Classificação da Série B 2017 – 9ª rodada

A classificação da 9ª rodada da Série B de 2017. Crédito: Superesportes

Terça-feira cheia na Série B com duas derrotas pernambucanas. Numa rodada em que apenas um mandante venceu, pior para o Santa Cruz, derrotado pelo América Mineiro em Belo Horizonte. Com isso, o tricolor saiu do G4, caindo do 4º para o 7º lugar. Na Arena Pernambuco, numa partida de muitos erros, o Náutico perdeu do Goiás, chegando a sete derrotas na competição. Na lanterna, o timbu já está seis pontos atrás do penúltimo, o Figueirense, num situação já difícil de reverter. Nesta 9ª rodada caiu o último invicto. Jogando em casa, o líder Juventude perdeu o clássico do interior gaúcho para o Brasil de Pelotas, que subiu na tabela.

Resultados da 9ª rodada
Juventude 1 x 2 Brasil
América 1 x 0 Santa Cruz
Náutico 2 x 3 Goiás
ABC 1 x 3 CRB
Figueirense 2 x 3 Luverdense
Londrina 0 x 1 Criciúma
Paysandu 0 x 0 Boa
Internacional 0 x 0 Paraná
Guarani 0 x 0 Oeste
Vila Nova 1 x 1 Ceará 

Balanço da 9ª rodada
1V dos mandantes (8 GP), 4E e 5V dos visitantes (13 GP) 

Agenda da 10ª rodada
23/06 (19h15) – CRB x Paysandu (Rei Pelé)
23/06 (20h30) – Boa x ABC (Dilzon Melo)
23/06 (21h30) – Criciúma x Paraná (Heriberto Hülse)
23/06 (21h30) – Luverdense x América (Passo das Emas)
24/06 (16h30) – Brasil x Internacional (Bento FreitaS)
24/06 (16h30) – Goiás x Vila Nova (Serra Dourada)
24/06 (16h30) – Londrina x Juventude (Estádio do Café)
24/06 (16h30) – Ceará x Oeste (Presidente Vargas)
24/06 (16h30) – Santa Cruz x Figueirense (Arena Pernambuco)
24/06 (19h00) – Guarani x Náutico (Brinco de Ouro)

Campeonato Pernambucano terá redução de clubes em 2018 e 2019. Talvez em 2020

FPF

Em 2007, a segunda divisão pernambucana foi vencida pelo Salgueiro, numa final contra o Sete de Setembro, no Gigante do Agreste. Entretanto, o torneio acabou na justiça, com Petrolina e Centro Limoeirense, eliminados na semi, pleiteando as duas vagas. O presidente da FPF na época, Carlos Alberto Oliveira, tomou uma decisão sui generis. O dirigente promoveu o acesso dos quatro clubes, inchando a primeira divisão, que a partir de 2008 teria 12 clubes, apertando como nunca o calendário. Embora a federação tivesse sinalizado posteriormente, já sob comando de Evandro Carvalho, que o ideal era reduzir, emperrou na vontade dos clubes, contra a queda de quatro times.

Ao menos esta era a versão da entidade, que realizou dez edições sem mexer na lista de participantes. Mas, até que enfim, o cenário deverá mudar. Para isso, em vez de ampliar o número de rebaixados, a FPF irá reduzir o acesso. Ao blog, o diretor de competições da FPF, Murilo Falcão, confirmou que a segunda divisão estadual de 2017, a “Série A2″, só irá promover o campeão, numa decisão administrativa já comunicada aos clubes – são 14 interessados na disputa. De 1995 a 2016, os dois melhores colocados sempre subiram. Logo, o objetivo é reduzir o tamanho da elite, de onde caíram dois, Serra Talhada e Atlético Pernambucano. Conforme preza o Estatuto do Torcedor, o regulamento irá vigorar por duas temporadas. Ou seja, uma redução paulatina na primeirona, com 11 clubes em 2018 e 10 clubes em 2019.

Hoje, o calendário oficial da CBF disponibiliza 14 datas para os estaduais do Nordeste, que tem, paralelamente, a Copa do Nordeste de fevereiro a maio. Com menos clubes, espera-se que a competição local adote um novo regulamento – a ser decidido no conselho arbitral em novembro -, deixando de lado o insosso (e previsível) hexagonal do título. E ainda há a possibilidade de uma extensão da redução, até 2020, chegando a 9 clubes. Número ímpar? Sim, pois, segundo federação, possibilitaria a realização de triangulares, com o Trio de Ferro como cabeça de chave. A conferir.

Abaixo, a movimentação de participantes no Pernambucano…

Entre os clubes que subiram, um asterisco em 1995, com o Sete de Setembro. O campeão da segundona pediu licença antes da estadual de 1996.

