Com hat-trick de William, Náutico vence o Santa Cruz de virada e leva o Troféu Gena

Série B 2017, 33ª rodada: Náutico 2 x 3 Santa Cruz. Foto: Roberto Ramos/DP

No último clássico entre Náutico e Santa Cruz em 2017, o jogo mais corrido, com cinco gols, duas viradas, polêmica e taça. Ah, também teve herói, como preza um bom clássico. No caso, o centroavante William. Pouco utilizado na Série B e acima do peso, mas com inegável faro de gols. O ‘Batoré’ marcou os três gols alvirrubros, com o terceiro, numa cobrança de pênalti, aos 50 do segundo tempo! O duelo já estava no apagar das luzes, mas ainda teria bastante jogo, com um pênalti não assinalado sobre o tricolor Augusto, aos 52. Com a discussão, resultando na expulsão de Derley, a partida no Arruda foi até os 59, quando enfim houve o apito final, com o 3 x 2 a favor do timbu.

Com o resultado, o clube de Rosa e Silva ficou com o Troféu Gena, instituído pela FPF pelos 100 anos do Clássico das Emoções, homenageando o lateral-direito hexa estadual pelo Náutico e tetra pelo Santa. Para isso, o timbu somou mais pontos nos oito confrontos no ano. Em 2009, no centenário do Clássico dos Clássicos, também ficara com a taça, dividida com o Sport após um 3 x 3 na Ilha – na ocasião, só valeu o placar daquele jogo. Sobre o atual Brasileiro, embora ambos sigam com 90% de chance de queda, a reação do Náutico parece mais factível, com dois jogos seguidos em casa. Vai animado pelo clássico, justificando o peso histórico independentemente da fase…

Série B 2017, 33 rodada: Santa Cruz 2 x 3 Náutico. Foto: João de Andrade Neto/DP

Jogos disputados em 2017
29/01 – Náutico 1 x 1 Santa Cruz, Estadual (Arena, 4.622 pessoas)
04/02 – Santa Cruz 1 x 0 Náutico, Nordestão (Arruda, 5.086)
12/03 – Náutico 1 x 0 Santa Cruz, Nordestão (Arena, 6.692)
10/04 – Santa Cruz 1 x 2 Náutico, Estadual (Arruda, 5.055)
06/05 – Náutico 1 x 2 Santa Cruz, Estadual (Arena, 2.592)
18/05 – Santa Cruz 1 x 1 Náutico, Estadual (Arruda, 3.387)
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz, Série B (Arena, 13.450)
04/11 – Santa Cruz 2 x 3 Náutico, Série B (Arruda, 8.654)
Média de público: 6.192

Classificação final após 8 clássicos
Náutico – 12 pontos; 3V, 3E e 2D; 9 GP e 8 GC; 1 vermelho
Santa – 9 pontos; 2V, 3E e 3D; 8 GP e 9 GC; 2 vermelhos

Campeões dos clássicos centenários
2009 – Clássico dos Clássicos: Náutico e Sport, dividido (1 jogo; 1E)
2016 – Clássico das Multidões: Sport (8 jogos; 3V, 3E e 2D)
2017 – Clássico das Emoções: Náutico (8 jogos; 3V, 3E e 2D)

Série B 2017, 33ª rodada: Náutico 2 x 3 Santa Cruz. Foto: Roberto Ramos/DP

Podcast – A análise do empate sem gols entre Santa e Luverdense. Segue o drama

Série B 2017, 32ª rodada: Santa Cruz 0 x 0 Luverdense. Foto: Peu Ricardo/DP

O Santa Cruz empatou mais uma vez no Arruda e segue afundando na Série B. Já são oito rodadas sem vitória, com o fantasma do rebaixamento cada vez maior. Em uma gravação exclusiva, o 45 minutos comentou o jogo nas questões técnica e tática, se estendendo às análises individuais (Grafite vem conseguindo ajudar em campo?) e à situação na classificação. Ouça!

