Santa empata com o Oeste e segue sem reagir, com 1 vitória nos últimos 15 jogos

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Ricardo Fernandes/DP

A dez rodadas do fim da segundona, o Santa teria cinco partidas no Arruda. Caso conseguisse se impor como mandante, a permanência ficaria bem próxima. Logo na primeira partida, o tricolor falhou. Em situação delicada na tabela, a direção baixou o preço dos ingressos, mas a resposta não foi boa, com 7.636 pessoas. Nota-se que a torcida já está calejada das atuações neste ano, sem organização e numa crise financeira difícil de dissociar.

Para completar o cenário, o adversário não era acessível. O Oeste veio ao Recife disposto a se manter na briga pelo acesso. Mesmo sem tanto cartaz, o time treinado por Roberto Cavalo tem um bom esquema defensivo e à frente conta com o artilheiro do campeonato. Por sinal, Mazinho disparou, marcando duas vezes na partida, chegando a 15. Num pênalti com categoria e num chute cruzado, da ponta da área, após se desvencilhar de Nininho. O time paulista chegou a ficar em vantagem duas vezes, com os corais buscando o empate. O lampejo de reação pernambucana começou após a (justa) expulsão do lateral rival. Logo depois, aos 10/2T, o primeiro gol. De pênalti, Grafite quebrou o jejum particular, desde 26 de agosto – ao todo, somando a passagem no Atlético-PR, foi apenas o 3º gol em 33 partidas em 2017.

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Rafael Brasileiro/DP

Na reta final, quando Mazinho já havia aparecido novamente de forma fatal, João Paulo pegou uma sobra, mesmo com o ângulo encoberto. Veio a pressão pela virada, com todo mundo se lançando à última linha, até o zagueiro Mattis. Até chegou a resultar no grito de gol da torcida, mas foi abafado pelo apito do árbitro, anulando o rebote de Ricardo Bueno aos 44. Estava mesmo adiantado. Com o empate em 2 x 2, o Santa segue com apenas uma vitória nas mãos de Martelotte, já com oito jogos no comando. A má fase, na verdade, é bem mais longa, se aproximando de um “turno” inteiro.

Dos últimos 15 jogos, o Santa só venceu 1. Vencer as 4 partidas restantes no Arruda já não deve ser mais suficiente. Terá que se superar fora também…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1V, 4E e 3D, com 29% dos pontos)
09/09 (23ª) – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, RN)
15/09 (24ª) – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 (25ª) – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, PR)
26/09 (26ª) – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 (27ª) – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, RS)
07/10 (28ª) – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 (29ª) – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, SC)
17/10 (30ª) – Santa Cruz 2 x 2 Oeste (Arruda)

Série B 2017, 30ª rodada: Santa Cruz x Oeste. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Em Florianópolis, o Santa Cruz perde a 3ª partida seguida e afunda no Z4 da Série B

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

A reação do Santa Cruz parou. Após a chegada de Marcelo Martelotte, o time brecou a série de derrotas, em Natal, e fez três boas partidas, contra Goiás, Londrina e Ceará. Na prática, porém, os quatro jogos renderam seis pontos, gordura insuficiente para o ‘corredor polonês’ na sequência, diante dos líderes da Série B e com um confronto direto de peso em Floripa. Os corais sofreram três derrotas seguidas, com a organização tática caindo vertiginosamente.

A partida contra o Figueirense era essencial para manter o time num rumo competitivo para evitar a queda. E a arrumação defensiva estava neste contexto, claro. Contudo, a escalação trouxe uma dupla de volantes sem encaixe. Enquanto Wellington Cézar para quase todas as jogadas na falta, Derley não guarda posição. Caso ajudasse no ataque, como ocorreu em determinado momento da carreira no Náutico, ok. Mas, além de não ser um ‘elemento surpresa’, deixa muito espaço. Com uma defesa lenta, o Figueira, também em crise técnica, se deu bem. Mesmo sem tanta mobilidade no passe, a equipe catarinense quase marcou logo com um minuto.

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

À parte de uma chegada com Grafite, a sua única, só deu Figueira no primeiro tempo, com dois gols – apesar do desfalque do vice-artilheiro da competição, Henan, autor de 12 gols. Abriu o placar aos 28, com Zé Love pegando a sobra do escanteio. Debaixo de chuva, o mandante ampliou aos 37, Numa roubada de bola, trocou três passes até o tento. Zé Love, Jorge Henrique e Renan Mota. Um lance no qual a recomposição coral foi extremamente lenta.