A movimentação dos clubes no Campeonato Pernambucano, de 1995 a 2017

Sem ímpeto ofensivo, Santa Cruz perde do América no Independência e sai do G4

Série B 2017, 9ª rodada: América-MG x Santa Cruz. Foto: Juarez Rodrigues/EM

A falta de ímpeto ofensivo custou o G4 ao Santa no Independência. Embora seja preciso ressalvar a sequência da tabela, com Ceará, Inter, América e Figueira, clubes de força nesta Série B, com o tricolor começando bem o roteiro, com quatro pontos. Na capital mineira, o técnico Adriano Teixeira repetiu a formação do sábado. Léo Lima e Primão no meio, reforçando a articulação com o trio de ataque, tendo Pitbull ainda no lugar do vetado Ricardo Bueno. Não bastou. Num jogo parelho, não houve diálogo ofensivo.

O tricolor chegou pouco à frente, com duas finalizações com algum perigo. O empate até seria insuficiente para manter o clube na zona de classificação à elite, mas daria continuidade aos pontos conquistados como visitante. Em uma atuação relativamente tranquila, quase flertando com a apatia, o time acabou penalizado aos 33 minutos do segundo tempo, numa boa jogada individual do jovem camisa 10 do Coelho, Matheuzinho. Passou por um marcador na entrada da área, puxou pra perna boa e mandou no canto de Júlio César.

Numa noite sem inspiração, o tento foi quase a sentença para o resultado final. E se passou perto de mudar algo, foi na própria barra coral, com o América Mineiro explorando os contragolpes. Nem precisou, com o 1 x 0 deixando o clube com os mesmos 13 pontos do Santa Cruz – que term uma vitória a mais, 4 x 3. Sábado, mantendo o embalo de rodadas da Segundona, o time volta a campo na Arena Pernambuco, cumprindo o primeiro dos cinco jogos acertados com o governo do estado e poupando o Arruda. Em BH, o gramado também foi favorável. O time, nem tanto.

Série B 2017, 9ª rodada: América-MG x Santa Cruz. Foto: Juarez Rodrigues/EM

Náutico perde pela 7ª vez em 9 jogos e já tem pior início na Série B. Reversão difícil

Série B 2017, 9ª rodada: Náutico 2x3 Goiás. Foto: Roberto Ramos/DP

O Náutico tem, de longe, a defesa mais vazada da Série B. Em nove rodadas, já sofreu 19 gols, num desempenho refletido na campanha, sendo o único time que ainda não venceu. Contra o Goiás, mais uma noite de corredores abertos nas laterais, zaga mal posicionada e goleiro sem tanta efetividade.

O time foi vazado logo no primeiro minuto da partida, num cruzamento concluído por Carlos Eduardo, livre na área. Apesar do péssimo cenário, o time, estreando o técnico Beto Campos, reagiu. Com o ataque formado por Gilmar (esquerda), Vinícius (centralizado) e Erick (direita), as oportunidades surgiram. A primeira aos 26, num pênalti desperdiçado por Gilmar. Pouco depois, em outra jogada pela ponta, gol contra de Everton Sena (aquele mesmo). O timbu seguiu melhor na volta do intervalo, criando e pressionando. Até tomar o segundo gol de um adversário mais tranquilo – tanto em qualidade quanto na tabela. Embora tenha chegado outra vez ao empate, com Vinícius, recebendo passe de Gerônimo (acionado no lugar de Gilmar), a cobertura dos laterais foi lamentável, com outro gol de bola cruzada, aos 41 minutos, 2 x 3. Aí, sem reação, com o visitante até acertando a trave duas vezes.

Ficou a sensação de que pode melhorar? Ofensivamente, sim. Insuficiente para o restante do Brasileiro, que pede uma defesa confiável. Até porque, num levantamento considerando as nove primeiras rodadas, o quadro já é crítico. Com dois pontos, tem a pior pontuação neste recorte. Dos onze lanternas anteriores neste recorte, seis seguiram na posição ao fim da competição e apenas três clubes escaparam do Z4, com Lusa, Vila Nova e ABC somando 37, 42 e 43 pontos nas 29 rodadas seguintes, respectivamente.

O lanterna da Série B após 9 rodadas (e a situação após a 38ª)
2006 – 8 pontos, Portuguesa (14º, 45 pts)
2007 – 6 pontos, Ituano (20º, 33 pts)
2008 – 5 pontos, CRB (20º, 24 pts)
2009 – 3 pontos, Campinense (19º, 37 pts)
2010 – 4 pontos, Vila Nova (16º, 46 pts)
2011 – 3 pontos, Duque de Caxias (20º, 17 pts)
2012 – 2 pontos, Barueri (20º, 30 pts)
2013 – 3 pontos, ABC (14º, 46 pts)
2014 – 2 pontos, Vila Nova (19º, 32 pts)
2015 – 3 pontos, Mogi Mirim (20º, 23 pts)
2016 – 4 pontos, Sampaio Corrêa (20º, 27 pts)
2017 – 2 pontos, Náutico

Série B 2017, 9ª rodada: Náutico 2x3 Goiás. Foto: Roberto Ramos/DP