28/10 – Santa Cruz 0 x 0 Luverdense (41 min)

Santa Cruz empata com o Luverdense no Arruda e chega a 8 rodadas de jejum

Série B 2017, 32ª rodada: Santa Cruz 0 x 0 Luverdense. Foto: Peu Ricardo/DP

Após a convocação durante a semana, 10.520 tricolores marcaram presença no Arruda, no primeiro dos dois jogos seguidos em casa, em um momento chave para a campanha coral. Vencendo Luverdense e Náutico, o Santa alimentaria uma chance real de permanência. Mas, a esta altura da competição, falta futebol. No frustrante empate em 0 x 0, o ataque coral foi praticamente nulo. No primeiro tempo, o trio formado por Bruno Paulo, Grafite e Ricardo Bueno (mais uma vez caindo pela direita) foi incapaz de organizar uma jogada efetiva, com a bola queimando próxima à grande área adversária. E olhe que o time do Mato Grosso veio querendo jogo, finalizando bastante de fora da área – parecia orientação técnica -, com destaque para o meia Marcos Aurélio, ex-Sport. Ou seja, jogo aberto, mas bem fraco.

Na etapa complementar, como havia ocorrido em Pelotas, há uma semana, Martelotte trocou o ataque, primeiramente com André Luís no lugar de Grafite (outra vez travado) e, já na reta final, Bruno Paulo por Pitbull. O tricolor ainda acertaria duas bolas na trave, uma numa falta cobrada por Anderson Salles e outra pelo remanescente do trio original, Bruno, já nos descontos. Porém, ficou nisso, com o time somando oito rodadas sem vitória. Pesa.

Série B 2017, 32ª rodada: Santa Cruz 0 x 0 Luverdense. Foto: Filipe Assis/DP

Ampliando o recorte, a cobra tem 1 vitória nas últimas 17 rodadas. Vem num ritmo de pontuação de lanterna, incompatível com a meta de permanência na Série B. Está a seis pontos do 16º, o primeiro fora do Z4, mas, na prática, precisa tirar sete pontos, pois teria menos vitórias que os concorrentes acima em caso de igualdade. Daqui a uma semana, o último Clássico das Emoções de 2017. Definitivo para um dos dois rivais. Ou até mesmo para ambos…

O jejum de vitórias do tricolor na Série B (8 jogos; 5E e 3D)
22/09 (25ª) – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, PR)
26/09 (26ª) – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 (27ª) – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, RS)
07/10 (28ª) – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 (29ª) – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, SC)
17/10 (30ª) – Santa Cruz 2 x 2 Oeste (Arruda)
21/10 (31ª) – Santa Cruz 1 x 1 Brasil de Pelotas (Bento Freitas, RS)
28/10 (32ª) – Santa Cruz 0 x 0 Luverdense (Arruda)

Série B 2017, 32ª rodada: Santa Cruz 0 x 0 Luverdense. Foto: Peu Ricardo/DP

Podcast – Análise do empate do Santa em Pelotas e do revés do Náutico em Caruaru

Série B 2017, 31ª rodada: Brasil de Pelotas 1 x 1 Santa Cruz (Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil) e Náutico 1 x 2 ABC (Léo Lemos/Náutico)

Nada de vitória para os pernambucanos na 31ª rodada da Série B. Favorito em Caruaru, o alvirrubro perdeu do lanterna. O tricolor até chegou a surpreender em Pelotas, mas teve que se contentar com o empate após o pênalti mandrake assinalado a favor do time gaúcho. O 45 minutos comentou os dois jogos em gravações exclusivas, nas questões técnica e tática, se estendendo às análises individuais. Terminando, claro, com as respectivas situações na tabela, com o debate sobre as chances (cada vez menores) contra o rebaixamento. Ao todo, 70 minutos de podcast. Estou nessa. Ouça!

20/10 – Náutico 1 x 2 ABC (32 min)

21/10 – Brasil 1 x 1 Santa Cruz (38 min)

Com pênalti mandrake, Santa Cruz cede empate ao Brasil e soma 7 jogos de jejum

Série B 2017, 31ª rodada: Brasil de Pelotas 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil

O técnico Marcelo Martelotte tentou algum diferente em Pelotas, em termos de criação na equipe. Após inúmeros testes, optou por Jeremias, oriundo da base, em sua estreia pelo Santa Cruz. Estaria protegido por três volantes, com Wellington Cézar no primeiro combate e Derley e João Ananias com mais liberdade. À frente, Grafite e Ricardo Bueno. Buscava o ataque sem se expor, jogando no erro do adversário, numa tática que quase deu certo.