Se o trabalho defensivo minou o sábado, a falta de criatividade impediu a reação de fato. Sem diálogo entre os atacantes, o Santa forçou o passe sem sucesso. E olhe que o técnico tentou. No intervalo, acionou Ricardo Bueno no lugar de André Luís – cujo rendimento caiu demais. Aos 17, Natan substituiu Primão. Pouco depois, a última troca, com Bruno Paulo na vaga de Grafite, abaixo fisicamente. Bueno e Bruno deram mais movimentação, mas não finalizaram. Só na bola parada houve um lampejo. Aos 34, Salles voltou a acertar uma falta. Até o fim, 16 minutos de bola aérea. Sem mudança, 2 x 1.

Nos últimos 14 jogos, o Santa venceu 1. E precisa vencer 5 dos 9 restantes…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1V, 3E e 3D, com 28% dos pontos)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)
07/10 – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)
14/10 – Santa Cruz 1 x 2 Figueirense (Orlando Scarpelli, Florianópolis)

Série B 2017, 29ª rodada: Figueirense 2 x 1 Santa Cruz. Foto: Luiz Henrique/Figueirense

Com gol mal anulado, Santa Cruz perde do América-MG e fica a 5 pontos do 16º

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

A vitória sobre o América era a porta de saída da zona de rebaixamento. Durante a semana, Martelotte incutiu isso no grupo do Santa, precisando transformar o futebol agora minimamente competitivo em pontos. Contava com alguns resultados paralelos, mas sobretudo com uma reação no Arruda.

Embora não tenha feito má partida, o tricolor foi superado pelo Coelho, de volta à vice-liderança da Série B após duas derrotas. E há de se lamentar, desta vez, a arbitragem, que anulou um gol de Anderson Salles aos 25/2T, quando o placar ainda estava em branco – o zagueiro coral cabeceou para as redes em posição legal. Sete minutos depois, o jovem camisa 10 do time mineiro, Matheusinho, acertou um chute de longe e fez 1 x 0. No primeiro turno, o meia também foi o carrasco. No último lance, Salles ainda acertou a trave numa cobrança de falta, deixando aquela sensação de “foi por um triz”.

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

Os corais chegaram a quatro jogos sem vitória, enfrentando um verdadeiro ‘corredor polonês’, com Ceará, Inter e América, todos no G4, e o Londrina, recém-campeão da Primeira Liga. Exceção feita ao jogo diante do colorado, o Santa jogou de igual para igual com os demais, mas ganhou apenas dois pontos em nove possíveis. Num contexto mais amplo, o time tem apenas 1 vitória em 13 rodadas. Não por acaso, afundou na zona de rebaixamento.

Pois é. Se antes da rodada o pensamento era sair, agora está a cinco pontos do 16º colocado, o primeiro fora da zona. Consequência de uma combinação terrível de resultados, obrigando a equipe a fazer frente ao Figueirense no próximo sábado, em Floripa. Na verdade, prrecisa de ao menos 5 vitórias…

Tricolor sob o comando de Martelotte (1v-3e-2d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)
07/10 – Santa Cruz 0 x 1 América-MG (Arruda)

Série B 2017, 28ª rodada: Santa Cruz 0 x 1 América-MG. Foto: Daniel Hott/América

Podcast – A análise da vitória do Náutico em Caruaru e da derrota do Santa no Sul

Série B 2017, 27ª rodada: Náutico 2x0 Boa (Léo Lemos/Náutico) e Inter 2x0 Santa (Ricardo Duarte/Internacional)

Os pernambucanos jogaram no sábado, em horários simultâneos, pela 27ª rodada da Série B. De volta ao Lacerdão, uma semana após a “estreia”, desta vez o alvirrubro alcançou o resultado positivo – e a sobrevida. Lá em Porto Alegre, o tricolor não foi páreo para o líder, voltando ao Z4. O 45 minutos comentou as duas partidas em gravações exclusivas, nas questões técnica e tática, além de análises individuais. Ao todo, 53 minutos de podcast.

Participei das duas gravações. Ouça!

