Os dois caminhos do Sport na Copa Sul-Americana. Ambos a partir do Vitória

Mensagem da Conmebol ao Sport pela classificação à Sul-Americana de 2014

Definidos os confrontos brasileiros na Copa Sul-Americana de 2014.

Os oito representantes do país, entre eles o Leão da Ilha do Retiro, irão estrear já na segunda fase do torneio internacional, que terá 47 times ao todo.

Sport x Vitória
Goiás x Fluminense
São Paulo x Criciúma
Bahia x Internacional

O Rubro-negro entrou como campeão nordestino, ficando com a vaga “Brasil 8″. Ao Superesportes, o diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio, afirmou que o título do Nordestão não traria vantagem ao clube na ordem dos representantes do país. Assim, o adversário é o “Brasil 1″, ou o melhor classificado na última Série A entre aqueles que não alcançaram as oitavas de final da Copa do Brasil. No caso, outro rubro-negro, o Vitória, 5º lugar.

Ao vencedor do confronto, porém, há um caminho ainda nebuloso. Tudo porque a Conmebol mudou na surdina a tabela original da Sula, sorteada em 20 de maio, em Buenos Aires, num evento transmitido ao vivo pelo canal Fox Sports.

Em seu site, a entidade divulgou um chaveamento bem distinto, cuja diferença foi percebida por Emerson Santiago, torcedor do Sport (saiba mais aqui).

Abaixo, portanto, os dois caminhos e os respectivos prints screens das tabelas.

Torcedor rubro-negro, qual tabela você prefere?

Em todo caso, antes precisará obter a vaga em Salvador…

TABELA ORIGINAL

2ª fase (fora) – 3 a 11 de setembro
Vitória

Oitavas (casa) – 1 a 22 de outubro
General Diaz (PAR, Cobresal (CHI), La Guaira (VEN) ou Atlético Nacional (COL)

Quartas (casa) – 29 de outubro a 12 de novembro
Universitario (BOL), Deportes Iquique (CHI), Millonarios (COL), César Vallejo (PER), Bahia ou Inter

Semifinal (casa) – 19 a 26 de novembro
Huachipato (CHI), San José (BOL), Universidad Católica (EQU), Anzoátegui (VEN), São Paulo, Criciúma, Goiás, Fluminense, Universidad Católica (CHI), River Plate (URU), Águilas Doradas (COL) e Emelec (EQU)

Decisão – 3 a 10 de dezembro
Entre duas dezenas de equipes, destaque para Boca Juniors, River Plate, Estudiantes e Peñarol.

Tabela original da Copa Sul-Americana 2014

 TABELA MODIFICADA

2ª fase (fora) – 3 a 11 de setembro
Vitória

Oitavas (fora) – 1 a 22 de outubro
Universidad Católica (CHI), River Plate (URU), Águilas Doradas (COL) e Emelec (EQU)

Quartas – 29 de outubro a 12 de novembro
Em casa: Lanús (ARG)
Fora: Peñarol (URU), Jorge Wilstermann (BOL), Deportivo Cali (COL) e Universidad Cajamarca (PER)

Semifinal – 19 a 26 de novembro
Em casa: Godoy Cruz (ARG), River Plate (ARG), Bahia ou Inter
Fora: General Diaz (PAR), Cobresal (CHI), La Guaira (VEN), Atlético Nacional (COL), Huachipato (CHI), San José (BOL), Deportivo Anzoátegui (VEN) e Universidad Católica (EQU)

Decisão – 3 a 10 de dezembro
Entre duas dezenas de equipes, destaque para River Plate, Boca Juniors e Estudiantes. O River disputaria a outra chave da semi caso outro time brasileiro alcance a semifinal, à parte de Bahia e Inter.

A nova tabela da Copa Sul-Americana 2014, disponível em 25 de julho de 2014

Sul-americana com 10 mil pessoas por jogo, com times argentinos à frente

Até a formação das oitavas de final, com o chaveamento sem qualquer distinção regionalizada, a Copa Sul-americana teve 62 jogos em duas fases. De acordo com a organização da competição, o público acumulado foi de 629.851 pessoas, com média de 10.158 torcedores.

Destaque para os seis argentinos que estrearam na segunda fase e entraram de cara no top ten de público, todos acima de 17,5 mil pessoas.

O Sport aparece em 10º, enquanto o Náutico figurou na 23ª colocação, devendo ser levado em consideração os problemas para o jogo na Arena Pernambuco.

A Lusa conseguiu ficar último na lista, com o Canindé às moscas.

