O mata-mata do acesso à Série B de 2018, com 4 clubes do Nordeste e 4 do Sudeste

O chaveamento das quartas de final da Série C de 2017. Arte: Cassio Zirpoli/DP

Definidos os confrontos do acesso à segundona de 2018, numa competição à parte, com a glória antes da taça. Após 18 rodadas, com um fim emocionante nos grupos A e B, as quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro de 2017 colocam frente a frente quatro clubes do Nordeste e quatro do Sudeste.

Na última rodada, o Salgueiro chegou a ficar próximo da classificação, mas o rebaixado ASA não conseguiu segurar o empate com o Confiança, que marcou no segundo tempo e obteve a última das oito vagas da primeira fase. Ainda assim, a recuperação do Carcará durante a competição, terminando em 5º lugar, foi importante, pois havia largado mal, na zona de rebaixamento. Quem também passou no último dia foi o Fortaleza, que após três anos não decidirá no Castelão. Após as eliminações em casa, para Macaé, Brasil de Pelotas e Juventude, o tricolor cearense jogará a volta como visitante.

Os confrontos valendo o acesso:
Sampaio Corrêa-MA (1A) x Volta Redonda-RJ (4B)
Tupi-MG (2B) x Fortaleza-CE (3A)
CSA-AL (2A) x Tombense-MG (3B)
São Bento-SP (1B) x Confiança-SE (4A)

Até o troféu são três mata-matas, sempre em ida e volta. Contudo, o primeiro já vale o acesso. Quem fizer mais pontos nos 180 minutos de bola rolando, passa. Em caso de igualdade, vem saldo de gols, maior número de gols na casa do rival e pênaltis. Os quatro semifinalistas, já assegurados na Série B do próximo ano, irão seguir na trilha do título pelo diagrama descrito no post.

Na sua opinião, quais serão os clubes classificados? E o favorito ao título?

Relembre os mata-matas: 2012201320142015 e 2016.

Desempenho nas quartas de final da Série C (2012-2016):

Acessos: SP 3; PA, GO, MG e RS 2; SC, CE, MA, MT, PE, RJ, AL, PR e RN 1 

Eliminações: CE e RJ 4; PB, MG, AL e SP 2; MT, RS, PE e SE 1

O racha entre os 16 fundadores da Liga do Nordeste, exposto via notas oficiais

O racha entre os fundadores da Luga do Nordeste. Arte: Cassio Zirpoli/DP

No dia seguinte à desfiliação de Sport e Náutico da Liga do Nordeste, 11 fundadores se manifestaram a favor da associação, mantendo o formato deliberado para a Copa do Nordeste de 2018, com fase preliminar, 16 clubes na fase principal e os recursos originais de participação. Anúncios feitos através das notas oficiais de Bahia, que divulgou o entendimento de outros nove times, e Vitória. Entretanto, três clubes não se manifestaram. Dois deles, Sergipe e Fortaleza, sequer se classificaram à próxima edição do regional, num indício de agendas livres, sujeitas a convites. Já o terceiro clube pode ser o personagem realmente decisivo neste imbróglio, na visão do blog.

Assegurado na pré, o Santa pode herdar a vaga na fase de grupos com a desistência leonina. Por outro lado, caso também saia da liga – e a decisão coral será tomada no Conselho Deliberativo – , o Nordestão perderia o mercado pernambucano, concentrado no Grande Recife, cenário das maiores audiências na tevê aberta. Em 2017, três jogos passaram de 1 milhão de telespectadores, as duas finais e a volta do Clássico das Multidões pela semi.

Obviamente, nenhum patrocinador (nem detentor dos direitos de TV) relevaria a saída dos clubes mais populares do estado. E o exemplo vem de uma das maiores fontes de captação. No sinal aberto, os jogos são sublicenciados pelo Esporte Interativo à Rede Globo. Sem o Recife, essa verba ficaria em xeque – e parece claro o duelo entre os dos canais, cujos clubes à frente já têm contratos assinados no Brasileiro 2019, Sport (Globo) e Bahia (EI). Até que saia a escolha coral, o quebra-cabeças está formado na Associação dos Clubes de Futebol do Nordeste (ACFN), fundada em 30 de outubro de 2000. Com 16 fundadores, a liga mais tradicional do país vive o seu maior racha…

Atualização em 05/07: o Fortaleza também emitiu nota de apoio à liga.