30/09 – Náutico 2 x 0 Boa Esporte (29 min) 

30/09 – Internacional 2 x 0 Santa Cruz (24 min)

Com dois gols de D’Alessandro, o líder Internacional vence o Santa no Beira-Rio

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Ricardo Duarte/S.C. Internacional

O meia argentino Andrés D’Alessandro foi contratado pelo Internacional em 2008, iniciando uma história de peso no clube gaúcho, com dez títulos, incluindo a Libertadores. Saiu em 2016, num rápido empréstimo ao River Plate, coincidindo com o primeiro rebaixamento colorado. Voltou do empréstimo disposto a jogar a Série B. Pela idade, 36 anos, não vem sendo utilizado em todas as partidas do Brasileiro, com preferência para as apresentações no Beira-Rio. Como foi diante do Santa Cruz.

O tricolor viajou consciente da missão. Com as vitórias de Figueira e Goiás, na sexta, o time já entrou em campo no Z4, caindo do 16º para o 18º lugar. Diante do líder, essa diferença ficou clara. O empate, que seria interessante, só durou dez minutos. O zagueiro Guilherme Mattis fazia a sua estreia, no lugar de Sandro, por opção de Martelotte, quando colocou a mão na bola num carrinho. Pênalti. Capitão do time, o argentino deslocou Júlio César com tranquilidade.

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Vitor Arruda Pereira/twitter (@vitor_apereira)

Durante a peleja, o goleiro tricolor repetiria a boa atuação vista contra o Ceará, com quatro boas intervenções. À frente, o Santa só levou perigo no início do segundo tempo. Primeiro com André Luís, que não aproveitou uma sobra. Depois, em outra bola cruzada, com Grafite, que bateu pra fora.

Sem dar mais espaço para vacilos, o mandante ampliou aos 25/2T. De novo com o camisa 10, agora em jogada individual. Recebeu na área, driblou Anderson Salles e bateu no canto, fazendo 2 x 0. Manteve o seu time na ponta e impediu a saída coral da zona de rebaixamento. No scout particular, D’Alessandro chegou a 84 gols em 382 jogos pelo Inter. Faz diferença.

Tricolor sob o comando de Martelotte (1v-3e-1d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)
30/09 – Santa Cruz 0 x 2 Internacional (Beira-Rio, Porto Alegre)

Série B 2017, 27ª rodada: Internacional 2 x 0 Santa Cruz. Foto: Ricardo Duarte/S.C. Internacional

Com várias chances, Santa e Ceará ficam no 0 x 0. Graças a Everson e Júlio César

Série B 2017, 26ª rodada: Santa Cruz 0x0 Ceará. Foto: Roberto Ramos/DP

O segundo tempo no Arruda se estendeu até os 50 minutos. Até o último instante seguia um roteiro alucinante, de um jogo bem disputado, mas sem grito algum de gol. O empate em 0 x 0 entre Santa Cruz e Ceará foi ruim para ambos, um querendo fugir do Z4 e o outro querendo entrar no G4. No entanto, é difícil criticar a falta de luta das equipes, que criaram muitas oportunidades.

Com Derley e João Paulo de volta, o tricolor insistiu na bola aérea no primeiro tempo, com 11 x 1 em tentativas. Grafite foi importante como pivô, mas não foi um grande finalizador. Neste contexto, o mandante tinha mais posse de bola (55%) num jogo corrido, mas parecia não variar as jogadas. Forçando assim, viu o goleiro Everson bem atento. A sua meta também estava bem guardada, com Júlio César em grande noite, se redimindo da falha em Londrina. Se a primeira etapa mostrou uma partida equilibrada entre dois times separados por 13 pontos na Série B, na volta do intervalo o vozão foi superior.

Série B 2017, 26ª rodada: Santa Cruz 0x0 Ceará. Foto: Rafael Brasileiro/DP

Tocando bastante a bola, primeiro com Ricardinho e depois com o substituto, Felipe Menezes, o alvinegro mandou duas bolas na trave e chegou outras três vezes em ótimas condições de marcar. E aí coube ao goleiro coral fazer a sua parte. O Ceará parecia tão à vontade que acabou cedendo contragolpes – cenário invertido em relação ao primeiro tempo. E aí, já com Bruno Paulo no lugar de André Luís, o Santa abusou de perder gols, alguns no detalhe, outros parando em Everson, igualando a nota de JC. Lá e lô, com a torcida pregada até os descontos. Acabou num empate justo, mas não em branco.

