O regulamento do Brasileirão de 1987

O livro 1987 – De fato, de direito e de cabeça traz detalhes sobre o regulamento oficial do Campeonato Brasileiro de 1987. Na produção da publicação de 288 páginas,uma parceria com o também jornalista André Gallindo, tivemos acesso ao livreto original, guardado na sede da CBF, no Rio. Confira o documento sobre os módulos amarelo e verde, totalizando os 32 competidores da ‘Copa Brasil’, se estendendo até a 4ª fase, correspondente ao quadrangular final, com os campeões e vices dos dois módulos.

A fórmula foi acordada em 08/09/1987, a três dias do início da competição.

O regulamento da Copa do Nordeste 2018, já com os critérios para a edição de 2019

O troféu da Copa do Nordeste. Foto: CBF/divulgação

Com o início da Copa do Nordeste de 2018, através da fase preliminar, a CBF divulgou o regulamento oficial. Pelo novo sistema de disputa, a seletiva com oito clubes (Náutico entre eles) irá relacionar quatro para a nova fase de grupos, que já tem doze pré-classificados (Salgueiro e Santa na lista). Assim, a etapa principal será performada por 16 times. O documento de 16 páginas ainda traz o Sport como um dos vinte participantes, embora o rubro-negro já tenha recebido o aval da entidade sobre a desistência do torneio. Já o artigo 26 detalha, em caráter oficial, o critério de classificação ao Nordestão de 2019.

O regional de 2019 adotará o mesmo sistema de 2018, mas só classificará nove times através dos Estaduais, os campeões, claro. Os outros onze virão do Ranking da CBF, na versão que será publicada em dezembro de 2017. Pernambuco seguirá com três vagas, sendo duas na fase de grupos (o campeão estadual e o melhor rankeado) e uma na seletiva (o segundo melhor rankeado). Ou seja, na prática, o Sport já está classificado à fase de grupos do Nordestão de 2019 – hoje, é o 17º lugar no ranking nacional. Caso não queira jogar, o leão terá que protocolar, novamente, um pedido de desistência…

Confira a íntegra do regulamento do Nordestão 2018.

Pelo regulamento, o Troféu Givanildo Oliveira ficará com Sport, Santa ou FPF

O regulamento oficial do Troféu Givanildo Oliveira. Crédito: FPF

A Federação Pernambucana de Futebol publicou o regulamento oficial do Troféu Givanildo Oliveira, o campeonato à parte entre Santa Cruz e Sport em 2016, celebrando o centenário do Clássico das Multidões, conforme adiantado pelo Diario de Pernambuco. A curiosidade está no critério de desempate. A direção da FPF adotou só a pontuação como fator preponderante para a conquista. Em caso de empate – o calendário vai de 4 a 10 jogos -, o troféu irá… para a própria federação, como frisa o item 4 do ato especial comemorativo 1/2016.

Em 2009, nos 100 anos do Clássico dos Clássicos, a entidade também instituiu uma taça. Na ocasião, valeu apenas uma partida, em 26 de julho, no dia seguinte ao aniversário do confronto – a ideia era ter realizado o jogo no dia 25, mas a CBF não autorizou a mudança. Em partida válida pela Série A, na Ilha, Sport e Náutico empataram em 3 x 3, com a federação confeccionando uma segunda taça e dividindo a conquista centenária entre rubro-negros e alvirrubros. Este ano, ao tirar o saldo de gols, a federação tenta evitar a influência no andamento dos jogos. Como, por exemplo, um time estar vencendo por 1 x 0, fora de casa, mas, para ficar com a taça, ser obrigado a fazer 2 x 0.

A FPF está certa em tirar o saldo de gols? Em caso de empate, cada clube deveria receber uma taça ou o troféu deve mesmo ficar na federação?

Cenário raro desde 2009, um clássico no Recife com 30% de torcida visitante

Divisão de torcidas entre Náutico x Santa Cruz, no 1º turno da Série B 2015. Arte: Arena Pernambuco/site oficial

“Eu não quero essa história de ‘torcida única’ nos estádios no Pernambucano não. Isso acontece no Campeonato Brasileiro, mas aqui nós colocaremos 20%”.

Declaração dada por Carlos Alberto Oliveira em janeiro de 2009.

No estado, o aumento do percentual às torcidas visitantes, inicialmente de 10% segundo o Regulamento Geral de Competições para as competições nacionais, foi uma resposta à rixa entre rubro-negros e alvirrubros, que em 2008 passaram a liberar 1/10 dos bilhetes para os visitantes nos clássicos, tanto na Ilha quanto nos Aflitos – os dois lados se acusavam. Antes dese imbróglio, os clássicos no Recife contavam com estádios praticamente divididos entre as massas.

Seis anos depois da decisão do ex-presidente da FPF, a divisão de ingressos é bem específica nos jogos entre Náutico, Santa e Sport, com 20% no Estadual e 10% nas demais competições. Logo, temos uma exceção no Clássico das Emoções na Série B de 2015, num acordo entre os presidentes dos clubes para a liberação de 30% das entradas nas duas partidas, na Arena Pernambuco e no Arruda. No primeiro jogo, segundo a direção coral, a carga inicial de 14.500 ingressos aponta 10.150 alvirrubros e 4.350 tricolores.

Em relação à regra, os textos dos regulamentos gerais da CBF e da FPF são praticamentes iguais (abaixo). O documento local é uma adaptação da primeira versão da norma, de 2009, cujo artigo era direito: “A torcida visitante tem direito a ingressos em quantidade equivalente a 20% (vinte por cento) da capacidade do estádio.” Agora, há uma flexibilidade para dados até maiores, justamente em caso de acordos, cada vez mais raros entre recifenses…

Atualização: após a informação dada pelos tricolores, a direção alvirrubra desfez o acordo, mantendo a distribuição original no Brasileiro, de 10%.

Regulamento geral das competições CBF 2015
“Art. 80 – O clube visitante terá o direito de adquirir, com pagamento prévio, a quantidademáxima de ingressos correspondente a dez por cento (10%) da capacidade do estádio ou da capacidade permitida pelos órgãos de segurança, desde que se manifeste em até três (3) dias úteis antes da realização da partida através de ofício dirigido ao clube mandante, obrigatoriamente com cópia às federações envolvidas e à DCO.

Parágrafo único – Em cumprimento de acordo assinado entre os clubes, inclusive para situações de reciprocidade, a disponibilidade de ingressos para o visitante poderá ser superior aos dez por cento (10%) da capacidade do estádio.”

Regulamento geral das competições FPF 2013/2014
“Art. 86 – O clube visitante terá o direito de adquirir a quantidade máxima de ingressos correspondente a 10% da capacidade do estádio, desde que manifeste em até três dias úteis antes da realização da partida, através de ofício dirigido ao clube mandante, necessariamente com cópia às federações envolvidas e à DCO.

Parágrafo 2º – Em cumprimento de acordo assinado entre os clubes, inclusive para situações de reciprocidade, a disponibilidade de ingressos para o visitante poderá ser superior aos 10% da capacidade do estádio.”

Considerando os percentuais factíveis nos três clássicos da capital, eis as cargas de ingressos para os visitantes em cada mando de campo.

10%
Arruda – 6.004
Arena Pernambuco – 4.621
Ilha do Retiro – 3.298

20%
Arruda – 12.008
Arena Pernambuco – 9.242
Ilha do Retiro – 6.596

30%
Arruda – 18.013
Arena Pernambuco – 13.864
Ilha do Retiro – 9.894