Fundadores favoráveis à continuidade da Copa do Nordeste*
ABC, Bahia, Botafogo-PB, Ceará, Confiança, CRB, CSA, Fluminense de Feira, Treze e Vitória, América-RN e Fortaleza (este, dois dias depois)
* Seguindo a decisão da assembleia geral, ocorrida em 24 de março

Fundadores que se desfiliaram da Liga do Nordeste
Náutico e Sport

Fundadores que ainda não se posicionaram
Sergipe e Santa Cruz

Os demais clubes da região com histórico na Lampions, como Campinense (campeão em 2013), Sampaio Corrêa e Salgueiro (vice estadual e classificado para 2018), são considerados “ouvintes” nas reuniões da liga. Neste embate, devem virar alvos dos subgrupos. Tendo que optar entre a consolidação do Nordestão e a promessa de mais receita a curto prazo em outro torneio.

Qual deveria ser a posição do seu clube? Opine.

Cota absoluta de participação no Nordestão
2013 – R$ 5,6 milhões
2014 – R$ 10,0 milhões (+78%)
2015 – R$ 11,1 milhões (+11%)
2016 – R$ 14,8 milhões (+33%)
2017 – R$ 18,5 milhões (+25%)
2018 – R$ 23,0 milhões* (+24%)
* Previsão

Os campeões estaduais do Nordeste dentro do prazo da CBF em 2017: ABC, Botafogo, Ceará, Confiança, CRB e Vitória

O dia 7 de maio marcou o encerramento dos campeonatos estaduais, país afora, seguindo o calendário oficial da CBF. Alguns terminaram até antes, enquanto outros precisaram extrapolar o prazo. No Nordeste, seis dos nove estados conheceram os seus campeões de 2017. As exceções foram Maranhão, com um imbróglio jurídico, Pernambuco, com a decisão adiada para 18/06 por falta de datas, e Piauí, ainda em andamento no returno. Abaixo, a turma que já levantou a taça, mirando agora o Brasileirão.

Entre os pitacos do blog sobre os campeões de 18 finais, apenas oito acertos: Vitória, Ceará, Brasiliense, Paysandu, Botafogo, Flamengo, ABC e Chapecoense. Ainda falta uma na lista, justamente a do Cornélio de Barros.

ABC campeão potiguar de 2017. Foto: ABC/divulgação

ABC (54º título no RN) – 18 jogos; 13 vitórias, 3 empates e 2 derrotas
O alvinegro de Natal foi o primeiro a comemorar no país, em pleno feriado de 1º de maio. Empate sem gols no Frasqueirão, segurando a vantagem obtida na ida contra o Globo, quando fez 1 x 0. O troféu do recordista de títulos estaduais foi erguido pelo capitão Oswaldo, o zagueiro emprestado pelo Sport.

Botafogo campeão paraibano de 2017. Crédito: Esporte Interativo/reprodução

Botafogo (28º título na PB) - 22 jogos; 16 vitórias, 2 empates e 4 derrotas
O Belo esteve nas últimas cinco finais paraibanas. Após o bi em 13/14, foi vice em 15/16, voltando a erguer a taça diante do Treze. Fez o resultado em Campina Grande (2 x 3), empatando na capital, em um Almeidão lotado.

Ceará campeão cearense de 2017. Foto: Ceará/divulgação

Ceará (44º título no CE) – 16 jogos; 12 vitórias, 3 empates e 1 derrota
Em 2016, não chegou nem à semifinal, custando a vaga no Nordestão. Desta vez, o foco foi total. Na decisão, o Vozão venceu o Ferroviário duas vezes, evitando a partida extra. Destaques para o campeoníssimo técnico Givanildo Oliveira e para o atacante Magno Alves, rendendo aos 41 anos.