Sob o comando do técnico Marcelo Martelotte, o time pernambucano segue invicto, mas com três empates em quatro jogos, num ritmo de pontuação ainda insatisfatório visando a meta contra o descenso.

Santa sob o comando de Martelotte (1v-3e-0d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)
26/09 – Santa Cruz 0 x 0 Ceará (Arruda)

Série B 2017, 26ª rodada: Santa Cruz 0x0 Ceará. Foto: Roberto Ramos/DP

Santa empata com Londrina mesmo com boa atuação e 1º gol de Wellington Cézar

Série B 2017, 25ª rodada: Londrina 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Robson Vilela/Futura Press/Estadão conteúdo

O Santa Cruz fez uma partida com personalidade, com uma proposta de jogo a partir de contragolpes. Não se expôs muito no interior paranaense, deixando a bola mais tempo com o adversário (59%), tentando uma coordenação de jogar com mais velocidade com os pontas, André Luís e Bruno Paulo. Iniciando sempre com Primão, o meia da vez. No primeiro tempo, entre finalizações certas e erradas, a contagem apontou 6 x 5 a favor do Londrina.

No entanto, o scout não considera a cabeçada de Sandro, com a bola cortada pelo braço do zagueiro adversário. Pênalti na cara do árbitro paulista Thiago Duarte, que no começo do ano havia levado uma suspensão de 60 dias após a aplicação de um cartão vermelho no jogador errado, no clássico entre Corinthians e Palmeiras. Escalado na Série B, segue falhando em lances capitais. Na etapa complementar, o tricolor apertou mais a marcação, tratando o empate sem gols como interessante. Foram poucas chances na frente. Reais, três. Uma com Grafite (mal), furando um cruzamento na pequena área. Outra com Anderson Salles, em cobrança de falta defendida pelo goleiro.

Série B 2017, 25ª rodada: Londrina 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Goleada Info/twitter

Na terceira e última chance surgiu o personagem improvável da noite, o contestado Wellington Cézar, acionado por causa da lesão de Derley, que nem viajou. O volante de 23 anos marcou aos 18 minutos, aproveitando um desvio mal feito de Quaresma. Com tranquilidade, WC bateu no cantinho e marcou o primeiro gol em sua carreira profissional, desde 2015.

O jogo parecia seguro, com o time Martelotte evitando troca de passes em seu campo, mas num lance completamente isolado do mandante, que não jogou bem, saiu o empate. Aos 29, em cobrança de escanteio, Ricardinho nem precisou pular para desviar a bola, dentro da pequena área. Faltou decisão ao goleiro Júlio César. Com o empate, que de fato mantém o Santa pontuando pela terceira rodada seguida, o treinador coral promoveu a reestreia de Natan. Porém, sacou Primão, até o ali o melhor jogador do time. O meia revelado no próprio clube teve pouca participação, com o 1 x 1 definitivo no Estádio do Café. Pelo futebol, o alento foi superior ao ponto conquistado.

Santa sob o comando de Martelotte (1v-2e-0d)
09/09 – Santa Cruz 0 x 0 ABC (Arena das Dunas, Natal)
15/09 – Santa Cruz 3 x 0 Goiás (Arruda)
22/09 – Santa Cruz 1 x 1 Londrina (Estádio do Café, Londrina)

Série B 2017, 25ª rodada: Londrina 1 x 1 Santa Cruz. Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

Santa Cruz empata com o lanterna ABC, chega a 8 jogos sem vitória e segue no Z4

Série B 2017, 23ª rodada: ABC 0 x 0 Santa Cruz. Foto: Andrei Torres/ABC FC

“Martelotte teve duas semanas de trabalho e destacou que, para este primeiro jogo, as mudanças não seriam drásticas. E assim foi feito.”

Nos pré-jogo, o perfil oficial do Santa focou o trabalho feito para o confronto contra o lanterna, em Natal. Era uma excelente oportunidade para deixar a zona de rebaixamento, numa briga cada vez mais preocupante. Na semana, a derrota do Goiás e o empate do Figueira possibilitaram ao Santa a saída do Z4. Bastava uma vitória simples sobre o ABC, com quatro derrotas seguidas. Entretanto, o tricolor vinha numa sequência pior, de seis jogos, e mudar essa postura não seria tão simples. Pois não é sinônimo de troca de comando.