Dos 47 clubes, apenas um ainda não está na lista, o São Paulo. Atual campeão do torneio, o Tricolor só irá estrear nas oitavas da final (veja a chave aqui).

Tabela de presença de público na Copa Sul-americana 2013, após as duas primeiras fases. Crédito: Conmebol/twitter

O clube mais popular da América, via redes sociais

Facebook da Conmebol

A Conmebol lançou a fase final da enquete sobre o clube mais popular da América, através do facebook. Nas redes sociais, com ações em massa das torcidas, a disputa deve ser acirrada, envolvendo 28 times dos dez países membros da entidade.

Do Brasil, os campeões de audiência Flamengo e Corinthians. Além deles, duas forças nordestinas, Sport e Bahia, que saíram da primeira fase da votação, com os nove clubes presentes na Copa Sul-americana de 2013.

O Leão ficou em primeiro nessa “fase nacional”, com mais de dois mil votos.

Agora, a votação inclui distintivos tradicionais como Boca Juniors, River Plate, Peñarol, Nacional, Colo Colo, Universidad de Chile, Olimpia…

Para participar da votação, clique aqui.

Público regular na Sul-americana, antes da Ilha do Retiro e da Arena Pernambuco

Média de público na 1ª fase da Copa Sul-americana. Crédito: Conmebol

Apenas 11 dos 32 clubes que disputaram a primeira fase da Sul-americana levaram mais de dez mil torcedores aos jogos do torneio. Apesar da eliminação, o Peñarol estabeleceu o maior público, com 30 mil pessoas no Centenário.

Enquanto isso, quatro clubes não chegaram sequer a dois mil pagantes: Montevideo Wanderers, Itagüí, River Plate do Uruguai e La Equidad. E olhe que os três últimos ainda conseguiram avançar na competição…

Ao todo foram 297.726 torcedores (“hinchas”) em 32 jogos, com média de 9.303.

Possíveis adversários do representante pernambucano nas oitavas de final, Mineros e Libertad leveram 15.304 e 5.541 pessoas em casa.

Qual é a sua expectativa para os públicos de Náutico e Sport, na Arena Pernambuco e na Ilha do Retiro, respectivamente?

Na Sul-americana não haverá ingressos promocionais do Todos com a Nota.

A história celeste de Abel Hernández em 90 minutos na Arena

Abel Hernández comemora um de seus gols na Copa das Confederações de 2013 na Arena Pernambuco. Foto: Fifa/divulgação

O atacante Abel Hernández foi revelado pelo Central Español de Montevidéu em 2007, ainda adolescente. Tinha apenas 17 anos.

No ano seguinte, o forte centroavante de 1,86m foi contratado pelo tradicional Peñarol, onde ficou apenas uma temporada.

Tempo suficiente para assinar com o Palermo da Itália, onde atua até hoje. Na Celeste, porém, é quase desconhecido. Até este domingo eram apenas 9 jogos.

Também pudera, pois o ataque charrúa dirigido pelo maestro Oscar Tabárez conta com Cavani e Luis Suárez, além do veterano Diego Forlán. Qualidade.

Diante do fraco Taiti, neste domingo, o Uruguai precisava de uma vitória simples. O treinador, sem medo e consciente o abismo técnico, escalou um time reserva.

Chance para Hernández. O atleta de 22 anos, nascido em Pando, na região metropolitana da capital nacional, aproveitou bem a chance…

Marcou quatro gols, metade do placar estabelecido pela Celeste, 8 x 0.

La Joya, como é conhecido, só havia anotado 3 gols pela seleção, cuja estreia ocorreu em agosto de 2010. Turbinou sua estatística para 7 gols em 10 jogos.

Se tem alguém que vai sair bem feliz desta Copa, esse é o agora menos desconhecido Abel Hernández…

Copa das Confederações 2013, 1ª fase: Uruguai 8x0 Taiti. Foto: Heitor Cunha/DP/D.A Press

Os maiores bandeirões do mundo

Bandeirão do River Plate em 2012, em Buenos Aires. Foto: foros.riverplate.com

Haja pano, haja tinta, haja paixão no futebol.

Em 8 de outubro de 2012 a torcida do River Plate ganhou as ruas de Buenos Aires com uma bandeira monumental. Ligando o seu estádio em Nuñez à velha casa, numa distância de 7.829 metros, justamente o tamanho do trapo.

Mas vamos para dentro dos estádios, onde a bola rola de fato. Considerando as bandeiras nas arquibancadas, a Taça Libertadores da América se transformou no cenário ideal para a inauguração das maiores do mundo.