Confiança campeão sergipano de 2017. Foto: Confiança/divulgação

Confiança (21º título no SE) – 21 jogos; 13 vitórias, 5 empates e 3 derrotas
O time proletário tropeçou no Batistão, mas foi buscar a taça no interior, lá em Itabaiana. Venceu com um gol de Thiago Silvy aos 27 minutos do segundo tempo. Foi o 3º título em 4 anos. Valeu também a volta à Lampions.

CRB campeão alagoano de 2017. Foto: Federação Alagoana de Futebol (FAF)/divulgação

CRB (30º título em AL) – 19 jogos; 12 vitórias, 6 empates e 1 derrota
O Galo da Pajuçara sagrou-se tricampeão ao vencer o CSA nos dois jogos da decisão no Rei Pelé, com o falastrão Neto Baiano comandando a festa. Após boa Série B na última temporada, o clube manteve o domínio local.

Vitória campeão baiano de 2017. Foto: Vitória/divulgação

Vitória (29º título na BA) - 14 jogos; 11 vitórias e 3 empates
Sob comando interino de Wesley Carvalho na decisão, o leão da barra foi campeão invicto pela 4ª vez, sendo o 12º título estadual numa final contra o Bahia. Como foi a primeira decisão baiana com torcida única, por questão de segurança, todos os 30 mil espectadores comemoraram no fim.

Série C com acesso nas quartas de final pelo 6º ano. A notícia foi não ter mudança

Quartas de final da Série C. Arte: Cassio Zirpoli/DP

A Série C passou a ter um calendário mais longo em 2012, com 18 rodadas na primeira fase. No ano anterior, por exemplo, foram apenas oito, com os clubes eliminados ficando sem jogos em 18 de setembro. Na reformulação, a etapa foi esticada até o fim de outubro. Entretanto, apesar do longo classificatório, seria preciso avançar em um mata-mata para conquistar o acesso. Ainda que o título seja o bônus, valia mesmo passar das quartas de final. Até hoje.

Após o drama do Fortaleza, com eliminações no Castelão para Macaé, Brasil de Pelotas e Juventude, esperava-se um regulamento priorizando a “regularidade” na fase final, em dois quadrangulares. No conselho técnico do Brasileiro, na sede da CBF, no Rio, a mudança era tida como “certa”. Pois foi um curioso caso no qual a notícia foi a ausência de novidade. A CBF alegou o alto custo do torneio (sem grande receita de TV) e os clubes mantiveram a regra vigente.

Portanto, a terceira divisão terá a mesma fórmula pelo 6º ano seguido, com dois grupos de dez times, com jogos dentro das chaves (ida e volta, 18 ao todo). Os quatro melhores de cada grupo avançam às quartas, com cruzamento olímpico.

Será que o Castelão vai encher de novo?

Relembre os mata-matas: 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016.

Desempenho nas quartas de final (2012-2016)
Acessos – SP 3; PA, GO, MG e RS 2; SC, CE, MA, MT, PE, RJ, AL, PR e RN 1
Eliminações – CE e RJ 4; PB, MG, AL e SP 2; MT, RS, PE e SE 1

Em 2017 são 8 nordestinos (incluindo o Salgueiro), ou 40% do torneio.

Santa Cruz vence o Confiança e se aproxima das quartas do Nordestão

Nordestão 2016, 5ª rodada: Santa Cruz 3x1 Confiança. Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz

O Santa Cruz bem que tentou se complicar, cedendo o empate ao time reserva do já eliminado Confiança, aos oito minutos do segundo tempo, mas os gols de Keno (outra vez decisivo) e Bruno Moraes redefiniram a superioridade técnica e garantiram a vitória por 3 x 1 no Arruda. Com o resultado, os corais chegaram a dez pontos, alcançando uma margem segura para obter a vaga às quartas de final da Lampions como um dos melhores segundos colocados.