Em sua reestreia, o técnico Martelotte armou um 4-4-2, com Grafite e André Luís na frente. No meio, João Paulo com mais responsabilidade criativa, mas com a ajuda de Primão. Apesar do maior volume de jogo, o que se viu foi uma partida fraca, com excesso de passes errados e pouca criatividade.

Série B 2017, 23ª rodada: ABC 0 x 0 Santa Cruz. Foto: Andrei Torres/ABC FC

No lado potiguar, “a” chance saiu de um vacilo coral, com Júlio César evitando o gol no comecinho. No lado pernambucano, Grafite mostrou presença de área, atraindo a marcação – tanto que o zagueiro Fortunato seria expulso aos 33/2T numa falta nele -, mas sem conseguir encaixar uma boa trama.

Na primeira etapa foram três chances para o Santa, duas desperdiçadas pela má pontaria. Após o intervalo, com o mandante desesperado na Arena das Dunas – está a 8 pontos do 16º -, o tricolor tentou explorar os contragolpes, de forma insatisfatória. Na reta final, com um a mais, Martelotte ainda tirou um volante para colocar o atacante Augusto, que fez levar o amarelo. Um empate em 0 x 0 digno de vaias, das duas torcidas. Há oito rodadas sem vencer, o Santa terá um confronto direto a seguir, contra o Goiás. Pressão no Arruda.

O jejum de vitórias do tricolor na Série B
21/07 – Santa Cruz 1 x 1 Boa
29/07 – Paraná 4 x 0 Santa Cruz
01/08 – Santa Cruz 1 x 2 Paysandu
05/08 – Juventude 2 x 1 Santa Cruz
08/08 – Santa Cruz 1 x 2 Criciúma
19/08 – Guarani 2 x 0 Santa Cruz
26/08 – Santa Cruz 1 x 2 CRB
09/09 – ABC 0 x 0 Santa Cruz

Série B 2017, 23ª rodada: ABC 0 x 0 Santa Cruz. Foto: Andrei Torres/ABC FC

Santa perde de virada do CRB, chega a seis derrotas seguidas e segue no Z4

Série B 2017, 22ª rodada: Santa Cruz 1 x 2 CRB. Crédito: Premiere/reprodução

O Santa voltou a decepcionar, numa curva descendente cada vez mais perigosa. O time somou a sexta derrota seguida, igualando a pior série do Náutico, quando no Z4. É o q que parece ocorrer com o tricolor, cujo rendimento em campo é bastante irregular. No Arruda, perdeu a terceira seguida com o mesmo script. Diante de Paysandu, Criciúma e CRB fez 1 x 0 e sofreu o 1 x 2. Desta vez, o entrou em campo beneficiado pela derrota do Goiás, fazendo com que uma simples vitória sobre o rival alagoano o tirasse do Z4. O fato de também ter sido o primeiro jogo de Grafite no Mundão, em sua quarta passagem, também contribuiu para o público. Acima da média coral na competição, mas ainda longe do ideal: 8.110 espectadores.

O técnico Givanildo Oliveira apostou no meia João Paulo, centralizando o Grafa, com Bruno Paulo e André Luís nas pontas. Manteve Ricardo Bueno no banco, cuja utilização foi posta em dúvida desde o retorno do camisa 23. E, de fato, a estrutura tática já era a mesma com Bueno. Contudo, o coletivo segue ruim, mesmo com os testes. É um time deserto no meio-campo, cujo setor foi travado pela boa participação do volante Rodrigo Souza, ex-Náutico. Mais organizado, o CRB só não aproveitou as chances na primeira etapa pelas duas furadas do atacante Edson Ratinho, uma pra finalizar e outra pra cruzar.

Série B 2017, 22ª rodada: Santa Cruz x CRB. Foto: Roberto Ramos/DP

Mesmo mal, o Santa abriu o placar, a partir de um erro do CRB, com Nininho esperto. Dominou a bola e cruzou para Grafite que, em posição adiantada, balançou as redes. O ídolo coral chegou a 48 gols em 110 partidas, somando todas as passagens. Ainda faria outro, também adiantado, mas desta vez anulado pela arbitragem. No segundo tempo, a chuva apertou demais. A condição do gramado estava melhor, mas ficou bem pesado e com algumas poças. Curiosamente, quem se adaptou logo foi o visitante. Ou seja, passes mais altos e arremates de longe, como no golaço de Tony, aos 14.