Até os 29 minutos do segundo tempo, o tricolor estava em vantagem no campo gaúcho, justamente após um gol marcado num contragolpe, ainda na primeira etapa, com personagens distintos: Bueno cruzando e Ananias finalizando. Foi quando o árbitro Marcos Mateus Pereira, do Mato Grosso do Sul, enxergou pênalti de Yuri, num empurrão. Na visão do blog, os dois jogadores usaram o braço, num disputa por espaço normal. E desta vez não teve aquele ‘lei’ de que pênalti mal marcado não entra. Marlon bateu bem e empatou para o Brasil, 1 x 1. Embora o mandante estivesse melhor naquele momento, desperdiçando chances claras, o tento saiu numa marcação errada.

Série B 2017, 31ª rodada: Brasil de Pelotas 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil

Mesmo assim, já com Pitbull e André Luís acionados na reta final, numa nova (e mais rápida) dupla de ataque, o Santa bem que tentou o desempate, pecando pelo preciosismo diante de uma defesa estática. Fora as cobranças de falta de Anderson Salles, desta vez descalibrado, por cima da barra.

Com o resultado, o time se mantém firme na zona de rebaixamento, chegando a sete rodadas sem vitória. Justamente na reta decisiva da segundona. No geral, considerando a passagem do atual treinador, o aproveitamento é de 29% em nove jogos, com 1V, 5E e 3D. A sete jogos do fim, o tricolor não pode mais esperar. Até porque tem apenas 1 vitória nos últimos 16 jogos…

O jejum de vitórias do tricolor na Série B (7 jogos; 4E e 3D)
22/09 (25ª) – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, PR)
26/09 (26ª) – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 (27ª) – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, RS)
07/10 (28ª) – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 (29ª) – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, SC)
17/10 (30ª) – Santa Cruz 2 x 2 Oeste (Arruda)
21/10 (31ª) – Santa Cruz 1 x 1 Brasil de Pelotas (Bento Freitas, RS)

Série B 2017, 31ª rodada: Brasil-RS 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Flávio Neves/estadão conteúdo

Santa empata com o Oeste e segue sem reagir, com 1 vitória nos últimos 15 jogos

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Ricardo Fernandes/DP

A dez rodadas do fim da segundona, o Santa teria cinco partidas no Arruda. Caso conseguisse se impor como mandante, a permanência ficaria bem próxima. Logo na primeira partida, o tricolor falhou. Em situação delicada na tabela, a direção baixou o preço dos ingressos, mas a resposta não foi boa, com 7.636 pessoas. Nota-se que a torcida já está calejada das atuações neste ano, sem organização e numa crise financeira difícil de dissociar.

Para completar o cenário, o adversário não era acessível. O Oeste veio ao Recife disposto a se manter na briga pelo acesso. Mesmo sem tanto cartaz, o time treinado por Roberto Cavalo tem um bom esquema defensivo e à frente conta com o artilheiro do campeonato. Por sinal, Mazinho disparou, marcando duas vezes na partida, chegando a 15. Num pênalti com categoria e num chute cruzado, da ponta da área, após se desvencilhar de Nininho. O time paulista chegou a ficar em vantagem duas vezes, com os corais buscando o empate. O lampejo de reação pernambucana começou após a (justa) expulsão do lateral rival. Logo depois, aos 10/2T, o primeiro gol. De pênalti, Grafite quebrou o jejum particular, desde 26 de agosto – ao todo, somando a passagem no Atlético-PR, foi apenas o 3º gol em 33 partidas em 2017.

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Rafael Brasileiro/DP

Na reta final, quando Mazinho já havia aparecido novamente de forma fatal, João Paulo pegou uma sobra, mesmo com o ângulo encoberto. Veio a pressão pela virada, com todo mundo se lançando à última linha, até o zagueiro Mattis. Até chegou a resultar no grito de gol da torcida, mas foi abafado pelo apito do árbitro, anulando o rebote de Ricardo Bueno aos 44. Estava mesmo adiantado. Com o empate em 2 x 2, o Santa segue com apenas uma vitória nas mãos de Martelotte, já com oito jogos no comando. A má fase, na verdade, é bem mais longa, se aproximando de um “turno” inteiro.