Possivelmente, sequer precisará pontuar na última rodada, em Salvador, diante do Bahia, já desfalcado de Hernane Brocador, o artilheiro do regional,com cinco gols. Caso precise, um empate deve bastar, o que tranquiliza o ambiente para a fase decisiva da competição. O curioso é que esta análise também vale para o torneio local, onde o Tricolor aparece até numa classificação pior, mas encaminhado ao mata-mata – também por demérito de Central e América.

No jogo contra os sergipanos, o técnico Martelotte deu sequência às mudanças na equipe, por questão física e, também, por opção tática. Voltou a recuar João Paulo, testou uma nova dupla de ataque e bancou Tiago Costa na esquerda, após fadiga de Allan Vieira. Tudo em busca de uma formação mais competitiva (e interessada) para o período do calendário sem direito a erros: a partir de 30 de março, nas quartas do Nordestão, e 20 de abril na semifinal do Estadual.

Nordestão 2016, 5ª rodada: Santa Cruz 3x1 Confiança. Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz

Santa Cruz se recupera em Aracaju. Na bagagem, 3 pontos e 1 taça de surpresa

Nordestão 2016, 2ª rodada: Confiança x Santa Cruz. Foto: Santa Cruz/assessoria

Se contra o Bahia a bola teimou em não entrar, em Aracaju o Santa conseguiu definir uma partida em que novamente teve mais volume. Ainda é preciso balancear as investidas no ataque com uma solidez defensiva – que enfim passou em branco -, mas diante do Confiança o time pernambucano precisou ter apenas um pouco de paciência para conquistar a primeira vitória na Copa do Nordeste, trazendo os primeiros pontos para o Arruda. No Batistão, Martelotte repetiu a formação que iniciou a peleja contra o Baêa, com dois volantes pegadores (Wellington Cézar e Dedé) e três atacantes, centralizando Grafite.

O camisa 23, aliás, era o pilar no domingo até sofrer um corte na cabeça. Recuperado, chamou bastante a marcação adversária. Abrindo espaço aos companheiros, o próprio atacante acabou beneficiado. Aos 8 da segunda etapa, Lelê driblou bem pela esquerda, a jogada seguiu com o improvável Dedé e o goleiro Rafael Sandes deu rebote numa bobeira. Na frente de quem não devia, Grafite. A vantagem foi ampliada logo depois, numa cabeçada de Alemão. Após duas bolas na trave na rodada passada, o zagueiro lavou a alma. Com o 2 x 0 consolidado, o restante da noite foi na base dos contragolpes, sem aperreio.

De lambuja, a vitória acabou rendendo mais uma taça neste início de temporada. Após o Troféu Chico Science, foi a vez da Taça Henágio, em homenagem ao meia sergipano que brilhou no próprio Santa nos anos 1980. O ex-jogador, revelado pelo rival do Confiança, o Sergipe, faleceu em outubro passado, aos 53 anos. Oferecido pela federação local, o troféu completou a bagagem coral.

Nordestão 2016, 2ª rodada: Confiança x Santa Cruz. Foto: Santa Cruz/assessoria

Podcast 45 (215º) – Análise das estreias de Sport e Santa Cruz na Copa do Nordeste

Começou o Nordestão de 2016. A estreia pernambucana foi no sábado, com o empate sem gols do Salgueiro em Imperatriz. No domingo, mais dois representantes e um desfecho curioso. O Sport jogou mal e venceu o Botafogo fora de casa, enquanto o Santa jogou bem e perdeu do Bahia no Arruda. No 45 minutos, analisamos os jogos, com os erros e acertos de Falcão e Martelotte, já projetando o restante da fase de grupos. No fim, um debate sobre a história do Nordestão, com os títulos oficiais (desde 1994) e não oficiais (desde 1946).

Confira um infográfico com a pauta do programa aqui.

Neste podcast, estive ao lado de Celso Ishigami, Fred Figueiroa João de Andrade Neto e Rafael Brasileiro. Ouça agora ou quando quiser!