Em 2011, no mítico Centenário, a torcida carbonera do Peñarol desfraldou uma bandeira de 1,8 tonelada. Na ocasião, foram 400 litros de tinta, amarela e preta.

Era o recorde absoluto. Até esta semana, com uma quebra dupla da marca.

Na quarta-feira, os colombianos do Millonarios, um dos times mais populares do país, abriram uma bandeira de 750 metros de comprimento. No dia seguinte, também na Libertadores, o Nacional, maior rival do Peñarol, igualou o recorde, abrindo uma bandeira mais “curta”, mas com 10 metros a mais de largura.

É possível cobrir toda a arquibancada do futuro Maracanã? Seria difícil superar.

1º lugar – Nacional do Uruguai: 600m x 50m, com 30.000 metros quadrados

Bandeirão do Nacional de Montevidéu, inaugurado em 2013 no estádio Centenário

1º lugar – Millonario da Colômbia: 750m x 40m, com 30.000 metros quadrados

Bandeirão do Millonario da Colômbia inaugurado em 2013 no estádio El Campín

3º lugar – Peñarol do Uruguai: 309m x 45,8m, com 14.152 metros quadrados

Bandeirão do Peñarol de Montevidéu, inaugurado em 2011 no estádio Centenário

Os sete maiores bandeirões do Brasil (atualizado em 17/05/2013).

1º) Corinthians (Gaviões da Fiel): 250m x 35m (8.750m²)
2º) Atlético-MG (Galoucura): 210m x 40m (8.400m²)
3º) Cruzeiro (Máfia Azul): 205m x 40m (8.200m²)
4º) São Paulo (Independente): 162m x 50m (8.100m²)
5º) Santa Cruz (Inferno Coral): 175m x 45m (7.875m²)
6º) Ceará (Cearamor): 210m x 36,5m (7.665m²)
7º) Fortaleza (TUF): 155m x 38m (5.890m²)
8º) Guarani: 140m x 40m (5.600m²)

Maior bandeira do Santa Cruz: 175m x 45m (7.875m²), no anel superior

Bandeirão do Santa Cruz no anel superior do Arruda, em 2009. Foto: Hélder Tavares/DP/D.A Press

Maior bandeira do Sport: 90m x 34m (3.060m²), na arquibancada frontal

Bandeirão do Sport na Ilha do Retiro em 2011. Foto: Thereza Melo/divulgação

Maior bandeirão do Náutico: 60m x 40m (2.400m²), na arquibancada frontal

Bandeirão do Náutico nos Aflitos. Foto: Unidade Alvirrubra

Uma cancha pré-montada para o Peñarol

Novo estádio do Peñarol, do Uruguai. Crédito: Peñarol/divulgação

Pentacampeão da Taça Libertadores da América, o Clube Atlético Peñarol é um dos times mais tradicionais do continente.

Durante quase duas décadas, a agremiação aurinegra assumiu o papel de coadjuvante no futebol sul-americano. Chegou a ser eliminada duas vezes na fase Pré-Libertadores.

Aos poucos, investindo na base, alcançou bons resultados, com destaque para o vice na maior competição interclubes organizada pela Conmebol em 2011.

Mesmo deixando o histórico estádio Centenário repleto a cada apresentação em Montevidéu, o Peñarol pretende ter a sua própria cancha.

O clube uruguaio acaba de lançar o projeto de uma arena multiuso com 40 mil lugares, articulada para ser a mais moderna do pequeno país ao sul do Brasil (veja aqui).

Mais do que o projeto, o diferencial foi a forma de lançamento, com a “montagem”…

La historia tiene un lugar para vos.

Penarol com espírito de Libertadores no Arruda

Copa do Brasil 2012: Santa Cruz 2x3 Penarol. Foto: Roberto Ramos/Diario de Pernambuco

Em Manaus, o Santa Cruz dominava as ações e vencia o Penarol por 2 x 0.

O rival sequer jogava em casa. Por falta de infraestrutura, teve que deixar Itacoatiara, a 265 quilômetros da capital amazonense. Exigência da Copa do Brasil.

Alheio a isso, o Tricolor estava assegurando a classificação de forma antecipada. Ganharia um prêmio de R$ 120 mil da CBF e uma semana de folga no calendário.

No segundo tempo, aos 13 minutos, Marinelson descontou. O Penarol “segurou” a derrota enxuta e evitou a queda amazonense logo na estreia.

A partida aconteceu há exatamente uma semana…

No lado coral, todos preferiram enxergar o lado positivo daquele resultado, que seria o fato de proporcionar uma boa arredacação no Arruda.