Dos últimos 15 jogos, o Santa só venceu 1. Vencer as 4 partidas restantes no Arruda já não deve ser mais suficiente. Terá que se superar fora também…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1V, 4E e 3D, com 29% dos pontos)
09/09 (23ª) – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, RN)
15/09 (24ª) – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 (25ª) – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, PR)
26/09 (26ª) – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 (27ª) – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, RS)
07/10 (28ª) – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 (29ª) – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, SC)
17/10 (30ª) – Santa Cruz 2 x 2 Oeste (Arruda)

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Em Florianópolis, o Santa Cruz perde a 3ª partida seguida e afunda no Z4 da Série B

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

A reação do Santa Cruz parou. Após a chegada de Marcelo Martelotte, o time brecou a série de derrotas, em Natal, e fez três boas partidas, contra Goiás, Londrina e Ceará. Na prática, porém, os quatro jogos renderam seis pontos, gordura insuficiente para o ‘corredor polonês’ na sequência, diante dos líderes da Série B e com um confronto direto de peso em Floripa. Os corais sofreram três derrotas seguidas, com a organização tática caindo vertiginosamente.

A partida contra o Figueirense era essencial para manter o time num rumo competitivo para evitar a queda. E a arrumação defensiva estava neste contexto, claro. Contudo, a escalação trouxe uma dupla de volantes sem encaixe. Enquanto Wellington Cézar para quase todas as jogadas na falta, Derley não guarda posição. Caso ajudasse no ataque, como ocorreu em determinado momento da carreira no Náutico, ok. Mas, além de não ser um ‘elemento surpresa’, deixa muito espaço. Com uma defesa lenta, o Figueira, também em crise técnica, se deu bem. Mesmo sem tanta mobilidade no passe, a equipe catarinense quase marcou logo com um minuto.

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

À parte de uma chegada com Grafite, a sua única, só deu Figueira no primeiro tempo, com dois gols – apesar do desfalque do vice-artilheiro da competição, Henan, autor de 12 gols. Abriu o placar aos 28, com Zé Love pegando a sobra do escanteio. Debaixo de chuva, o mandante ampliou aos 37, Numa roubada de bola, trocou três passes até o tento. Zé Love, Jorge Henrique e Renan Mota. Um lance no qual a recomposição coral foi extremamente lenta.

Se o trabalho defensivo minou o sábado, a falta de criatividade impediu a reação de fato. Sem diálogo entre os atacantes, o Santa forçou o passe sem sucesso. E olhe que o técnico tentou. No intervalo, acionou Ricardo Bueno no lugar de André Luís – cujo rendimento caiu demais. Aos 17, Natan substituiu Primão. Pouco depois, a última troca, com Bruno Paulo na vaga de Grafite, abaixo fisicamente. Bueno e Bruno deram mais movimentação, mas não finalizaram. Só na bola parada houve um lampejo. Aos 34, Salles voltou a acertar uma falta. Até o fim, 16 minutos de bola aérea. Sem mudança, 2 x 1.

Nos últimos 14 jogos, o Santa venceu 1. E precisa vencer 5 dos 9 restantes…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1V, 3E e 3D, com 28% dos pontos)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)
07/10 – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, Florianópolis)

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

Com gol mal anulado, Santa Cruz perde do América-MG e fica a 5 pontos do 16º

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

A vitória sobre o América era a porta de saída da zona de rebaixamento. Durante a semana, Martelotte incutiu isso no grupo do Santa, precisando transformar o futebol agora minimamente competitivo em pontos. Contava com alguns resultados paralelos, mas sobretudo com uma reação no Arruda.

Embora não tenha feito má partida, o tricolor foi superado pelo Coelho, de volta à vice-liderança da Série B após duas derrotas. E há de se lamentar, desta vez, a arbitragem, que anulou um gol de Anderson Salles aos 25/2T, quando o placar ainda estava em branco – o zagueiro coral cabeceou para as redes em posição legal. Sete minutos depois, o jovem camisa 10 do time mineiro, Matheusinho, acertou um chute de longe e fez 1 x 0. No primeiro turno, o meia também foi o carrasco. No último lance, Salles ainda acertou a trave numa cobrança de falta, deixando aquela sensação de “foi por um triz”.