Em Natal, o sorteio dirigido da Copa do Nordeste de 2016

Cenário do sorteio do Nordestão 2015, no Recife. Foto: Marlon Costa/FPF

Os cinco grupos da Copa do Nordeste de 2016 serão sorteados em 24 de setembro, em Natal. A cidade é a quarta a receber o sorteio oficial do regional, após Fortaleza, Salvador e Recife. Como de praxe, a cerimônia deverá ter presença da cúpula da CBF – ao menos para a capital potiguar o atual presidente da confederação, Marco Polo Del Nero, deve ter condições de ir, FBI à parte. Os vinte participantes da 13ª edição serão distribuídos em um sorteio dirigido, dividido em quatro potes, separados pelo ranking da CBF para a temporada 2015. Logo, cada chave terá um time de cada pote.

Sexto melhor nordestino entre os times presentes, o Santa caiu no segundo pote. Assim, há 20% de chance de sair um Clássico das Multidões já na fase de grupos – em 2014, tivemos o Clássico dos Clássicos. Vale lembrar que a fórmula será a mesma, com fase de grupos, quartas de final (avançando os cinco líderes e os três melhores segundos colocados), semifinal e final.

Ao todo serão 74 jogos, de 14 de fevereiro a 1º de maio de 2016. Em relação à premiação, espera-se um aumento na verba total, que foi de R$ 11,14 milhões na edição vencida pelo Vozão. O anúncio pode ser feito até no evento, que será transmitido pelo Esporte Interativo, o maior responsável pelas cotas.

Pote 1 – Bahia (16º), Ceará (19º), Sport (20º), ABC (23º) e América-RN (28º).

Pote 2 - Santa Cruz (36º), Fortaleza (41º), Sampaio Corrêa (42º), CRB (47º) e Salgueiro (49º)

Pote 3 - Botafogo (65º), Campinense (70º), Vitória da Conquista (76º), Confiança (82º) e Coruripe (92º)

Pote 4 - Flamengo (132º), River (152º) Juazeirense (162º), Imperatriz (s/r) e Estanciano (s/r)

Na sua opinião, qual seria o grupo mais forte do Nordestão? E o mais fraco?

Em relação às divisões nacionais, a possibilidade mais forte, no cenário atual, seria uma chave formada por 1 time da Série A, 1 da B, 1 da C e da 1 D. Já a pior teria 2 da C e 1 da D e 1 sem série.

Os 20 clubes da Copa do Nordeste de 2016

Copa do Nordeste 2016. Arte: Cassio Zirpoli/DP/D.A Press

Os 20 clubes da Copa do Nordeste de 2016 já estão definidos. Após o desfecho do quadrangular final do campeonato paraibano, o Botafogo garantiu a última vaga na 13ª edição do regional, ao terminar como vice estadual, uma vez que o Campinense já havia garantido o título por antecipação. Ao todo, 13 times estiveram entre os participantes do Nordestão passado, vencido de forma invicta pelo Ceará. Serão quatro estreantes, o baiano Juazeirense, o maranhense Imperatriz, o piauiense Flamengo e o sergipano Estanciano.

A fórmula de disputa será a mesma, com cinco grupos de quatro equipes, avançando às quartas de final os cinco líderes e os três melhores segundos colocados. Somando primeira fase e mata-mata, 74 partidas. O sorteio das chaves, com transmissão na tevê, acontecerá em setembro, em Natal, a quarta cidade a receber o evento, após Fortaleza, Salvador e Recife, respectivamente.

Em 2015, a Lampions League teve uma receita de R$ 22.269.796, considerando a bilheteria (R$ 11,12 milhões) e as cotas de participação (R$ 11,14 milhões). Como vem ocorrendo há três edições, a cota deverá aumentar em 2016.

Entre os times tradicionais, as principais ausências são Vitória e Náutico.