O tricolor acusou o golpe, exalando nervosismo. Giva mudou nove minutos depois, de forma dupla. Saíram os dois pontas e entraram Bueno e Léo Lima. Ou seja, mais um meia para dar qualidade ao último passes e dois atacantes de área. Embora o zagueiro alagoano Adalberto tenha falhado bisonhamente duas vezes na entrada da área, os corais não aproveitaram. No finzinho, todas as boas chances passaram a ser do CRB, como uma falta no travessão de Neto Baiano. Aos 43, o ex-atacante do Sport iniciaria a jogada decisiva, cruzando para Marion, que, na linha de fundo, devolveu de cabeça para Chico, que completou para o gol vazio, 1 x 2. Assim, aumentou para sete o jejum de vitórias do Santa e aumentou a incerteza sobre a capacidade de reação…

O jejum de vitórias do tricolor na Série B
21/07 – Santa Cruz 1 x 1 Boa
29/07 – Paraná 4 x 0 Santa Cruz

01/08 – Santa Cruz 1 x 2 Paysandu
05/08 – Juventude 2 x 1 Santa Cruz
08/08 – Santa Cruz 1 x 2 Criciúma
19/08 – Guarani 2 x 0 Santa Cruz
26/08 – Santa Cruz 1 x 2 CRB

Série B 2017, 22ª rodada: Santa Cruz x CRB. Foto: Roberto Ramos/DP

Santa perde do Guarani em Campinas, chega a 5 derrotas seguidas e entra no Z4

Série B 2017, 21ª rodada: Guarani 2 x 0 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

Na reestreia de Grafite, em sua quarta passagem no clube, o Santa Cruz jogou de forma extremamente burocrática, sem o volume de jogo esperado para um time em busca de recuperação. Mesmo com a bola nos pés, tendo 56% de posse, o tricolor aceitou a marcação adversária. Bem antes disso, já havia sido abatido, tomando dois gols em oito minutos.

Em dois cruzamentos, Willian Rocha (6) e Ewerton Páscoa (8) marcaram de cabeça os gols da vitória do Guarani, por 2 x 0, numa baita colaboração da zaga coral, com os zagueiros (e artilheiros) bugrinos subindo com a marcação frouxa. Grafite era peça fundamental nos dois lances. E se o camisa 23 não foi muito eficiente (atacando ou defendendo), é apenas um detalhe em uma equipe em desconstrução. Pressionado pelos resultados, o técnico Givanildo Oliveira promoveu seis mudanças em relação à rodada passada, no revés diante do Criciúma. Até porque teve onze dias de intervalo.

Série B 2017, 21ª rodada: Guarani 2 x 0 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução

Do outro lado, o time paulista vivia situação parecida, com quatro derrotas seguidas e oito trocas – a diferença era a posição mais confortável na tabela. Nessa salada de mudanças, o time do Santa demorou a responder. Só conseguiu jogar bola no segundo tempo, até os 30 minutos, enquanto Léo Lima esteve em campo. O meia acabou substituído por Julio Sheik, numa tentativa de forçar a bola aérea, agora a favor. Mais esquematizado, o Guarani conseguiu travar a partida, impondo ao Santa Cruz a 5ª derrota seguida. No fim da tarde ainda veio outra notícia ruim, a reação do Luverdense em Maceió, buscando o empate. Com isso, mandou o tricolor para a zona de rebaixamento pela primeira vez em 21 rodadas…

Os 10 jogos sob o comando de Givanildo Oliveira*
07/07 – Santa Cruz 3 x 0 Brasil
11/07 – Luverdense 2 x 2 Santa Cruz
15/07 – Náutico 0 x 0 Santa Cruz
18/07 – Santa Cruz 1 x 0 Vila Nova
21/07 – Santa Cruz 1 x 1 Boa
29/0
7 – Paraná 4 x 0 Santa Cruz

01/08 – Santa Cruz 1 x 2 Paysandu
05/08 – Juventude 2 x 1 Santa Cruz
08/08 – Santa Cruz 1 x 2 Criciúma
19/08 – Guarani 2 x 0 Santa Cruz

* 30% de aproveitamento (2V-3E-5D)

Série B 2017, 21ª rodada: Guarani 2 x 0 Santa Cruz. Crédito: Premiere/reprodução