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

Os corais chegaram a quatro jogos sem vitória, enfrentando um verdadeiro ‘corredor polonês’, com Ceará, Inter e América, todos no G4, e o Londrina, recém-campeão da Primeira Liga. Exceção feita ao jogo diante do colorado, o Santa jogou de igual para igual com os demais, mas ganhou apenas dois pontos em nove possíveis. Num contexto mais amplo, o time tem apenas 1 vitória em 13 rodadas. Não por acaso, afundou na zona de rebaixamento.

Pois é. Se antes da rodada o pensamento era sair, agora está a cinco pontos do 16º colocado, o primeiro fora da zona. Consequência de uma combinação terrível de resultados, obrigando a equipe a fazer frente ao Figueirense no próximo sábado, em Floripa. Na verdade, prrecisa de ao menos 5 vitórias…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1v-3e-2d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)
07/10 – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

Podcast – A análise da vitória do Náutico em Caruaru e da derrota do Santa no Sul

Série B 2017, 27ª rodada: Náutico 2x0 Boa (Léo Lemos/Náutico) e Inter 2x0 Santa (Ricardo Duarte/Internacional)

Os pernambucanos jogaram no sábado, em horários simultâneos, pela 27ª rodada da Série B. De volta ao Lacerdão, uma semana após a “estreia”, desta vez o alvirrubro alcançou o resultado positivo – e a sobrevida. Lá em Porto Alegre, o tricolor não foi páreo para o líder, voltando ao Z4. O 45 minutos comentou as duas partidas em gravações exclusivas, nas questões técnica e tática, além de análises individuais. Ao todo, 53 minutos de podcast.

Participei das duas gravações. Ouça!

30/09 – Náutico 2 x 0 Boa Esporte (29 min) 

30/09 – Internacional 2 x 0 Santa Cruz (24 min)

Com dois gols de D’Alessandro, o líder Internacional vence o Santa no Beira-Rio

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Ricardo Duarte/S.C. Internacional

O meia argentino Andrés D’Alessandro foi contratado pelo Internacional em 2008, iniciando uma história de peso no clube gaúcho, com dez títulos, incluindo a Libertadores. Saiu em 2016, num rápido empréstimo ao River Plate, coincidindo com o primeiro rebaixamento colorado. Voltou do empréstimo disposto a jogar a Série B. Pela idade, 36 anos, não vem sendo utilizado em todas as partidas do Brasileiro, com preferência para as apresentações no Beira-Rio. Como foi diante do Santa Cruz.

O tricolor viajou consciente da missão. Com as vitórias de Figueira e Goiás, na sexta, o time já entrou em campo no Z4, caindo do 16º para o 18º lugar. Diante do líder, essa diferença ficou clara. O empate, que seria interessante, só durou dez minutos. O zagueiro Guilherme Mattis fazia a sua estreia, no lugar de Sandro, por opção de Martelotte, quando colocou a mão na bola num carrinho. Pênalti. Capitão do time, o argentino deslocou Júlio César com tranquilidade.

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Vitor Arruda Pereira/twitter (@vitor_apereira)

Durante a peleja, o goleiro tricolor repetiria a boa atuação vista contra o Ceará, com quatro boas intervenções. À frente, o Santa só levou perigo no início do segundo tempo. Primeiro com André Luís, que não aproveitou uma sobra. Depois, em outra bola cruzada, com Grafite, que bateu pra fora.

Sem dar mais espaço para vacilos, o mandante ampliou aos 25/2T. De novo com o camisa 10, agora em jogada individual. Recebeu na área, driblou Anderson Salles e bateu no canto, fazendo 2 x 0. Manteve o seu time na ponta e impediu a saída coral da zona de rebaixamento. No scout particular, D’Alessandro chegou a 84 gols em 382 jogos pelo Inter. Faz diferença.

Tricolor sob o comando de Martelotte (1v-3e-1d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Ricardo Duarte/S.C. Internacional