Participantes via estadual e campanhas regionais (1994-2015)

Alagoas
CRB (campeão alagoano): 11 participações, com 1 vice
Coruripe (vice): 1 participação, com 1 fase de grupos

Bahia
Bahia (campeão baiano): 11 participações, com 2 títulos, 3 vices e 2 semifinais
Vitória da Conquista (vice): 1 participação, com 1 fase de grupos
Juazeirense (3º lugar): estreante

Ceará
Fortaleza (campeão cearense): 8 participações, com 2 semifinais
Ceará (vice): 11 participações, com 1 título, 1 vice e 2 semifinais

Maranhão
Imperatriz (campeão maranhense): estreante
Sampaio Corrêa (vice): 1 participação, com 1 fase de grupos

Paraíba
Campinense (campeão paraibano): 3 participações, com 1 título
Botafogo (vice): 11 participações, com 1 semifinal

Pernambuco
Santa Cruz (campeão pernambucano): 9 participações, com 2 semifinais
Salgueiro (vice): 2 participações, com 1 quartas de final
Sport (3º lugar): 10 participações, com 3 títulos, 1 vice e 3 semifinais

Piauí
River (campeão piauiense): 1 participação, com 1 fase de grupos
Flamengo (vice): estreante

Rio Grande do Norte
América/RN (campeão potiguar): 12 participações, com 1 título e 2 semifinais
ABC (vice): 10 participações, com 1 vice e 1 semifinal

Sergipe
Confiança (campeão sergipano): 8 participações, com 8 fases de grupos
Estanciano (vice): estreante

CBF acata a votação das federações, confirmando os 20 clubes do Nordestão

Os 20 clubes do Nordestão de 2015

A CBF confirmou os 20 clubes da Copa do Nordeste de 2015.

A lista divulgada pela diretoria de competições da entidade, nesta terça, é a mesma que o blog antecipou em 24 de julho (veja aqui).

Pior para o Santa Cruz, que ficou de fora após a anulação da ata votada em fevereiro na sede da FPF, na Boa Vista. Em junho, antes do Mundial, os nove presidentes das federações da região fizeram uma nova votação, com 8 x 1 contra a proposta – apenas a FPF foi a favor. Com isso, a ampliação de 16 para 20 times foi regulamentada com duas vagas ao Maranhão e duas ao Piauí.

O Tricolor esperava entrar como o 4º representante pernambucano, uma vez que o Sport, campeão nordestino de 2014, abriria uma vaga extra para o estado, pois também ganhou a competição local.

O diretor de futebol do Santa, Constantino Júnior, e o presidente da FPF, Evandro Carvalho, ainda foram juntos ao Rio de Janeiro tentar uma mudança sobre a composição oficial, mas a CBF manteve a lista.

Por sinal, o sorteio dos grupos será realizado em setembro, no Recife…

Em 2013, a premiação geral foi de R$ 5,6 milhões. Em 2014, o regional distribuiu R$ 10 milhões, sendo R$ 350 mil para quem participou da primeira fase e R$ 1,9 milhão para o campeão. Em 2015, o valor de deve subir de novo…

Pernambuco
1º) Sport (9 participações, 3 títulos – 1994/2000/2014)
2º) Náutico (7 participações, 2 semifinais)
3º) Salgueiro (1 participação)

Bahia
1º) Bahia (10 participações, 2 títulos – 2001/2002)
2º) Vitória (11 participações, 4 títulos – 1997/1999/2003/2010)
3º) Serrano (estreante)

Alagoas
1º) Coruripe (estreante)
2º) CRB (10 participações, 1 vice)

Ceará
1º) Ceará (10 participações, 1 vice)
2º) Fortaleza (7 participações, 2 semifinais)

Maranhão
1º) Sampaio Corrêa (estreante)
2º) Moto Club (estreante)

Paraíba
1º) Botafogo (10 participações, 1 semifinal)
2º) Campinense (2 participações, 1 título – 2013)

Piauí
1º) River (estreante)
2º) Piauí (estreante)

Rio Grande do Norte
1º) América (11 participações, 1 título – 1998)
2º) Globo (estreante)

Sergipe
1º) Confiança (7 participações)
2º) Socorrense (estreante)