No Cornélio de Barros, o Salgueiro recebe a primeira decisão do Estadual no interior

Estádio Cornélio de Barros em junho de 2017. Foto: Salgueiro/facebook (@soucarcara)

O Campeonato Pernambucano de 2017 já está marcado como um dos mais desorganizados da história, com inúmeros palcos vetados no interior, formações reservas em campo e falta de datas. Entre os dois jogos da final, um hiato inacreditável de 52 dias. Após uma longa costura, que envolveu até a Conmebol, devido ao jogo dos rubro-negros pela Copa Sul-Americana, finalmente chegou o momento da decisão entre Salgueiro e Sport.

Em 28 de junho, o estádio Cornélio de Barros receberá a 69ª decisão em 103 edições, após o 1 x 1 na Ilha. É a primeira vez que o jogo final ocorre fora do Grande Recife – o próprio estádio salgueirense havia recebido a ida de 2015. Vale lembrar que Sport e Santa deram voltas olímpicas em Caruaru (1997) e Petrolina (2005), mas em conquistas de forma antecipada. Numa final à vera, teremos um cenário inédito no sertão. Com capacidade para até 12.070 espectadores, o Cornélio será o 8º estádio a receber uma final. O último palco inédito no futebol local havia sido a arena, há três temporadas.

Resta saber se veremos também o primeiro campeão do interior…
Quanto ao Sport, vai pelo 41º título, tentando ampliar o recorde…

Eis os palcos de todas as finais do Pernambucano de 1915 a 2016:

Ilha do Retiro (28)
Sport (15, com 52%) – 1948, 1961, 1962, 1981, 1988, 1991, 1992, 1994, 1996, 1998, 1999, 2000, 2003, 2006 e 2010
Santa Cruz (10, com 35%) – 1940, 1946, 1957, 1971, 1973, 1986, 1987, 2012, 2013 e 2016
Náutico (2, com 7%) – 1954 e 1965
América (1, com 3%) – 1944

Arruda (16)
Santa Cruz (8, com 50%) – 1970, 1976, 1983, 1990, 1993, 1995, 2011 e 2015
Náutico (6, com 37%) – 1984, 1985, 1989, 2001, 2002 e 2004
Sport (2, com 12%) – 1977 e 1980

Aflitos (15)
Náutico (7, com 46%) -1950, 1951, 1960, 1963, 1966, 1968 e 1974
Sport (5, com 33%) – 1917, 1949, 1953, 1955 e 1975
Santa Cruz (3, com 20%) – 1947, 1959, 1969

Avenida Malaquias (3)
América (1, com 33%) – 1921
Santa Cruz (1, com 33%) – 1932
Náutico (1, com 33%) – 1934

Jaqueira (3)
Santa Cruz (2, com 66%) – 1933 e 1935
Sport (1, com 33%) – 1920

British Club (2)
Flamengo (1, com 50%) – 1915
Sport (1, com 50%) – 1916

Arena Pernambuco (1)
Sport (1, com 100%) – 2014 

6 thoughts on “No Cornélio de Barros, o Salgueiro recebe a primeira decisão do Estadual no interior

  1. Caro jornalista Sr. Cássio. Senhores leitores. Estou tentando acreditar que hoje (no momento que escrevo, são 01:30 do dia 28.06.2017, data em que após várias manobras da FPF, onde “enfraqueceu” o carcará, beneficiando o time mais covarde que se tem notícia no mundo, parece que, caso não haja mais manobras e interferências do Arbitral, FPF, CBF, STF, CONMEBOLa, FIFA, e segundo populares, Dona zefa, a maior fofoqueira da ilha, sinhá teimosa, a mãe de santo lá da praça da bandeira, seo chiquin, cachaceiro inveterado da Rua paissandú, talvez aconteça hoje na cidade do Salgueiro – PE, a final do pernambucano de 2017, que por “trocentas vezes” foi adiado, entre as equipes do outrora forte, guerreiro e destemido, HOJE um arremedo sobrevivente da série C, o representante das caatingas e do sertão, o “carcará” SALGUEIRO X o covardão, frouxo, sPorT, representante do mangue da ilha do retiro. Porquê estou escrevendo essa classificação para fazer referência ao evento ? Simples, em todo o mundo, existem festas, charangas, batuques (até na África teve as vuvuzelas), ações místicas, etc. O COVARDÃO tinha entre seus torcedores, um cidadão conhecido por ZÉ DO RÁDIO, conhecido por azucrinar os adversários se postando atrás do banco de reservas do rival. Hoje, devido uma ação do TJ-PE, que determinou a proibição do Sr. TARCISIO DA BUZINA, de utilizar seu instrumento. Hoje o Salgueiro e a população da cidade de mesmo nome, estão proibidos de sorrir, de se alegrar, devem pisar de mansinho, ficarem quietinhos, proibidos até de SEREM CAMPEÕES. Ao timinho da capital, detentor de caríssima equipe, por perder no ano passado, tudo que disputou, vendo se repetir o mesmo fiasco, está usurpando o troféu de cada vez mais fraquíssimo campeonato, como a dizer “a pior fome é a de boca pura”. Então vou tratar de garantir essa taça, nem que seja de maneira sórdida, o que não é novidade. Afinal, é nas suas dependências que se encontra o troféu do Flamengo, verdadeiro campeão de 1987.

  2. Roberto Andrade falou tudo. Seria melhor dar logo a taça para a cachorra de peruca, nem precisa disputar mais nada!!!

  3. Acho triste o que fez a F.P.F para favorecer o sport club do Recife que tinha seus principais jogadores com problemas de cartão ou contusão para a final do pernambucano. Aí inventaram essa de muitas competições para o sport.
    Era simples, mesmo que o sport tivesse dois jogos para o mesmo dia, ele jogaria com o time principal a sua meta e com o time da laranja o outro jogo.
    Agora essa de remarcar a final era evidente que era para o sport ficar mais forte para a final.

  4. O Sport ganhou os dois turnos em 2009. Não houve final. A última rodada do segundo turno foi nos Aflitos onde um empate deu o título ao Leão.

  5. Davi x Golias. Seria interessante ver algum time pequeno ser campeão PE pela primeira vez, mas o Salgueiro tá muito fraquinho na Série C…

  6. Faltou mencionar o título do Sport em 2009 conquistado nos Aflitos, quando o Náutico desligou os refletores e obrigou o Leão a comemorar no escuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>