: Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG, Grêmio e Santos
Libertadores: Corinthians, Fluminense, Cruzeiro, Botafogo e Sport
Figuração: Atlético-PR, Bahia, Vitória, Ponte Preta e São Paulo
Contra o Rebaixamento: Chapecoense, Coritiba, Vasco, Atlético-GO e Avaí