Sim, houve o jogo de volta no Mundão, na noite desta quarta-feira.

A renda bruta foi de R$ 100.900. O público oficial foi 11.677 torcedores.

Mas, na prática, nada de lucro.

Ficando sempre em vantagem, o Penarol fez 1 x 0, com o mesmo Marinelson, 2 x 1, com o atacante Fábio Bala, e 3 x 2, com Rondinelli, após rápida troca de passes.

Os primeiros gols até foram intercalados por Dênis Marques e Memo, mas o visitante, com Cristo e He-Man na formação, conseguiu reagir até o fim.

Aproveitou-se de uma zaga em má fase, incluindo Leandro Souza, outrora unanimidade.

Numa atuação apagadíssima desde os primeiros minutos, observando o raçudo adversário tocar a bola e ditar o ritmo, o Tricolor foi eliminado da competição nacional.

Mais uma vez diante de um time muito inferior. Novamente no Arruda.

Nos últimos seis anos, quatro eliminações na primeira fase, em casa. Vexame...

Copa do Brasil 2012: Santa Cruz 2x3 Penarol. Foto: Roberto Ramos/Diario de Pernambuco

Sem semana de folga, mas com vaga encaminhada

Copa do Brasil 2012: Penarol/AM 1x2 Santa Cruz. Foto: Evandro Seixas / A CRITICA

Missão dada. Missão quase cumprida…

Não era mistério algum. O objetivo era voltar do Amazonas classificado.

O Santa Cruz chegou a encaminhar a vaga antecipada à segunda fase da Copa do Brasil, ao estabelecer um placar com dois gols de vantagem sobre o Penarol.

Superior tecnicamente no papel e no campo.

O centroavante Geilson marcou duas vezes no primeiro tempo, aos 15 e 41 minutos, mas a equipe perdeu várias oportunidades. Poderia ter “matado” o jogo ali.

No segundo tempo, os comandados de Zé Teodoro voltaram mais precavidos.

Sem tanto ímpeto no ataque. O foco era defesa. O resultado era suficiente…

Porém, isso não garantiu a meta invicta de Tiago Cardoso. O time amazonense diminuiu, com Marinelson, e quase empatou no fim. Mandou uma bola na trave.

Se a classificação não veio na bagagem, pelo menos o Tricolor, mesmo a 2.835 quilômetros de casa, trouxe a vitória por 2 x 1.

A torcida coral, presente em bom número no estádio do Sesi, gostou, mas esta quarta poderia marcado uma dupla premiação ao Santa, já na estreia.

Primeiro com o reforço no caixa, com o prêmio de R$ 120 mil pela vaga na segunda etapa da competição, oferecido pela CBF, e a sonhada a folguinha no calendário.

A próxima quarta-feira, dia 14, bem que poderia marcar uma semana de descanso, mas será a data do jogo de volta contra o Penarol.

Dia para o campeão pernambucano garantir o bônus nas finanças e a vaguinha…

Até porque a missão no Amazonas foi só a primeira, mas precisa ser cumprida no Arruda.

Copa do Brasil 2012: Penarol/AM 1x2 Santa Cruz. Foto: Evandro Seixas / A CRITICA

Superdose homeopática do PES 2012

PES 2012

Para quem gosta de futebol e videogame, o Pro Evolution Soccer 2012 não irá decepcionar. A aguardada versão demo do game já está disponível.

O blog baixou o modelo de 1,3 giga de memória para o Playstation 3. As primeiras impressões do PES 2012 são animadoras.

Obviamente, o jogo disponibilizado da rede PSN ainda não tem tantos recursos, como narração, campeonatos, câmeras (são apenas 3 no demo) e, sobretudo, equipes.

Neste demo, apenas seis times: Milan, Manchester United, Napoli, Porto, Peñarol e Santos. No Peixe, um Neymar estilizado, com moicano. Durval também está lá.

Na apresentação, um vídeo com inúmeros lances do game, com gráfico excepcional.

A jogabilidade é excelente e visa rivalizar com o Fifa 2012, facilitando a execução de dribles curtos, incluindo também o controle de jogadores sem a bola.

Rapidamente, o blog jogou duas partidas… Com o Milan, um empate em 2 x 2 com o Napoli, com dois gols de Boateng – chutaço de fora da área e de cabeça.

Depois, vexame. Santos 1 x 2 Peñarol. Nem com o Neymar…

O jogo produzido pela Konami deve chegar às lojas em 8 de outubro.

Em junho, o blog fez uma enquete sobre qual seria o game de futebol preferido dos internautas. O Pro Evolutio Soccer venceu com 59% (veja aqui).